Financiada por Itaipu, 2ª ponte vai receber peça gigantesca de 60 toneladas

Primeira de duas vigas longarina deve chegar ao canteiro de obras nesta quarta-feira (15). No momento, a obra emprega quase 470 trabalhadores.

 

O canteiro de obras da Ponte da Integração Brasil-Paraguai, em construção sobre o Rio Paraná, entre Foz do Iguaçu (PR) e Presidente Franco (Alto Paraná), deve receber nesta quarta-feira (15) a primeira de duas das maiores peças da estrutura, chamadas de “vigas longarina”. Cada peça tem 20 metros de comprimento e 60 toneladas.

A Itaipu financia esta obra e, também, a de outra ponte, entre Porto Murtinho (MS) e Carmelo Peralta (PY), sobre o Rio Paraguai, esta segunda representando a sonhada ligação entre os oceanos Atlântico (Porto de Santos) e Pacífico, via portos do Chile.

“Ambas vão garantir novos nichos de mercado e movimentar grande parte da riqueza de brasileiros e paraguaios, contribuindo para a integração do Mercosul”, diz o diretor-geral brasileiro de Itaipu, Joaquim Silva e Luna. “Estamos investindo nossa melhor energia no cumprimento da missão de construir essa nova ligação com nossos irmãos paraguaios. E é com satisfação que vemos a construção avançar dentro do cronograma, seguindo as diretrizes do governo do presidente Jair Bolsonaro”, afirma.

Para o diretor-geral paraguaio, Ernst Bergen, a construção das duas pontes, após mais de 50 anos da abertura da Ponte da Amizade, “representa a vontade de dois países que concordaram em transformar energia em desenvolvimento do seu povo”. “Com essas duas novas conexões terrestres, estamos ampliando a possibilidade de uma maior integração produtiva do Paraguai e do Brasil com o resto dos países da região e do mundo, buscando uma melhor qualidade de vida para nossos povos”, ressalta.

Peças

As peças foram fabricadas pela empresa Demuth Estruturas Metálicas, na região metropolitana de Porto Alegre (RS). A primeira já está a caminho de Foz do Iguaçu, em veículo especialmente preparado para suportar o peso da estrutura; a segunda sairá da capital gaúcha nos próximos dias, com previsão de chegada no sábado (18).

As vigas longarinas serão aplicadas nas chamadas “aduelas de arranque”, ou “nariz de arranque”, que são estruturas de sustentação da pista de rolamento. O consórcio Construbase–Cidade–Paulitec, responsável pela obra, informou que a montagem das aduelas deve começar na próxima semana.

Andamento das obras

Até esta terça-feira (14) foram concluídos 26,2% da construção da ponte, considerando as frentes nas margens brasileira e paraguaia. No momento, a obra emprega quase 470 trabalhadores. No Brasil, o trabalho começou antes e está um pouco mais adiantado – porém, no geral, a execução está dentro do cronograma. A previsão é que a ponte esteja pronta em meados de 2022.

Como será

A futura ponte internacional terá 760 metros de comprimento e será do tipo estaiada, com vão-livre de 470 metros. Contará com pista de 3,7 metros de largura em cada faixa, acostamento de 3 metros e calçada de 1,70 metro.

Parcerias

A nova ponte entre Brasil e Paraguai é uma obra do governo federal, com gestão do governo do Estado (por meio do Departamento de Estradas de Rodagem – DER) e recursos de Itaipu Binacional. Serão investidos aproximadamente R$ 463 milhões, considerando a estrutura, as desapropriações e a construção de uma perimetral no lado brasileiro.

A nova estrutura será importante para desafogar o tráfego na Ponte da Amizade, facilitar o transporte de cargas na região, trazer mais segurança, benefícios socioeconômicos e mais conforto para os diferentes públicos que fazem diariamente a travessia entre os dois países.

Sonho antigo

A segunda ponte sobre o Rio Paraná é um sonho antigo, de brasileiros e paraguaios. As negociações entre o Brasil e o Paraguai começaram em 1992, mas ao longo dos últimos anos muitos percalços impediram sua concretização.

