Matinhos recebe doações; cidade ainda não sabe número de famílias afetadas pela chuva

A Prefeitura de Matinhos, no litoral do Paraná, informou que presta assistência às famílias desabrigadas por conta das fortes chuvas que atingiram a cidade desde o fim desta quarta-feira (5), mas que ainda não tem um balanço do número de famílias afetadas. A Arena Vicente Gurski foi preparada e aberta para receber os desabrigados. Nesta quinta-feira (6), será feita a coleta de doações de móveis, colchões e eletrodomésticos durante todo o dia na Arena.

A Defesa Civil, através de chamadas pelo telefone 153, fez o resgate das vítimas. As equipes estiveram nas ruas durante todo o período da chuva, atendendo chamados e indo até os locais solicitados para resgatar pessoas.

Além disso, equipes das Secretarias Municipais de Meio Ambiente e também de Obras e Planejamento Urbano estão nas ruas para arrumar os estragos.

Até às 23 horas, o acumulado das chuvas em Matinhos chegava a 123,0 mm.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Temporal deve dar trégua por dois dias em Curitiba e Litoral, mas pancadas fortes voltam no domingo

Os fortes temporais que atingem Curitiba, região metropolitana e Litoral prometem dar uma trégua por pelo menos dois dias, de acordo com informações do Instituto Meteorológico Simepar. Segundo informações divulgadas nesta quinta-feira (6), as áreas de instabilidade não devem ir embora, mas pelo menos até domingo (9) a promessa é de chuvas mais fracas.

De acordo com o meteorologista Lizandro Jacóbsen, os temporais de quarta-feira (5) provocaram chuvas fortes e um acumulado bastante expressivo de Curitiba ao Litoral. “As chuvas ultrapassaram 100 milímetros em vários pontos, com destaque para a Baía de Guaratuba, onde o acumulado passou dos 120 milímetros. Na Baía de Paranaguá, o acumulado ficou próximo de 100 mm e, em Guaraqueçaba, 150 mm. Em Curitiba, a chuva foi forte, mas de menor duração. Nos bairros ao norte, o acumulado chegou a 80 milímetros, mas nos do sul, ficou em 20 milímetros”, disse.

De sexta a domingo, a previsão é de uma temperatura mais amena e as máximas não devem passar de 23°C.

No domingo, porém, exepctativa de chuvas fortes mais uma vez. Segundo Jacóbsen, o acumulado promete ser bastante expressivo entre domingo e segunda-feira.

Confira a previsão para a próxima semana em Curitiba:

Defesa Civil reforça orientações para situações durante e pós-chuvas

A chuva acumulada de quarta para quinta-feira (5 e 6/1) totalizou 80,2 mm, o equivalente à metade do previsto para todo o mês de janeiro, de acordo com o Sistema de Tecnologia e Monitoramento Ambiental do Paraná (Simepar). A Defesa Civil de Curitiba reforça algumas orientações para momentos de chuva forte. Confira:

Em pontos de alagamento

  • Não andar (principalmente descalço ou com chinelo) nem trafegar sobre pontos com acúmulo de água, para não colocar em risco a própria vida. Sem visualizar embaixo d´água, não é possível perceber buracos, cacos de vidro e outros objetos perfurocortantes, além de fios caídos, que podem provocar choques elétricos. A água contaminada também pode provocar doenças, como a leptospirose. 

No trânsito

  • Se a chuva já tiver começado, aguardar até que a situação esteja mais tranquila para entrar no trânsito. 
  • Sob chuva, pista molhada ou baixa visibilidade, reduzir a velocidade para não ampliar as chances de uma colisão ou de um acidente.
  • Manter o farol aceso.
  • Evitar ruas com pontos de alagamento e, ao se aproximar de um, desviar para o primeiro acesso disponível. Se a água subir até o motor, pode causar pane elétrica – situação de risco se amplia a partir de quando a água alcançar a metade do pneu.

Na rua

  • Procurar se abrigar em um comércio enquanto a chuva estiver mais forte.
  • Evitar ficar embaixo de marquises, de árvores e de estruturas metálicas que podem desabar.

Cabos caídos

  • Não sair do carro para não correr risco de choque elétrico. O indicado é permanecer dentro do veículo, que já funciona como um isolante.
  • Não tocar em fios caídos em via pública. 

Em casa

  • Tirar eletrodomésticos da tomada.
  • Evitar contato com a água, sempre que possível. 
  • Retirar alimentos do chão ou de armários baixos.
  • Se a água começar a subir muito rápido, é necessário retirar somente os documentos pessoais e sair do local, fazendo contato imediato com os telefones de emergência 199 (Defesa Civil) e 193 (Corpo de Bombeiros).

Central 156

  • O cidadão que precisar comunicar a Prefeitura sobre estragos provocados pelo vendaval e chuvas fortes deve utilizar o telefone 156 da Central de Atendimento ao Cidadão, pelo site (www.central156.org.br) ou pelo aplicativo do serviço. O atendimento é feito por ordem de chamada e também de acordo com a gravidade da situação relatada.
  • A Defesa Civil registra as ocorrências que chegam ao município pelo telefone de emergência 199 (alagamentos) e, também, pelo 156 (Central de Atendimento ao Cidadão, que registra as solicitações para retiradas de árvore) e pelo 153 (Centro de Operações da Guarda Municipal – fornecimento de lona).
  • Outras situações decorrentes de chuvas ou temporais podem ser atendidas pelo Corpo de Bombeiros (193 – resgate) e pela Copel (falta de luz).