Multar em até R$ 150 mil quem promove ou participa de festas clandestinas agora é lei em Campo Largo

Multas que variam de R$ 1 mil a R$ 150 mil agora estão previstas em lei em Campo Largo, região metropolitana de Curitiba, para quem promove ou participa de aglomerações e festas clandestinas durante o enfrentamento á pandemia da covid-19. Também estão previstas no regramento, aprovado na Câmara Municipal de Vereadores e sancionado pelo prefeito da cidade, Mauricio Rivabem, sanções como embargos, interdição e cassação de alvará.

O prefeito disse ao Jornal Metropolitano, da Rádio Banda B, que a medida foi necessária diante do quadro pandêmico em que a cidade se encontra. “Infelizmente as pessoas, especialmente os jovens, não têm consciência da atual situação. Estamos com uma nova cepa mais contagiosa e está sendo adquirida principalmente nas aglomerações. Antes a gente só notificava, mas infelizmente no outro dia eles voltavam a festar. Então, agora optamos em fazer uma lei onde colocamos a multa de R$ 1 mil podendo chegar a até R$ 150 mil”, explicou.

Rivabem lamentou o desrespeito as medidas de distanciamento, especialmente por parte dos jovens. “A gente percebe muitos jovens morrendo pela covid e ainda assim as pessoas não tomaram a consciência de que não podem aglomerar. Os jovens acham que são imunes, mas a quantidade deles agravando está muito grande. Quase 50% dos internados no Hospital do Rocio, aqui em Campo Largo, são jovens de 20 a 40 anos”, pontuou.

Ainda de acordo com o prefeito, no momento a situação da covid em Campo Largo está estabilizada, com uma queda de casos, mas muito distante do ideal. “Tivemos há alguns dias de seis a sete pacientes internados no nosso Centro Médico Hospitalar, fora de uma UTI, porque não se tinham vagas. Está baixando um pouco, mas ainda tem fila. Não se pode relaxar, porque é uma doença muito perigosa”, concluiu o prefeito.

Para conferir a Lei n° 3022/2021 na íntegra clique aqui.

Informações Banda B

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Polícia Civil prende sete organizadores de festas clandestinas na RMC

A Polícia Civil do Paraná (PCPR) prendeu sete organizadores de festas clandestinas em São José dos Pinhais, na Região Metropolitana de Curitiba (RMC). Eles foram autuados em flagrante por associação criminosa e infração de medida sanitária preventiva. A ação contou com o apoio da Guarda Municipal.

No momento do flagrante, 64 pessoas se aglomeravam em uma festa, realizada em local fechado e com pouco espaço, na zona rural de São José dos Pinhais.

No local havia grande quantidade de bebidas alcoólicas. Também foram encontradas muitas porções de drogas que se espalhavam por quase todo o chão do salão.

As investigações da PCPR apontam que, ao menos, um dos organizadores presos seja o responsável pela realização de inúmeras festas clandestinas, desde o início da pandemia.

O grupo criminoso possuía, até mesmo, um vasto material de divulgação das festas realizadas.

A ação da PCPR foi conduzida em cumprimento ao decreto estadual número 940/2021, que estabelece medidas restritivas por conta da pandemia.

Canal para denúncias de baladas clandestinas já recebeu 434 registros

O canal online para denúncias de baladas clandestinas criado pela Secretaria da Justiça, Família e Trabalho já recebeu 434 registros de festas ilegais, 112 deles apenas no último final de semana, referentes a eventos com aglomeração.

“O canal continua recebendo todas as denúncias para ajudar a polícia a combater as baladas clandestinas, que estão em total desrespeito à lei e às normas de saúde pública, causando imensos danos à população que está se cuidando durante a pandemia”, disse o secretário da Justiça, Ney Leprevost. “E mais, essas pessoas podem colocar a vida de seus pais e demais familiares em risco”, alertou.

Em funcionamento desde o final do mês de março e sob a responsabilidade do Departamento de Justiça da pasta, o canal abrange todo o Estado. As denúncias são encaminhadas para a Ação Integrada de Fiscalização Urbana (AIFU).

“Nesse tempo difícil de pandemia a ação do Estado se faz ainda mais necessária para garantir que todos os protocolos sanitários sejam cumpridos e, assim, evitar a proliferação do vírus e novas mortes”, comentou o chefe do Departamento de Justiça, Silvio Jardim.

O canal criado pela secretaria estadual serve de apoio aos já existentes da segurança, principalmente para receber denúncias de aglomerações que já ocorreram ou que ainda vão acontecer.

Canal Online para denúncias de baladas clandestinas da Secretaria de Justiça recebeu 112 registros no último final de semana . FOTO: SEJUF

O Departamento de Justiça da secretaria faz uma triagem das denúncias recebidas e auxilia a polícia na responsabilização dos envolvidos. Todas as informações são repassadas para as autoridades policiais. Desta maneira, os canais da Secretaria de Estado da Segurança Pública ou da Guarda Municipal, por exemplo, focam apenas nas denúncias de festas ou reuniões que estejam acontecendo em tempo real.

RECOMENDAÇÕES 

As denúncias podem ser feitas pela internet (www.justica.pr.gov.br/denunciacovid). Ao denunciar, a orientação é anexar os prints de convites e conversas em grupos sobre as baladas clandestinas; fotos e vídeos dos eventos irregulares que já aconteceram ou qualquer informação extra que materialize a denúncia.

Se alguém constatar uma balada clandestina no momento em ela está acontecendo, o alerta é para ligar imediatamente para o telefone 190 ou para a guarda de seu município e relatar a ocorrência.