A pedra fundamental da Ponte da Integração Brasil foi finalmente lançada em maio de 2019, pelos presidentes Jair Bolsonaro e Mario Abdo Benítez, em nome da amizade entre os dois países.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Itaipu recebe o selo de Empresa Amiga da Mata Atlântica

Entrega foi feita durante o encontro anual da Reserva da Biosfera da Mata Atlântica, que comemora 30 anos da RBMA e 50 do MAB. Selo tem validade de um ano e já havia sido concedido à Itaipu em 2018

A Itaipu Binacional recebeu, nesta noite de terça-feira (23), o selo de Empresa Amiga da Mata Atlântica, um reconhecimento à contribuição à restauração do Bioma Mata Atlântica. A empresa participa, ao longo desta semana, do encontro anual da Reserva da Biosfera da Mata Atlântica (RBMA), em Fortaleza (CE) e com transmissão ao vivo pelo canal Cine Biosfera, no YouTube, dos principais eventos e debates.

A entrega do selo (que tem validade de um ano e que já havia sido entregue à Itaipu em 2018) ocorreu durante a sessão solene que marcou os 30 anos da RBMA e 50 do programa O Homem e a Biosfera (MAB, em inglês), da Unesco. A empresa foi representada pelo diretor de Coordenação, general Luiz Felipe Carbonell, e o superintendente de gestão ambiental, Ariel Scheffer da Silva.

O evento contou com a participação de representantes do Conselho Nacional da RBMA, Unesco, Global Wildlife Conservation, Governo do Ceará e Federação das Indústrias do Estado do Ceará. Na ocasião, também foram entregues os troféus do Prêmio Muriqui 2021, reconhecendo importantes contribuições à causa ambiental em diversas categorias.

O presidente do Conselho Nacional da RBMA, Clayton Lino, destacou a importância do programa MAB no contexto internacional. São 727 Reservas da Biosfera em 131 países. “Trata-se de uma rede espetacular de lugares privilegiados pela natureza, mas que também coloca a questão do trabalho, a relação do homem com o uso da água, do solo, os valores culturais e étnicos. É um programa muito inovador”, afirmou.

Em seu discurso como participante da mesa de autoridades, o general Carbonell apresentou as ações que Itaipu desenvolveu desde a época da construção da usina, e que permitiram a formação de mais de 100 mil hectares de áreas protegidas no Brasil e no Paraguai, com destaque para o plantio de 24 milhões de árvores somente na margem brasileira. Além disso, a Itaipu foi responsável por 30% da regeração da Mata Atlântica observada no estado do Paraná entre os anos de 1985 e 2015.

“Itaipu produz energia limpa e renovável com base em um ciclo virtuoso da natureza. As ações da empresa são voltadas ao correto manejo do solo, a recuperação e a manutenção das florestas, a segurança hídrica, e o emprego dos princípios de desenvolvimento sustentável, lastrados em uma ampla rede de educação ambiental”, afirmou o diretor, enfatizando a importância da participação das comunidades, associações e setores produtivos no diagnóstico e execução das ações.

Já o superintendente de gestão ambiental, Ariel Scheffer da Silva, abordou o sistema inovador que permitiu a constituição da primeira Unidade de Gestão Descentralizada (UGD) da Reserva da Biosfera no mundo. A UGD RBMA Itaipu soma cerca de 860 mil hectares de áreas em 29 municípios, e conta com a participação de 10 instituições governamentais e 10 não-governamentais em seu Fórum Consultivo de Apoio à UGD.

“Para a Itaipu, a sustentabilidade da geração de energia no longo prazo tem a ver com segurança hídrica e com a vida útil do reservatório. E essa vida útil tem a ver com os ecossistemas, com sedimentos, com uso do solo e de como cuidamos da natureza no território. E é um trabalho feito em parceria e tendo como referência os 17 ODS da Agenda 2030. Tudo isso foi muito importante para que pudéssemos constituir essa UGD”, disse o superintendente.

A programação do evento segue ao longo da semana com a participação de Ariel Scheffer e do engenheiro florestal e coordenador da UGD, Luis Cesar Rodrigues da Silva, da Divisão de Áreas Protegidas (MARP.CD), no seminário internacional “A RBMA e a agenda global de sustentabilidade”. “O evento é uma oportunidade para se conhecer boas práticas implementadas em outros locais, com potencial para replicação na área de influência da Itaipu”, afirmou Luís César.

