Governo abre 52 novos leitos de UTI para Covid-19 em Campo Largo

Cinquenta e dois novos leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) exclusivos para o tratamento da Covid-19 via SUS foram inaugurados no Hospital do Rocio, em Campo Largo, nesta segunda-feira (29). Os novos leitos representam um aumento de 36,3% na capacidade de atendimento do hospital em casos de internamento pela doença, somando, agora, 195 UTIs e 314 leitos de enfermaria exclusivos. 

“O Hospital do Rocio é o maior hospital da América Latina em número de leitos de UTI exclusivos para Covid-19, atendendo 95% dos pacientes pelo SUS. Hoje lançamos aqui mais que um hospital de campanha inteiro em volume de leitos, mas com a estrutura e a equipe de um hospital de primeiro mundo”, afirmou o governador Carlos Massa Ratinho Junior, em visita ao local para a inauguração.

O governador Carlos Massa Ratinho Junior e o secretário estadual da Saúde, Beto Preto, no Hospital do Rocio nesta segunda-feira (29), para a abertura de 50 novos leitos UTI SUS exclusivos para Covid-19. Acompanhados do Diretor Geral do Hospital, Luiz Ernesto Wendler e o do prefeito de Campo Largo, Mauricio Rivabem. 29/03/2021 – Foto: Geraldo Bubniak/AEN

A abertura dos leitos contou com um investimento de R$ 3,2 milhões em equipamentos, que foram doados por empresas paranaenses nas últimas semanas. Para cada novo leito de UTI, o hospital recebeu um respirador de R$ 49 mil e um monitor de R$ 15,3 mil, totalizando 50 equipamentos de cada tipo.

“Agradeço em especial aos empresários do Paraná. Os equipamentos dos 52 leitos vêm da iniciativa privada como uma doação do setor produtivo do Estado”, complementou Ratinho Junior.

Eduardo Wendler, diretor administrativo do Hospital do Rocio, destacou a estrutura pronta para os pacientes. “A vantagem de um leito montado e estruturado com equipe e material à disposição é dar um apoio aos pacientes que necessitam, desafogando as Unidades de Pronto Atendimento”, afirmou.

LEITOS 

Com os novos leitos, disponíveis a partir da tarde desta segunda-feira, o Paraná tem 4.686 leitos exclusivos para Covid-19 via SUS, entre enfermarias e UTI adultas e pediátricas. Neste domingo (28), a taxa geral de ocupação dos leitos no Estado era de 88%. Entre os leitos de UTI, a ocupação era de 98%.

Os novos leitos em Campo Largo fazem parte de uma série de iniciativas do Estado para reforçar o sistema de saúde no Paraná. Na última semana, novos leitos foram inaugurados em Cascavel, Ponta Grossa e no Litoral, chegando a cerca de 120 novos leitos abertos em 10 dias.

O governador Carlos Massa Ratinho Junior e o secretário estadual da Saúde, Beto Preto, no Hospital do Rocio nesta segunda-feira (29), para a abertura de 50 novos leitos UTI SUS exclusivos para Covid-19. Acompanhados do Diretor Geral do Hospital, Luiz Ernesto Wendler e o do prefeito de Campo Largo, Mauricio Rivabem. 29/03/2021 – Foto: Geraldo Bubniak/AEN

O secretário estadual de Saúde, Beto Preto, reforçou que a ampliação da capacidade do sistema de saúde é uma das estratégias para enfrentar o coronavírus, mas o foco agora é a vacinação. “Passamos a 1.811 leitos de UTI exclusivos Covid-19 em todo o Paraná. Mas, insisto: não é apenas a abertura de leitos que vai nos ajudar. Neste momento, nossa prioridade é vacinar. Por isso lançamos a campanha para municípios aplicarem doses de domingo a domingo. São 124 municípios que já entraram nessa estratégia”, explicou Beto Preto.

HOSPITAL DO ROCIO 

Localizado na Região Metropolitana de Curitiba, o Hospital do Rocio já atendeu 9,6 mil pacientes suspeitos de Covid-19 desde o início da pandemia do novo coronavírus. Além dos 195 leitos SUS, o hospital também possui uma estrutura de 25 leitos de UTI privados exclusivos para Covid. 

Atualmente, cerca de 90% da instituição está destinada ao atendimento de pacientes com coronavírus. Estão disponíveis 42 leitos de UTI para outras especialidades. Em sua maioria, os atendimentos a outras necessidades médicas foram transferidos para o Hospital do Centro, da mesma rede, com mais 45 leitos de UTI disponíveis.

O governador Carlos Massa Ratinho Junior e o secretário estadual da Saúde, Beto Preto, no Hospital do Rocio nesta segunda-feira (29), para a abertura de 50 novos leitos UTI SUS exclusivos para Covid-19. Acompanhados do Diretor Geral do Hospital, Luiz Ernesto Wendler e o do prefeito de Campo Largo, Mauricio Rivabem. 29/03/2021 – Foto: Geraldo Bubniak/AEN

“O mais importante é todos estarmos juntos. Em uma batalha, não adianta levantarmos bandeiras diferentes. O mais importante é a união de todos, tentando olhar para um contexto geral e tomando decisões mais assertivas. Para vencermos essa batalha, precisamos ter paciência, calma e estarmos sempre unidos”, endossou Wendler.

