Ilha do Mel ganha novas estruturas

A Ilha do Mel, no Litoral do Paraná,  recebeu obras de infraestrutura neste ano para atender moradores e turistas. Foram concluídas limpeza, roçada e raspagem de valas, galerias, córregos e canais, além de adequações e construções de passarelas e escada.

As obras são do Instituto Água e Terra (IAT), vinculado à Secretaria do Desenvolvimento Sustentável e do Turismo. Elas se mostraram necessárias para atender as demandas dos moradores e também levou em conta o número crescente de turistas, que chegou a 70 mil pessoas na última temporada, entre os meses de dezembro e fevereiro.

Foto: AEN PR

Importante elemento para a dinâmica ambiental e econômica da região, a ilha também possui um papel fundamental para o equilíbrio e preservação de ecossistemas. “A Ilha do Mel é um bem precioso dos paranaenses no Litoral do Estado e merece nossa atenção”, destaca o secretário do Desenvolvimento Sustentável e do Turismo, Márcio Nunes.

“Para garantir condições adequadas, principalmente durante períodos de cheia, foi identificada a necessidade de limpeza, roçada e raspagem das valas, galerias, córregos e canais, evitando a vedação e o alagamento das áreas ao redor desses locais, além da implantação de passarelas elevadas”, explicou o diretor de Saneamento Ambiental e Recursos Hídricos do IAT, José Luiz Scroccaro. A limpeza de canais, córregos, valas e canaletas foram feitas na Praia Grande, Belo, Fortaleza, Farol, nas trilhas e nos morros.

PASSARELAS – A readequação das passarelas e escada tem o objetivo de proporcionar um local seguro para os moradores e visitantes, fornecendo travessias dos canais, córregos e valas, por exemplo. Além disso, oferece infraestrutura adequada para o grande fluxo de pedestres e suporte adequado a travessias para os carrinhos elétricos dos guardas municipais e de coleta de lixo.

Foto: AEN PR

Foram feitas adequações em 12 passarelas existentes em Nova Brasília, com instalação de guarda-corpo onde não havia, e construídas três novas estruturas próximo à Praia de Fortaleza, na Trilha de Fortaleza e na Praia Grande. Em Encantadas, foram realizadas melhorias em 12 passarelas e uma nova foi construída em frente à Escola.

EM LICITAÇÃO – Estão em processo de licitação uma Praça de Alimentação, a revitalização da Praça ao Ar Livre na Praia de Encantadas e a adequação de bilheterias nas Praias de Encantadas e Nova Brasília.

O projeto da Praça de Alimentação prevê dois sanitários, um centro de informações aos turistas, pontos comerciais, restaurantes e uma central de segurança, além de espaço adequado para a separação e armazenamento dos resíduos sólidos, alternativas energéticas econômicas e sistemas de tratamento de águas e esgotos.

Já na proposta de revitalização da Praça ao Ar Livre está a criação de seis novos quiosques para atendimento aos turistas, em consonância com critérios do Ministério do Turismo que insere a Ilha do Mel como prioritária para a promoção internacional.

O espaço para informações turísticas existente na Praia de Encantadas será transformado em bilheteria, atendendo a demanda da nova legislação da Ilha do Mel. As bilheterias da Praia de Nova Brasília serão alocadas em um espaço existente dentro do Receptivo de Brasília, que serve como entrada e saída dos usuários, para acesso ao trapiche. Na Praia de Nova Brasília será necessário, também, a troca e a substituição de algumas telhas, danificadas pelas condições climáticas.

Box 1
Nova Brasília e Encantadas terão novos trapiches

A empresa pública Portos do Paraná prevê a entrega dos dois novos trapiches da Ilha do Mel até o final da temporada de 2021. Localizados nas praias de Nova Brasília e Encantadas, as obras nos equipamentos fazem parte de medida compensatória de licenciamento ambiental da dragagem de aprofundamento, conforme orientação do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (IBAMA).

Até o momento, relatórios oficiais da empresa responsável pela obra indicam que já estão com 60% das melhorias concluídas. Enquanto avança a reforma, o diretor de meio ambiente da Portos do Paraná, João Paulo Santana, faz um alerta aos moradores e visitantes. “Nesse momento em que os trapiches estão em processo de reformas e melhorias, é necessário que a população mantenha distância e respeite o isolamento da obra, para evitar que ocorram acidentes”, explica.

 “Ambos os trapiches receberão uma área flutuante, que dará acessibilidade e conforto aos usuários no embarque e desembarque de passageiros”, disse. Os dois trapiches, segundo Santana, estão sendo reformados de acordo com as premissas de durabilidade e baixa manutenção.

Box 2
Estruturas existentes receberão várias intervenções

São várias as intervenções que estão sendo efetuadas nas estruturas existentes: novas coberturas, novos guarda-corpos, iluminação, piso (no trapiche da Encantadas), substituição de escadas de acesso às embarcações, novas defensas para preservação da superestrutura e cabeços de amarração para as embarcações, execução de novo quebra-ondas (no trapiche de Encantadas), mobiliário e demolições localizadas.

Novas estruturas também estão previstas no projeto, como um píer constituído por três flutuantes e estacas de fixação, rampa articulada de acesso, flutuantes intermediários e estacas de fixação, acessórios de atracação e amarração, placas de sinalização turísticas e de segurança e iluminação em LED.

TEMPORÁRIO – Para atender a população durante as obras, o IAT realizou a locação de trapiches temporários. Eles foram utilizados na última temporada de verão e continuam à disposição dos moradores e turistas até o término das obras realizadas pela Portos Paraná.

