Governo diz que construção de uma ponte ligando Matinhos a Guaratuba é uma alternativa sustentável e mais segura

A construção de uma ponte ligando Matinhos a Guaratuba é a alternativa mais sustentável para suportar o volume de trânsito e dar mais segurança a quem circula entre as duas cidades. Um dos efeitos é a desativação das balsas utilizadas pela travessia, reduzindo riscos hoje existentes.

O secretário do Desenvolvimento Sustentável e do Turismo, Márcio Nunes, ressalta a necessidade de oferecer novas condições para o trânsito de cargas perigosas e ressalta que o sistema atual já oferece dois grandes impactos ambientais. “A emissão atmosférica da própria balsa e dos carros parados já gera um impacto. Outro problema é o risco de derramamento de combustível, que é maior conforme o tamanho das embarcações e o volume de trânsito pelo mar”, disse.

Nunes sustenta que a ponte pode evitar danos ambientais e que o trabalho de viabilização das obras une técnicos das secretarias estaduais do Desenvolvimento Sustentável e do Turismo (SEDEST) e da Infraestrutura e Logística (SEIL), que têm trabalhado fortemente para assegurar a construção da ponte com todos os cuidados necessários ao meio ambiente.

Com a finalização dos Estudos de Viabilidade Técnica Econômica e Ambiental (EVTEA), em 2019, foram propostas alternativas para o traçado da ponte. Segundo Márcio Nunes, o traçado deverá ser definido com base na alternativa que cause menos impacto ambiental, o que pode incluir, por exemplo, a construção de um túnel no trecho final.

A extensão da ponte está estimada em pouco mais de 800 metros, com início na região da Prainha, no lado Norte da travessia, e término no lado Sul, na Praia de Caieiras, no perímetro urbano de Guaratuba. O túnel, com 260 metros de extensão, ligaria o trecho final até uma área próxima às instalações de manutenção do ferry-boat.

INTERESSE – O Governo do Estado publicou neste mês um novo aviso de Manifestação de Interesse, convocando empresas especializadas para a elaboração conjunta de novos estudos ambientais e do anteprojeto da Ponte de Guaratuba. O processo fica aberto até o próximo dia 23 de outubro.

Entre as exigências para participar do certame está a apresentação de uma relação de trabalhos similares já desenvolvidos. Os documentos devem ser entregues ao Departamento de Estrada de Rodagem (DER/PR), órgão vinculado à Secretaria Estadual de Infraestrutura e Logística, que está à frente do processo.

A opção por contratar um consórcio de empresas único para a elaboração dos estudos ambientais e dos projetos de engenharia garante maior entrosamento entre as diferentes equipes. O objetivo é de obter a melhor solução, tanto do ponto de vista ambiental, quanto técnico e econômico.

O secretário de Infraestrutura e Logística, Sandro Alex, diz que a construção da ponte na baía de Guaratuba é um importante marco para a modernização do Litoral paranaense. “Há décadas se discutia a construção da ponte, mas só agora estamos conseguindo avançar com esse empreendimento”, destacou.

VAZAMENTO – Na última quinta-feira, uma mancha, aparentemente de óleo diesel, foi vista na Baía de Guaratuba. Técnicos do Instituto Água e Terra (IAT) vistoriaram o local e informaram que o produto foi dispersado pela maré e que o incidente não ocasionou a mortandade de peixes e impactos significativos. Casos como este, contudo, podem apresentar maior gravidade.

Informações AEN.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Suporte aéreo agiliza salvamentos no Litoral

Uma ação rápida e integrada do Corpo de Bombeiros e da Polícia Militar ajudou a resgatar um jovem de 17 anos que estava se afogando neste domingo (8) no balneário Praia de Leste, em Pontal do Paraná, no Litoral do Estado. O irmão mais velho do rapaz e um outro civil que ajudou na busca também foram socorridos.

A operação contou com auxílio do Falcão 8, helicóptero do Batalhão de Polícia Militar de Operações Aéreas (BPMOA) que ajuda as forças de segurança do Litoral. De acordo com o Corpo de Bombeiros, a ação das aeronaves tem sido fundamental para agilizar resgates e realizar o socorro e transporte de vítimas em situação de urgência e emergência.

O Falcão 8 estava em voo à procura de outra vítima de afogamento no Litoral quando foi acionado. Em poucos minutos os policiais militares conseguiram localizar as duas vítimas de afogamento, que haviam sido levadas pela corrente marítima, e a outra pessoa que entrou no mar para ajudar os irmãos. Eles estavam na altura da Associação Banestado.

