Justiça autoriza que barreira sanitária seja instalada na BR-277 para chegada ao Litoral

A 1.ª Vara Federal de Paranaguá concedeu, na manhã desta quarta-feira (17), parecer favorável à realização de barreira sanitária na BR-227. O documento, assinado pelo juiz federal Guilherme Roman Borges, ainda ressalta que a Polícia Rodoviária Federal (PRF) garanta a realização da barreira sanitária, assim como promova a manutenção da segurança dos agentes públicos envolvidos e da população.

“O juiz Federal Guilherme Roman Borges entendeu a situação que estamos vivendo aqui no litoral com falta de leitos e insumos e tudo o que o Paraná está passando neste momento. Essa situação aliada ao lockdown de Curitiba que acarretou na vinda de muitos moradores na capital para o litoral nos preocupa e, por isso, a necessidade da barreira sanitária”, informa o prefeito de Paranaguá Marcelo Roque presidente da Associação dos Municípios do Litoral do Paraná (Amlipa).

Marcelo Roque enfatiza que a ação foi movida pela Prefeitura de Paranaguá com assinatura também dos municípios de Matinhos, Pontal do Paraná e Guaratuba. “Essa é uma decisão que visa proteger a vida de todos os residentes na região litorânea. Reforçamos às pessoas que não residem no litoral que não venham para cá neste momento. Permaneçam em suas casas, em suas cidades e deixem para outra oportunidade a vinda para esta região”, frisa.

Entenda o caso

Na segunda-feira (15) a Prefeitura de Paranaguá em conjunto, os municípios Matinhos, Pontal do Paraná e Guaratuba iniciou a realização de barreira sanitária na BR-277, no Km 12. Contudo, ainda no período da manhã, a Polícia Rodoviária Federal determinou que a ação fosse desfeita com a alegação de que a barreira estava localizada em Jurisdição Federal, além de outros questionamentos.

De imediato, os municípios ajuizaram solicitação para realização da barreira sanitária visando evitar que pessoas não residentes na região, viessem ao litoral a passeio após ser decretado lockdown em Curitiba.

Com o hospital que atende os sete municípios litorâneos trabalhando com sua capacidade máxima e o número de casos aumentando em todo o Estado, a medida foi pensada como prevenção à disseminação ainda mais acentuada da Covid-19 no litoral do Paraná.

Informações Banda B

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Litoral do Paraná vive momento crítico da pandemia; municípios estão em alerta roxo

Os sete municípios do Litoral do Paraná estão em alerta roxo, que indica risco muito alto para contaminação da Covid-19. Segundo a Sesa, em todo o Litoral, 24.696 pessoas já se contaminaram com a doença e 507 vieram à óbito.

Paranaguá, Guaratuba e Matinhos, são os municípios com maior número de casos e mortes.

Em Paranaguá, os imunizantes contra o coronavírus acabaram na manhã de hoje (25). Além disso, o Hospital Regional do Litoral, o único com leitos de UTI para atender todos os moradores dos sete municípios, está com ocupação máxima. Atualmente, não há leitos livres para novos pacientes.

Restrições

Entre as medidas sanitárias adotadas pelos municípios estão as barreiras sanitárias, instaladas em 11 pontos da região. Só podem entrar nas cidades moradores e trabalhadores.

A medida foi adotada para conter o número de visitantes. A recomendação dos órgãos da saúde é que nesse momento as pessoas evitem visitar o Litoral. As barreiras permanecem até o feriado de Páscoa.

Mais informações no G1 Paraná

Grupo de mulheres motociclistas vão distribuir ovos de Páscoa no litoral do Paraná

Uma ação de um grupo de mulheres motociclistas pretende distribuir 250 ovos de páscoa para crianças do Litoral do Paraná, na região de Guaratuba, no bairro do Carvoeiro. A ideia do grupo, que já tem ajudado famílias carentes desde o início da pandemia, e ainda entregar 50 quilos de peixe para os cadastrados no projeto Asas da Liberdade.

“A gente soube que algumas  famílias do litoral estavam sem alimentos no início da pandemia e resolvemos ajudar e depois disso não paramos mais. Já arrecadamos 10 mil toneladas de alimentos e roupas. Todo mês a gente promove uma ação nova e resolvemos encontrar um parceiro para fazer essa entrega dos ovos de páscoa”, conta Thelma Crunnenaue, dona de casa e fundadora do grupo Filhas do Vento e da Liberdade.

Thelma conta que aos 46 anos ganhou uma moto de presente e viajar pelas estradas do Brasil foi uma forma que ela encontrou para superar uma depressão. A partir de então ela resolveu ajudar as pessoas que precisam por onde passava.

Quando será a entrega?

A entrega dos ovos no litoral do Paraná está prevista para quinta-feira ,1º de abril e deve seguir todas as ordens sanitárias por conta da Covid-19.

Informações Banda B