“Os trapiches atuais oferecem toda a segurança necessária, com acessibilidade, e estão atendendo as demandas sem incidentes”, disse José Luiz Scroccaro, do IAT.

Informações AEN.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Em Guaratuba, barreiras sanitárias impedem entrada de 332 carros com turistas

Barreiras sanitárias instaladas nas duas entradas de Guaratuba, Litoral do Paraná, impediram a entrada de 332 carros de turistas e visitantes durante o fim semana. Foram barrados 119 veículos na sexta-feira (21) e 213 no sábado (22), de acordo com a prefeitura da cidade. O número deve subir ainda mais com os dados deste domingo (23).

A barreira foi instalada na cidade devido ao aumento no número de casos de covid-19, bem como pelo decreto mais restritivo em Curitiba no fim de semana, causando um temor de que o Litoral fosse o destino dos moradores da capital.

Bloqueio em Guaratuba impede entrada de turistas (Foto: Facebook – Prefeitura de Guaratuba)

Os bloqueios estão instalados nas duas entradas da cidade (por Garuva e Matinhos). Um na PR-412, na Rodovia Máximo Jamur, e outra na PR-412, no km 39.

Saiba mais detalhes sobre as barreiras:

Desde sexta-feira (21) estão ocorrendo barreiras restritivas nas duas entradas de Guaratuba.

Não entra:

  • Ônibus e veículos de grande porte
    de turismo;
  • Demais veículos, bicicletas, motocicletas ou similares, que transportem turistas, veranistas ou pessoas oriundas de outros municípios, cuja justificativa para a entrada ou permanência no município de Guaratuba seja a prática de turismo, esportes, lazer, descanso, férias, quarentena ou compras.

Entrada permitida:

  • Veículos de carga para abastecimento de bens e serviços locais e/ou em passagem para outros municípios vizinhos;
  • Veículos transportando pessoas que comprovem vínculo de residência em Guaratuba, vínculo empregatício com empresas situadas no Município;
  • Veículos de prestadores de serviços considerados essenciais;
  • Veículos transportando pessoas que comprovem vínculo de residência ou empregatício com empresas situadas em cidades vizinhas;
  • Veículos com emplacamento no Município de Matinhos, Pontal do Paraná e Paranaguá, desde que utilizem o Município de Guaratuba, única e exclusivamente, como acesso aos municípios vizinhos.

Comprovação:

  • Através de documentação física ou digital.

Descumprimento do Decreto:

  • Advertência;
  • Condução dos infratores para a lavratura do Termo Circunstanciado;
  • Multa de R$ 100,00 (cem reais) até 20.000,00 (vinte mil reais) a ser aplicada aos infratores. Os valores da aplicação de multa serão revertidos ao custeio das ações de enfrentamento à COVID-19 da Secretaria Municipal da Saúde.

Informações Banda B

Governo e prefeitos estudam novas ações de enfrentamento à Covid-19 no Litoral

A Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) promoveu nesta quinta-feira (20) reunião com prefeitos, secretários municipais e deputados ligados ao Litoral do Estado para articulação de novas ações de enfrentamento à Covid-19 na região.

As lideranças externaram a preocupação de que as medidas restritivas implementadas especialmente em Curitiba e Região Metropolitana possam ter reflexo no Litoral, atraindo mais pessoas para essas localidades, resultando em aglomerações e reuniões proibidas na Capital, principalmente aos finais de semana.

“Pedimos aos prefeitos e secretários municipais que falassem sobre a realidade de cada um dentro do atendimento hospitalar e de todas as ações que compõem o enfrentamento à Covid-19 no Litoral para articularmos novas ações nesta região”, disse o secretário de Estado da Saúde, Beto Preto. “Estamos analisando as estruturas já existentes e pretendemos ampliar a capacidade de atendimento, dentro de uma reorganização da rede assistencial hospitalar na região”.

A Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) promoveu nesta quinta-feira (20) reunião com prefeitos, secretários municipais e deputados ligados ao litoral do Estado para articulação de novas ações de enfrentamento à Covid-19 na região. – Curitiba, 20/05/2021 – Foto: Andressa Desyreé/SESA

O Hospital Regional do Litoral (HRL) possuía 14 leitos de UTI geral antes da pandemia. Atualmente a unidade conta com mais 35 UTIs e 41 enfermarias somente para o atendimento exclusivo à Covid-19. “O Governo do Estado mais que dobrou a oferta de leitos no Hospital Regional, garantindo o atendimento geral e possibilitando atendimento exclusivo aos acometidos pela Covid-19”, afirmou Beto Preto.

MAIOR CIRCULAÇÃO 

Estima-se que, em média, 300 mil pessoas residam no Litoral, mas atualmente cerca de 400 mil circulam nos sete municípios da região litorânea do Estado. Segundo os prefeitos, o aumento deste número é perceptível durante a pandemia, já que algumas pessoas que possuem casas no Litoral estão trabalhando em home office ou cumprindo quarentena nestes municípios mais afastados da Curitiba.

“Anteriormente, esperávamos maior circulação de pessoas durante o verão, mas na pandemia essas pessoas têm se mantido no Litoral e, consequentemente, esse aumento constante reflete diretamente no sistema de saúde dos municípios”, disse José Carlos Silva de Abreu, diretor da 1ª Regional de Saúde de Paranaguá.

Os municípios não descartam a possibilidade de retomada de barreiras sanitárias nas estradas para impedir a entrada de pessoas que não residam ou trabalhem no Litoral. Se confirmadas, as ações devem ter o apoio das forças de segurança do Estado como Polícia Militar e Polícia Rodoviária Estadual.