O jovem de 17 anos já estava inconsciente, o que levou o guarda-vidas a saltar do helicóptero para prestar atendimento emergencial e evitar que submergisse. O civil que ajudou os irmãos também já estava exausto, segundo o guarda-vidas. Enquanto isso outra equipe com moto aquática encontrou o local do atendimento e fez o resgate dos três até a areia da praia (veja vídeo).

“Logo depois do acionamento foram de dois a três minutos de voo até chegar no local. Foi uma ação muito rápida. Chegamos no momento em que a vítima estava quase afundando, o que ajudou a efetuar o salvamento”, disse o tenente Maikon Venancio Correa, piloto e oficial de Comunicação Social do BPMOA. “A maior vitória foi a retirada dos três”.

Logo após o resgate, as vítimas receberam os primeiros socorros dos médicos e enfermeiros do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu). Um dos irmãos e o civil foram liberados em sequência, com quadros leves, mas o jovem de 17 anos precisou ser entubado e foi encaminhado no mesmo helicóptero até o Hospital Regional de Paranaguá.

Segundo a Secretaria de Estado de Saúde, seu quadro é considerado grave. Ele está na Unidade de Terapia Intensiva (UTI).

SALVAMENTOS – De acordo com o BPMOA, no primeiro semestre de 2020 foram 431 resgates e remoções aeromédicas e transporte de órgãos vitais, além de 572 missões policiais, 441 vítimas atendidas e 1.159 missões realizadas. Em dez anos, a unida especializada da Polícia Militar completou mais de 3,5 mil resgates emergenciais.

OCORRÊNCIAS – Conforme o Corpo de Bombeiros, entre sábado e domingo foram registrados 13 afogamentos no Estado, com duas vítimas fatais. O corpo do adolescente que se afogou no Balneário Perequê, no sábado, e que levou o Falcão 8 a realizar as buscas no domingo enquanto efetivou esse outro salvamento, foi encontrado na madrugada desta segunda-feira (9).

Entre 1º de janeiro e 8 de novembro, o Corpo de Bombeiros do Paraná registrou 539 afogamentos envolvendo 659 pessoas, sendo 50 vítimas fatais. Houve redução de 15% nos casos, 16,9% na quantidade de envolvidos e 18% nos óbitos em relação ao mesmo período do ano passado.

COMO EVITAR – O Corpo de Bombeiros orienta que as principais dicas para evitar afogamentos são perguntar ao guarda-vidas o melhor local para banho, obedecer a sinalização, se certificar da profundidade antes de mergulhar, manter a atenção com crianças, evitar misturar bebidas alcoólicas com banho de mar, evitar os costões e não superestimar a sua capacidade de nadar.

A Sociedade Brasileira de Salvamento Aquático (Sobrasa), entidade que agrega dados e manuais sobre esse trabalho no País, alerta para cuidados com as chamadas correntes de retorno, que pode levar banhistas para longe da praia, em direção ao mar aberto. Esse fenômeno é responsável por 90% dos afogamentos registrados no Brasil.

Informações AEN.

Concessionária do ferry-boat de Guaratuba será definida pela menor tarifa

O Departamento de Estradas de Rodagem do Paraná (DER/PR) está recebendo propostas de empresas interessadas na nova concessão para explorar a infraestrutura e o transporte aquaviário de veículos e passageiros na travessia da Baía de Guaratuba, serviço conhecido como o ferry-boat de Guaratuba, no litoral paranaense.

A licitação para definir a nova concessionária prevê a realização de melhorias nos serviços e reformas das estruturas existentes.

“O governo Ratinho Junior estabeleceu o desenvolvimento do Litoral paranaense como uma das prioridades e estamos dando passos importantes nesse caminho. Temos o edital dos estudos ambientais e anteprojeto da ponte de Guaratuba em andamento, e também o edital do novo ferry-boat, que vai oferecer um serviço moderno, de qualidade, para atender todos os usuários enquanto trabalhamos na ponte”, afirma o secretário de Infraestrutura e Logística do Paraná, Sandro Alex.

Empresas interessadas devem entregar documentação de habilitação e proposta de tarifa, em envelopes separados, conforme edital, até 16 de novembro. A abertura dos envelopes de habilitação será no dia seguinte, às 14 horas, com transmissão pela internet.

O critério para escolher a vencedora será a menor tarifa. “O edital está aberto para empresas e consórcios para termos o maior número possível de participantes concorrendo, o que deve resultar em uma tarifa que seja baixa e viável para atender os usuários e realizar as melhorias necessárias” explica o diretor-geral do DER/PR, Fernando Furiatti.

