Morre príncipe Philip, marido da rainha Elizabeth II

O príncipe Philip, marido da rainha Elizabeth II, pai do príncipe Charles e patriarca de uma turbulenta família real que ele ajudou a estabilizar, morreu nesta sexta-feira (9) no Castelo de Windsor, na Inglaterra. Ele tinha 99 anos. “É com profunda tristeza que a Rainha anuncia a morte de seu amado marido, Sua Alteza Real, o Príncipe Philip, Duque de Edimburgo. Faleceu pacificamente nesta manhã no Palácio de Windsor”, diz o comunicado da Família Real.

Philip foi hospitalizado várias vezes nos últimos anos devido a várias doenças, a última delas em fevereiro. A rainha e o príncipe Philip receberam suas primeiras doses da vacina contra o coronavírus em janeiro.

Philip – que se tornou consorte depois do falecimento do rei George VI, em 1952 – morre no momento em que o Palácio de Buckingham está novamente em turbulência, desta vez por causa da entrevista explosiva de Oprah Winfrey na televisão com o neto de Philip, o príncipe Harry e sua esposa, Meghan, em 7 de março, quando o casal, em exílio auto-imposto na Califórnia (EUA), acusou a monarquia de racismo e crueldade contra membros da família real.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

China tem primeiro caso no mundo de gripe aviária H10N3 em humanos

Autoridades sanitárias chinesas informaram nesta terça-feira, dia 1º, a detecção do primeiro caso no mundo de gripe aviária H10N3 em humanos. Em nota, a Comissão Nacional de Saúde assegura que até agora nunca houve contágio humano deste vírus, que se trata de uma transmissão “acidental” e que o risco de propagação em larga escala é “muito baixo”.

“Nenhum caso humano de H10N3 foi relatado no mundo (até então), e o vírus entre as aves é de baixa patogenicidade. Este caso é uma transmissão ocasional de aves para humanos, e o risco de disseminação em grande escala é extremamente baixo”, lê-se no comunicado.

O paciente é um homem de 41 anos da província oriental de Jiangsu. Ele começou a sentir febre e outros sintomas no dia 23 de abril e foi hospitalizado cinco dias depois, após o agravamento de seu estado.

A comissão afirma que o quadro da pessoa infectada melhorou a ponto de atingir os requisitos para receber alta. Autoridades dizem ter realizado um acompanhamento de emergência em todos os contatos próximos do paciente, entre os quais não foram encontradas “anormalidades”.

O H10N3 é um subtipo do vírus Influenza A, também conhecido como vírus da gripe aviária. Yang Zhanqiu, vice-diretor do Departamento de Biologia Patogênica da Universidade de Wuhan, disse ao jornal Global Times que o vírus é normalmente letal para aves.

Ele explicou que o H10N3 pode se espalhar por meio de gotículas respiratórias – processo semelhante ao do Sars-CoV-2, coronavírus causador da covid-19.

Yang disse que provavelmente foi por meio de gotículas que o homem foi infectado. Ele afirmou que não há evidências de que exista a transmissão entre humanos. Além disso, ele ressaltou que o vírus apresenta baixo risco para os humanos.

A comissão pediu aos cidadãos que evitem o contato diário com aves mortas e não abordem as aves vivas, bem como que cuidem da higiene alimentar e consultem imediatamente um médico em caso de sintomas como febre ou problemas respiratórios. (Com agências internacionais).

Jaime Lerner deixa legado como arquiteto, urbanista e político

Jaime Lerner nasceu em Curitiba e aqui deixou o seu legado. O arquiteto, urbanista e ex-político tinha 84 anos e morreu nesta quinta-feira (27) em decorrência de complicações de doença renal crônica, no Hospital Evangélico Mackenzie, na Capital.

Era arquiteto e planejador urbano, formado pela Escola de Arquitetura da Universidade Federal do Paraná (UFPR) em 1964. Foi um dos grandes responsáveis pela modernização da capital nos anos 90, referência em planejamento urbano.

Andando por aí encontramos sua história na Rua XV de Novembro, a primeira via exclusiva para pedestres do Brasil. Nas canaletas para ônibus, nas famosas estações-tubo e no sistema integrado de transporte coletivo. Na imagem ecológica de Curitiba, com a campanha que ensinou os curitibanos a separar o Lixo Que Não É Lixo. No pôr do sol do Jardim Botânico, em uma tarde na Ópera de Arame ou em uma voltinha na Rua 24 Horas.

Foi também responsável pela criação e estruturação do Instituto de Planejamento Urbano de Curitiba (Ippuc) em 1965, participou do desenvolvimento do Plano Diretor da Capital que resultou no processo de transformação física, econômica e cultural da cidade. Foi prefeito de Curitiba em três mandatos: nos períodos de 1971/75, de 1979/83 e de 1989/92.

Durante sua primeira gestão como prefeito, Lerner consolidou as transformações da cidade e implantou o Sistema Integrado de Transporte Coletivo, reconhecido internacionalmente pela sua eficiência, qualidade e baixo custo.

