Museu Oscar Niemeyer reabre nesta sexta-feira (16) com atrações inéditas

O Museu Oscar Niemeyer (MON) reabre ao público nesta sexta-feira (16) seguindo orientações de segurança determinadas pela Secretaria de Estado da Saúde. Entre as várias medidas adotadas está o limite de pessoas para visitação nas salas expositivas e em todo o Museu, para garantir o distanciamento seguro. O material impresso, como guias e folders, foi substituído por versões digitais, disponíveis por QR codes. A lista completa das ações está no final deste texto.

“Após sete meses de fechamento involuntário, o MON volta a receber o público com a grandiosa e inédita exposição ‘Espécies Raras’, do artista britânico Tony Cragg, expoente da arte contemporânea, uma oportunidade única aos nossos visitantes”, afirma a diretora-presidente do MON, Juliana Vosnika. Além da exposição “Espécies Raras”, o Museu reabre com as seguintes mostras em cartaz: “Ásia: a Terra, os Homens, os Deuses – Segunda Edição”; “O Mundo Mágico dos Ningyos”; “Luz ≅ Matéria”; “África, Mãe de Todos Nós”; “Museu em Construção”; “Espaço Niemeyer”; “Cones” e obras do Pátio das Esculturas.

MON EM CASA – Durante o período em que o Museu ficou fechado, a instituição ofereceu virtualmente aos visitantes todas as suas atividades, como exposições, oficinas artísticas, programas específicos como Arte Para Maiores e Artistas do Acervo, mediações e outras.

Após a reabertura física do Museu, as atividades virtuais criadas durante a quarentena serão mantidas. “Além de atender aos nossos visitantes, alcançamos um público novo, até mesmo de fora do país. Portanto, as ações digitais irão permanecer”, diz Juliana.

Outro motivo para mantê-las é continuar levando exposições, oficinas artísticas e mediações até as pessoas que neste primeiro momento não consigam retornar presencialmente, como as que fazem parte de grupos de risco. “Entendemos que o MON deve continuar sendo um espaço democrático e motivo de inspiração para todos, seja presencialmente ou não”, afirma Juliana.

Durante o período de fechamento temporário, desde 17 de março, entre outras ações, o MON disponibilizou mais de 40 oficinas artísticas em posts e vídeos, em suas redes sociais, alcançando aproximadamente 260 mil pessoas. Todo o material está reunido no hotsite: museuoscarniemeyer.org.br/mon/monemcasa/.

PROTOCOLO DE SEGURANÇA

– Será permitida a entrada de até 200 pessoas por hora.

– Prefira horários com menor fluxo de público: pela manhã ou após as 16h.

– Prefira a compra do ingresso pelo nosso site – é rápido, seguro e você não precisará passar pela bilheteria.

– Caso compre o ingresso na bilheteria, você contará com uma sinalização especial para evitar aglomerações, além de orientações de nossa equipe.

– Para uma visita mais segura, use máscaras de proteção. Se achar necessário, traga mais de uma para que possa substituí-la ao longo da visita. Caso tenha esquecido de trazer a sua, não se preocupe, você poderá adquiri-la na MON Loja.

– Em caso de filas, pedimos que respeite as marcações de solo que indicam a distância segura de dois metros.

– Você vai sentir nossa preocupação com a sua segurança logo na entrada do Museu (detector de metais), onde será feita a aferição de temperatura corporal e a higienização individual de bandejas porta-objetos e outros itens. Tapetes desinfetantes também foram instalados nesse local, para garantir a higienização dos calçados.

– Já na entrada e depois em diversos locais do Museu, você encontrará dispensadores com álcool em gel 70%. Assim, poderá higienizar as suas mãos sempre que quiser.

– Nosso guarda-volumes estará aberto e devidamente higienizado (inclusive as chaves), e você contará com embalagens plásticas individuais para colocar seus pertences antes de guardá-los nos armários. Lembrando que o ideal é que traga sempre o mínimo possível de objetos ao Museu. Líquidos, alimentos, mochilas e bolsas grandes devem sempre ser guardados.

– Como medida preventiva, os empréstimos de cadeiras de rodas e de carrinhos de bebê estão temporariamente suspensos para que não sejam compartilhados.

– Pessoas com mobilidade reduzida terão prioridade no uso dos elevadores e eles estarão liberados para uso individual ou por pessoas de um mesmo grupo de convivência (famílias, por exemplo).