Ele acrescenta que as propostas devem levar em consideração o desenvolvimento do litoral paranaense nos próximos anos, com os investimentos que estão sendo realizados pelo Governo do Estado. O valor máximo que pode ser proposto é de R$ 9,15, o que representa um contrato de mais de R$ 134 milhões.

De acordo com levantamento de veículos pagantes, em dezembro e janeiro cerca de 200 mil veículos utilizam a travessia, com o número variando de 70 mil a 100 mil nos demais meses. A tarifa deve levar em consideração as reformas necessárias no local e a previsão de tráfego de veículos no trecho pelos próximos 10 anos.

REFORMAS – Ao assumir a travessia, a empresa deverá revitalizar todo o pavimento e a sinalização da área concessionada; reformar e adequar os quatro conjuntos de atracadouros; e implantar ciclovias de concreto. Também serão revitalizadas as edificações da concessão, incluindo as bilheterias, lanchonete e instalações do Serviço de Atendimento ao Usuário.

O edital estabelece os prazos para execução destas melhorias e critérios para serviços de manutenção, garantindo que a área de concessão permaneça em excelentes condições para atender o público.

INOVAÇÕES – A nova concessionária de travessia poderá desenvolver soluções tecnológicas e explorar comercialmente os espaços disponíveis, mediante aprovação do DER/PR.

No caso da venda de bilhetes, por exemplo, podem ser propostas alternativas para a compra via internet ou aplicativo para celular, com o objetivo de reduzir as filas de espera nas bilheterias.

Ela pode propor a exploração comercial, com abertura de lojas ou colocação de publicidade nos terminais, acessos ou áreas de serviço e lazer. Nestes casos, metade da receita líquida dos contratos será utilizada para reduzir a tarifa da travessia e a outra metade será destinada para a concessionária.

Outras novidades na travessia incluem a instalação de um sistema de monitoramento por câmera implantado nas bilheterias, visando fiscalizar os veículos que serão transportados. Isso vai garantir transparência total quanto à contagem e categorização nos embarques, gerando relatórios, ficando disponível para visualização no portal do DER/PR.

Também deverá ser disponibilizada barreira flutuante para contenção na eventualidade de vazamento de óleo ou material semelhante na área de docagem, com aproximadamente 130 boias, ou quantas forem necessárias para atender toda a extensão da área.

Caso a concessionária opte por utilizar os três ferry-boats de propriedade do DER/PR, deverá instalar em cada embarcação um mecanismo metálico antiqueda, que trave as rodas dos veículos, evitando o deslocamento durante a travessia.

ISENÇÃO E DESCONTOS – Ficam isentos do pagamento de tarifa os veículos emplacados e pertencentes a proprietários que residem no município de Guaratuba, para uma viagem de ida e volta, uma vez ao dia, conforme estabelecido na lei estadual n.º 15.749/07. Também terão trânsito livre nas embarcações veículos oficiais do Batalhão de Polícia Rodoviária, do Corpo de Bombeiros e ambulâncias a serviço, das forças militares em instrução ou manobra, e do Governo do Paraná, devidamente credenciados pelo DER/PR e a concessionária.

De acordo com levantamento, aproximadamente 20 mil veículos utilizam a travessia gratuitamente todos os meses.

A concessionária também poderá oferecer descontos e promoções na tarifa, visando aumentar o número de usuários do ferry boat durante períodos, dias e horários com baixa demanda, bem como estender benefícios semelhantes para usuários frequentes da travessia, como moradores e comerciantes que habitam outros municípios do Litoral. A iniciativa é de responsabilidade da empresa, com aprovação do DER/PR, não gerando desequilíbrio econômico e financeiro do contrato.

PONTE – O edital prevê opções para a concessionária quando a Ponte da Baía de Guaratuba for concluída. Atualmente está em andamento a licitação para elaborar os estudos ambientais e anteprojeto da obra.

Inicialmente a empresa deverá elaborar, com participação do DER/PR, estudos de impacto econômico-financeiro relativos à presença da ponte. Caso eles apontem a inviabilidade de continuar a concessão, ela pode propor a extinção do contrato. Os três ferrys boats do DER/PR ficam disponíveis para serem transferidos à empresa como alternativa para reduzir o impacto econômico-financeiro.

PRAZO – O prazo original foi modificado para garantir tempo hábil ao DER/PR para responder questionamentos, e para realizar ajustes no edital.

Informações AEN.