MON mantém programação, seguindo todos os protocolos de segurança

O amplo espaço físico de 35 mil metros quadrados faz com que o Museu Oscar Niemeyer (MON), maior museu de arte da América Latina, seja uma das opções mais seguras de lazer durante a pandemia.

Um dos itens do rigoroso protocolo sanitário aprovado pela Secretaria de Estado da Saúde na reabertura do Museu prevê público reduzido, com limitação de 200 pessoas simultaneamente, além de limites individuais em cada sala expositiva, de acordo com o tamanho de cada espaço.

“Neste momento peculiar que estamos vivendo, a ideia é permitir que o Museu continue sendo um espaço vivo e atuante e que a arte levada até o público possa ter um papel inspirador”, diz a diretora-presidente da instituição, Juliana Vosnika. “Além de conteúdo, o Museu oferece aos visitantes leveza, entretenimento e descontração de maneira muito segura”.

CONTEÚDO – Em decorrência da pandemia, o MON ficou fechado ao público de 17/3/20 a 16/10/20 e entre 6/12/20 e 9/1/21. Mesmo assim, nos últimos meses o Museu inaugurou várias exposições físicas, que podem atualmente ser vistas pelo público.

São elas: “Ásia: a Terra, os Homens, os Deuses – Segunda Edição”; “Tony Cragg – Espécies Raras”; “A Violência sob a Delicadeza”, de Vera Martins; “Yutaka Toyota – O Ritmo do Espaço” e “Fernando Velloso por ele mesmo”.

Também estão em cartaz as mostras “O Mundo Mágico dos Ningyos”; “Luz ≅ Matéria”; “África, Mãe de Todos Nós”; “Museu em Construção”; “Espaço Niemeyer”; “Cones” e obras do Pátio das Esculturas.

Protocolo de segurança MON:

– Será permitida a entrada de até 200 pessoas simultaneamente.

– Prefira horários com menor fluxo de público: pela manhã ou após as 16h.

– Prefira a compra do ingresso pelo nosso site – é rápido, seguro e você não precisará passar pela bilheteria.

– Caso compre o ingresso na bilheteria, você contará com uma sinalização especial para evitar aglomerações, além de orientações de nossa equipe.

– Para uma visita mais segura, use máscaras de proteção. Se achar necessário, traga mais de uma para que possa substituí-la ao longo da visita. Caso tenha esquecido de trazer a sua, não se preocupe, você poderá adquiri-la na MON Loja.

– Em caso de filas, pedimos que respeite as marcações de solo que indicam a distância segura de dois metros.

– Você vai sentir nossa preocupação com a sua segurança logo na entrada do Museu (detector de metais), onde será feita a aferição de temperatura corporal e a higienização individual de bandejas porta-objetos e outros itens. Tapetes desinfetantes também foram instalados nesse local, para garantir a higienização dos calçados.

– Já na entrada e depois, em diversos locais do Museu, você encontrará dispensadores com álcool em gel 70%. Assim, poderá higienizar suas mãos sempre que quiser.

– Nosso guarda-volumes estará aberto e devidamente higienizado (inclusive as chaves) e você contará com embalagens plásticas individuais para colocar seus pertences antes de guardá-los nos armários. Lembrando que o ideal é que traga sempre o mínimo possível de objetos ao Museu. Líquidos, alimentos, mochilas e bolsas grandes devem sempre ser guardados.

– Como medida preventiva, os empréstimos de cadeiras de rodas e de carrinhos de bebê estão temporariamente suspensos para que não sejam compartilhados.

– Pessoas com mobilidade reduzida terão prioridade no uso dos elevadores e eles estarão liberados para uso individual ou por pessoas de um mesmo grupo de convivência (famílias, por exemplo).

– A visitação das salas expositivas, bem como de todo o Museu, terá um limite de pessoas, pois, apesar de serem amplas, precisamos seguir o distanciamento entre os visitantes.

– Sugerimos algumas rotas dentro do Museu (sinalizadas nos pisos), bem como uma indicação dos sentidos para subida e descida nas rampas, para deixar o fluxo mais organizado e seguro.

– Para sua segurança, procure não tocar nos corrimãos, portas e outros objetos, como expositores de vidro. Embora devidamente higienizados, o ideal é evitarmos o contato neste momento.

– Tanto nas salas expositivas quanto no Pátio das Esculturas, reforçamos a solicitação de não tocar nas obras, para preservá-las e para sua maior segurança.

– Nosso material informativo, como guia da programação e folders das exposições, foi substituído do papel para versões digitais, disponíveis por QR codes, que você encontrará na entrada do Museu e também nas salas expositivas.

– Nosso Centro de Documentação está temporariamente fechado para visitas e consultas presenciais, mas solicitações de pesquisa podem ser encaminhadas pelo e-mail pesquisa@mon.org.br.