Obras do Gramadão entram na reta final para receber atrações natalinas em Foz do Iguaçu

Montagem de atrativos como a roda gigante e últimos detalhes da reforma ocorrem de forma paralela

Operários das obras da reforma do Gramadão da Vila A e prestadores de serviços envolvidos com a montagem das atrações do Natal de Águas e Luzes de Foz do Iguaçu atuam de forma coordenada para que tudo esteja pronto para o início dos eventos no local, no próximo dia 4 de dezembro. Ao todo, mais de 100 pessoas trabalham no local. Oficialmente, a programação do Natal terá abertura no dia 1º de dezembro, na Praça da Paz, área central da cidade.

Foto: José Carlos Costa/Itaipu Binacional


As obras no Gramadão estão na reta final e as atenções estão voltadas principalmente para o chafariz que será instalado próximo à Avenida Silvio Américo Sasdelli, junto ao Centro Executivo. Ali, a instalação hidráulica e elétrica dos onze pontos de água e luzes de led já está sendo finalizada. No próximo dia 26, será feita a primeira concretagem do piso de 450 metros quadrados e, no dia 29, a segunda.


“Agora tudo converge para a fonte”, afirmou o engenheiro responsável pela empreitada, Ewton Oda Sartori, da Oda Engenharia, acrescentando que outras atividades ainda necessárias são a desmontagem dos tapumes e mais alguns detalhes finais que estarão concluídos até o dia 3 de dezembro.
Paralelamente, funcionários da empresa Mill Ideias já estão montando a roda gigante e outros atrativos natalinos que vão compor o cenário para a abertura das atividades no Gramadão, com show interativo da Trupe Circense, voo cativo de balão, e apresentações de BMX Freestyle e da Banda Sinfônica do Exército. Além do início da programação do Natal de Águas e Luzes no local, o evento marca o encerramento dos Jogos de Aventura e Natureza – Etapa Lindeiros, e a reinauguração do Gramadão, um dos principais pontos de lazer de Foz do Iguaçu.

Foto: José Carlos Costa/Itaipu Binacional


Para o diretor-geral brasileiro de Itaipu, João Francisco Ferreira, a reinauguração do espaço com tantos atrativos está na contagem regressiva de iguaçuenses e demais moradores da fronteira. “Vai ser uma grande festa de muita magia para toda a população”. Opinião compartilhada pelo prefeito Chico Brasileiro, que está apostando no Natal de Águas e Luzes de Foz para a consolidação de um novo produto turístico na região. “Estamos confiantes de que esse evento entrará no calendário de grandes programações de Natal no Brasil”.


Programação


De 1º de dezembro a 5 de janeiro, o Gramadão da Vila A e a Praça da Paz vão receber grandes espetáculos musicais. O mais esperado é o do cantor Daniel, astro da música pop sertaneja, no dia 19 de dezembro. No dia 22, o padre Reginaldo Manzotti fará uma missa seguida de show no Gramadão.
Nos dias 1º e 2 de dezembro, a Cia Sorriso com Arte fará o espetáculo “Um encanto de Natal”; nos dias 4 e 5, a Banda Sinfônica do Exército se apresenta no Gramadão. O espetáculo de encerramento, no dia 23, será com a Cia Arte & Manhas.


A partir do dia 3 e até o dia 22 de dezembro, a população poderá acompanhar o show diário de acendimento das luzes de Natal, chamado “Encantamento”, como um anúncio da magia do Natal, no Gramadão e na Praça da Paz.
Grupos locais e regionais de cultura popular, dança, bandas e corais também se apresentarão nos dois palcos principais, mas a festa se espalhará pela cidade. “Teremos apresentações nos bairros e na carreta-palco que vai circular pelos bairros”, explica o diretor da Fundação Cultural de Foz do Iguaçu, Juca Rodrigues.


O Natal de Águas e Luzes de Foz do Iguaçu é uma iniciativa da Prefeitura, Itaipu, Fundo Iguaçu e outros parceiros. Outro destaque será a iluminação cênica da Ponte da Amizade, que liga o Brasil ao Paraguai.


Mais informações sobre as atrações do Natal de Águas e Luzes 2021 no site http://www.natalaguaseluzes.com.br.