Festival Plá Visita começa neste domingo (14); gratuito e online

Artista de rua mais célebre de Curitiba, o compositor Plá se apresenta com colegas em festival online e gratuito de música

Um festival de música e arte celebra um dos personagens mais importantes da cultura popular de Curitiba: o músico Plá. 

A primeira edição do Festival Plá Visita começa neste domingo (14) com duas LIVES em sequência: a primeira, às 16h, com o anfitrião do evento e a segunda, às 17h, com o convidado Giovanni Caruso, compositor e líder da banda Escambau.

Nesta edição, como o nome indica, Plá visitará os artistas que participam do evento e apresentará lives inéditas, produzidas com exclusividade para o público do festival por convidados mais que especiais.

Poeta, músico, filósofo, artista visual, Plá é também cidadão honorário de Curitiba e muito famoso na cidade por apresentar suas canções na Boca Maldita, na Rua XV de Novembro, desde 1984.

Os shows do Festival Plá Visita rolam aos sábados e aos domingos, sempre às 11 e às 16 horas, de março a abril, a partir do dia 14 de março até o dia 18 de abril.

Na escalação do festival estão grandes artistas da cena da música popular dos pinheirais como Fabio Elias, Wes Ventura, Deisy Parno, Davi Henn, Diego Raimundo, O Tiziu, Beer, Barões de Curitiba, Marina Prado e Fabio Salgueiro, Marx Cruz, Michele Mabelle, além de duas figuras carimbadas da arte da Rua XV: o palhaço Chameguinho e o Homem Aranha que farão participação especial no show de encerramento, no dia 18 de abril.

A mostra de arte de rua foi idealizada pelo produtor cultural Pedro Hey e pelo anfitrião Plá e conta com o apoio da Lei Aldir Blanc e da Fundação Cultural de Curitiba (FCC).

Serviço:

Festival Plá Visita – 1ª Edição 

PROGRAMAÇÃO: 

Domingo, 14 de março: 

16h: PLÁ

17h: GIOVANNI CARUSO 

(Shows especiais de abertura)

Sábado, 20 de março: 

11h: FABIO ELIAS

Domingo, 21 de março: 

16h WES VENTURA

Sábado, 27 de março:

11h: DEISY PARNO 

16h: O TIZIU

Domingo, 28 de março: 

11h: DAVI HENN 

16h: BEER

Sábado, 3 de abril:

11h: BARÕES DE CURITIBA

16h: MARINA PRADO E FABIO SALGUEIRO

Domingo, 4 de abril: 

11h: DIEGO RAIMUNDO 

16h: MARX CRUZ

Sábado, 17 de abril

16h: MICHELE MABELLE

Domingo, 18 de abril

16h: PLÁ, CHAMEGUINHO E HOMEM ARANHA DA RUA XV

(Show especial de encerramento)

——————————-

Classificação: Livre

Evento gratuito.

Fanpage oficial do Festival: https://www.facebook.com/plafestival

Assessoria de comunicação: Sandro Moser – (41) 999250211

“PROJETO REALIZADO COM RECURSOS DO PROGRAMA DE APOIO E INCENTIVO À CULTURA – FUNDAÇÃO CULTURAL DE CURITIBA, DA PREFEITURA MUNICIPAL DE CURITIBA E DO MINISTÉRIO DO TURISMO”.
Área de anexos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Museus do Paraná reabrem ao público com protocolos de segurança e novas exposições

Seguindo o decreto estadual 7.506/2021 e todas as orientações de segurança determinadas pela Secretaria de Estado da Saúde, museus estaduais estão reabrindo para a visitação do público. O Museu Oscar Niemeyer (MON) e o MAC Paraná, que ocupa temporariamente as salas 08 e 09 do MON devido à reforma em sua sede principal, já estão de portas abertas desde o dia 1° de maio.

Outros espaços públicos, como o Museu Paranaense, Museu da Imagem e do Som do Paraná, Museu Casa Alfredo Andersen e Museu do Expedicionário voltam ao funcionamento a partir deste sábado (8).

Uma série de protocolos foi adotada para possibilitar a medida, como a limitação no número de visitantes, que não deve ultrapassar 50% da capacidade total de cada um dos espaços, garantindo assim um distanciamento seguro na circulação interna. Todo o material impresso, como guias e folders, foi substituído por versões digitais, disponíveis através de QR Codes em pontos estratégicos do local.

