Megaoperação combate crime organizado na divisa do Paraná e São Paulo

A Megaoperação Divisas Integradas, desencadeada pelas Secretarias da Segurança Pública do Paraná e do estado de São Paulo, foi iniciada na manhã desta terça-feira (15) com ações de fiscalização, abordagens, pontos de bloqueios e cumprimento de mandados judiciais. O objetivo é combater organizações criminosas, o tráfico de drogas, armas, contrabando e descaminho, além de furtos e roubos de cargas, além de outras atividades ilegais na região da divisa dos dois estados.

Com a participação de aproximadamente 7,8 mil policiais de forças de segurança estaduais e nacionais, a ação conta com 20 pontos de bloqueio na área da divisa. Com o auxílio de aeronaves e de cães de faro, a fiscalização inclui terminais rodoviários, veículos terrestres e aquáticos e empresas de materiais controlados.

Além dos policiais e agentes de segurança pública, são empregadas 2,1 mil viaturas dos dois estados, 21 aeronaves, seis drones, 18 cães e 11 embarcações. As viaturas atuam nas ações preventivas e ostensivas nos pontos de bloqueio e no cumprimento de mandados judiciais.

O secretário da Segurança Pública do Paraná, Romulo Marinho Soares, ressaltou que essa atuação conjunta vai garantir maior precisão no combate ao crime organizado. “Montamos um cinturão, um grande reforço na área de fronteira entre Paraná e São Paulo para impedir a atuação do crime organizado e combater com maior afinco o tráfico de drogas, contrabando e descaminho. E isso só é possível por meio de muita parceria e integração”, completou.

Dos 20 pontos de bloqueio, dez ficam a cargo da Polícia Militar de São Paulo, sete da Polícia Militar do Paraná e outros três da Polícia Rodoviária Federal.

As atividades no estado de São Paulo são realizadas a partir do eixo das rodovias Raposo Tavares (SP-270) Régis Bittencourt (BR-116) e Transbrasiliana (SP-153), e avançam para as demais regiões a partir dos limites territoriais entre os dois estados. Já no Paraná, acontecem também a partir da BR-116, em Campina Grande do Sul, e seguem até a cidade de Diamante do Norte, na PR-323.

“Integração é a palavra de ordem hoje no combate à criminalidade, em especial às organizações criminosas. O trabalho conjunto entre as forças policiais e demais órgãos estaduais e federais é a chave para que essas ações de segurança sejam cada vez mais eficientes, eficazes e efetivas na proteção das pessoas”, afirmou o coordenador do Centro de Operações Integradas (COI) da Secretaria da Segurança Pública de São Paulo, o general de brigada Carlos Saú.

Integram a megaoperação representantes das polícias Militar, Civil e do Corpo de Bombeiros do Paraná e de São Paulo, Polícia Federal, Polícia Rodoviária Federal, Exército Brasileiro, Agência Brasileira de Inteligência (Abin) e Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT). Serão cumpridos mandados judiciais nos estados e 20 pontos de bloqueio na região da divisa. 

PARANÁ – No Estado atuam o Departamento de Inteligência do Paraná (Diep), o Corpo de Bombeiros e a Polícia Militar, por meio do Batalhão de Polícia Rodoviária (BPRv), Batalhão de Polícia Ambiental (BPAmb), Batalhão de Operações Aéreas (BPMoa), Batalhão de Operações Especiais (Bope), Batalhão de Fronteira (BPFron), o 2º Comando Regional da Polícia Militar, responsável pelo Norte Pioneiro e Norte do Estado, o 3º Comando Regional da Polícia Militar, responsável pela região Noroeste, e o 6º Comando Regional da Polícia Militar, correspondente à Região Metropolitana de Curitiba. 

