Novo voo liga Vila Velha às Cataratas em menos de 2 horas

Voo inaugural entre Ponta Grossa e Foz do Iguaçu, realizado pela Voepass, ocorreu no sábado

Menos de duas horas separam os dois principais pontos turísticos naturais do Paraná. Essa redução temporal entre o Parque Estadual da Vila Velha, em Ponta Grossa, e o Parque Nacional do Iguaçu, onde ficam as Cataratas, foi possível através da nova rota aérea operada pela Voepass Linhas Aéreas, iniciada neste sábado, dia 24 de outubro. A aeronave, que tocou o solo em Ponta Grossa às 13h59, para pousar, vinda de São Paulo (Congonhas), recebeu o batismo do voo com o tradicional jato de água ao deixar a taxyway e chegar ao pátio do terminal de passageiros, marcando a consolidação da terceira rota aérea comercial operada na cidade, desde a reforma do aeroporto, reinaugurado em 2016.

A rota é uma reivindicação dos ponta-grossenses, após pesquisas feitas pela prefeitura no município, que depois de São Paulo, apontaram Foz como o destino com maior demanda. “Todas as pesquisas feitas no aeroporto apontavam Congonhas e Foz. E o que mostra o quão importante é que os voos estão cheios, os voos estão sendo comprados com antecedência; agora sexta-feira (30), véspera de feriado, está lotado o voo. É uma conquista que está movimentando passageiros do Brasil todo”, informou Victor Hugo Oliveira, superintendente aeroportuário em Ponta Grossa. A rota começaria na segunda quinzena de março, mas foi postergada devido à pandemia.

Depois do embarque dos passageiros em Ponta Grossa, às 14h45 a aeronave ATR-72 600 saiu para sair taxiar, deixando o solo, pela cabeceira 26 do aeroporto Sant’Ana, às 14h50. Foram 1h06 minutos no ar, e inúmeras cidades superadas, como Imbituva, Guamiranga, Guarapuava, Goioxim, Nova Laranjeiras, Quedas do Iguaçu, Três Barras, Capitão Leônidas Marques, inclusive um sobrevoo sobre a Argentina, após cruzar a margem sul do rio Iguaçu, sobre a cidade Comandante Andresito, para passar ao lado das Cataratas e pousar às 15h56. Por lá, também houve o batismo da aeronave e recepção de autoridades e lideranças municipais e do setor do turismo.

“É uma mudança de um ciclo histórico para nossa cidade. Estou muito satisfeito, porque ter o voo entre Ponta Grossa e Foz do Iguaçu é unir as duas principais atrações turísticas do Paraná, e Vila Velha vai ser uma das maiores do mundo. Ponta Grossa só ganha com tudo isso”, destacou o prefeito Marcelo Rangel, sobre a relevância deste voo para o setor turístico. Por sua vez, José Loureiro, secretário municipal de Indústria, Comércio e Qualificação Profissional, ressaltou a potencialização do turismo de negócios. “Esse é um voo, assim como o para Congonhas, que facilita muito os negócios para multinacionais que estão em Ponta Grossa, e uma facilidade a mais para os executivos chegarem ao município”, informou.

Do voo participaram, além de Marcelo Rangel, José Loureiro, e Victor Hugo de Oliveira, o secretário de Estado de Infraestrutura e Logística, Sandro Alex; e a vice-presidente do Conselho de Desenvolvimento Econômico de Ponta Grossa, Priscila Jaronski, além de empresários do setor de turismo, que desenvolvem pacotes de viagem para o destino. O aeroporto de Foz recebe um investimento para ampliação da pista em 600 metros, para ficar com 2.800 metros, e receber novos voos internacionais, com conexões para a Europa e América do Norte a partir de 2021 – que poderão ser acessadas pelos ponta-grossenses com o novo voo..

Para mais informações sobre os Campos Gerais acesse o Portal  A Rede clicando aqui.

Informações Banda B.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Paraná confirma três mortes de macacos por febre amarela

O Informe Epidemiológico da Febre Amarela divulgado nesta quarta-feira (25) pela Secretaria de Estado da Saúde confirma três epizootias, que são as mortes de macacos contaminados pelo vírus da doença. Os registros ocorreram no município de Coronel Domingos Soares, na região Sudoeste.

Diante da confirmação de positividade das primeiras epizootias do período sazonal 2020/2021, o informe da febre amarela volta a ser publicado quinzenalmente.

O boletim contabiliza 65 notificações sobre mortes de macacos no Paraná, em 16 municípios. Destas, 30 já foram descartadas, 27 encaminhadas como causas indeterminadas e cinco seguem em investigação, além das três confirmadas como mortes por febre amarela.

Os casos em investigação ocorreram em Cruz Machado (Sul), Clevelândia (Sudoeste), Assis Chateaubriand (Oeste).

“É importante salientar sempre que os macacos não transmitem a febre amarela. Os animais também são infectados pela picada do mosquito contaminado com o vírus e morrem em conseqüência da doença”, explicou o secretário de Estado da Saúde, Beto Preto.

A mortalidade dos macacos indica a circulação de vírus da febre amarela silvestre naquela região. “Os macacos são nossos sentinelas e indicam o caminho que o vírus pode fazer, e diante destas informações podemos antecipar medidas para evitar a febre amarela urbana”, explicou o secretário.

HUMANOS – Neste período de monitoramento, com início em 1º de julho, até o momento não foi confirmado nenhum caso humano da doença. Houve dez notificações, das quais nove foram descartadas e um caso segue em investigação, no município de Curitiba.

VACINA – A forma efetiva de prevenção da febre amarela é a vacina. Desde julho de 2018, todos os municípios do Paraná passaram a ser área com recomendação vacinal devido à circulação viral.

A Secretaria de Estado da Saúde orienta todos os municípios para promoverem estratégias de intensificação seletiva de vacinação, com prioridade nos municípios afetados e ampliada regionalmente.

A pasta reforça a orientação para a vacinação contra a febre amarela na faixa etária entre nove meses a 59 anos 11 meses e 29 dias na rotina de vacinação, nas unidades básicas de saúde.

Até o momento, a cobertura vacinal no Paraná está em 71,28%, enquanto a meta preconizada é 95%. O cálculo percentual leva em conta apenas a crianças menores de um ano que receberam a vacina no período de janeiro até outubro deste ano.

Informações AEN.

Agência do Trabalhador de Araucária tem 58 vagas de emprego

Os interessados devem agendar um horário no site do SINE e dirigir-se ao local com documentos pessoais

A Agência do Trabalhador de Araucária (do Sistema Nacional de Emprego – SINE) está com 58 vagas de trabalho abertas. As mais recentes são para a função de: repositor, cozinheiro Industrial, vendedores, despachante de veículos, motorista carreteiro e encarregado de supermercado. Todas as vagas podem ser conferidas pelo aplicativo Sine Fácil.

Os interessados devem agendar um horário pelo site http://justica.pr.gov.br, para comparecer ao SINE no horário marcado, com documentos pessoais em mãos. A Carteira de Trabalho Digital será aceita para fins de consulta.

A Agência do Trabalhador de Araucária fica localizada na Rua Álvaro Linhares Ehlke, 333, Sabiá. Horário de atendimento das 7h30 às 12h e das 13h às 16h30. Dúvidas podem ser esclarecidas pelo telefone 3642-4691 ou 3642-1865.

Informações Banda B.