Grupos prioritários serão avisados por aplicativo e redes sociais para dia da vacinação em Curitiba

Os profissionais de saúde e os idosos com idades entre 60 anos e 105 anos serão os primeiros

Com a confirmação de que o “Dia D e Hora H” da vacinação contra a Covid-19 irá acontecer no próximo dia 20 de janeiro, muita gente ficou animada nesta quinta-feira (14) com a possibilidade de receber logo uma dose do imunizante, mas em todo o Brasil será necessário respeitar uma sequência de grupos de risco para a doença. Em Curitiba, por exemplo, os profissionais de saúde e os idosos com idades entre 60 anos e 105 anos serão os primeiros, respeitando uma ordem decrescente de idade.

Como Curitiba tem 70 mil profissionais de saúde e cerca de 350 mil idosos acima de 60 anos, é claro que nem todos serão vacinados de uma só vez. Para organizar a ordem de imunização centralizada no Centro de Eventos do Parque Barigui, a prefeitura terá uma aliada: a tecnologia.

Segundo o anúncio feio nesta quinta, a vacinação será agendada pelo aplicativo ‘Saúde Já’, da Secretaria Municipal da Saúde de Curitiba e não será necessário fazer nenhum tipo de cadastro.

Mais grupos prioritários

Em entrevista à Banda B, o prefeito Rafael Greca confirmou que demonstrou ainda uma intenção de criar mais grupos prioritários na cidade. “Eu tenho vontade de comprar vacinas em doses extras, mandar importá-las, para poder vacinar todo mundo que na prefeitura lida com o público. Quero tornar a prefeitura imune o mais rápido possível, dos professores aos motoristas [de ônibus], dos guardas municipais aos coletores de lixo e recicladores”, disse.

O calendário de vacinação está sendo elaborado pela Secretaria Municipal da Saúde e deve ser divulgado nos canais oficiais da prefeitura nos próximos dias.

Informações Banda B.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pelo menos 2 milhões de paranaenses já tomaram a dose de reforço contra a Covid-19

O Paraná já registrou a aplicação de pelo menos 2 milhões de doses de reforço (DR) contra a Covid-19. Segundo os dados do Vacinômetro nacional, 2.047.678 pessoas receberam o imunizante até esta quarta-feira (26). Outras 161.635 vacinas foram registradas como dose adicional (DA) ou quarta dose.

O sistema nacional ainda apresenta inconstâncias e, segundo a Secretaria de Estado da Saúde, deve ser maior. De acordo com o Divisão de Imunização da Secretaria de Estado da Saúde (Sesa), o Paraná já recebeu 2.851.841 doses para reforço.

O número total de vacinas aplicadas contra a Covid-19 no Estado já passa de 19,5 milhões, incluindo 9,1 milhões como primeira aplicação (D1) e 8,5 milhões como segundas doses (D2) ou dose única (DU).

“Temos doses de reforço que já foram distribuídas aos municípios e ainda não foram aplicadas. Precisamos que a população se conscientize da importância dessa vacina e deixem a imunização em dia. Respeitando o intervalo adequado, é preciso ir atrás do reforço”, afirmou o secretário de Estado da Saúde, Beto Preto. 

“Fazemos um apelo para que todas as pessoas que puderem e estiverem dentro do prazo de aplicação, procurem uma unidade de saúde do seu município e agendem a sua imunização. A dose de reforço é uma proteção a mais contra esse vírus que já vitimou quase 41 mil paranaenses”, ressaltou Beto Preto.

Segundo o Vacinômetro, mais da metade do número de doses de reforço aplicadas até agora corresponde à população acima de 60 anos (1.079.280 doses). Atualmente, pelo intervalo ideal, a dose de reforço já pode ser aplicada em pessoas acima de 30 ou 40 anos, dependendo dos calendários municipais.

HISTÓRICO – A DR foi recomendada pelo Ministério da Saúde no dia 26 de agosto do ano passado, por meio da nota técnica nº 27/2021 da Secretaria Extraordinária de Enfrentamento à Covid-19 (SECOVID). Inicialmente, a orientação era que a dose extra fosse aplicada em idosos acima de 70 anos (após seis meses da D2 ou DU) e imunossuprimidos (28 dias após a última dose do esquema básico de vacinação).

O Estado recebeu o primeiro lote para DR na segunda quinzena de setembro e distribuiu cerca de 118,6 mil imunizantes para o início das aplicações. Logo em seguida, o governo federal recomendou a dose de reforço para trabalhadores de saúde e idosos acima de 60 anos. Em novembro, a SECOVID emitiu a nota técnica nº 59/2021 orientando a administração de DR em todas as pessoas com mais de 18 anos.

Com o avanço da vacinação contra a Covid-19 e considerando uma maior disponibilidade dos imunizantes aprovados pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), o Ministério da Saúde diminuiu o intervalo entre as doses e recomendou a partir de 20 de dezembro que a DR fosse aplicada após quatro meses da D2 ou DU na população adulta, conforme a nota técnica da SECOVID nº 65/2021. 

Já nos casos em que a primeira dose foi a dose única, recomenda-se a aplicação da DR com o imunizante da Janssen após dois meses.

Em Curitiba, encontro de brechós terá peças a partir de R$ 5

O “Me Leva“, um encontro de brechós mensal de Curitiba realiza uma nova edição nos dias 05 e 06 de fevereiro. Serão dois dias de evento com mais de 15 mil peças selecionadas e 60 expositores (cada dia com 30 expositores diferentes).


As peças estarão disponíveis a partir de R$5 reais. Além da venda de roupas femininas, masculinas, infantis, acessórios, e papelaria, o vento contará com food trucks e muito mais!

Serviço

Horário: das 10h às 18h
Local: Food Park – Avenida dos Estados, 1006 – Água Verde

A entrada é gratuita, o local é pet friendly, coberto e arejado.