Governo distribui quase 100 mil medicamentos de intubação para hospitais e prefeituras

A Secretaria de Estado da Saúde distribui a partir desta sexta-feira (26) cerca de 100 mil unidades de medicamentos analgésicos e bloqueadores neuromusculares que integram o chamado kit intubação, utilizado para intubar pacientes com casos graves de Covid-19. A previsão é concluir a distribuição já no sábado (27).

Nesta sexta-feira (26), serão enviadas 80 mil unidades do analgésico Fentanil a todo o Paraná: são 60 mil ampolas destinadas a 63 hospitais que atendem Covid-19 e 20 mil unidades enviadas para municípios. Os medicamentos foram adquiridos pela secretaria estadual de Saúde e serão encaminhados às regionais, juntamente com o novo lote de vacinas que chegou ao Estado.

Governador Carlos Massa Ratinho Junior acompanha, no Cemepar, a distribuição de medicamentos e e respiradores. Foto: Ari Dias

No sábado (28), a secretaria envia 19 mil unidades do bloqueador neuromuscular Rocurônio, encaminhadas ao Estado através do Ministério da Saúde.

“Nossas reservas de medicamentos estão se esgotando dramaticamente. Nós recebemos alguns agora, estamos comprando outros e há uma possibilidade de compra no Exterior autorizada pela Anvisa. Também estamos pressionando o Ministério da Saúde para que auxilie efetivamente nesse contexto”, afirmou o secretário da pasta, Beto Preto.

“Temos novos leitos de Unidade de Terapia Intensiva para serem abertos nos próximos dias, mas para isso dependemos também de medicamentos, além de profissionais e equipamentos. Estamos no limite, não apenas no Paraná, mas no Brasil todo. As fábricas não têm conseguido atender toda essa demanda. Mas estamos trabalhando para comprar mais kits”, complementou.

Ele destacou ainda que o Paraná mantém monitoramento frequente desses medicamentos e tem conversado com os municípios diariamente para atendimentos emergenciais.

RESPIRADORES E MONITORES 

Nesta sexta-feira, também foram encaminhados 12 respiradores e 12 monitores ao Hospital da Polícia Militar. Os respiradores foram enviados ao Estado através do Ministério da Saúde. Os monitores, por sua vez, são uma doação da empresa Mondelēz Brasil.

“Eu quero fazer um agradecimento em nome de toda a população do Paraná por esses equipamentos. Estamos falando em respiradores e monitores que vão dar a oportunidade de abrir mais leitos de UTI. Só nos últimos 15 dias, foram mais de 1.200 leitos abertos no Estado todo – o equivalente a dez hospitais de campanha. A nossa gratidão aos empresários que doaram equipamentos que vão salvar as vidas de muitos paranaenses”, declarou o governador Carlos Massa Ratinho Junior.

DOAÇÕES 

Além da Mondelēz, outras 41 empresas e instituições doaram ao Governo do Estado equipamentos para serem usados em leitos Covid, e que estão sendo distribuídos pela Secretaria da Saúde a diferentes hospitais paranaenses. Ao todo, são 135 respiradores, 70 monitores e outros itens que ainda serão definidos, que somam quase R$ 10,3 milhões em doações.

Os equipamentos foram disponibilizados pelas seguintes companhias: as cooperativas Lar, C. Vale, Copacol, Coopavel, Frimesa, Copagril, Primato, Frísia, Cooperativa Agrícola Mista de Ponta Grossa e Union; Sicoob Central e as agências do Sicredi de Palotina, Cafelândia, Toledo e Marechal Cândido Rondon, JBS, Klabin, Concessionária Barigui Automóveis, Muffato, Sanepar, Audi, Copel, Heineken, Ambev, Associação Paranaense de Supermercados (Apras), Sindicato Patronal do Comércio Atacadista (Sinca), Renault, DAF Caminhões, Grupo Positivo, Pennacchi, Funpar, Ebanx, Ademilar, Sindicato das Indústrias do Metal, Sindicato das Serrarias, Águia Sistemas de Armazenagem, Crown Embalagens Metálicas, Associação Comercial do Paraná, Sindicato do Comércio Atacadista e Distribuidoras do Estado do Paraná (Simca), Federação de Bens, Serviços e Turismo de Curitiba e Braspine Madeira.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Com Ômicron, Paraná vai aguardar e manter obrigatoriedade do uso da máscara