Por parte da Polícia Civil, responsável pela Polícia Judiciária, participam representantes das delegacias de toda a região da divisa com São Paulo. Também integram a operação a 13ª Subdivisão Policial de Ponta Grossa, a 12ª Subdivisão Policial de Jacarezinho e a 11ª Subdivisão Policial de Cornélio Procópio, além do Tático Integrado de Grupos de Repressões Especiais (Grupo Tigre), Centro de Operações Policiais Especiais (COPE), Divisão Estadual de Narcóticos (Denarc), Grupamento de Operações Aéreas (GOA) e o Núcleo de Operações com Cães (NOC). Todas as ações contarão com o apoio da Polícia Científica do Paraná.

SÃO PAULO – Em São Paulo, participam das atividades os representantes dos batalhões territoriais sediados nas regiões envolvidas, assim como os comandos de Policiamento de Choque (CPChq), Ambiental (CPAmb) e da Rodoviária (CPRv), Grupamento de Radiopatrulha Aérea (GRPAe) e o Corpo de Bombeiros.

Também estão envolvidos a Superintendência da Polícia Técnico-Científica (SPTC) e os departamentos estaduais de Investigações Criminais (Deic) e de Prevenção e Repressão ao Narcotráfico (Denarc); os departamentos de Polícia de Proteção à Cidadania (DPPC), de Operações Policiais Estratégicas (Dope) e de inteligência da Polícia Civil (Dipol), além dos departamentos de Polícia Judiciária da Macro São Paulo (Demacro) e das regiões de Bauru, Vale do Ribeira, Sorocaba e Presidente Prudente.

Por parte da Polícia Federal foram disponibilizados pessoal e equipamentos do Grupo de Bombas e Explosivos para a fiscalização de armamentos, explosivos e materiais controlados, como nitrato de amônia. Toda a parte de fiscalização será feita também por representantes da Polícia Civil do Paraná e outras equipes. 

INTELIGÊNCIA – A megaoperação é acompanhada pelo Centro Integrado de Comando e Controle Regional (CICCR), que conta com estrutura adequada com câmeras e apoio de representantes das instituições e dos órgãos de inteligência. A sala de controle pertence ao Centro Integrado de Inteligência de Segurança Pública da Região Sul (CIISP-Sul).

Os dados da operação serão divulgados no decorrer do dia.

Informações AEN.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Passagens de ônibus intermunicipais terão preço reduzido com fim dos pedágios no Paraná

O Departamento de Estradas de Rodagem do Paraná (DER/PR) vai reduzir o preço das passagens de transporte intermunicipal de passageiros de todas as linhas que cruzam praças de pedágio, com o término dos contratos de concessão nesta sexta-feira (26) e sábado (27).

No caso das linhas rodoviárias padrão, o valor não está embutido na tarifa básica cobrada, bastando as empresas deixarem de cobrar o valor do pedágio no ato da venda da passagem.

No caso das linhas intermunicipais metropolitanas do Interior do Estado, o valor do pedágio é calculado em função do número de eixos do veículo e de passageiros transportados, estando incluso no valor da tarifa básica. O DER/PR está encaminhando às empresas as novas tabelas com os preços das passagens, descontado os custos com pedágios.

O valor reduzido começa a ser cobrado após as 23h59m do dia 26 de novembro de 2021 no caso das linhas que cruzam as praças de pedágio da Econorte, Viapar e EcoCataratas, e após as 23h59m do dia 27 para as linhas que cruzam as praças de pedágio da Caminhos do Paraná, Rodonorte e Ecovia.

Todas as empresas transportadoras de passageiros que atuam em linhas intermunicipais do Paraná foram oficiadas nesta terça-feira (23) quanto à medida.

Alterações no preço de passagens devido aos pedágios são atividades de praxe da Coordenadoria de Transporte Rodoviário Comercial do DER/PR, que sempre disponibiliza tabelas atualizadas e informa as empresas quanto a qualquer alteração nas tarifas e as datas em que estas devem ser praticadas.

Em anos anteriores as alterações eram realizadas após o aumento do valor dos pedágios, e, agora, pela primeira vez, as passagens terão o preço reduzido devido ao fim da cobrança nas praças.

