Museu Egípcio de Curitiba é reaberto

O Museu Egípcio & Rosacruz Tutankhamon de Curitiba foi reaberto após sete meses com as visitações suspensas devido a pandemia do novo coronavírus. A reabertura acontece no mês em que o museu completa 30 anos.

O espaço é dedicado a expor a história de Tutankhamon, com objetivo de apresentar ao público réplicas fiéis às originais de algumas das peças que foram encontradas na tumba de Tutankhamon no ano de 1922.

Para a reabertura o local está seguindo todas as orientações de saúde, com uso obrigatório de máscaras, distanciamento de 1,8m entre cada visitante, uso de álcool em gel e não será permitido tocar nas peças, vitrines e outras superfícies. Além da capacidade reduzida para  50 pessoas por hora de visitação, caso a quantidade de ingressos acabe, o visitante deverá aguardar o horário de venda do novo lote.

O local está funcionando de terça a sexta, das 8h às 12h e das 13h às 17h30. Aos sábados, das 10h às 17h; domingos das 13h30 às 17h e feriados, das 10h às 17h. O museu fica localizado na Rua Nicarágua, 2620, no Bacacheri. 

Serviço 

Museu Egípcio e Rosacruz e Complexo Luxor 

Atual Exposição – Akhet: o horizonte dos deuses

O valor é de R$ 10,00 inteira e R$ 5,00 meia 

Museu O Rei Menino de Ouro: Tutankhamon

O valor é de  R$ 24,00 inteira e R$ 12,00 meia 

Para visitar todos os espaços culturais

O valor é de R$ 34,00 inteira e R$ 17,00 meia 

Pagam meia entrada: estudantes rosacruzes, crianças até 12 anos, idosos, estudantes, professores, doadores de sangue e pessoas com necessidades especiais.

Fotos via: Diário de Turista

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Terceiro mais antigo do Brasil, Museu Paranaense comemora 145 anos com programação especial

Uma das instituições culturais mais importantes do Paraná e o terceiro mais antigo do Brasil, o Museu Paranaense (Mupa) completa 145 anos neste mês de setembro. É quase um centenário e meio de intensa pesquisa científica, cuidado, conservação e formação de um acervo que hoje possui aproximadamente 800 mil itens, constituindo um dos mais importantes da América Latina.

Ao longo de sua história, o Museu Paranaense já passou por diversas transformações: de instituição privada para pública; foi formado por áreas como geologia, mineralogia, botânica e paleontologia, e mudou de sede sete vezes.

Apesar de todas essas mudanças, sempre manteve seu compromisso em comunicar aos visitantes a diversidade e a riqueza dos povos, fauna e flora, bem como a história paranaense e brasileira. Atualmente, além dos eixos temáticos História, Arqueologia e Antropologia, o Mupa abre espaço para outras narrativas, criando conexão entre as ciências e a arte.

Em comemoração à data, o museu preparou uma programação ampla e diversificada para o público de todas as idades. Todas reforçam a proposta de valorização do seu acervo, que está em contínuo processo de atualização.

Confira a agenda:

Lançamento do Web Aplicativo do Jardim do Museu Paranaense

A área externa do Mupa é formada por um conjunto florístico e entomológico de grande interesse dos visitantes. O Web App será uma ferramenta para promoção da preservação das espécies vegetais e de insetos e contribuirá para uma experiência mais efetiva com a natureza. Lançamento dia 25 de setembro no site e redes sociais do museu.

Palestras sobre representatividade negra em museus etnográficos e históricos

A primeira mesa-redonda será “Acervos Afro-Diaspóricos, Decolonialidade e Museus histórico-antropológicos: restituição, exposição e outras discussões”, com as pesquisadoras Bruna Amaro, Renata da Silva Cardoso e Yumei Morales Labañino. Ainda sobre a questão relacionada à representatividade em museus, o encontro tem por objetivo pensar as culturas materiais e as representações sobre o afro-brasileiro em museus tanto no Brasil como no Exterior. A mesa será no dia 30 de setembro, às 19h.

