Ministério faz confusão com voos e atrasa entrega de vacinas

Publicidade
Publicidade

Dentre os estados, ao menos seis locais que receberiam antes das 16h, agora só vão receber na parte da noite

O Ministério da Saúde mudou a programação dos voos que fazem entregas de vacinas aos estados. A informação foi divulgada pela coluna Painel, da Folha de S.Paulo, na tarde desta segunda-feira (18). Segundo a reportagem, a pasta fez mais de uma vez alterações entre a madrugada e o início da tarde. O Paraná, por exemplo, não teria previsão para a chegada no Aeroporto Afonso Pena. O Governo do Estado, porém, trabalha com uma previsão de 19 horas.

Pela programação mais atualizada, diversos estados só receberão os pacotes de noite, atrasando o início da imunização. Pela manhã, o ministro Eduardo Pazuello havia anunciado o início da vacinação para 17 horas em todo o país.

Dentre os estados, ao menos seis locais que receberiam antes das 16h, agora só vão receber na parte da noite.

Além do Paraná, outros dois estados estão sem previsão de horários, segundo a coluna Painel: Rio Grande do Norte e Alagoas.

Confira a reportagem completa, clicando aqui. Via Banda B.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Insumos para 12 milhões de doses de vacina contra covid devem chegar ao Brasil

Publicidade
Publicidade

O ministro das Comunicações, Fábio Faria, confirmou nesta quinta-feira (25) a chegada de insumos para a produção da vacina contra covid-19, a Covishield, desenvolvida pela universidade de Oxford, em parceria com a farmacêutica britânica AstraZeneca, e produzida no Brasil pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz). “O volume desembarcado deve gerar produção de mais de 12 milhões de doses”, escreveu em publicação nas redes sociais.

De acordo com o Ministério das Comunicações, os insumos virão da China com previsão de chegada ao Brasil no próximo domingo (28). Segundo a pasta, a medida faz parte “do esforço do governo federal” para garantir a imunização da população. Em viagem à Suécia no início deste mês, Faria conversou com o sócio majoritário da AstraZeneca, Marcus Wallenberg, e pediu que a empresa acelere o envio de insumos e vacinas para o combate da covid-19 no Brasil.

O acordo de cooperação da Fiocruz com a AstraZeneca prevê a produção e entrega 210,4 milhões de doses da Covishield até o final deste ano, sendo 110,4 milhões até julho. Para isso, serão enviados 14 lotes do Ingrediente Farmacêutico Ativo (IFA) da vacina. Esse será o segundo lote desses insumos enviado pelo laboratório chinês Wuxi Biologics, contratado pela farmacêutica AstraZeneca. O primeiro lote, que chegou no dia 6 de fevereiro, possibilitará a produção de mais 2,8 milhões de doses da vacina.

A previsão é que a primeira entrega dessas vacinas ao Ministério da Saúde, com 1 milhão de doses, ocorra na segunda quinzena de março.

No segundo semestre não será mais necessária a importação do IFA da vacina, que passará a ser produzido no laboratório Bio-Manguinhos da Fiocruz, após a conclusão da transferência de tecnologia pela AstraZeneca. De agosto a dezembro serão mais 110 milhões de doses de vacinas produzidas inteiramente na instituição.

Paralelamente a isso, o governo brasileiro também está recebendo doses prontas da Covishield, produzidas pelo Instituto Serum, da Índia, também parceiro da AstraZeneca.


Curitiba recebe novo lote de vacinas contra Covid-19 e vai retomar campanha

Publicidade
Publicidade

Curitiba recebeu, nesta quinta-feira (25/2), nova remessa da vacina que imuniza contra o novo coronavírus. Foram entregues ao município 29.170 doses – 23.300 AstraZeneca/Fiocruz e 5.870 Coronavac/Instituto Butantan. As novas doses serão destinadas à retomada da vacinação de idosos e de trabalhadores da saúde que ainda não foram imunizados.

As novas doses foram direcionadas pelo Plano Nacional de Imunização (PNI) da seguinte forma: 9.370 doses serão destinadas a retomada da imunização do público previsto na primeira fase, os trabalhadores da saúde. Já o restante do novo lote de doses irá contemplar a retomada da imunização dos idosos.

O cronograma de retomada da campanha deve ser anunciado até o final desta quinta-feira (25/2). Após confirmar a quantidade de doses recebidas a Secretaria Municipal de Saúde (SMS) fará um balanço das doses aplicadas e a população estimada para a definição do cronograma de retomada.

A entrega oficial da nova remessa foi feita no Centro de Medicamentos do Paraná (Cemepar). O documento de recebimento do novo lote foi feito pela superintendente de Gestão em Saúde, Flávia Quadros.

Curitiba recebeu, nova remessa da vacina que imuniza contra o novo coronavírus, que serão destinadas a retomada da vacinação de idosos e trabalhadores da saúde. Curitiba, 25/02/2021. Foto: Divulgação

De lá as vacinas seguiram, já no caminhão da Prefeitura de Curitiba e escoltadas pela Guarda Municipal, para armazenamento na Central de Vacinas da cidade, onde todas as doses serão catalogadas no sistema do município.

Segunda dose

Na última terça-feira (23/2), Curitiba também recebeu um lote de 9.450 doses da vacina Coronavac/Instituto Butantan que estavam reservadas no Cemepar para a segunda aplicação daqueles que receberam a primeira dose.

Com os novos lotes, o município já recebeu 121.660 doses de vacina para o combate do novo coronavírus. Dessas 88.550 são destinadas para a primeira aplicação e 32.610 são para a segunda dose.