Mesmo em bandeira amarela, equipes da Prefeitura continuam com fiscalização nos estabelecimentos

No primeiro fim de semana de retorno da bandeira amarela, que indica situação de alerta contra a covid-19, nivel 1 no sistema de monitoramento da cidade, as equipes da Prefeitura percorreram os bairros para coibir excessos e exigir a adequação de pessoas e estabelecimentos aos decretos municipais 1710/2020 e 180/2021 e à Lei Municipal 15799/2021, que pune infratores das medidas anticovid.  

De quarta-feira (27/1) a domingo (31/1), 55 estabelecimentos foram fiscalizados, 22 tiveram atividades paralisadas e 32 autos de infração foram expedidos. Os autos de infração somaram R$ 305,850. Todas as pessoas autuadas pelo município têm o direito de recorrer no processo administrativo.

Entre os locais interditados também foram expedidas quatro notificações por comércio irregular e outras quatro por falta de adequação à resolução 1/2020.

A maioria das incursões aconteceram em Ações Integradas de Fiscalizações Urbanas (Aifus), feitas em parceria com o Governo do Estado. As ações são pautadas a partir das denúncias feitas pela população pela Central 156 e pelo telefone 153, da Guarda Municipal.

Infrações

Boa parte das infrações foram aplicadas a bares e casas noturnas em atividade e que, conforme o decreto, deveriam estar fechados. Também a estabelecimentos flagrados atendendo os clientes após o horário permitido, das 23 horas, e a falta de controle do número de pessoas no recinto, obrigatória para garantir o distanciamento social (uma pessoa a cada 9m²).

Outro tipo de infração flagrada pelos fiscais foram eventos e atividades com aglomeração. Foram expedidos 23 autos de infração devido à quantidade excessiva de pessoas nos estabelecimentos, sendo 19 no valor de R$ 5 mil cada, e quatro autos no valor de R$ 50 mil, devido ao número elevado de participantes.

Nove multas, no valor de R$ 50 mil cada foram aplicadas pela realização de eventos. Houve casos onde foram necessários aplicar mais de um auto de infração.

Sem excessos

A diretora do departamento de Fiscalização da Secretaria Municipal do Urbanismo, Jussara Policeno Oliveira de Carvalho, destaca que a melhora nos índices da cidade flexibilizaram algumas atividades, no entanto, as ações de fiscalização do município seguem com o mesmo rigor, para garantir que não ocorram excessos.

“As equipes continuam trabalhando em ações diurnas e noturnas, observando a adequação às legislações vigentes. Desde 17 de abril, quando as ações foram focadas no enfrentamento ao coronavírus, já foram realizadas 2.044 vistorias”, diz Jussara.

Com a criação da Lei 15799/2021, diz Jussara, as ações de fiscalização foram reforçadas com mecanismos jurídicos para responsabilizar quem não segue as regras sanitárias obrigatórias para barrar o contágio da covid-19. Desde 5 de janeiro, quando a lei foi sancionada, 85 estabelecimentos foram autuados e 118 autos de infração foram aplicados, somando R$1,27 milhão em multas.

Guarda Municipal

Já a Guarda Municipal orientou 9.587 pessoas em 1.951 locais durante o mês de janeiro, atendendo a demandas que chegaram via telefone de emergência 153. Os guardas também se depararam com situações de aglomeração, falta do uso de máscara e não obediência ao distanciamento social.

Ainda em apoio às ações da Aifu, em janeiro equipes da Superintendência de Trânsito (Setran) fizeram115 autuações por irregularidades diversas (como estacionamento irregular e falta de licenciamento obrigatório), com 30 remoções de veículos da via pública.

Medidas restritivas

Em 27 de janeiro, quando anunciou a volta da cidade para a bandeira amarela, a secretária da Saúde, Márcia Huçulak, destacou a importância das medidas restritivas que foram adotadas pela Prefeitura de Curitiba, que impactaram na redução de casos de infeção na cidade, e da responsabilidade dos cidadãos.  

“A colaboração da população foi importante para esse respiro que a cidade ganhou, mas o que vai sustentar a bandeira amarela são os cuidados como o uso de máscara, higiene das mãos e, principalmente, não aglomerar. A pandemia está longe de acabar”, disse Márcia Huçulak.

