Fiocruz vai testar eficácia da vacina contra tuberculose para covid-19

Serão testados três mil profissionais de saúde de MS e RJ

A partir de outubro, a Fundação Oswaldo Cruz inicia um teste com 3 mil profissionais da saúde de Mato Grosso do Sul e do Rio de Janeiro com a vacina BCG, usada para prevenir a tuberculose. A intenção do estudo, uma parceria com o Instituto de Pesquisa Infantil Murdoch da Austrália, é verificar a eficácia do imunizante também para covid-19.

Segundo uma das coordenadoras da pesquisa no Rio de Janeiro, Margareth Dalcolmo, os voluntários serão acompanhados por um ano.

“Todos os voluntários passarão por exames para verificar se há ou não a presença do vírus [SARS-CoV-2] no organismo. As pessoas aprovadas para o estudo receberão a cepa da BCG dinamarquesa. Vamos acompanhar essas pessoas por até um ano, período em que serão feitas análises interinas de proteção, ou seja, avaliações intermediárias recomendadas em estudos de longa duração”.

Segundo o pesquisador Julio Croda, responsável pelo estudo em Mato Grosso do Sul, esta etapa é a fase 3 dos ensaios clínicos, com a testagem em humanos.

“Ligaremos semanalmente para essas pessoas, que terão que informar se não apresentaram sintomas de covid-19. É uma pesquisa quantitativa, que está na última etapa, quando é avaliado se a vacina BCG será eficaz ou não no tratamento da covid-19”.

De acordo com Croda, os pesquisadores australianos se basearam em estudos que mostram a eficácia da BCG contra outras infecções respiratórias virais. Porém, ele destaca que ainda não há a comprovação de que o imunizante ofereça proteção contra o coronavírus.

“É importante ressaltar que ainda não temos a comprovação de que a BCG é eficaz contra a covid-19, nem por quanto tempo ela mantém o organismo imune contra outras doenças respiratórias. Por isso, as pessoas não devem tomar a vacina acreditando que possa evitar o novo coronavírus”.

A BCG está disponível no Sistema Único de Saúde (SUS) e, no Brasil, a vacina é obrigatória para recém-nascidos desde 1976, devendo ser tomada até os quatro anos de idade. Segundo a Fiocruz, o imunizante protege crianças de até cinco anos de idade das formas mais graves da tuberculose.

Também fazem parte da pesquisa, por meio da Universidade de Melbourne e com o apoio da Organização Mundial da Saúde (OMS), Austrália, Espanha e Reino Unido. O estudo já foi aprovado pela Comissão Nacional de Ética em Pesquisa (Conep) e será financiado pela Fundação Gates.

Informações Agência Brasil.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Declarações do Imposto de Renda na malha fina chegam a 1,03 milhão

Pouco mais de 1 milhão de contribuintes caíram na malha fina do Imposto de Renda neste ano, divulgou hoje (22) a Receita Federal. Um total de 1.032.279 declarações do Imposto de Renda foram retidas. O número equivale a 2,7% das 38.188.642 declarações do exercício de 2022 enviadas de março a setembro.

Do total de declarações retidas, 811.782 têm imposto a restituir, representando 78,6% do total incluído na malha fina. Outras 198.541 (19,2%) têm imposto a pagar e 21.956 (2,1%) estão com saldo zero (nem a pagar nem a restituir).

Segundo a Receita, a omissão de rendimentos foi o principal motivo para as declarações serem retidas, o equivalente a 41,9% dos casos. Entre os rendimentos não informados, estão salários, ações judiciais e rendimento de aluguel. Em segundo lugar, com 28,6%, estão problemas de dedução, como gastos médicos, contribuições para a previdência oficial ou previdência privada e pagamento de pensão alimentícia.

Divergências entre os valores de Imposto de Renda retidos na fonte e declarado pela pessoa física, além de outros itens relacionados a declaração, representam 21,9% das retenções. Outros 7,6% são motivados por deduções do imposto devido, recebimento de rendimentos acumulados e divergência de informação sobre pagamento de carnê-leão ou imposto complementar.

Retificação

Em setembro, a Receita está emitindo 444 mil correspondências para contribuintes com declarações na malha fina. O objetivo é avisar que, em caso de erro na declaração apresentada, este é o momento para autorregularizar a situação.

A Receita aconselha os contribuintes incluídos na malha fina a conferir o extrato, para verificar a pendência, e retificar a declaração. O extrato pode ser conferido no Centro de Atendimento Virtual (e-CAC) da Receita Federal. Para ter acesso ao site, o contribuinte deve informar ou o certificado digital (se tiver um), ou o login no Portal Gov.br ou digitar número do CPF/CNPJ, o código de acesso e a senha.

Ao entrar no e-CAC, o contribuinte deve clicar no link “Meu Imposto de Renda”, no lado esquerdo da tela. Em seguida, aparece uma linha do tempo com as últimas declarações entregues. Basta verificar a declaração de 2022 para conferir se o documento caiu na malha fina e o motivo da pendência.

O contribuinte tem então três opções para resolver o problema. Uma delas é fazer a correção por meio de uma declaração retificadora, sem multa ou penalidade. A declaração será processada e voltará para a fila de restituições, sendo paga no lote residual seguinte.