A superintendente-geral de Cultura do Paraná, Luciana Casagrande Pereira, afirma que os visitantes podem se sentir seguros no museu para um passeio cheio de novas descobertas. “O momento de retorno, tão aguardado pelo público, mas também por nós que estamos nos bastidores, certamente será muito satisfatório para todos. Os museus do Paraná estão pulsando arte à espera do público”, destaca.

Os museus retornarão às atividades com novidades. O MON e o MAC já abriram as portas para exposições inéditas e o MUPA apresenta de uma só vez quatro lançamentos.

Foto: Kraw Penas/SECC.

SCHWANKE NO MON – Como novidade na reabertura, o MON apresenta a exposição “Schwanke, uma Poética Labiríntica”, concebida exclusivamente para o espaço do Olho. É uma retrospectiva do trabalho do artista Luiz Henrique Schwanke (1951-1992), desde a década de 1970 até as últimas produções, num total de mais de 150 obras, sendo boa parte inédita.

O artista tem em sua obra a singularidade de permitir diferentes abordagens e se estender por variadas formas, o que inclui desenhos, pinturas, livros, objetos, esculturas e instalações, num conjunto complexo e surpreendente.

DULCE OSINSKI NO MAC – Também com mostra inédita, o MAC Paraná apresenta “Verdeazul”, individual da artista paranaense Dulce Osinski, instalada na sala 09 do MON. Com curadoria de Benedito Costa Neto, a exposição reúne pinturas e gravuras realizadas pela artista nos últimos 13 anos, congregando momentos distintos, porém interligados, do desenvolvimento de sua poética.

Essa exposição é acompanhada de uma segunda, realizada na Sala Adalice Araújo, onde o público pode conhecer as obras de Dulce Osinski que fazem parte da coleção do MAC Paraná. A Sala Adalice Araújo fica no edifício-sede da Secretaria da Comunicação Social e da Cultura, no centro de Curitiba, e a entrada é gratuita.

MUPA – O Museu Paranaense apresenta quatro novas exposições ao público: “Agrocorpus”, “Curitiba: Símbolos em Questão”, “Eu Memória, Eu Floresta: História Oculta” e “Educação pela Pedra”. Seguindo todos os protocolos de segurança, o museu estará repleto de novidades para quem está com saudades do contato direto com a cultura. Outra novidade é que as visitas aos finais de semana e feriados, mais sujeitos a aglomeração, agora deverão ser agendadas previamente no site do museu.

Serviço

Museu Oscar Niemeyer

Rua Marechal Hermes, 999 – Centro Cívico – Curitiba/Paraná

Visitação: terça a domingo, das 10h às 18h

Ingressos: R$ 20 e R$ 10 (meia)

www.museuoscarniemeyer.org.br

MAC Paraná

Funcionando temporariamente nas salas 08 e 09 do Museu Oscar Niemeyer devido à reforma em sua sede.

Rua Marechal Hermes, 999 – Centro Cívico – Curitiba/Paraná

Visitação: terça a domingo, das 10h às 18h

Ingressos: R$ 20 e R$ 10 (meia)

Sala Adalice Araújo – localizada no edifício sede da Secretaria da Comunicação Social e da Cultura. Rua Ébano Pereira, 240 – Centro – Curitiba/Paraná.

Visitação: segunda a sexta, das 8h às 18h

Entrada gratuita

Siga o MAC nas redes sociais: Instagram; Facebook.

www.mac.pr.gov.br

Museu Paranaense (MUPA)

Rua Kellers, 289 – Alto São Francisco 

De terça a domingo, das 10h às 17h30

*Para visitar o MUPA aos finais de semana é preciso agendar a visita previamente pelo Sympla. Nos demais dias, não é necessário agendamento.

Entrada gratuita

www.museuparanaense.pr.gov.br

Museu da Imagem e do Som do Paraná (MIS-PR)

Rua Barão do Rio Branco, 395 – Centro – Curitiba/Paraná

Visitação: terça a sexta-feira, das 10h às 17h. Nos sábados, domingos e feriados das 10h às 16h. Fechamento para o almoço das 12h às 13h. Atendimento por ordem de chegada.