Na última semana de fiscalização, entre os casos considerados mais graves de omissão às novas normas sanitárias, estão o de uma lanchonete e bar no Alto da XV, autuado em R$ 50 mil por promover evento e não controlar o número de pessoas; e um bar e lanchonete no Parolin, que somou R$ 15 mil em infrações por praticar atividades de tabacaria e bar, ambas impedidas neste período, e por não controlar o distanciamento entre pessoas.

Uma casa de eventos no Batel que descumpriu o horário permitido de funcionamento e não controlou o número de pessoas e o uso de máscara acumulou R$ 72,2 mil em multas. Um estabelecimento na CIC foi autuado em R$ 33.650 por praticar atividade de tabacaria, não controlar a distância entre as pessoas e deixar de controlar o uso de máscaras de 43 pessoas no interior do recinto.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Curitiba vacinou 695.294 pessoas contra a covid-19

A Secretaria Municipal da Saúde (SMS) de Curitiba imunizou, até domingo (20), 695.294 pessoas com a primeira dose da vacina contra o novo coronavírus. Até esta data foram vacinados: 302.048 idosos, 93.514 profissionais dos serviços de saúde da cidade (incluindo as equipes de vacinação), 6.859 moradores, funcionários e cuidadores de instituições de longa permanência, 14.704 trabalhadores das forças de segurança, 80 indígenas, 8.908 gestantes e puérperas, 7.623 pessoas com deficiência, 111.855 pessoas com comorbidades, 35.320 educadores (entre professores e trabalhadores da Educação Básica) e 114.483 pessoas do grupo sem comorbidades (convocadas por idade).

Segunda dose

Em Curitiba, 234.901 pessoas receberam a segunda dose da vacina até domingo (20). A vacinação com a segunda dose está sendo feita nas instituições de longa permanência, em profissionais de saúde e idosos.

Cronograma

Nesta segunda-feira (21), Curitiba vacina a população com 50 anos ou mais. A orientação é que os nascidos no primeiro semestre (1º de janeiro a 30 de junho) busquem um dos pontos de vacinação das 8h às 12h. Já os nascidos no segundo semestre (1º de julho a 31 de dezembro) devem buscar a imunização entre 13h e 17h

Também estão sendo atendidas com a primeira dose pessoas com comorbidades entre 18 e 59 anos, pessoas com deficiência permanente acima de 18 anos, gestantes e puérperas, trabalhadores de drogarias e farmácias de manipulação, funcionários da Fundação de Ação Social (FAS), idosos com 60 anos ou mais que ainda não tenham recebido a vacina e profissionais de Saúde com registro em conselho de classe de 14 áreas.

Doses recebidas

Até o momento, Curitiba recebeu do Ministério da Saúde, repassadas pelo Governo do Paraná, 1.038.672 doses de vacinas, sendo 740.972 para primeira dose e 297.700 para segunda dose. Nesse montante já estão contabilizados os 5% de reserva técnica.

A reserva técnica é uma medida de segurança, faz parte dos protocolos da logística e é necessária para evitar problemas no fluxo de imunização que possam ser causados por imprevistos eventuais, como por exemplo, quebra acidental de frascos.

Além da reserva técnica, a SMS precisa manter um estoque de vacinas para garantir a imunização de remanescentes dos grupos já contemplados – pessoas que por algum motivo não fizeram a imunização nas datas estipuladas. Por exemplo, quem estava em processo de confirmação de comorbidade ou não comparecido no dia programado para sua imunização. Essas pessoas têm o direito e serão vacinadas quando comparecerem aos postos de vacinação.

CIEE tem 2,5 mil vagas de estágio no Paraná; saiba como se inscrever

O programa de estágio do Centro de Integração Empresa-Escola do Paraná (CIEE-PR) possui mais de 2,5 mil vagas abertas, em diversas cidades do estado. Deste total, 1,3 mil vagas são para Curitiba e região. Podem participar estudantes a partir de 16 anos, matriculados em ensino médio, técnico ou superior.

As áreas com mais oportunidades são para estágio em administração, com 497 vagas, e tecnologia em processos gerenciais, com 427 vagas disponíveis no estado.

Os interessados podem se inscrever no programa e verificar as vagas disponíveis pelo site do CIEE ou tirar dúvidas pelo telefone 0800 300 430.