– A visitação das salas expositivas, bem como de todo o Museu, terá um limite de pessoas, pois, apesar de serem amplas, precisamos seguir o distanciamento entre os visitantes.

– Sugerimos algumas rotas dentro do Museu (sinalizadas nos pisos), bem como uma indicação dos sentidos para subida e descida nas rampas, para deixar o fluxo mais organizado e seguro.

– Para sua segurança, procure não tocar nos corrimãos, portas e outros objetos, como expositores de vidro. Embora devidamente higienizados, o ideal é evitarmos o contato neste momento.

– Tanto nas salas expositivas quanto no Pátio das Esculturas, reforçamos a solicitação de não tocar nas obras, para preservá-las e para sua maior segurança.

– Nosso material informativo, como guia da programação e folders das exposições, foi substituído do papel para versões digitais, disponíveis por QR codes, que você encontrará na entrada do Museu e também nas salas expositivas.

– Nosso Centro de Documentação está temporariamente fechado para visitas e consultas presenciais, mas solicitações de pesquisa podem ser encaminhadas pelo e-mail pesquisa@mon.org.br.

– As oficinas artísticas e as visitas mediadas acontecem agora de forma virtual. Acompanhe nossas redes sociais e consulte o site do Museu.

– Pessoas cegas ou com baixa-visão que desejem visitar o espaço tátil do programa MON Para Todos deverão obrigatoriamente agendar a sua visita pelo e-mail agendamento@mon.org.br, para que possamos organizar as medidas de higienização necessárias. Por segurança, o acesso a esse espaço não está disponível para os demais visitantes.

SERVIÇO: Museu Oscar Niemeyer.

Rua Marechal Hermes, 999 – Centro Cívico – Curitiba – Paraná.

Visitação: terça a domingo, das 10h às 18h.

www.museuoscarniemeyer.org.br

Informações AEN.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

10 filmes românticos para comemorar o Dia dos Namorados

Existem as histórias de amor clássicas e os grandes filmes românticos que atravessam gerações, falando ao coração do público de diferentes épocas. Casablanca, E o Vento Levou, Tarde Demais para Esquecer, Uma Linda Mulher, Ghost – Do Outro Lado da Vida, Titanic… Vamos fugir um pouco ao lugar-comum. Outros romances podem enternecer seu Dia dos Namorados, neste sábado, 12. Assista-os!

Uma Boa Ação

Tyler Perry vem sendo um fenômeno da indústria há mais de uma década. Em 2011, a Forbes listou-o como o homem, não só o afro-americano, mais bem pago do entretenimento. Ator, autor, roteirista, diretor, produtor, empreendedor, ele é tudo. Neste ano recebeu o Oscar humanitário e foi reverenciado por seu trabalho social durante a pandemia. Uma Boa Ação é um clássico da Sessão da Tarde. Tyler faz empresário que herdou o negócio bem sucedido do pai, mas vive controlado pela mãe. O encontro com a funcionária da limpeza do escritório fará uma revolução em sua vida. Uma Cinderela às avessas? Thandie Newton, a atriz de Assédio, de Bernardo Bertolucci, é quem faz o papel. Tem química com Tyler.

Coincidências do Amor

Desde a cultuada série Friends, Jennifer Aniston virou favorita do público, mas não consegue ser unanimidade. Tem gente que a considera a pior atriz do mundo. Não é verdade. A comédia de Josh Gordon e Will Speck é outra que volta e meia cativa os espectadores da Sessão da Tarde. Jennifer está sem relacionamento, mas quer ser mãe. Recorre à inseminação artificial, pensando que o pai de seu filho será um, mas é outro Seu melhor amigo, completamente bêbado, substitui o esperma no material de coleta. Sete anos depois, reencontram-se – e o filho é a cara dele. Jason Bateman faz o gênero homem-menino com competência. Conseguirá recuperar a amada – Jen – que está de casamento marcado?

A Razão do Meu Afeto

Jennifer Aniston de novo. Ela vai morar com o amigo gay, Paul Rudd. Quando engravida do namorado, resolve continuar morando com ele. E mais – que ele seja o pai de seu filho. Nicholas Hytner dirige e o filme possui um encanto especial. De forma humorada e afetiva, propõe novas formas de organização familiar. E você vai torcer pelo gay!

