Governo diz que construção de uma ponte ligando Matinhos a Guaratuba é uma alternativa sustentável e mais segura

A construção de uma ponte ligando Matinhos a Guaratuba é a alternativa mais sustentável para suportar o volume de trânsito e dar mais segurança a quem circula entre as duas cidades. Um dos efeitos é a desativação das balsas utilizadas pela travessia, reduzindo riscos hoje existentes.

O secretário do Desenvolvimento Sustentável e do Turismo, Márcio Nunes, ressalta a necessidade de oferecer novas condições para o trânsito de cargas perigosas e ressalta que o sistema atual já oferece dois grandes impactos ambientais. “A emissão atmosférica da própria balsa e dos carros parados já gera um impacto. Outro problema é o risco de derramamento de combustível, que é maior conforme o tamanho das embarcações e o volume de trânsito pelo mar”, disse.

Nunes sustenta que a ponte pode evitar danos ambientais e que o trabalho de viabilização das obras une técnicos das secretarias estaduais do Desenvolvimento Sustentável e do Turismo (SEDEST) e da Infraestrutura e Logística (SEIL), que têm trabalhado fortemente para assegurar a construção da ponte com todos os cuidados necessários ao meio ambiente.

Com a finalização dos Estudos de Viabilidade Técnica Econômica e Ambiental (EVTEA), em 2019, foram propostas alternativas para o traçado da ponte. Segundo Márcio Nunes, o traçado deverá ser definido com base na alternativa que cause menos impacto ambiental, o que pode incluir, por exemplo, a construção de um túnel no trecho final.

A extensão da ponte está estimada em pouco mais de 800 metros, com início na região da Prainha, no lado Norte da travessia, e término no lado Sul, na Praia de Caieiras, no perímetro urbano de Guaratuba. O túnel, com 260 metros de extensão, ligaria o trecho final até uma área próxima às instalações de manutenção do ferry-boat.

INTERESSE – O Governo do Estado publicou neste mês um novo aviso de Manifestação de Interesse, convocando empresas especializadas para a elaboração conjunta de novos estudos ambientais e do anteprojeto da Ponte de Guaratuba. O processo fica aberto até o próximo dia 23 de outubro.

Entre as exigências para participar do certame está a apresentação de uma relação de trabalhos similares já desenvolvidos. Os documentos devem ser entregues ao Departamento de Estrada de Rodagem (DER/PR), órgão vinculado à Secretaria Estadual de Infraestrutura e Logística, que está à frente do processo.

A opção por contratar um consórcio de empresas único para a elaboração dos estudos ambientais e dos projetos de engenharia garante maior entrosamento entre as diferentes equipes. O objetivo é de obter a melhor solução, tanto do ponto de vista ambiental, quanto técnico e econômico.

O secretário de Infraestrutura e Logística, Sandro Alex, diz que a construção da ponte na baía de Guaratuba é um importante marco para a modernização do Litoral paranaense. “Há décadas se discutia a construção da ponte, mas só agora estamos conseguindo avançar com esse empreendimento”, destacou.

VAZAMENTO – Na última quinta-feira, uma mancha, aparentemente de óleo diesel, foi vista na Baía de Guaratuba. Técnicos do Instituto Água e Terra (IAT) vistoriaram o local e informaram que o produto foi dispersado pela maré e que o incidente não ocasionou a mortandade de peixes e impactos significativos. Casos como este, contudo, podem apresentar maior gravidade.

Informações AEN.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Serviços de cadeiras anfíbias e passarelas tornam as praias paranaenses mais acessíveis

Pessoas com mobilidade reduzida podem usufruir com mais conforto das praias no litoral paranaense. O projeto Praia Acessível disponibiliza cadeiras anfíbias e passarelas que facilitam a caminhada na areia, em cinco pontos das praias de Guaratuba, Matinhos e Pontal do Paraná. O serviço é feito em parceria entre a Companhia de Saneamento do Paraná (Sanepar) e a Secretaria da Justiça, Família e Trabalho (Sejuf) e a Superintendência de Esporte.

As cadeiras anfíbias funcionam de terça a domingo, das 9 horas ao meio-dia e das 15 às 18 horas, com ajuda de agentes capacitados. Não é necessário agendar previamente, mas os usuários ou seus responsáveis legais devem preencher um cadastro no momento do uso das cadeiras.

