Índia detecta nova variante da Covid; França e Bélgica ampliam restrições

O Ministério da Saúde da Índia detectou uma “nova variante dupla mutante” do coronavírus que ainda não foi catalogada. O sequenciamento do genoma e a análise de amostras do Estado de Maharashtra, um dos mais afetados pela pandemia, encontraram mutações no vírus que não correspondem às previamente catalogadas (VOC), segundo o ministério indiano.

“Embora variantes preocupantes e uma nova variante dupla mutante tenham sido encontradas na Índia, elas não foram detectadas em número suficiente para estabelecer uma relação direta ou explicar o rápido aumento de casos em alguns Estados”, afirmou o órgão.

Nesta quarta-feira (24) a Índia suspendeu temporariamente todas as principais exportações da vacina da AstraZeneca contra a covid-19 produzida pelo Instituto Serum para atender à demanda doméstica ante o aumento das infecções. A mudança também afetará os suprimentos do consórcio Covax. Não houve exportação de vacina da Índia desde quinta-feira (18), mostra o site do Ministério das Relações Exteriores.

Na Europa, o governo da França anunciou a adoção de bloqueios em mais três regiões do país como forma de conter a disseminação da covid-19. Segundo o porta-voz do governo, Gabriel Attal, a maioria das empresas em Rhône, Auge e Nièvre devem fechar e os cidadãos devem permanecer em casa.

Dezesseis cidades, incluindo a região de Paris, já estão sob um terceiro bloqueio e o resto do país está sob um toque de recolher às 19h. No entanto, as escolas permanecem abertas e as pessoas não são obrigadas a preencher formulários para justificar viagens locais.

Na avaliação do presidente francês, Emmanuel Macron, as medidas não deveriam nem mesmo ser descritas como um bloqueio, com o governo as chamando de “terceira forma” de frear o vírus sem fechar o país. As novas restrições devem durar pelo menos quatro semanas.

Sobre a vacinação, o governo da França afirmou que acredita que a fabricante de medicamentos AstraZeneca não está honrando seu compromisso de fornecer ao bloco europeu, avaliou Attal. O porta-voz descreveu a situação como “completamente inaceitável”. A fala veio logo após a Comissão Europeia anunciar planos para um novo mecanismo de autorização de exportação que priorizará “reciprocidade e proporcionalidade” na decisão do bloco de exportar doses.

Na onda de novas medidas de restrição, a Bélgica decretou o fechamento de escolas, cabeleireiros e serviços não essenciais até 25 de abril, afirmou o jornal Le Soir. Enquanto isso, a chanceler da Alemanha, Angela Merkel, deve se reunir com líderes estaduais alemães hoje para discutir as medidas de bloqueio, após ter concordado em estender as restrições até 18 de abril. Na última atualização desta quarta-feira, o país reportou 15.813 novos casos e 248 mortes por covid-19.

A empresa francesa Novacyt afirmou que irá lançar, nesta semana, um teste capaz de detectar seis mutações da covid-19. Segundo a companhia, será possível identificar as cepas do Reino Unido, África do Sul, Brasil e Califórnia, bem como as mutações N501Y e E484K. O teste gera resultados em menos de duas horas, afirmou a Novacyt.

Já o presidente-executivo da Moderna, Stephane Bancel, disse que a empresa está desenvolvendo uma vacina contra a gripe sazonal e a covid-19 e que, se tiver sucesso, protegerá os receptores de ambas as doenças.

Segundo Bancel, o imunizante pode estar pronto daqui alguns anos, pois a vacina provavelmente estará sujeita ao processo de aprovação padrão, em vez das medidas pouco flexíveis que o órgão regulador americano, Administração de Alimentos e Medicamentos dos Estados Unidos (FDA, na sigla em inglês), adotou para acelerar as análises de dados para covid-19 durante a pandemia.

Já a Pfizer afirmou que iniciou testes em humanos do medicamento oral contra a covid-19, e que, se comprovado a eficácia, pode fornecer aos médicos outra ferramenta para tratar os pacientes.

Informações Estadão Conteúdo

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Vacinas são eficazes contra a Ômicron, diz OMS

A Organização Mundial da Saúde (OMS) revelou, nessa terça-feira (7), que as vacinas são eficazes contra a nova variante Ômicron do coronavírus, detetcada na África do Sul, ao proteger os infectados que desenvolvem doença grave.

“Não há razão para duvidar” de que as vacinas atuais protegem os doentes infectados com Ômicron contra formas graves de covid-19, afirmou o responsável pela resposta de emergência em saúde pública da OMS, Michael Ryan, em entrevista. 

“Temos vacinas muito eficazes que se mostram potentes contra todas as variantes até agora, em termos de gravidade da doença e hospitalização, e não há razão para acreditar que não seja o caso” com a Ômicron, disse Ryan, acrescentando que estão no início estudos da variante, detectada apenas em 24 de novembro e que já foi registrada em cerca de 40 países.

Curitiba tem menor número de casos ativos de covid-19 em 538 dias

A Secretaria Municipal da Saúde (SMS) de Curitiba registrou, nesta terça-feira (7/12), 996 casos ativos de covid-19, correspondentes ao número de pessoas com potencial de transmissão do vírus. A última vez que a cidade registrou índice menor foi em 18 de junho de 2020, há 538 dias atrás. 

A SMS também confirmou 44 novos casos da doença e o óbito de um homem de 65 anos, que aconteceu nas últimas 48 horas.

Até o momento foram contabilizadas 7.803 mortes na cidade provocadas pela doença neste período de pandemia.

Novos casos

Com os novos casos confirmados, 298.774 moradores de Curitiba testaram positivo para a covid-19 desde o início da pandemia, dos quais 289.975 estão liberados do isolamento e sem sintomas da doença.

Leitos do SUS

Nesta terça-feira (7/12), a taxa de ocupação dos 120 leitos de UTI SUS exclusivos para covid-19 está em 28%. Restam 87 leitos livres.

A taxa de ocupação dos 114 leitos de enfermarias SUS covid-19 está em 25%. Há 86 leitos vagos. 

A SMS esclarece que os dados da ocupação de leitos em Curitiba são dinâmicos, com alterações ao longo do dia.

Números da covid-19 em 7 de dezembro

44 novos casos confirmados
1 novo óbito nas últimas 48h

Números totais

Confirmados – 298.774
Casos ativos – 996
Recuperados – 289.975
Óbitos – 7.803