Dois Corações: Conheça a história da famosa coxinha curitibana

A história da famosa coxinha da Dois Corações

Você já experimentou ou já ouviu falar na coxinha da Dois Corações? A coxinha de frango com requeijão cremoso já foi eleita duas vezes a melhor de Curitiba. Pensando em seu sucesso, nós fomos atrás de toda sua história. Descubra como surgiu a primeira loja da confeitaria e conheça dona Solange, a criadora da receita da famosa coxinha de frango com requeijão.

O começo 

Dona Solange Maria Giacomelli é natural de São Francisco do Sul, Santa Catarina. Casou-se com André  Francisco de Moraes, engenheiro civil, com quem teve três filhos – Giovani, Rafael e Gabriel. A família sempre morou no estado catarinense, até que seu André foi transferido para trabalhar em Ilhéus, Bahia. Com a transferência toda a família precisou se mudar para o nordeste. 

Em Ilhéus, seu André trabalhou na construção do porto da cidade e dona Solange foi proprietária de uma malharia, além disso, cuidava dos filhos e da casa. Também sempre foi uma cozinheira de mão cheia e isso incentivava o desejo de dona Solange em abrir um estabelecimento gastronômico.

Com o passar dos anos e após ter trombose no olho, seu André foi dispensado do trabalho e então a família retornou para o Sul, mas precisamente, para Curitiba, em 1991. Quando chegaram na cidade, o casal comprou um ponto comercial onde funcionava uma antiga doceria, na Galeria Cesar Franco, próximo a Praça Zacarias. Ali funcionaria a primeira loja da Dois Corações.

Inicialmente, a Dois Corações começou servindo almoço. O estabelecimento da família ainda era muito pequeno, com apenas 4 mesas, sendo 10 lugares para receber os clientes. Mas a partir de 1993, a Dois Corações passou a ser uma confeitaria. Nesta época não era comum encontrar coxinhas recheadas com frango e requeijão. “Quando abrimos nossa confeitaria, encontrei as tradicionais coxinhas só com frango. Achei que faltava alguma coisa, então comecei uma longa jornada até chegar no recheio de hoje. Foi preciso encontrar o requeijão e os temperos certos, para ter a receita da coxinha com o recheio cremoso”, conta dona Solange. 

dois corações
Foto: Divulgação

Foi assim que a família começou vender as famosas coxinhas da Dois Corações. E não foi só isso, além da coxinha, tem tantas outras opções de dar água na boca, como é o caso do empadão. Dona Solange conta que a receita é de família. “A receita do nosso empadão surgiu com minha avó Enedina e até hoje se mantém”, conta. 

Dona Solange e seu André, se separaram há 10 anos e há 15, são os filhos que cuidam e administram a confeitaria da família. Gabriel Francisco de Moraes, tornou-se chefe de cozinha e Rafael Francisco de Moraes, que é engenheiro civil – igual ao pai – toma conta da parte administrativa.

Na época em que Solange e André, começaram o negócio, os filhos Rafael e Gabriel, tinha 14 e 12 anos, respectivamente. E acompanharam de perto o trabalho e evolução da confeitaria. 

A Dois Corações

Hoje a confeitaria Dois Corações tem oito lojas e uma cozinha industrial, para dar conta de toda produção. Em 30 anos de história, a essência de uma confeitaria de família permaneceu. A coxinha da Dois Corações foi duas vezes – em 2015 e 2017 – eleita a melhor coxinha de Curitiba, recebendo o prêmio Bom Gourmet. Para Rafael, o segredo de tanto sucesso está no respeito ao cliente. “O principal é o respeito ao cliente. Com respeito conseguimos atendê-los bem e conseguimos trabalhar com qualidade”, afirma.

Dona Solange no Prêmio Bom Gourmet. Foto: Arquivo pessoal

Rafael também aproveitou para agradecer seus colaboradores. “Precisamos agradecer nossos colaboradores, que todos os dias preparam nossas coxinhas com a mesma qualidade, com o mesmo gostinho de sempre. Fazer por 30 anos a mesma receita, com a mesma qualidade exige muita dedicação. Em especial gostaria de agradecer o Carlos Tiborski e a Ivone Soares, que trabalham conosco há 20 anos”, disse. “Também gostaria de agradecer Curitiba, que nos recebeu com muito carinho”, complementou.  

Além das oitos lojas, a Dois Corações também atende pelo Ifood e quem já fez o pedido por delivery sabe que o sabor da coxinha é o mesmo que o da loja física, com a mesma qualidade e dedicação no preparo. Segundo Rafael, os próximos planos é a abertura de novas lojas em praças de alimentação de shoppings, e também a abertura de lojas físicas nos bairros da cidade, com a intenção de deixar os curitibanos cada vez mais próximos da nossa amada coxinha da Dois Corações.  

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.