Nas duas administrações seguintes, além das ações de vanguarda no planejamento urbano, Lerner intensificou um amplo programa que resultou em avanços na área social, destacando Curitiba como uma das cidades com um dos maiores índices de qualidade de vida entre as principais capitais do mundo.

Foi eleito governador do Paraná em 1994 e reeleito em 1998. Apoiado em uma política de atração de investimentos produtivos, o Paraná se consolidou como um polo industrial do País. A exemplo da experiência bem sucedida de Curitiba, Lerner se dedicou a questões de logística, educação, saneamento e lazer.

Essa preocupação, intensa principalmente na área social, de educação e de atenção à criança, renderam ao Governo do Paraná o prêmio Criança e Paz da Unicef, para os programas “Da Rua para a Escola”, “Protegendo a Vida” e “Universidade do Professor”.

ARQUITETURA 

Em sua carreira como arquiteto e urbanista, Jaime Lerner alçou voos internacionais. Ele se formou em arquitetura e engenharia e, a partir de 1970, fez de Curitiba uma referência mundial em urbanismo a partir do modelo de transporte BRT – que, inspirado nos metrôs, acelera a velocidade dos ônibus através de canaletas exclusivas em vias expressas que cortam a cidade.

Além de implementar o sistema, foi durante a sua gestão que os principais cartões-postais da Capital paranaense foram desenhados: o calçadão da Rua XV de Novembro (antes aberta parra carros), a Ópera de Arame, o Jardim Botânico e a Rua 24 Horas – todos fruto do trabalho conjunto de um time de arquitetos liderados por ele, que revolucionaram sua geração dentro do IPPUC.

O seu escritório, Jaime Lerner Arquitetos Associados, também é responsável pelo planejamento urbano de diversas outras cidades do Brasil, como Balneário Camboriú, e projetos como a nova orla do Guaíba, em Porto Alegre.

Seu trabalho como urbanista levou Lerner a ser citado pela revista Time em 2010 como um dos 25 pensadores mais influentes do mundo. Em 2018, foi reconhecido pela revista norte-americana Planetizen como o segundo maior urbanista da história.

DESPEDIDA 

Lerner era viúvo da ex-primeira-dama Fani Lerner, falecida em 2009. Deixa duas filhas: Andrea e Ilana, que atualmente dirige a Biblioteca Pública do Paraná.

LUTO

O governador Ratinho Junior manifestou imenso pesar e decretou luto oficial de três dias pela morte de Jaime Lerner.

“Nossas condolências à família e amigos do ex-governador Jaime Lerner. O Paraná perde um grande cidadão, que ajudou a transformar Curitiba e o Estado. Os nossos corações, marca que por muito tempo ele usou, estão juntos neste momento de profunda dor e tristeza para todo o povo do Paraná”, disse o governador.

“Jaime Lerner tinha amor pelo Paraná. Dedicou uma vida inteira ao Estado, com realizações que transformaram Curitiba e servem até hoje de inspiração mundo afora. Um exemplo que ficará marcado eternamente pelas centenas de obras espalhadas pelo nosso Estado”, reforçou Ratinho Junior.

No Palácio Iguaçu, as bandeiras ficarão a meio mastro durante todo o período de luto.

REPERCUSSÃO

Edson Fachin, ministro do STF

“O Paraná e o Brasil perdem uma de suas melhores inteligências. Jaime Lerner traduziu em sua vida uma respeitável carreira acadêmica, profissional, e de vida pública desvelada ao sentido permanente da existência. Fica a memória de quem com sensibilidade compreendeu o efêmero e com serenidade se inscreveu na história. Brasília, 27 de maio 2021”.

Sergio Moro

“Triste o falecimento do ex-prefeito e ex-governador Jaime Lerner. Minha solidariedade aos familiares. Como arquiteto, urbanista e gestor, fez de Curitiba uma referência positiva mundial”.

Ademar Traiano (PTB), deputado estadual e presidente da Assembleia Legislativa do Paraná

“Perdemos uma das maiores lideranças políticas do nosso estado. Um homem de uma cultura invejável, respeitável em todo o mundo como arquiteto, pensador. Deixa uma bagagem na história digna e elogiável em nosso estado. Uma perda irreparável no mundo político, no mundo cultural e principalmente pela visão de estadista que Jaime Lerner teve e construiu em todo o mundo”.

João Doria (PSDB), governador de São Paulo

“O Brasil perde um grande homem público, extraordinário arquiteto e urbanista. A morte do ex-governador do Paraná, Jaime Lerner, comove a todos. Meus sentimentos aos seus familiares e amigos”.

Cida Borghetti, conselheira da Itaipu Binacional

“O Paraná perdeu hoje Jaime Lerner. Um homem à frente do seu tempo. Um Urbanista visionário e um político arrojado. Reconhecido internacionalmente, Lerner deixou marcas que transformaram Curitiba e o Paraná. Com ele tive a honra de ser a primeira mulher a chefiar o escritório do Paraná em Brasília. Obrigada, meu grande amigo, pela oportunidade, pelas palavras sempre amáveis e pelos sábios conselhos. Meus sentimentos a Andrea, Ilana e a todos os familiares. Sentiremos saudades”.