Hospital do Trabalhador comemora 74 anos com a primeira vacinação contra a Covid-19

O Hospital do Trabalhador completou 74 anos nesta segunda-feira (18) e recebeu como homenagem a primeira vacinação contra a Covid-19 do Paraná. A unidade é a principal referência em saúde pública e atendimento do coronavírus em Curitiba. São 74 leitos de UTI e 45 de enfermaria no Complexo Hospitalar do Trabalhador (CHT), que engloba, também, o Centro de Atendimento Integral ao Fissurado Labiopalatal (Caif), o Centro de Reabilitação do Paraná – Ana Carolina Moura Xavier (CHR), o Centro Regional de Especialidades (CRE Kennedy) e o Oswaldo Cruz.

O Hospital do Trabalhador realizou 1,3 milhão de atendimentos desde 2004, sendo 74 mil apenas em 2020, no auge da pandemia. Mesmo com a rotina da Covid, a unidade fez 56 mil atendimentos no Pronto Socorro. O CHT tem histórico de auxílio à pesquisa, tratamento ambulatorial, maternidade e internamentos em Curitiba e Região Metropolitana.

O governador Carlos Massa Ratinho Junior destacou o simbolismo do local, exemplo de atendimento especializado e de referência contra a Covid-19. “É um dia histórico. Não vencemos a pandemia ainda. E começamos a vacinar aqueles que mais trabalharam e que deram as suas vidas para salvar vidas, que estão atuando ininterruptamente há dez meses nas unidades médicas”, afirmou. “É um orgulho para nós começar a vacinação no Hospital do Trabalhador”.

O diretor-superintendente do complexo médico do HT, Geci Larsen de Souza Jr, enfatizou a importância do momento para a comunidade paranaense. “A vacina é a primeira ferramenta que efetivamente pode mudar o destino de uma doença tão terrível. A Covid é grave, de evolução imprevisível. Somos a maior unidade de atendimento no Estado, com praticamente 150 leitos disponíveis para os casos mais graves”, disse.

Segundo Geci de Souza, esse gesto é um reconhecimento aos esforços das equipes do local. “A chegada da vacina acontece num dia muito especial para o nosso hospital, que está fazendo 74 anos. É um presente para a comunidade do hospital o recebimento das primeiras doses de vacina do Paraná por parte da nossa equipe”, acrescentou.

De acordo com Maria Goretti Lopes, diretora de Vigilância em Saúde da Secretaria da Saúde, o Paraná se preparou há muitos meses para esse momento, com aquisição de insumos, preparação das equipes e unificação da rede junto aos municípios. “Estamos felizes, orgulhosos das nossas equipes e em breve vacinaremos todos os adultos maiores de 18 anos”, afirmou. “O Hospital do Trabalhador é uma instituição que mostra a organização do serviço de saúde no Paraná. Há um envolvimento de todos os profissionais, é um centro de excelência no tratamento de Covid no Paraná”.

HISTÓRICO – O Hospital do Trabalhador foi inaugurado em 18 de janeiro de 1947 como Sanatório Médico Cirúrgico do Portão, destinado ao atendimento hospitalar de pacientes acometidos pela tuberculose e doenças pulmonares, depois de ter sido idealizado para sediar uma escola agrícola. No final da década de 50 houve uma ampliação das instalações para acolher cirurgias cardiovasculares e doenças toráxicas.

Nos anos 80, a baixa da gravidade da tuberculose levou a Secretaria de Estado da Saúde a repensar a destinação da unidade e propor a transformação em hospital geral para tratamento adulto e pediátrico de doenças clínicas e pulmonares, além de cirurgias. A instituição passou a ser denominada Hospital Geral do Portão.

Nos anos 90 houve a conclusão da ampliação, preparando a estrutura para atendimento de emergência. Dessa forma, foi possível instalar o serviço de pronto socorro de trauma, infectologia, saúde do trabalhador e materno infantil. Em 1992 o complexo já contava com 90 leitos de enfermaria e 10 de terapia intensiva. Em 1995 foi implantado o serviço de maternidade e o Centro Obstétrico e da Unidade de Cuidados de Recém-Nascidos (UCIN). Em 1997 a instituição recebeu o nome fantasia de Hospital do Trabalhador.