Entrada gratuita

www.mis.pr.gov.br/

Museu Casa Alfredo Andersen (MCAA)

Rua Mateus Leme 336 – Centro – Curitiba/Paraná

Visitação: terça a sexta-feira, das 10h às 17h. Nos sábados, domingos e feriados das 10h às 16h.

Entrada gratuita

www.mcaa.pr.gov.br/

Museu do Expedicionário

Rua Comendador Macedo, 655 – Alto da XV – Curitiba/Paraná

Visitação: terça a sexta-feira das 10h às 12h (manhã) e 14h às 17h (tarde).

Entrada gratuita

www.museudoexpedicionario.5rm.eb.mil.br/

De Dona Hermínia à Senhora dos Absurdos: relembre personagens de Paulo Gustavo

Em sua carreira, o ator Paulo Gustavo, que morreu na noite desta terça-feira (4) aos 42 anos, de problemas decorrentes da covid-19, tornou-se conhecido principalmente pelo personagem Dona Hermínia, a elétrica e dominadora dona de casa que surgiu no teatro e logo se tornou um sucesso absoluto no cinema. Paulo Gustavo, porém, criou outros tipos, igualmente engraçados e sempre trazendo as peculiaridades de seu humor – que conseguia unir ingenuidade com picardia e crítica social.

Veja os principais personagens criados por Paulo Gustavo

Dona Hermínia

Inspirada em tias, avós, mas principalmente em Dea Lúcia, sua mãe, a personagem surgiu pela primeira vez em 2004, na peça Surto. O sucesso foi tamanho que instigou Paulo Gustavo a criar o espetáculo Minha Mãe é uma Peça, em 2006, que rendeu ainda três adaptações para o cinema (2013, 2016 e 2019), todas grandes sucessos de bilheteria. Trata-se de uma típica dona de casa que, sempre à beira de um ataque de nervos, toma as atitudes mais engraçadas. Com essa personagem, Paulo Gustavo conseguiu a proeza de um homem interpretar uma mulher ser bem aceito por boa parte da população.

Senhora dos Absurdos

Sucesso no programa 220 Volts, do canal Multishow, a personagem ganhou fama justamente por comentários absurdos, que revelam preconceito de raça e sexo. Paulo Gustavo dizia que tinha criado esse tipo para debochar da intolerância e da cultura do ódio. “Meu intuito é fazer rir, mas sabendo que o riso também é um modo de abordar temas controvertidos e incômodos da sociedade”, disse, em uma publicação no Facebook, em 2017.

Valdomiro Lacerda

Era o protagonista do programa Vai que Cola, do Multishow, que se passa em uma pensão. Seu objetivo é se esconder lá da Polícia Federal, que o procura por conta de uma falcatrua na qual ele se tornou o único culpado. Aqui, novamente, Paulo Gustavo exerce o humor como caminho para crítica social, pois Valdo, como é conhecido, se considera superior em relação aos outros hóspedes, além de menosprezar o Méier, bairro do subúrbio do Rio, e de se lamentar por não morar no Leblon.

Aníbal

Paulo Gustavo tinha a atriz Mônica Martelli como uma de suas melhores amigas. Juntos, fizeram filmes como Minha Vida em Marte, no qual o ator viveu Aníbal, grande apoiador de Fernanda (Mônica), que sofre com problemas no relacionamento. Para consolá-la, Aníbal a leva para Nova York, onde passeiam por lugares icônicos da cidade. O local serviu também para que Paulo Gustavo demonstrasse sua dificuldade em falar em inglês. As filmagens, apesar de divertidas, foram atribuladas pois, realizadas em locações, eram constantemente interrompidas, pois as pessoas reconheciam o ator e gritavam seu nome.

Mulher Feia

Outro personagem que surgiu e se popularizou no programa 220 Volts, além de participação no Vai que Cola. Uma vez mais, Paulo Gustavo utiliza o bom humor para fazer mais uma crítica social. Mulher Feia conta histórias que dizem respeito à sua aparência, se lamentando pelos homens que a abandonam. O curioso é que seus relatos, apesar de muitas vezes absurdos, são narrados de uma forma até inocente.