Libertadores: já classificado, Athletico-PR perde para o Peñarol

Derrota custa primeira posição do grupo

O Athletico-PR foi derrotado pelo Peñarol (Uruguai) por 3 a 2 em partida realizada nesta terça-feira (20) no estádio Campeón del Siglo, em Montevidéu. Com este revés, a equipe brasileira encerrou a primeira fase da Copa Libertadores na segunda posição do grupo C com 10 pontos.

A primeira posição da chave ficou com o Jorge Wilstermann (Bolívia), que venceu o Colo-Colo (Chile) por 1 a 0 nesta terça e chegou aos mesmos 10 pontos do Furacão, mas com saldo de gols melhor.

Jogo de viradas

O time do Paraná chegou para esta partida em uma situação cômoda, pois já estava classificado para as oitavas de final. Assim, o objetivo era apenas pontuar para garantir a primeira posição do grupo. Porém, o confronto não começou bem para a equipe brasileira, que viu o Peñarol abrir o placar logo aos 5 minutos com o zagueiro Formiliano.

Mas o Athletico-PR conseguiu deixar tudo igual antes do intervalo. Aos 35 minutos com o argentino Lucho González após boa jogada de Nikão.

E a virada veio aos 44 do primeiro tempo, quando, após falha de Gargano, o volante Richard acerta um bonito chute para vencer o goleiro Dawson.

No entanto, a etapa final foi toda dos uruguaios, que chegaram à vitória com gols de Kagelmacher, aos 17 minutos, e de Britos, aos 35. Placar final, Peñarol 3, Athletico-PR 2.

Vaga na Sul-Americana

Em um jogo entre duas equipes já eliminadas da Libertadores, o São Paulo goleou o Binacional (Peru) por 5 a 1 no estádio do Morumbi. Os gols da equipe paulista foram marcados por Arboleda, Vitor Bueno, Brenner e Pablo (dois).

Com este resultado, a equipe do Morumbi garantiu a terceira posição do grupo D e uma vaga para a Copa Sul-Americana.

Veja a classificação atualizada da Copa Libertadores.

Informações Agência Brasil.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Iniciativa une empresa e comunidade do entorno na geração de renda e destinação correta de recicláveis

A melhora na vida de pessoas que vivem em comunidades mais vulneráveis pode vir de empresas que atuam nas proximidades e que investem em projetos de impacto social positivo. São iniciativas que buscam garantir oportunidades no mercado de trabalho e um futuro melhor para as famílias vizinhas. É o caso da Vila Torres, comunidade localizada no bairro Rebouças, em Curitiba, e que tem se beneficiado de parcerias firmadas com o Grupo Marista, por meio da PUCPR, que fica ao lado da vila.

Uma das iniciativas em andamento é ligada à sustentabilidade e teve início em maio. Criado de forma experimental como piloto, o projeto vem trazendo vantagens tanto para as famílias envolvidas quanto para a instituição e, com isso, teve contrato assinado com uma das cooperativas do local, a Recicapanema, em setembro. Até outubro, foram 35 toneladas de resíduos entregues para a cooperativa, que recebe todo o material reciclado da PUCPR, Hospital Nossa Senhora da Luz, Clínica Veterinária Escola e Colégio Marista Paranaense. “Com o que já entregamos de material, ajudamos a fomentar a receita das pessoas que trabalham no barracão e das famílias que dependem dessa renda. Desta forma, estamos indo além do descarte correto do lixo reciclável, pois a ação ambiental é também uma ação social”, conta a analista de Sustentabilidade Sênior do Grupo Marista, Elãine Cristina de Souza Kurscheidt. 

Ao todo, são 15 famílias que ampliam suas possibilidades de renda graças ao material que o projeto destina a elas. “Cada família aqui tem de dois a três filhos. As pessoas não fazem ideia do quanto essa fonte de renda ajuda diversas famílias da Vila Torres e de outras comunidades. Quanto mais resíduos a gente coleta, mais renda é gerada, e ter empresas aqui ao nosso lado e que pensam na gente, é muito gratificante. É bom para quem doa e também para quem recebe”, enfatiza a presidente da Recicapanema, Claudete Napoleão de Almeida.

As coletas são realizadas três vezes por semana. São cerca de duas toneladas arrecadadas por dia. Segundo Elãine, a ideia é ampliar a ação para outras duas cooperativas da comunidade e também para outras frentes do Grupo, como os hospitais Marcelino Champagnat e Universitário Cajuru. “Queremos envolver o maior número de áreas do Grupo nesse projeto, pois está dando muito certo e sabemos que esse é um caminho para continuar seguindo”, comemora. 

Comunicação como fortalecimento do negócio: a estratégia diferenciada da agência Páprica

Que a presença digital é essencial para as empresas, não há dúvida, mas muitas marcas ainda não entendem como isso pode se tornar de fato conversão em lucro. Ter uma rede social e postar fotos está muito longe de criar laços que vendam o conceito da empresa para os clientes. O planejamento de comunicação que consiga aliar os setores da empresa, do marketing às vendas, é que vai ser o diferencial no fim das contas. E é com essa visão mais fluída e aprofundada que a agência Páprica tem conquistado clientes cujos faturamentos ultrapassam a casa do bilhão.