O ano de 1999 marcou o início da utilização do primeiro tomógrafo helicoidal de alta resolução, adquirido no final de 1998, equipamento imprescindível para atendimento aos traumas graves. No mesmo ano foi implementado o Centro de Estudos, Pesquisa e Desenvolvimento Humano (CEPDH), para incentivo e controle de ações relacionadas à formação profissional e acolhimento de estágios de diversos cursos, viabilizando o acesso aos ambientes de trabalho e contribuindo para formação prática e teórica de recursos humanos para área hospitalar.

Em 2005 tem início o processo de informatização com a implantação do sistema Hospub, desenvolvido pelo Ministério da Saúde/Datasus, para gestão hospitalar. Em 2007 houve a inauguração do Hospital Dia, com ampliação de 15 leitos, e do Centro Cirúrgico Eletivo, com 3 salas. Em 2010 foi inaugurado o heliponto elevado, acompanhado com o novo alojamento das equipes de plantão, equipamentos do parque radiológico, tomógrafo e raio-x telecomandado.

Em 2018 foi inaugurado o Centro de Excelência em Atenção à Mulher – Fani Lerner, o Anexo da Mulher. Além de maternidade, o prédio abriga os serviços de ginecologia e obstetrícia, terapia intensiva pediátrica e neonatal, terapia intensiva adulta feminina, enfermarias, leitos de internação e o inédito serviço de reprodução assistida via SUS. É considerada a maior ampliação do Hospital do Trabalhador desde a inauguração do Sanatório.

Em 2019 foi assinada a licitação para as obras do Ambulatório Médico de Especialidades (AME), antigo e inativo Centro Regional de Especialidades (CRE Kennedy). O novo espaço substituirá os serviços do atual ambulatório do HT e ampliará a capacidade de atendimento de 8 mil para 25 mil consultas por mês. O Governo do Estado também investiu R$ 9,5 milhões em equipamentos de alto custo para atendimentos neurológicos no Hospital de Reabilitação.

Informações AEN.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rede abre agendamentos para castrações de cães e gatos em novembro

Nesta sexta-feira (15/10), às 12h, começam os agendamentos para 325 castrações de cães e gatos em clínicas contratadas pelo município. As cirurgias fazem parte do Programa Municipal de Castração Gratuita e podem ser marcadas pelo site da Rede de Proteção Animal da Prefeitura de Curitiba

Para escolher a data, o cidadão, protetor ou responsável pela ONG deve estar logado em seu cadastro. “Apenas dessa forma é possível ter acesso às vagas disponíveis”, reforça o diretor do departamento de Pesquisa e Conservação da Fauna, Edson Evaristo. 

Outras 2,7 mil vagas ainda serão ofertadas no mês de novembro, no mutirão de castração da Regional Pinheirinho. Agendamentos serão abertos a partir do dia 8 de novembro (segunda-feira). 

Cuidados

A Rede de Proteção Animal reforça que os tutores devem ir sozinhos ou com, no máximo, um acompanhante ao agendamento e respeitar a antecedência recomendada para evitar aglomerações e manter o distanciamento necessário para prevenção ao contágio da covid-19. 

O uso de máscaras e a higienização frequente das mãos também são obrigatórios durante todo o tempo de permanência nos locais. Quem apresentar sintomas de infecção respiratória, deve pedir para outra pessoa levar o animal ou cancelar o atendimento.
 

Instabilidade começa a se afastar, mas ainda há risco de temporais na região de Curitiba

As áreas de instabilidade que chegaram ao Paraná na última quinta-feira (14) começam a se afastar, mas ainda há previsão de temporais em alguns setores do estado. Segundo o Instituto Meteorológico Simepar, o fim de semana promete ainda ser úmido na metade leste, mas o risco de chuvas fortes diminui bastante a partir deste sábado (16).

Reprodução

O meteorologista Lizandro Jacóbsen explica que muitos raios ainda são esperados nesta sexta-feira. “A frente fria que evolui pelo Sul do país, somada pelas áreas de instabilidade presentes entre o Paraguai e o Mato Grosso do Sul, reforça a condição de tempo muito instável. Para o fim de semana, o sistema frontal se afasta”, explica.

Para algumas regiões, porém, como no caso da Região Metropolitana de Curitiba, chuvas ainda são esperadas de forma persistente, mas com instensidade bem mais fraca.

Na capital, a temperatura varia pouco e as máximas não passam dos 16°C.

A partir de terça-feira, a perspectiva é se sol na região.