A segunda mesa abordará “Representatividade negra nos museus: silenciamentos, questionamentos e reinvenções”, contará com a participação de duas importantes curadoras brasileiras, Keyna Eleison e Diane Lima. As convidadas farão análises críticas da relação entre museus e a racialização de seus espaços e acervos. A atividade ocorrerá em outubro.

Visitas mediadas à exposição Ephemera/Perpétua

De 20 a 30 de setembro, o público é convidado a conhecer mais de perto a história do Museu Paranaense, seu acervo e pesquisadores históricos, em visitas mediadas à exposição Ephemera/Perpétua, mostra de longa duração inaugurada em 2019.

Interdisciplinar, Ephemera/Perpétua estrutura-se por uma miríade de narrativas relacionadas à pesquisa científica, culturas, tempo e memória. Formada por um conjunto de mais de 180 objetos do acervo do Mupa e de outras coleções, a exposição permite que o brilhantismo de pesquisadores como Frederico Lange de Morretes, Günther Tessmann, Jesus Moure, Per Karl Dusén, Reinhard Maack, Vladimir Kozák e Wanda Hanke se destaque na mesma sintonia contemporânea da arte de Paulo Vivacqua, artista convidado que preparou uma obra especial e exclusiva para a exposição.

As visitas contarão com atividades especiais e serão realizadas com pequenos grupos. Será necessário agendamento prévio para a participação.

25/09 – mediação com ação educativa, mesas e cadeiras no espaço coberto. Crianças de até 12 anos acompanhadas por adultos. Das 10h às 11h30.

25/09 – mediação com jogos, faixa etária livre. Das 14h30 às 16h.

28/09 – mediação com jogos, faixa etária livre. Das 10h às 11h30.

30/09 – mediação com ação educativa, mesas e cadeiras no espaço coberto. Crianças de até 12 anos acompanhadas por adultos. Das 14h às 15h30.

Quantidade máxima de participantes: 12 pessoas.

Apresentação do Quinteto de Sopro da Orquestra Sinfônica do Paraná no jardim do Mupa

No mês de outubro, as celebrações de aniversário do Mupa continuam com um evento especial. O jardim do museu receberá o Quinteto de Sopro da Orquestra Sinfônica do Paraná para uma apresentação ao ar livre, aberta ao público. Continue acompanhando o site e redes sociais do Mupa para saber mais detalhes.

Acompanhe a agenda completa no site e redes sociais do museu:

Instagram: @museuparanaense

Facebook: / Museu Paranaense

www.museuparanaense.pr.gov.br

Curso de smartphone para idosos está com inscrições abertas

Estão abertas as inscrições para o curso Inclusão Digital – Smartphone para Idosos, promovido pela Fundação de Ação Social (FAS), em parceria com o Instituto das Cidades Inteligentes (ICI). Os interessados podem se inscrever até sexta-feira (24/9), no portal Aprendere.

As aulas começam no dia 5 de outubro, com previsão de término em 4 de novembro. São 40 vagas ofertadas. Os conteúdos serão apresentados na forma de viodeaulas transmitidas pelo canal do ICI no YouTube.

Os temas abordados no curso serão configurações básicas do smartphone, fotos e vídeos, downloads de aplicativos; uso de WhatsApp, Facebook e e-mail e segurança e privacidade.

Além das aulas on-line, os participantes serão acompanhados por alunas do curso de Terapia Ocupacional da Universidade Federal do Paraná (UFPR), para complementar o conteúdo apresentado.

As estudantes, que integram o Projeto ID60+: promovendo ações educativas favoráveis à inclusão digital de idosos, vão tirar dúvidas dos idosos e ajudar a fixar o conteúdo, de acordo com o modelo do aparelho de smartphone que ele  possui.

O curso de inclusão digital para idosos foi implantado pela FAS em 2019. Ele faz parte do Programa Liceu de Ofícios e acontecia presencialmente, mas precisou ser adaptado para a forma on-line para evitar os riscos de contaminação pelo novo coronavírus.

Dúvidas e informações podem ser obtidas pelo telefone (41) 3250-7475.