– As oficinas artísticas e as visitas mediadas acontecem agora de forma virtual. Acompanhe nossas redes sociais e consulte o site do Museu.

– Pessoas cegas ou com baixa-visão que desejem visitar o espaço tátil do programa MON Para Todos deverão obrigatoriamente agendar a sua visita pelo e-mail agendamento@mon.org.br, para que possamos organizar as medidas de higienização necessárias. Por segurança, o acesso a esse espaço não está disponível para os demais visitantes.

SERVIÇO: Museu Oscar Niemeyer.

Rua Marechal Hermes, 999 – Centro Cívico – Curitiba – Paraná.

Visitação: terça a domingo, das 10h às 18h.

www.museuoscarniemeyer.org.br

Informações AEN.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Confira a programação do Teatro da Vila na CIC

Inaugurado na última sexta-feira (5/11), o Teatro da Vila, novo espaço cultural de Curitiba na CIC, começou a funcionar já neste fim de semana. Toda programação é de graça e não precisa de agendamento. A entrada será feita por ordem de chegada, mas com limite de público.

O Teatro da Vila será administrado pela Fundação Cultural de Curitiba por meio do Instituto Curitiba de Arte e Cultura (Icac). A curadoria para os filmes do Teatro da Vila é feita pela mesma equipe do Cine Passeio.

Confira a programação


Cinema

14/11
11h – Tito e os pássaros
15h30 – Nóis por nóis

21/11
11h – O milagre da rua 34
15h30 – Gremlins

28/11
11h – Um herói de brinquedo
15h30 – Antes só do que mal acompanhado

5/12
11h – Esqueceram de mim
15h30 – Simplesmente amor

12/12
11h – Meu papai é Noel
15h30 – Os fantasmas contra-atacam

19/12
11h – O Grinch
15h30 – A felicidade não se compra

Dança

De 17/11 a 15/12
Todas as quartas-feiras, às 15h30
Curso de Danças Urbanas


Música e Teatro

12 e 13/11
15h – A galinha Pim Pim (teatro infantil)

20/11
15h – Alejandro Di Núbila Trio (música)

23/11
16h – Composições paranaenses – A música pede passagem, com quarteto de cordas e soprano (música)

26 e 27/11
10h (dia 26) e 15h (dia 27) – Grupo Viola Quebrada (música)

2 e 3/12
15h – O Príncipe e a Aviadora (teatro)

4/12
15h – Big Belas Band (música)

10 e 11/12
10h (dias 10 e 11) e 15h (dia 11) – Zum zum zum dos pererês (teatro infantil)

17 e 18/12
15h – A maré de Maria (dança e circo)

*Programação sujeita a alterações

Novos radares começam a funcionar nesta segunda e terça em Curitiba

Nesta semana, dois novos pontos de Curitiba passam a ter fiscalização eletrônica de trânsito. Os radares foram instalados na Avenida Marechal Mascarenhas de Moraes com a Rua Arnaldo Francisco Scremin, no bairro Atuba, e na esquina da Rua Ubaldino de Amaral com a Rua Amintas de Barros, no Alto da XV.

Segundo a prefeitura, em ambos os locais, o alto índice de acidentes foi fator decisivo para implantação dos equipamentos.

No Atuba, o cruzamento entre a Avenida Marechal Mascarenhas de Moraes com a Rua Arnaldo Francisco Scremin acumulou 30 acidentes de trânsito no período de cinco anos. O radar começou a fiscalizar os veículos nesta segunda-feira (8). São fiscalizados os veículos que passarem pelas duas vias, com diferentes velocidades máximas permitidas. Pela Mascarenhas de Moraes, o limite é de 60 km/h. Já pela Arnaldo Francisco Scremin, 50 km/h.

Conforme a Setran, a velocidade excessiva é uma infração recorrente na Mascarenhas de Moraes, que está recebendo reforço na sinalização de regulamentação de velocidade. Neste cruzamento, os equipamentos de fiscalização também estão programados para registrar as seguintes infrações de trânsito: avanço do sinal vermelho, parada sobre a faixa de pedestres, conversão obrigatória, conversão proibida e retorno proibido.

A partir desta terça-feira (9) entram em operação os radares na esquina das ruas Ubaldino do Amaral e Amintas de Barros, trecho que concentrou 101 acidentes em cinco anos. No entorno estão localizados hospitais e unidades de ensino, incluindo a Reitoria da Universidade Federal do Paraná (UFPR).

Neste cruzamento, os equipamentos vão fiscalizar limite de velocidade, avanço de sinal, parada sobre a faixa de pedestres e conversão obrigatória pela Rua Amintas de Barros. Este é um dos principais acessos de saída da Área Calma, além de escoamento do transporte coletivo da região central para os bairros. Já a Ubaldino do Amaral é a ligação entre os bairros Alto da Glória e Jardim Botânico.