Funcionários param e interrompem circulação de 17 linhas de ônibus em São José dos Pinhais

Uma greve de funcionários da empresa Sanjotur, que opera 17 linhas em São José dos Pinhais, região metropolitana de Curitiba, afeta o transporte coletivo na cidade. A greve começou na madrugada desta terça-feira (13) devido à falta de pagamento integral do salário dos trabalhadores.

Os funcionários, com o apoio do Sindicato dos Motoristas e Cobradores de Curitiba e Região (SINDIMOC), cobram da empresa o pagamento dos atrasados. Por volta das 4h, um ônibus foi deixado na frente da garagem, para impedir a saída dos veículos. A Sanjotur tem 120 funcionários e 38 ônibus e a greve é por tempo indeterminado.

De acordo com Anderson Texeira, presidente do Sindimoc, os problemas com a Sanjotur são recorrentes. “No mês passado o pagamento foi parcelado em vários dias e na semana passada eles deram indicativo do não pagamento do salário, então nós abrimos indicativo de greve, avisando empresa e prefeitura. Infelizmente, não houve o pagamento de forma integral e por isso começamos essa greve”, disse à Banda B.

As seguintes linhas não operam devido à manifestação:

Cachoeira
Campo Largo (Direto)
Colônia Rio Grande
Colônia Marcelino
Contenda (Direto)
Campina
Cotia
Cotia (Via Campo Largo)
Faxina
Jardim Carmem (Parador)
Jardim Itália
Jardim Eldorado
Malhada/Roça Velha
Malhada
São Marcos (Rápido)
São Marcos (Parador)
São Domingos/Aristocrata

Banda B entrou em contato com a Prefeitura de São José dos Pinhais que enviou a seguinte nota sobre a manifestação:

A Prefeitura de São José dos Pinhais tomou conhecimento na última semana sobre a falta de pagamento dos funcionários da Auto Viação Sanjotur, concessionária do Lote 02 no município, a qual opera na área urbana e rural.

A Auto Viação Sanjotur está com uma ação na justiça contra a Prefeitura, visando a possibilidade de recursos referentes a pandemia. Informamos que, também na última semana, a Prefeitura fez uma proposta, a qual não foi aceita pela concessionária. Sendo assim, uma perícia judicial está sendo deferida e a empresa optou por aguardar.

A fim de evitar transtornos aos munícipes nesta paralisação, a Prefeitura de São José dos Pinhais promoveu o chamamento emergencial para veículos escolares, vans, operadores de fretamento e veículos de aplicativos/particulares, com o objetivo de suprir a demanda.

Por se tratar de lotação emergencial e com trajetos longos de muitas linhas em operação, há um teto máximo no valor da passagem, estipulado em 10 reais.

Esclarecemos ainda que a Auto Viação Sanjotur não está cumprindo a obrigatoriedade de operar com o mínimo da frota, conforme consta no documento de indicativo de greve. Sendo assim, a Procuradoria Geral do Município está tomando as medidas cabíveis para que seja cumprida a frota mínima.

Finalizamos a nota ressaltando que a Auto Viação Sanjotur não conta com subsídio da Prefeitura de São José dos Pinhais. É inverdade quando a empresa diz isso, uma vez que tem um processo judicial em andamento, sob alegação de reequilíbrio de valor.

Informações Banda B

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Urbs bloqueia cartões de passageiros com covid que tentam furar o isolamento

Em pouco mais de dois meses, 156 passageiros com diagnóstico positivo de covid-19 tiveram seus cartões-transporte bloqueados por tentar furar o período de isolamento social e embarcar nos ônibus da capital. 

O número de pessoas com cartão-transporte ativo diagnosticadas com covid somou 275 no período – o que representa pouco em relação aos 370 mil usuários por dia do transporte coletivo da capital. Mas mais da metade dos 275 diagnosticados tentou furar o isolamento.

Risco de contaminação

A Urbanização de Curitiba (Urbs) e a Secretaria Municipal de Saúde (SMS) implantaram, no fim de março, um sistema de cruzamento de dados de CPF de pessoas diagnosticadas com covid-19 e portadores de cartão-transporte.

O objetivo é evitar que pacientes com covid-19 rompam o isolamento e ainda monitorar o risco de contaminação no transporte coletivo da capital. 

Os usuários do cartão representam mais de 65% dos passageiros de ônibus na cidade. A medida vale para os cartões usuário, isento (idosos e pessoas com deficiência) e estudantes.

“Cada um precisa fazer sua parte. Cuidar das medidas sanitárias e, se estiver com covid-19, se isolar”, diz Ogeny Pedro Maia Neto, presidente da Urbs.