DOAÇÕES 

Na última semana, o Paraná recebeu doações de equipamentos para novos leitos de tratamento contra Covid-19 de 42 empresas e instituições. Entre os itens, estavam 135 respiradores e 70 monitores, além de outras tecnologias que, juntos, totalizam quase R$ 10,3 milhões em doações.

O governador Carlos Massa Ratinho Junior e o secretário estadual da Saúde, Beto Preto, no Hospital do Rocio nesta segunda-feira (29), para a abertura de 50 novos leitos UTI SUS exclusivos para Covid-19. Acompanhados do Diretor Geral do Hospital, Luiz Ernesto Wendler e o do prefeito de Campo Largo, Mauricio Rivabem. 29/03/2021 – Foto: Geraldo Bubniak/AEN

Os equipamentos foram disponibilizados pelas seguintes companhias: as cooperativas Lar, C. Vale, Copacol, Coopavel, Frimesa, Copagril, Primato, Frísia, Cooperativa Agrícola Mista de Ponta Grossa e Union; Sicoob Central e as agências do Sicredi de Palotina, Cafelândia, Toledo e Marechal Cândido Rondon; Mondelēz Brasil; Concessionária Barigui Automóveis; Muffato; Sanepar; Audi; Copel; Heineken; Ambev; Associação Paranaense de Supermercados (Apras); Sindicato Patronal do Comércio Atacadista (Sinca); Renault; DAF Caminhões; Grupo Positivo; Pennacchi; Funpar; Ebanx; Ademilar; Sindicato das Indústrias do Metal; Sindicato das Serrarias, Águia Sistemas de Armazenagem; Crown Embalagens Metálicas; Associação Comercial do Paraná; Sindicato do Comércio Atacadista e Distribuidoras do Estado do Paraná (Simca); Federação de Bens, Serviços e Turismo de Curitiba; e Braspine Madeira.

PRESENÇAS – Também compareceu à inauguração dos leitos o prefeito de Campo Largo, Maurício Rivabem.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Variante ômicron frustrou planos da Prefeitura de Curitiba de liberar uso da máscara

A descoberta da variante ômicron da Covid-19, no último mês de novembro, frustrou os planos da Prefeitura de Curitiba de liberar o uso da máscara em ambientes externos. Em entrevista à Banda B, nesta quarta-feira (8), a secretária municipal da Saúde, Márcia Huçulak, afirmou que a expectativa era ter flexibilizado a utilização do equipamento de proteção agora em dezembro.

“A gente tinha uma pretensão, mas o vírus tem nos desafiado. A gente tinha uma pretensão, talvez se não tivesse a variante ômicron, de liberar o uso da máscara em ambientes externos agora em dezembro. Mas, com a chegada da ômicron, tudo ficou em stand-by. Até tem uma recomendação da Secretaria de Estado da Saúde da manutenção e a gente está alinhado da mesma forma”, disse Huçulak.

Nesta semana, Curitiba registrou menos de mil casos ativos de Covid-19, que correspondem ao número de pessoas com potencial de transmissão do vírus. A última vez que a cidade teve um índice menor que mil foi em junho do ano passado.

De acordo com os dados do Painel Covid-19, da Secretaria Municipal da Saúde, o número de casos ativos diminuiu 92% em um ano. Em 8 de dezembro de 2020, exatamente um ano atrás, a cidade possuía 14.112 casos ativos.

“A gente repercute isso como uma excelente notícia neste momento, porque se a gente voltar um ano atrás nessa data nós estávamos no olho do furacão, com mais de 14 mil casos ativos. Se a gente pegar 8 de dezembro de 2020, veremos um número absurdo, foi aquela onda do final do ano em dezembro que assustou todo mundo, foi um Natal triste para família e todos os profissionais de saúde. Então, a gente comemora esse dado de hoje, mas com a cautela de muita gente que não tomou a vacina”, avaliou a secretária.

Huçulak atribui a redução de casos ao índice de vacinação. Curitiba chegou nesta quarta-feira a 80,6% da população vacinada, ao menos, com uma dose. Em relação à população completamente imunizada (com duas doses ou dose única), a cobertura chega a 72,8%.

“Não basta eu estar imunizado, eu preciso que a pessoa que eu convivo também esteja. Quanto mais pessoas vacinadas, maior será a proteção da sociedade como um todo. Essa baixa de números de casos ativos, de positividade, de casos novos, de internação, é por causa da vacina. A gente tem um dado que 83% dos óbitos são em pessoas não imunizadas. Então, a vacina é proteção, é necessária. É importante que, se a pessoa não quer acreditar na vacina, a sociedade voltou ao normal, todo mundo voltou a conviver, só isso já é um argumento suficiente”, reforçou.

Vacinas são eficazes contra a Ômicron, diz OMS

A Organização Mundial da Saúde (OMS) revelou, nessa terça-feira (7), que as vacinas são eficazes contra a nova variante Ômicron do coronavírus, detetcada na África do Sul, ao proteger os infectados que desenvolvem doença grave.

“Não há razão para duvidar” de que as vacinas atuais protegem os doentes infectados com Ômicron contra formas graves de covid-19, afirmou o responsável pela resposta de emergência em saúde pública da OMS, Michael Ryan, em entrevista. 

“Temos vacinas muito eficazes que se mostram potentes contra todas as variantes até agora, em termos de gravidade da doença e hospitalização, e não há razão para acreditar que não seja o caso” com a Ômicron, disse Ryan, acrescentando que estão no início estudos da variante, detectada apenas em 24 de novembro e que já foi registrada em cerca de 40 países.

WP Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com