Casa Comigo?

Uma love story que se passa, em boa medida, na estrada. Amy Adams cansou de esperar que o namorado oficialize o compromisso. Como existe uma tradição irlandesa, segundo a qual o homem não pode recusar o pedido de casamento feito no dia 29 de fevereiro, ela vai atrás dele – na Irlanda! O problema é Matthew Goode, o motorista com quem Amy cai na estrada. O cinema celebrou muitas mulheres doces, mas um homem? Dirigidos por Anand Tucker, Amy e Goode formam uma das duplas mais perfeitas da história da comédia romântica.

Feitiço da Lua

Cher e Olympia Dukakis ganharam os Oscars de melhor atriz e melhor coadjuvante do ano, 1987. Cher faz viúva que cede à pressão da família e está para se casar com Danny Aiello quando descobre o irmão dele – e apaixona-se! Nicolas Cage é complexado porque tem uma mão artificial. Norman Jewison dirige o roteiro – também vencedor do Oscar – de John Patrick Shanley. Na cena decisiva, Cher e Cage vão à ópera e a ária é Che Gelida Manina, de La Bohème. Tudo a ver.

Moulin Rouge

O fecho da trilogia da cortina vermelha de Baz Luhrmann, que começou com Vem Dançar Comigo e prosseguiu com Romeu + Julieta. Desde a abertura, ao som de Nature Boy – There was a boy, a very stranged enchanted boy -, o filme mostra a chegada de Ewan McGregor ao cabaré e o seu envolvimento com a estrela da casa, Satine/Nicole Kidman. Mas ela tem um amante que exige exclusividade. Desista do realismo. Luhrmann teceu uma obra-prima de artifício, usando uma tragédia de amor para refletir sobre o mundo do espetáculo.

Um Lugar Chamado Notting Hill

A estrela do cinema e o tímido dono de uma livraria em Londres. Julia Roberts entra por acaso na loja de Hugh Grant e a vida dele muda para sempre. A química do casal, os amigos ao redor, a trilha com She. Roger Michell fez um daqueles filmes em que tudo parece perfeito. Não por acaso, tem gente que considera o resultado ‘a’ maior comédia romântica do cinema. Mesmo que não seja, tem encanto de sobra, e a cena da coletiva, quase no final, é um regalo.

Diário de Uma Paixão

O velho que cuida da paciente com Alzheimer numa clínica. Ele conta uma história. A menina rica que se apaixona por garoto pobre, os pais dela que se opõem e fazem de tudo para afastar o indesejável. Ele vai para a guerra, o tempo passa e terminam por se reencontrar. O que as duas histórias têm em comum? Nick Cassavetes dirige sua mãe, a grande Gena Rowlands. James Garner faz o idoso cheio de amor, mas são os jovens que cativam, Rachel McAdams e Ryan Gosling. Tente não chorar, se for capaz.

A Dama e o Vagabundo

Pensaram que o clássico da Disney ficaria de fora? A cachorrinha criada com toda mordomia na casa dos ricaços e o vira-latas da rua. A vida dela muda quando o casal de donos tem um bebê e a velha tia vem ajudar a cuidar da casa, com aqueles gatos diabólicos, Si e Ão. A cena da cantina, quando Lady e Tramp compartilham a pasta e o fio puxado de lado a lado termina num beijo, mostra que o amor pode não ser exclusividade de humanos. Os diretores Clyde Geronimi, Hamilton Luske e Wilfred Jackson conseguiram dosar aventura, romance, comédia e até suspense. O rato que se aproxima do berço conseguirá fazer mal ao pimpolho?

Hiroshima, Meu Amor

Uma love story cabeça para diversificar a lista. Emmanuelle Riva faz uma atriz francesa que participa de um filme contra a bomba atômica que está sendo rodado em… Hiroshima. Ela se envolve com um japonês e um gesto de Eiji Okada, na cama, lhe traz de volta um amor da juventude, na França ocupada pelos nazistas. Dois tempos, duas histórias, duas cidades – Hiroshima e Nevers. O roteiro de Marguerite Duras, a direção de Alain Resnais, a química de Emmanuelle e Okada. Um dos maiores filmes do cinema pode ser visto, também, como romance.

