Memorial do Rio Iguaçu retoma visitação nesta sexta-feira (16)

O Memorial do Rio Iguaçu, que fica no Parque da Imigração Japonesa, em Curitiba, será reaberto ao público a partir desta sexta-feira (16). A visitação estava suspensa devido à pandemia da Covid-19. A Sanepar, que administra o memorial, segue um protocolo de biossegurança e atende ao Decreto Municipal nº 1.350, de 10 de outubro, que estabelece medidas restritivas na reabertura de estabelecimentos de entretenimento em espaços fechados, como museus e centros culturais.

Essas medidas incluem restrição de visitantes a no máximo 50 pessoas, uso obrigatório de máscara, respeito às normas de higiene e de distanciamento social, além da proibição de consumo de alimentos no local. Será verificada a temperatura corporal dos visitantes na chegada. Eles devem ter sua própria garrafa com água, porque não haverá bebedouros disponíveis, e seu frasco com álcool em gel 70% para higiene constante das mãos.

O Memorial do Rio Iguaçu é um espaço de educação ambiental que apresenta as características do maior rio do Paraná e também as ações sustentáveis desenvolvidas na Bacia do Iguaçu, desde as nascentes próximas a Curitiba até as Cataratas, em Foz do Iguaçu. Na área do memorial há uma ciclovia de três quilômetros, pista para caminhada e espaço para estacionamento.

Informações AEN.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Curitiba apresenta plano municipal de vacinação contra Covid-19

Com 7.500 mil metros quadrados, o Centro de Exposições Positivo, no Parque Barigui, será o espaço oficial de Curitiba para imunização da população contra a covid-19. O local contará com 50 salas de vacinação, onde trabalharão por turno 100 profissionais da Secretaria Municipal da Saúde (SMS).

O Centro de Vacinação e outros detalhes estão no Plano Municipal de Vacinação contra a Covid-19, apresentado nesta quinta-feira (14/1), pela SMS de Curitiba no Comitê Municipal de Respostas às Emergências em Saúde Pública (Comresp).

A escolha de Curitiba por um centro de vacinação é por razões de segurança, e otimização das doses de vacinas. Além de ser um espaço que permite o distanciamento social adequado. O lugar também é estratégico para caso de vacinação por drive-thru, se necessário.

“Entre os primeiros vacinados estarão profissionais da linha de frente da covid-19, equipes de UTIs e no atendimento direto de pessoas contaminadas, portanto não seria prudente fazer uma vacinação desse público nas unidades de saúde, por exemplo. Além do mais, estamos lidando com uma vacina nova e não podemos nos dar o luxo de desperdícios”, disse a secretária municipal da Saúde, Márcia Huçulak.

No Plano Municipal de Vacinação constam ainda dez Unidades de Saúde que poderão ser ativadas exclusivamente para imunizar a população quando mais vacinas forem enviadas.

“Nós teremos vacinação descentralizada nas Unidades de Saúde quando tivermos doses suficientes, mas como nesse início serão grupos prioritários, o objetivo é ter o máximo controle para não haver perdas”, complementou Márcia.

Grupos prioritários

Curitiba seguirá as etapas de vacinação do plano nacional de imunização. Os primeiros a serem vacinados na cidade serão pessoas de maior vulnerabilidade como profissionais de saúde da linha de frente da covid-19 e idosos e trabalhadores de instituições de Longa Permanência (asilos) e a população indígena.

Nessa etapa estão previstos 18.150 pessoas a serem vacinadas. Ainda dentro da primeira fase serão atendidos os demais profissionais de saúde, seguindo a ordem do Plano Municipal.

“Esses três primeiros grupos estão em alinhamento com o Plano Nacional de Vacinação, pois precisamos dos nossos profissionais imunizados para que continuem na linha de frente, atendendo a população”, explica a secretaria municipal da Saúde, Márcia Huçulak.

Vacina por agendamento

Para evitar aglomerações e facilitar a identificação, a vacina para a população será agendada pelo Aplicativo Saúde Já, de acordo com o cronograma.

Quem tem cadastro no Saúde Já receberá a informação do agendamento pelo aplicativo. Os demais serão informados por outros canais.

Os três primeiros grupos (profissionais de saúde, idosos em instituições de longa permanência e indígenas) não precisam do agendamento pelo aplicativo. A Secretaria começou a identificação dos profissionais que serão vacinados nessa primeira fase.

Monitoramento

Uma rede de suporte e monitoramento pós-vacina foi estruturado pela Saúde. A farmacovigilância, como é chamada, é comum sempre que novos medicamentos ou imunizantes são aplicados. 

As pessoas vacinadas também receberão pelo aplicativo Saúde Já um questionário para avaliar o pós-vacinação.

Grupos prioritários serão avisados por aplicativo e redes sociais para dia da vacinação em Curitiba

Os profissionais de saúde e os idosos com idades entre 60 anos e 105 anos serão os primeiros

Com a confirmação de que o “Dia D e Hora H” da vacinação contra a Covid-19 irá acontecer no próximo dia 20 de janeiro, muita gente ficou animada nesta quinta-feira (14) com a possibilidade de receber logo uma dose do imunizante, mas em todo o Brasil será necessário respeitar uma sequência de grupos de risco para a doença. Em Curitiba, por exemplo, os profissionais de saúde e os idosos com idades entre 60 anos e 105 anos serão os primeiros, respeitando uma ordem decrescente de idade.

Como Curitiba tem 70 mil profissionais de saúde e cerca de 350 mil idosos acima de 60 anos, é claro que nem todos serão vacinados de uma só vez. Para organizar a ordem de imunização centralizada no Centro de Eventos do Parque Barigui, a prefeitura terá uma aliada: a tecnologia.

Segundo o anúncio feio nesta quinta, a vacinação será agendada pelo aplicativo ‘Saúde Já’, da Secretaria Municipal da Saúde de Curitiba e não será necessário fazer nenhum tipo de cadastro.

Mais grupos prioritários

Em entrevista à Banda B, o prefeito Rafael Greca confirmou que demonstrou ainda uma intenção de criar mais grupos prioritários na cidade. “Eu tenho vontade de comprar vacinas em doses extras, mandar importá-las, para poder vacinar todo mundo que na prefeitura lida com o público. Quero tornar a prefeitura imune o mais rápido possível, dos professores aos motoristas [de ônibus], dos guardas municipais aos coletores de lixo e recicladores”, disse.

O calendário de vacinação está sendo elaborado pela Secretaria Municipal da Saúde e deve ser divulgado nos canais oficiais da prefeitura nos próximos dias.

Informações Banda B.