Maioria das capitais mantém salários dos servidores sem reajuste este ano

Enquanto Curitiba faz as contas, raspando o fundo do caixa, para ver se é possível conceder o reajuste anual para os servidores, a maioria das outras capitais do país já bateu o martelo: funcionalismo municipal fica com os salários congelados este ano.

Uma situação ruim, mas ainda pior em pelo menos nove capitais, cujos servidores tiveram seus vencimentos atrasados ou parcelados em 2017, num exemplo bem acabado do estrago que pode ser gerado por crise econômica acompanhada por anos de gestões irresponsáveis com as contas públicas e leniente com o aumento descontrolado de gastos.

São Paulo, Porto Alegre, Rio de Janeiro, Goiânia, Fortaleza, Teresina e Rio Branco, por exemplo. optaram por não aplicar reajuste nenhum nos salários. No total, fora Curitiba, 17 das 27 mantiveram os vencimentos – elas representam 63% das capitais do país.

Entre as que atualizaram os salários, cinco apenas repuseram a inflação ou nem isso, e algumas parcelaram o reajuste em diversos meses.

Em Florianópolis, por exemplo, os 4% de reajuste serão parcelados em quatro vezes e só serão concluídos no primeiro trimestre do ano que vem. Em Palmas, o reajuste de 2017 vai ser escalonado até abril de 2018. Em Campo Grande, só a categoria dos professores teve aumento, também parcelado.

Já Belo Horizonte, vai conceder 2,5% de reajuste, insuficiente para repor a inflação, enquanto Porto Velho cravou 3,5%, igual à infação do período.
Porto Alegre e Rio de Janeiro são os casos mais graves e conhecidos. Além de reajuste zero e atraso nos salários, as duas deixaram de prestar uma série de serviços públicos e cortaram programas sociais, no que se transformou em pesadelo para boa parte dos moradores.

Aqui não – É exatamente este tipo de situação – mesmo que em menor grau – que o prefeito Rafael Greca quer evitar em Curitiba.

Não dá para dizer que a capital é um oásis no deserto porque outras cidades também tomaram medidas de ajuste e vêm mantendo o fôlego de suas gestões. Mas é evidente que as medidas tomadas pelo prefeito com o Plano de Recuperação de Curitiba surtiram efeito.
“Salário é direito sagrado de quem trabalha”, costuma dizer o prefeito, em seu mantra preferido sobre o funcionalismo. Bem verdade que ele vem cumprindo sua prioridade de campanha e mantendo os pagamentos do funcionalismo rigorosamente em dia este ano.

Ao apertar as contas para conceder o reajuste previsto para novembro o prefeito não quer, no entanto, deixar que os avanços obtidos este ano para o conjunto da população se percam.

Greca conseguiu um feito efetivamente de respeito. Diante de situação financeira caótica manteve serviços de saúde em pleno funcionamento, regularizou o abastecimento de remédios, tirou obras da paralisa, retomou a manutenção da infraestrutura da cidade, entre outras ações fundamentais para a cidade não parar e começar a evoluir.

Isso tudo com um rombo orçamentário de R$ 2,1 bilhões herdado de Fruet que transforma ações básicas de manutenção da máquina em verdadeiros desafios financeiros.

O caixa apertado, portanto, não dá muita margem de manobra para Greca, que fica diante da opção bíblica de dividir o pão de um orçamento em frangalhos, mas em franca recuperação. Reajuste de servidores hoje, pode significar falta de dinheiro para remédios, obras etc.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Carrosséis e roda-gigante voltam a ser montados para celebrar os 330 anos de Curitiba

Carrosséis e roda-gigante voltam a ser montados para celebrar os 330 anos de Curitiba

Três atrações do Natal de Curitiba – Luz dos Pinhais 2022 estão voltando para as celebrações dos 330 anos de Curitiba este ano. São os carrosséis venezianos do Passeio Público e do Parque Tanguá e a roda-gigante da Praça Santos Andrade, no Centro. O brinquedo do Passeio Público começou a ser montado na quinta-feira (26/1) e o do Tanguá será na próxima semana. A roda-gigante está sendo montada nesta sexta-feira (27/1).