Em quatro dias, fiscalização anticovid interdita mais 16 estabelecimentos em Curitiba

Bares, casas de jogos, casas de eventos, lanchonetes, distribuidoras de bebidas, academia e cancha de esporte estão entre os estabelecimentos interditados e autuados pela Ação Integrada de Fiscalização Urbana (Aifu) nesta semana. De segunda-feira (7/6) até a noite desta quinta (10/6) a força-tarefa formada por agentes da Prefeitura de Curitiba e do Governo do Estado vistoriou 84 locais nos bairros e região central.

Foram flagradas irregularidades contra as restrições sanitárias necessárias ao enfrentamento à pandemia da covid-19 em 16 locais, que tiveram as atividades suspensas. Sob as regras dos decretos municipais 940 e 960/2021 (bandeira laranja/risco médio) foram lavrados 16 autos de infração.

A soma dos autos de infração nos quatro dias é de R$ 215 mil e as penalidades foram aplicadas devido à realização de atividade com restrição no período e descumprimento do horário permitido para a prática comercial.  

Enfrentamento à pandemia

As equipes de fiscalização percorrem a cidade para coibir ações de disseminação da covid-19 desde 1 de abril do ano passado, mas foi a partir de 5 de janeiro que passou a valer a Lei Municipal 15799/2021, que responsabiliza e pune quem descumpre as medidas restritivas de enfrentamento à pandemia.

De lá para cá, somente nas ações realizadas por fiscais da Secretaria Municipal do Urbanismo (nas Aifus e ações com a Guarda Municipal) foram realizadas 3.182 vistorias que resultaram na interdição de 697 estabelecimentos flagrados em funcionamento descumprindo as medidas sanitárias obrigatórias e de 1.518 autos lavrados tanto para cidadãos e empresas.

Boa parte destes autos de infração (801) foram lavrados para pessoas físicas que participaram de situações de aglomeração, descumpriram o toque de recolher, se recusaram a usar máscara (nestes casos, antes da multa a pessoa recebe uma advertência verbal) ou pela tentativa de obstruir ou dificultar a ação de fiscalização.

Outros 717 autos de infração foram para empresas, de diferentes áreas de atuação, por desrespeito à restrição temporária da atividade considerada de alto risco para à saúde pública no período (bares e festas clandestinas, por exemplo) e ao toque de recolher, por promoverem eventos com aglomeração, permitirem uso de narguilé, deixarem de oferecer álcool em gel ou de garantir o distanciamento social e o uso de máscara.

Baladas clandestinas

A promoção de eventos de massa, como as baladas clandestinas em chácaras e espaços de eventos e as reuniões com aglomeração, acumulam 72 autos de infração. As multas para essas infrações podem variar de R$ 5 mil a 150 mil e podem ser aplicadas em dobro no caso de reincidência. Já a falta de controle do número de pessoas em estabelecimentos rendeu 33 autos de infração.

Para a imposição da penalidade e sua graduação, os fiscais consideram a gravidade do fato, os motivos da infração e suas consequências para a saúde pública, além dos antecedentes do infrator quanto ao cumprimento das normas de combate à pandemia.

Processo administrativo

Os autos lavrados a partir da lei 15799/2021 somam mais de R$ 14 milhões. Todas as pessoas e empresas autuadas pelo município têm o direito de recorrer no processo administrativo.

O não pagamento das multas geradas pelo descumprimento das medidas anticovid pode resultar na inclusão da pessoa física ou jurídica em dívida ativa no município. A execução fiscal de cobrança depende de prazos, uma vez que a lei prevê a ampla defesa do contraditório, mas este é um dos procedimentos mais seguros de cobrança de uma dívida pelo município contra o cidadão devedor.

A atividade repressiva com infrações para quem descumpre as medidas tem por objetivo o enfrentamento à covid-19 a partir da proibição de comportamentos que propagam a doença na cidade. Além da multa a lei prevê outras infrações como embargo, interdição e até cassação do Alvará de Localização e Funcionamento do Estabelecimento.

Os recursos advindos da aplicação das multas de fiscalização das medidas anticovid-19 serão aplicados no enfrentamento da emergência em saúde pública.

Aifu

A Aifu é realizada a partir da união de esforços dos fiscais da Secretaria Municipal do Urbanismo, Secretaria Municipal do Meio Ambiente, agentes da Setran, Guarda Municipal, Polícia Militar, Polícia Civil e Corpo de Bombeiros.