Caso o contribuinte seja intimado ou notificado pela Receita Federal, não será mais possível retificar a declaração. Nesse caso, é possível apresentar, de forma virtual, todos os comprovantes e documentos que atestam os valores declarados e apontados como pendência.

O Processo Digital para a Malha Fiscal deve ser aberto no site do e-CAC. Basta o contribuinte entrar no espaço “Onde encontro” e consultar o campo “Malha Fiscal – Atendimento”. Caso não queira enviar os documentos com antecedência, o contribuinte pode aguardar comunicado da Receita com o detalhamento dos documentos que precisam ser apresentados e um prazo de entrega.

Fonte: Veja a matéria no site da Agência Brasil

Em teste, ônibus elétrico é aprovado pelos passageiros do transporte coletivo

Em teste, ônibus elétrico é aprovado pelos passageiros do transporte coletivo

Os usuários do transporte coletivo aprovaram o ônibus elétrico que começou a ser testado em linhas comuns nesta segunda-feira (19/9) em Curitiba. O veículo, que está em demonstração no município, vai circular cada dia em uma linha diferente até sexta-feira (23/9). Nesta segunda (19/9), foi a vez da linha 801 Campina do Siqueira/Batel.

“Parecia que eu estava no céu. Não tem barulho e é bem estável”, diz a aposentada Celene Tulio, que geralmente utiliza a linha Campina do Siqueira/Batel para ir ao médico.

“Tomara que esse ônibus fique em linha, é muito melhor do que os demais”, avaliou a aposentada Dinacir Alves Ferreira, que desembarcou no Terminal Campina do Siqueira com a neta. “Não dá para comparar”, elogiou.

A demonstração do veículo, fabricado pela chinesa Higer, faz parte dos eventos que celebram a mobilidade sustentável na capital em setembro, incluindo o Dia Mundial sem Carro, nesta quinta (22/9).

Jeferson Henrique, atendente de telemarketing, estava ansioso para embarcar no ônibus. “Vim aqui porque vi que teria esse teste hoje e me programei. Gosto de observar o ônibus, a nova tecnologia”, disse.

Para o aposentado João Aguiar, era a segunda vez no ônibus elétrico. No último sábado, ele embarcou no Parque Barigui, onde o veículo estava em demonstração com um trajeto especial até o Terminal Campina do Siqueira. “Vim passear mais um pouco, distrair a mente. É tão bom que esse ônibus poderia ir até Guaratuba”, brincou, entusiasmado.

Sem emissão de CO2 e ruídos, o ônibus elétrico é considerado o futuro da mobilidade nas grandes cidades e está na agenda do município para os próximos anos, quando a frota fará a migração para essa matriz energética.

“Estamos iniciando o processo para a matriz elétrica, não poluente, e essa demonstração é importante para que possamos testar o modelo no transporte coletivo. Ainda neste ano iniciaremos os testes técnicos que servirão de base para as diretrizes do edital de compra dos veículos”, diz Ogeny Pedro Maia Neto, presidente da Urbanização de Curitiba (Urbs)

Leci Branco, motorista há oito anos no transporte coletivo, diz que a experiência de dirigir o novo veículo é maravilhosa. “É uma nova tecnologia, que exige atenção, mas que traz muito conforto para o usuário”, afirma ela, que passou por um treinamento de dois dias, com mais 33 motoristas, para poder conduzir o veículo elétrico.

Programação

Para quem quer conhecer a tecnologia, é preciso ficar atento às linhas que vão testar o modelo. Nesta terça-feira (20/9), será a vez da linha 380 Detran/Vicente Machado. Na quarta-feira (21/9), ele pode ser conferido na 617 Jardim Ludovica; na quinta-feira (22/9), na 654 Campo Alegre (22/9); e na sexta-feira (23/9), na 826 Campo Comprido/CIC.

O ônibus circulará nas linhas no período das 6h às 20h, em uma tabela especial, entre os horários dos demais veículos. Confira aqui os horários

O modelo padron Higer Azure A12 BR, com 12,2 metros, tem capacidade para transportar 78 pessoas, segundo a fabricante. A autonomia, de 270 quilômetros, é garantida por meio das 12 baterias do veículo, que serão recarregadas no período noturno, na estação montada na empresa Redentor, na Cidade Industrial de Curitiba (CIC). O tempo máximo de recarga é de quatro horas.

O ônibus ainda está equipado com sistema de regeneração, que consiste em recarregar as baterias durante a circulação diária nas linhas, a partir do sistema de frenagem do veículo.

O ônibus da Higer foi equipado com sistema de bilhetagem eletrônica do município e vai funcionar como os demais veículos dessas linhas, com pagamento da passagem exclusivamente por cartão transporte, débito e crédito.

As linhas foram escolhidas por cobrirem várias regiões da cidade, com boa estrutura viária, e ainda terem acesso a terminais, possibilitando que mais pessoas possam conhecer a nova tecnologia. Juntas, as cinco linhas transportam, em média, 16,5 mil pessoas em dias úteis.

Veja a matéria no site da Prefeitura de Curitiba