As atrações serão gratuitas. A Prefeitura está definindo um cronograma de funcionamento, que será divulgado em breve. A intenção é cobrir todos os dias da semana, com exceção das segundas-feiras, quando deverá ocorrer a manutenção dos equipamentos.

De acordo com o superintendente de Obras da Secretaria Municipal do Meio Ambiente (SMMA), Jean Brasil, a previsão é de que os brinquedos funcionem por um período de quatro meses.

“Além de serem uma atração para o aniversário da cidade, os carrosséis e a roda gigante também poderão ser usados pelas crianças no período de férias escolares e também pelos turistas que visitam a nossa cidade”, explicou ele.

Como ocorreu na temporada natalina, os carrosséis venezianos irão receber crianças de até 12 anos. Adultos poderão acompanhar crianças de 0 a 2 anos. Já a roda-gigante irá receber crianças e adultos (a altura mínima será de 1 metro). Além disso, os brinquedos terão acessibilidade para o público com dificuldade de locomoção.

330 anos de Curitiba

O aniversário dos 330 anos de Curitiba será celebrado com uma ampla programação descentralizada e os eventos e entrega de obras farão parte dela. O aniversário será só no dia 29 de março, mas vários eventos estão agendados.

A programação de aniversário da capital já começou, este mês, com a 40ª Oficina de Música de Curitiba. Além dos cursos voltados para artistas e professores, BNegão, Vanessa da Mata e Gilsons são alguns dos destaques do line up de shows da 40ª edição do evento da Prefeitura de Curitiba.

Já em março ocorre o Smart City Expo Curitiba 2023, versão brasileira do maior evento de cidades inteligentes do mundo. Serão três dias, 22, 23 e 24 de março, do congresso e feira organizados pelo hub de negócios e soluções iCities e com apoio da Prefeitura de Curitiba, da Secretaria Municipal de Administração, da Agência Curitiba de Desenvolvimento e Inovação, Gestão de Pessoal e TI (Smap) e do Vale do Pinhão.

Veja a matéria no site da Prefeitura de Curitiba

Campanha da Prefeitura de Curitiba alerta sobre o assédio sexual no carnaval

Campanha de Direitos Humanos alerta sobre o assédio sexual no Carnaval.

Brincar o carnaval faz parte da tradição brasileira e para conscientizar os foliões, a Prefeitura de Curitiba, por meio da Assessoria de Direitos Humanos (ADH) e Políticas para as Mulheres, começa, neste domingo (29/1), a implementar diversas ações para evitar a importunação sexual durante os dias de carnaval.

Domingo, a partir das 15hs, na Praça Santos Dumont, no encontro entre as Ruas Saldanha Marinho, Ébano Pereira e Cruz Machado, a assessoria irá fazer a distribuição de leques com orientações com o tema” Respeite o meu espaço – importunação sexual é crime” na concentração e no trajeto do Bloco Garibaldis e Sacis.

Conscientização

A assessora de Direitos Humanos e Políticas para Mulheres da Prefeitura, Elenice Malzoni, alerta que todos devem ter cuidado e atenção nas festas de carnaval.

“Desejamos brincar alegremente o carnaval, sem sofrer nenhum tipo de importunação sexual. Desrespeito não pode ser entendido como mera brincadeira”, salienta Elenice.

Crime e consequência

A Lei 13.718/2018 trata do crime de importunação sexual, que é a prática de ato libidinoso contra alguém sem o consentimento dessa pessoa, com o objetivo de satisfazer o próprio desejo ou o de terceiros, ou seja, tocar o corpo de outra pessoa, sem o consentimento dela, para obter prazer sexual. A pena é de reclusão de 1 a 5 anos.

O que caracteriza o crime

Os principais exemplos do crime de importunação sexual são beijo roubado, puxão pelo braço, agarrar pela cintura, passadas de mão no corpo, tocar o órgão sexual, lambidas, mordidas, ejaculações, entre outros.

As denúncias podem ser feitas pelo número 153 da Guarda Municipal. Em caso de flagrante, os envolvidos serão encaminhados para a Casa da Mulher Brasileira para realizar o boletim de ocorrência na Delegacia da Mulher.

Veja a matéria no site da Prefeitura de Curitiba

WP Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com