Inspirado na Família Folhas, curitibano já ajuda no aumento da coleta seletiva

Inspirado na Família Folhas, curitibano já ajuda no aumento da coleta seletiva. Foto: Pedro Ribas/SMCS

Separar o lixo contribui para a preservação do meio ambiente e desde março a Família Folhas voltou a inspirar os curitibanos a fazer a triagem.

Apenas em maio e junho, 60 toneladas a mais de resíduos recicláveis deixaram de ser destinados ao aterro sanitário com o lixo comum. Mensalmente, são coletadas em média 1.300 toneladas de recicláveis e, em junho, o volume subiu para 1.360 toneladas.

É como se, em um mês, a Prefeitura fizesse um dia extra de recolhimento de jornais, revistas, caixas de leite, latas, alumínio, garrafas, vidros e frascos plásticos previamente separados pela população, que vem aderindo à campanha com os divertidos personagens da Família Folhas.

Para a comerciante Débora Vander Brock, de 39 anos, a Família Folhas é uma inspiração de longa data. “Desde a infância em conheço o Seu Folha e a Dona Fofô, quando meus pais me ensinaram o hábito de reciclar justamente porque aprenderam com a campanha original”, recorda a moradora do bairro Sítio Cercado.  

Agora, com os novos membros da família mais verde de Curitiba, a população está aprendendo novas práticas de sustentabilidade, salienta a comerciante.

“Aqui em casa, nós sempre separamos o lixo orgânico do reciclável. Desde a volta das campanhas, sinto que os meus vizinhos também estão mais conscientes e até o condomínio mudou a postura para que os moradores possam fazer a separação corretamente”, conta Débora.

Com o apoio da Família Folhas, Débora se sente mais segura para instruir a família sobre a importância de separar o lixo comum do reciclável e aprimorar seus hábitos. “A Família Folha é educacional e importantíssima para que a nova geração entenda essa responsabilidade com o meio ambiente”, reforça.

 

Faça a sua parte

Recicláveis demoram anos, décadas e até séculos para se decompor no meio ambiente. Por isso, a importância da coleta seletiva vem sendo estimulada pelos personagens da nova Família Folhas.

“Os recicláveis são reaproveitados e se transformam em outros produtos, evitando novos processos de extração de matérias-primas da natureza”, reforça o diretor de Limpeza Pública da Secretaria do Meio Ambiente, Edelcio Marques dos Reis.

Ou seja, a reciclagem beneficia o meio ambiente já que o material arrecadado deixa de ser levado para aterros e lixões, onde não é apropriadamente tratado.

“Adotar essa ideia e ter ações diárias de reciclagem não requer mudanças de estilo de vida tão dramáticas como pode parecer à primeira vista. Geralmente, em uma casa ou empresa, há mais resíduos recicláveis do que não recicláveis”, reforça Reis.

Veja a matéria no site da Prefeitura de Curitiba

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Educação oferece curso gratuito de Língua Portuguesa para migrantes e refugiados

Educação oferece curso gratuito de Língua Portuguesa para migrantes e refugiados

Estrangeiros podem procurar a rede municipal de ensino para aprender gratuitamente a Língua Portuguesa. O curso é direcionado para migrantes e refugiados com idade igual ou acima de 15 anos e busca promover a integração social, o acolhimento linguístico e a interação com a cidade.

A oferta do curso é feita pela Gerência da Educação de Jovens e Adultos (EJA) da Secretaria Municipal da Educação, desde 2013.

“Você já se imaginou tendo que abandonar forçadamente seu país, sua família, e ainda deixar para trás todos os seus projetos e sonhos profissionais e pessoais? Para que essas pessoas possam recomeçar, é importante terem domínio básico da língua”, observa a gerente da EJA, Maria Gorete Stival Paula.

Este ano, as aulas são com atendimento presencial, em quatro unidades de ensino. A carga horária é de 60 horas. As aulas são das 19h às 21h, duas vezes por semana.

Escolas municipais que ofertam as aulas

CAIC Cândido Portinari – CIC – às segundas e quartas-feiras

Professora Maria Neide Gabardo Betiatto – Umbará – às terças e quintas-feiras

Professor Germano Paciornik – Boqueirão – às segundas e quartas-feiras

Irati – Cajuru – às terças e quintas-feiras

Inscrições pelo telefone (41) 3350-3019 ou diretamente nas unidades acima.

Veja a matéria no site da Prefeitura de Curitiba

Dia e noite: FAS intensifica acolhimento de pessoas em situação de rua

FAS intensifica abordagem e acolhimento de pessoas em situação de rua

Com a continuidade da chuva forte e alerta de vento e granizo, a Fundação de Ação Social (FAS) reforça nesta quarta-feira (10/8) o serviço de abordagem social e acolhimento a pessoas em situação de rua. O objetivo é sensibilizar essas pessoas a aceitarem atendimento e seguirem com as equipes para casas de passagem, onde encontram local para higiene, alimentação e camas quentes.

Equipes de educadores sociais estão nas ruas fazendo busca ativa, seguindo roteiros onde há maior concentração dessa população, além de fazerem atendimentos a solicitações que chegam à Central 156. O trabalho continua nesta noite e na madrugada.

O trabalho é desenvolvido pela Central de Encaminhamento Social 24h e tem o reforço ainda das equipes dos dez Centros de Referência Especializados de Assistência Social (Creas), localizados em todas as regionais da cidade.

“Essa chuva constante e volumosa que atinge a cidade também é um fator que causa muito sofrimento às pessoas em situação de rua e precisamos estar atentos para protegê-las”, explica a presidente da FAS, Maria Alice Erthal.

Ajuda pelo 156

Maria Alice pede a ajuda da população para atender as pessoas em situação de rua da chuva e do frio. “Quem vir uma pessoa desprotegida, entre em contato com a Central 156, por telefone, site ou pelo aplicativo Curitiba 156. Basta indicar o endereço ou local próximo e uma equipe irá até o local para oferecer atendimento”, explica.

Apesar da temperatura mínima estar acima dos 8 graus, a FAS está abrindo vagas emergenciais para acolhimento de pessoas em situação de rua, medida prevista na Ação Inverno – Curitiba que Acolhe, sempre que os termômetros registram frio intenso.

Animais acolhidos

Além da população de rua, a FAS também transporta e acolhe os animais de estimação com seus tutores. Para isso, mantém em suas Kombis para abordagem social, caixas para animais de até médio porte. Para esses casos, o acolhimento é feito na Praça Solidariedade, complexo de atendimento à população de rua, que possui canis.

LEIA MAIS

Veja a matéria no site da Prefeitura de Curitiba