Governo do PR orienta população a buscar horários alternativos no transporte público

O Governo do Estado, por meio da Coordenação da Região Metropolitana de Curitiba (Comec), orienta a população a buscar horários alternativos no transporte público para evitar aglomerações. A medida consta no Decreto 7.020/2021, que determina novas ações de combate ao coronavírus, inclusive com estabelecimentos comerciais podendo abrir apenas às 10 horas, fora do horário de pico.

A regra que começou a vigorar nesta quarta-feira (10) ataca um problema recorrente nos ônibus. Um levantamento feito pela Comec identificou que os usuários ainda têm buscado os horários tradicionais, o que provoca superlotação.

“Temos um grande desafio, que é o transporte coletivo. Na Região Metropolitana de Curitiba 78% dos usuários utilizam o sistema nos horários de pico, entre 5h30 e 7h30 e entre 17h e 18h30. Fora destes horários os ônibus circulam muitas vezes vazios. Precisamos fazer com que as pessoas utilizem os ônibus nestes horários, que haja um equilíbrio”, afirma o diretor-presidente da Comec, Gilson Santos.

Segundo o relatório, quase 80% da concentração de pessoas da linha Campo Largo – Campina do Siqueira, por exemplo, acontece das 5h30 às 8h05, com média de 1,2 mil usuários nesse período, enquanto das 8h às 12h são 372 usuários, apenas 22% do total de uma manhã inteira. O maior movimento é das 6h38 às 7h38 na linha que atravessa 49 quilômetros entre a Capital e o município vizinho.

Os ônibus que percorrem o trajeto de 31,5 quilômetros entre o Terminal de Fazenda Rio Grande e o Terminal do Pinheirinho, em Curitiba, vivem a mesma realidade. O pico, das 6h às 8h, concentra 2,5 mil usuários, em média, mais de 60% do total de uma manhã, enquanto das 8h às 12h o número cai para 1,5 mil. Apenas entre 6h e 7h são 1,4 mil passageiros, todos os dias.

Segundo Gilson Santos, o apelo por horários alternativos e o decreto estadual precisam ser adotados pela população. “Precisamos que os empregadores flexibilizem os horários dos seus colaboradores, independente do serviço. É um momento muito delicado da pandemia e só vamos vencer esse momento com a colaboração de todos. Seja o comerciante, o empresário e até o empregador doméstico”, completa.

DECRETO – A partir das 5 horas desta quarta-feira (10), passou a vigorar o Decreto 7.020/2021, que estabelece novas medidas de combate ao coronavírus. Pelo modelo vigente, algumas atividades comerciais consideradas não essenciais puderam voltar a funcionar, mas elas deverão respeitar regras específicas, principalmente relativas ao horário de funcionamento.

De acordo com o novo texto, lojas de ruas, galerias e centros comerciais e de prestação de serviços não essenciais, nos municípios com mais de 50 mil habitantes, poderão funcionar apenas no horário compreendido entre 10 horas e 17 horas, de segunda a sexta-feira, com limitação de 50% de ocupação. A medida busca contribuir com a diminuição no número de usuários no transporte coletivo nos horários de pico.

Qualquer medida restritiva tem impacto direto sobre o transporte público. Segundo a Comec, é uma preocupação que o Estado sempre teve e tentou tratar com equilíbrio. “Mantemos diálogo constante com todos os setores da sociedade e mais uma vez fazemos um apelo, diante do cenário da pandemia, de busca por horários alternativos”, reforça Santos.

Informações AEN PR

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Paraná ultrapassa 3 milhões de doses aplicadas da vacina contra a Covid-19

O Paraná atingiu na manhã desta terça-feira (11) a marca de 3 milhões de doses de vacina contra a Covid-19 aplicadas. O vacinômetro, da Secretaria de Estado da Saúde, mostrava que até as 9h47 o Estado já tinha aplicado 3.005.815 doses, com 1.944.974 pessoas vacinadas com a primeira e 1.060.841 paranaenses que já completaram o ciclo vacinal, ou seja, receberam as duas doses dos imunizantes.