Por questões de segurança, em dias chuvosos, o serviço fica suspenso. Os equipamentos são apropriados para entrar na água, possibilitando que pessoas com deficiência ou baixa mobilidade tenham um banho de mar seguro e confortável.

Em pontos próximos às cadeiras anfíbias, foram instalados 190 metros de passarelas de acessibilidade que facilitam a locomoção de pessoas desde as calçadas até a beira-mar. As passarelas estão sendo utilizadas não apenas por pessoas que usam cadeiras de rodas, mas por toda a população, especialmente por idosos, crianças ou pessoas com carrinhos de bebês.

As passarelas agradaram as pessoas que já utilizavam as cadeiras anfíbias. A moradora de Curitiba Loeide Sutil Gabriel Teodoro, de 57 anos, e o filho Emanuel Gabriel Teodoro usaram os serviços em Praia de Leste, nesta temporada.

“Conhecemos esse trabalho por acaso, em 2019, visitando Pontal do Paraná. Vimos a plaquinha do Praia Acessível e descobrimos as cadeiras anfíbias, inclusive na Praia de Leste, onde a gente vai frequentemente. Desde então, minha mãe usa a cadeira sempre que pode. Neste ano, melhorou muito porque foi instalada uma passarela até a beira-mar, que é como um tapete sobre a areia fofa, essencial para acessar a praia com a cadeira. Só no primeiro dia nesse verão, minha mãe quis tomar banho de mar três vezes na cadeira. Sem a cadeira não tem como entrar no mar, até a mobilidade na praia é bem dificultada”, diz Emanuel.

OUTROS SERVIÇOS – A Sanepar também disponibiliza duchas ecológicas para rápidos e confortáveis banhos de água tratada com cloro e baixo teor de sal, ainda na areia da praia. Isso contribui para a economia de água, uma vez que as duchas utilizam água do lençol freático e o banho na areia ajuda a reduzir o uso de água tratada do sistema público de abastecimento da Sanepar. As duchas ficam nos mesmos locais onde estão as cadeiras anfíbias e as passarelas.

A empresa também está levando totens do atendimento comercial para contêineres na beira da praia, fazendo a limpeza diária de 48 km de extensão das areias e participando das atividades nas arenas de recreação educativa na orla de Guaratuba, Matinhos e Pontal do Paraná, sempre divulgando em seus materiais a importância do uso racional da água, da separação de resíduos e da preservação ambiental.

Pontos das cadeiras anfíbias, passarelas e duchas ecológicas:

Guaratuba: Morro do Cristo (Avenida Atlântica, em frente à Avenida Brejatuba)

Matinhos: Avenida Atlântica, em frente à Rua Londrina

Pontal do Paraná: Balneário de Praia de Leste (Avenida Deputado Aníbal Khury, em frente à Rua Baronesa do Cerro Azul)

– Balneário de Ipanema (Avenida Deputado Aníbal Khury, em frente à Rua São Luís)

– Balneário de Shangrilá (Avenida Deputado Aníbal Khury, em frente à Avenida Paranaguá)

Matinhos recebe doações; cidade ainda não sabe número de famílias afetadas pela chuva

A Prefeitura de Matinhos, no litoral do Paraná, informou que presta assistência às famílias desabrigadas por conta das fortes chuvas que atingiram a cidade desde o fim desta quarta-feira (5), mas que ainda não tem um balanço do número de famílias afetadas. A Arena Vicente Gurski foi preparada e aberta para receber os desabrigados. Nesta quinta-feira (6), será feita a coleta de doações de móveis, colchões e eletrodomésticos durante todo o dia na Arena.

A Defesa Civil, através de chamadas pelo telefone 153, fez o resgate das vítimas. As equipes estiveram nas ruas durante todo o período da chuva, atendendo chamados e indo até os locais solicitados para resgatar pessoas.

Além disso, equipes das Secretarias Municipais de Meio Ambiente e também de Obras e Planejamento Urbano estão nas ruas para arrumar os estragos.

Até às 23 horas, o acumulado das chuvas em Matinhos chegava a 123,0 mm.