Fiscalização

O DER/PR é o órgão público estadual responsável pela organização, administração e fiscalização do sistema de transportes comerciais intermunicipal de passageiros do Paraná, que atualmente conta com mais de 400 linhas em atividade.

Fiscais do órgão atuam na verificação de veículos e venda de passagens em todas as regiões do Estado, garantindo o cumprimento da legislação vigente e das obrigações contratuais das empresas, aplicando as sanções cabíveis sempre que qualquer irregularidade é verificada.

Com fim do pedágio neste fim de semana, saiba como irá fluir o trânsito nas praças do Paraná

Com o fim da concessão do pedágio no Paraná, as estradas serão liberadas a partir da 0h do próximo domingo (28). Segundo comunicados divulgados pelas concessionárias Caminhos do Paraná, Ecovia, e Ecocataratas o fluxo passará a ser feito pelas pistas automáticas, localizadas ao lado direito das rodovias.

As pistas automáticas são aquelas em que a liberação ocorre por dispositivos instalados dentro de veículos, como os fornecidos pelas empresas Sem Parar, ConectCar e Veloe. Com o fim do pedágio, as cancelas estarão abertas nestes locais.

“Será feita uma canalização do fluxo, em ambos os sentidos, nas pistas que hoje são automáticas, onde os usuários deverão estar atentos a sinalização, tendo em vista que haverá uma redução de velocidade para passagem pela praça de pedágio”, explica o gerente de Engenharia da Ecovia, Jean Zolett.

A Econorte alerta que os motoristas deverão trafegar com atenção para as possíveis alterações de trânsito, sempre respeitando a sinalização dos locais.

A mudança é válida a partir de sábado (27) nos pedágios de Jacarezinho, Jataizinho, Sertaneja (relativos à Econorte); Arapongas, Mandaguari, Presidente Castelo Branco, Floresta, Campo Mourão, Corbélia (relativos à Viapar); e São Miguel do Iguaçu, Céu Azul, Cascavel, Laranjeiras do Sul e Candói (relativos à EcoCataratas).

A partir de domingo (28), a nova lógica também será aplicada para os pedágios de Prudentópolis/Relógio, Irati, Porto Amazonas, Imbituva, Lapa (relativos à Caminhos do Paraná); Balsa Nova, Palmeira, Carambeí, Jaguariaíva, Tibagi, Imbaú, Ortigueira (relativos à Rodonorte); e São José dos Pinhais (Ecovia).

Fim do Pedágio

Em todo o Paraná, o fim do pedágio vai ocasionar a desativação das cabines até que nova concessão seja feita. As rodovias passam a ser de responsabilidade do Governo do Paraná.

A CCR Rodonorte cita em comunicado público que “todos os serviços de atendimento aos cliente e conservação do sistema deixam de ser prestados pela companhia”.

A mesma situação acontece com as demais empresas. A Viapa lembra que as empresas deixam de fazer a manutenção das rodovias e de operar as ambulâncias, guinchos, caminhões pipa, caminhões boiadeiros e inspeção de tráfego. Também encerra as atividades no monitoramento de câmeras nas rodovias.

Guinchos

Na última semana, o Departamento de Estradas de Rodagem do Paraná (DER/PR) publicou edital para contratar os serviços de guincho mecânico nas rodovias estaduais e federais do Anel de Integração após o fim do pedágio. O investimento previsto é de R$ 105.226.488,00, com prazo de duração de um ano.

Serão serviços de guincho leve e pesado, para desobstrução de pista e remoção de veículos, e operações de atendimento mecânico, como troca de pneus, carga elétrica, entre outras.

O edital prevê ainda a inspeção de tráfego, com equipes específicas para percorrer 100% da malha do Anel de Integração ao menos 3 vezes ao dia, verificando a necessidade de assistência aos usuários, inspecionando as pistas e participando ativamente na ocorrência de neblina, incêndios, acidentes e outras situações, providenciando sinalização de emergência, desvios de tráfego e demais apoios.

Informações Banda B