“Essa parceria da SMS com a Urbs é mais um mecanismo para impedir a circulação do vírus. Mas é importante também que cada uma faça a sua parte e, quem está com sintomas ou testou positivo, fique em casa, em isolamento”, acrescenta a superintendente executiva da SMS, Beatriz Battistella Nadas.

Quem testou positivo para covid-19 entra em uma lista de cartões desabilitados. Se o usuário que deveria estar em isolamento tentar passar em uma catraca para embarcar no ônibus, esse cartão “queima” e é bloqueado imediatamente e terá que ser substituído.

O passageiro que cumpriu o período e não tentou furar o isolamento não precisa se preocupar, porque o cartão é desbloqueado automaticamente após sete dias.

Como funciona

Quem tem suspeita de diagnóstico de covid-19 e é atendido na rede pública ou privada de saúde assina um Comunicado de Isolamento Domiciliar, comprometendo-se a permanecer em casa por dez dias.

A partir do resultado positivo do teste PCR, que é realizado em torno do terceiro dia de início dos sintomas, o cartão do transporte é desabilitado por sete dias. A medida vale para todos os tipos de cartões, com exceção do cartão avulso, comprado em bancas.

Para quem teve o cartão bloqueado, é possível fazer o desbloqueio, após os sete dias, pessoalmente na Urbs, após agendamento pelo site https://www.urbs.curitiba.pr.gov.br/utilidades/cartao-transporte

Cartão-transporte da Urbs deixa de valer em linhas municipais de Araucária

Os usuários do cartão-transporte da Urbanização de Curitiba (Urbs) que o utilizam para pagamento em viagens dentro do município de Araucária, na região metropolitana, terão que fazer um novo cartão local. Com o fim do convênio entre os dois municípios, o cartão Urbs deixa de valer nas 47 linhas do Transporte Integrado de Araucária (Triar), que fazem viagens dentro dos limites do município. A mudança vale a partir de 1º de junho.

Araucária era o único município metropolitano em que o cartão Urbs também era aceito nas linhas locais.

O fim do termo de cooperação, no entanto, não afeta integração do transporte entre as duas cidades, que continuará a funcionar normalmente, com as seis linhas metropolitanas que aceitam o cartão da Urbs.

Segundo o presidente da Urbs, Ogeny Pedro Maia Neto, a distorção provocada pela diferença dos valores das tarifas das duas cidades nos últimos anos e também a falta de atualização do parque tecnológico do sistema Triar levaram ao fim do convênio.
Quando o contrato foi firmado, em 2005, Curitiba e Araucária tinham o mesmo valor da tarifa. Desde 2018, no entanto, Araucária reduziu quatro vezes o valor da passagem das suas linhas municipais, a última delas nesse ano, para R$ 2,20.

Apesar da tarifa menor, ao passar na catraca local, o passageiro com cartão da Urbs pagava R$ 4,50.

“Na prática essa diferença no sistema de bilhetagem, que era paga pelo usuário de Curitiba, ajudava a subsidiar a tarifa menor em Araucária, já que o Triar recebe o valor pago pelo passageiro”, diz Maia Neto. Segundo ele, essa diferença chega a R$ 2 milhões por ano.

“Propusemos várias vezes para a Prefeitura de Araucária que fosse feita a atualização tecnológica da sua plataforma, de maneira que permitisse que o usuário do cartão Urbs também pudesse pagar R$ 2,20 ao usar as linhas locais, mas essa negociação não foi à frente”, disse.

Com a mudança, o usuário de Curitiba que quiser se deslocar em linhas dentro do município terá que fazer um cartão Triar ou pagar em dinheiro. A Urbs colocou cartazes em terminais e nas linhas que fazem a integração entre as cidades comunicando sobre a mudança.

Veja como fica

Para o empresário que coloca crédito no cartão do funcionário, não haverá muita mudança. A empresa deverá dividir o crédito que for colocar no sistema de bilhetagem de Araucária (Triar) e no da Urbs.

Para o usuário, o que muda será o uso dos dois cartões. Quem não tiver o cartão do Triar pode solicitar a primeira via gratuita, apresentando CPF, RG e comprovante de endereço nos pontos de emissão:

Terminal Central: de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h. 
Terminal Vila Angélica: para que o trabalhador não perca expediente de trabalho, excepcionalmente neste mês será possível fazer o cartão no Terminal Vila Angélica: de 17 a 31 de maio, de segunda a sexta, das 8h às 20h; e nos três últimos sábados do mês, dias 15, 22 e 29, das 9h às 17h.