Fundada há dez anos por Renan Vargas, diretor geral que comanda a equipe de 45 profissionais, Páprica traz desde sua criação um novo olhar para o processo criativo. “O processo padrão de uma agência comum perde sinergia, ao passar por diferentes etapas que não se comunicam, o produto final perde alma”, conta Vargas, que queria elaborar projetos de maneira mais fluida. A agência nasceu “low size”, enxuta e com um estúdio de desenvolvimento de projeto mais conectado.

Apesar da visão mais abrangente do processo, dificuldades foram surgindo. “Em 2018, me vi tendo problemas idênticos aos das agências que eu não queria ser”, revela. Vargas retomou o ideal que foi ponto de partida da Páprica, corrigindo os erros e apostando ainda mais na proximidade da agência com o cliente, no entendimento do negócio. O método funcionou tanto para a própria empresa quanto para os clientes. Para o especialista, o marketing precisa estar obrigatoriamente ligado ao setor de vendas. “Não acreditamos numa comunicação vazia, só para ter um canal. Buscamos atingir os objetivos do cliente com a comunicação e fortalecer o negócio”, explica. Muitas vezes, Vargas percebe que esses setores não se relacionam nas empresas. “Um quer vender mais, o outro quer marcar presença no meio digital. Mas os resultados aparecem mesmo quando ambos conseguem dialogar”, destaca o fundador da Páprica.

“É preciso entender aonde a empresa quer chegar e o formato que essa empresa quer se apresentar no mercado”, define Vargas. Isso vai muito além de manter presença digital. “Precisamos andar junto com o CEO, com o time de vendas, com a comunicação”. Adaptando expectativas e formatos, é possível ter resultados nos mais diferentes setores. A Páprica já atendeu em formatos que vão da elaboração de projetos pontuais (feitos para marcas como Renault e Itaú) até acompanhamentos mais prolongados – que permitem avaliação mais completa de resultados.

Entre os clientes, estão dois grandes nomes: a Docol e a Alegra. A Docol está entre as maiores do Brasil no setor de metais sanitários, e a indústria alimentícia paranaense Alegra ultrapassou o bilhão em vendas no ano passado. A comunicação efetiva em projetos bem elaborados, focados nessa conexão entre os diferentes setores, favorecem as vendas e o fortalecimento das marcas. “Quero mostrar que a comunicação impacta financeiramente no negócio”, comenta Vargas.

Para que isso seja efetivo, é preciso entender o processo por completo. “Entramos em diversos fatores do cliente, levantando questões interessantes para entender o funcionamento da empresa, em conversas focadas e produtivas”, fala o diretor da Páprica. A campanha publicitária é uma parte do processo, que precisa ainda de análise de conversão e resultados. “Levamos insights, questionamentos que por vezes acabam mostrando uma realidade diferente do que o cliente nos apresentou”. Quando são observados problemas diferentes do que o cliente apontou, uma rápida mudança no planejamento é essencial.

Essas análises foram definitivas para reestruturar cases de outros clientes, que vem trabalhando há anos com a agência e obtendo grandes resultados, como a Rede Marista de Colégios, a Neodent e Universidade Católica de Santa Catarina. O reconhecimento vem ainda por prêmios ao longo dos anos. O formato mais integrado de elaboração e avaliação das campanhas, gerando lucros mais consistentes e uma comunicação eficaz, foi celebrada até internacionalmente. O projeto Tamo Junto da Aliança Empreendedora venceu o MIT Solve Challenge 2020 na categoria Good Jobs & Inclusive Entrepreneurship Solver, na etapa mundial, e também foi finalista do Global Citizen Prize by Cisco, na categoria tecnologia e causa.

No Brasil, o case do Grupo Marista foi condecorado por diversas vezes pelo Prêmio Aberje (Associação Brasileira de Comunicação Empresarial), além de outro projeto para o Hospital Marcelino Champagnat. O trabalho constante com o Grupo Marista, sendo reconhecido ao longo dos anos, confirma mais uma vez o sucesso dessa integração de setores em prol do fortalecimento do negócio promovido pela Páprica.

O trabalho da agência é reconhecido até pelo Google. A Páprica recebeu a certificação Partner Premier Google, por estar no top 3% de parceiros da gigante da tecnologia com melhor desempenho no Brasil. O destaque é concedido a empresas que mais criam novas relações comerciais e oferecem ajuda aos clientes para se desenvolverem. São confirmações vindas diretamente do mercado que consagram o modelo inovador da agência.

A Páprica está localizada no Batel Office Tower em Curitiba (Av. Sete de Setembro, 4698 – Sexto Andar – Batel), além de ter um escritório na Cidade do México. Contatos podem ser feitos pelo e-mail contato@paprica.ag e por telefone no (41) 3095-8585. Mais informações no site páprica.ag.

WP Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com