Até agora, 18% da população do Estado já recebeu a primeira dose e 40% do grupo prioritário definido no Plano Estadual de Vacinação, que chega a 4.812.142 pessoas, recebeu a primeira dose. Cerca de 10% dos paranaenses e 22% das pessoas que compõem os grupos prioritários, que são aquelas que estão mais expostas ou correm mais riscos com a doença, já completaram a imunização.

“Cada dose aplicada no braço de um paranaense é uma conquista porque significa que estamos mais perto de vencer a guerra contra o novo coronavírus”, afirma o secretário estadual da Saúde, Beto Preto. “O Paraná tem uma boa estrutura, cerca de 1,8 mil salas de vacinação nas Unidades de Saúde, com equipes focadas na vacinação. Tudo isso contribui para acelerar esse processo. Temos que continuar o trabalho até atingir a imunidade de todos”.

O total de aplicações corresponde a 80% das 3.749.920 vacinas que o Estado recebeu do Ministério da Saúde e distribuiu aos municípios. Foram aplicadas 77% das primeiras doses, das 2.528.809 destinadas para esse fim, e 87% das 1.221.111 enviadas para completar o ciclo vacinal. Para acelerar o processo de imunização, o Governo do Estado criou a campanha De Domingo a Domingo e o Corujão da Vacinação, que ampliou o horário de vacinação em algumas cidades para atingir o maior número possível de pessoas.

O Estado tem recebido sistematicamente novas doses dos imunizantes Covishield, da parceria AstraZeneca/Fiocruz, e Coronavac, produzido pelo Sinovac/Butantan. O Ministério também já enviou dois lotes de vacinas da Pfizer/BioNtech, que por demandarem condições especiais de armazenamento serão distribuídas para Curitiba, Londrina, Cascavel e Maringá.

MUNICÍPIOS 

Entre os municípios com a maior porcentagem da população vacinada com a primeira dose, de acordo com Ranking de Vacinação contra a Covid-19 no Paraná, estão São Jorge d’Oeste (35%), Diamante do Norte (34%), Bom Jesus do Sul (32%), Pontal do Paraná (31%) e Kaloré (30%).

Em número total de aplicações, somando a primeira e a segunda doses, as que mais vacinaram foram Curitiba (496.651), Londrina (194.919), Maringá (129.259), Cascavel (92.949) e Ponta Grossa (87.262).

Vacinados contra a covid-19 no Brasil chegam a 35,9 milhões; 17% da população

O Brasil vacinou até esta segunda-feira (10) 35.909.617 pessoas com ao menos a primeira dose da vacina contra a covid-19. Os números são obtidos diariamente pelo consórcio de veículos de imprensa junto às secretarias estaduais de Saúde. A quantidade de pessoas imunizadas representa até aqui 16,96% da população.

Balanço divulgado ontem às 20h pelo consórcio com dados obtidos junto a 25 Estados mostra que 581.772 pessoas receberam a primeira dose. Entre os 35,9 milhões de vacinados, 18.073.591 receberam a segunda dose, o que representa 8,5% da população com a imunização completa; 326.608 pessoas receberam a segunda dose nesta segunda-feira.

No total, os Estados aplicaram 908.380 doses, entre aqueles que foram vacinados pela primeira vez e os que receberam o reforço do imunizante. As autoridades de saúde destacam a importância de os cidadãos retornarem ao posto na data marcada para completar a vacinação e assegurar a proteção contra a covid-19.

Levando em consideração dados relativos à primeira dose, o Rio Grande do Sul tem a vacinação mais avançada do País até esta segunda-feira. O Estado imunizou 21,94% da sua população contra o novo coronavírus. O que tem a menor porcentagem é Roraima, com 10,91% da população vacinada. Em números absolutos, São Paulo lidera com 8,7 milhões de pessoas vacinadas com a primeira dose