Com o monitoramento de seis passageiros, que estavam no mesmo voo do brasileiro que veio da África do Sul e testou positivo para Covid-19, o governador Ratinho Junior anunciou nesta terça-feira (30) que o Paraná vai manter a obrigatoriedade do uso das máscaras. A informação foi confirmada em entrevista concedida ao Meio Dia Paraná, da RPC TV.

Segundo o governador, o estado precisa monitorar a variante e agir com cautela neste fim de ano. “Esse é o presente de Natal que gostaríamos de dar para toda a população do Paraná, ter a diminuição de restrições. Mas, em especial na saúde,  temos que tomar decisões com muita cautela e agora precisamos ver como será a resposta com a variante”, disse.

Na segunda-feira (29), a Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) informou que monitora seis passageiros que desembarcaram no Paraná e estavam no mesmo voo do brasileiro que veio da África do Sul e testou positivo para Covid-19, podendo estar com a variante Ômicron.

De acordo com Ratinho Junior, o Paraná vai aguardar para tomar a melhor decisão possível. “A população, de forma voluntária, já tem tido uma atitude responsável de, mesmo ao ar livre, usar máscara. E queremos ter uma análise bem criteriosa para, quando tirar, tirar a máscara com muita confiança”, explicou.

Coronavírus

Até o momento, os dados acumulados do monitoramento da Covid-19 mostram que o Paraná soma 1.572.312 casos confirmados e 40.563 mortos pela doença.

Informações Banda B

Para conter nova variante, Curitiba orienta quarentena e quer testar viajantes do exterior

Como plano para conter o avanço da nova variante Ômicron, Curitiba quer testar contra a Covid-19 o maior número possível de pessoas vindas do exterior. A informação foi confirmada pela secretária municipal da Saúde, Márcia Huçulak, em entrevista concedida à Banda B nesta segunda-feira (29).

Segundo ela, o trabalho de monitoramento feito agora é o mesmo adotado pela cidade desde o início da pandemia, mas que ganha reforço com a identificação da variante Ômicron.

“Desde que tivemos o alerta da pandemia em março de 2020, a gente já montou todo um esquema e protocolos, que são bastante conhecidos pela população. Mesmo com a queda de casos, a gente insiste na testagem. Temos coletado de todas as pessoas que nos procuram, incluindo aquelas sem sintomas, mas que tiveram contato com infectados. Com o anúncio da nova variante, a orientação que fazemos para os viajantes que chegam a Curitiba, não só do Sul da África, mas de todos os países, é que façam quarentena usando máscara e nos procurem para testar”, disse a secretária.

O protocolo, porém, também trata dos países do Sul da África com a identificação da Ômicron. Segundo Huçulak, o alerta feito a todos os viajantes é que entrem em contato pela central (41) 3350-9000. “Desses países, especialmente do sul do continente africano, nós vamos testar independentemente de sintomas ou não, para a gente acompanhar bem de perto a situação da pandemia”, disse.

Também nesta segunda-feira (29), a Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) informou que monitora seis passageiros que desembarcaram no Paraná e estavam no mesmo voo do brasileiro que veio da África do Sul e testou positivo para Covid-19, podendo estar com a variante ômicron.

Novas variantes

Para evitar novas variantes, porém, Huçulak lembra da necessidade de cuidados. “O uso de máscara, o distanciamento social, ventilar os ambientes e a higienização constante das mãos são medidas fundamentais. Só a vacina não dá conta do vírus e essa variante está mostrando isso, a Europa está mostrando isso para nós. É uma variante que pode ter surgido em qualquer lugar e levada por conta das viagens que as pessoas fazem”, concluiu.

Informações Banda B