Feriado da Páscoa tem 291 aglomerações dispersadas por fiscalização

As forças de segurança pública do Estado, junto com órgãos municipais, fizeram o atendimento de 123 ocorrências durante o feriado da Páscoa. De zero hora de sexta-feira (2) até ás 7 horas desta segunda-feira (5), houve 291 ações de dispersão de aglomeração de pessoas.

No período, 176 adultos foram encaminhados a delegacias e 10 adolescentes apreendidos por não respeitarem as medidas sanitárias previstas por decretos estaduais. Também foram apreendidos três armas de fogo e 53 veículos.

Os dados constam no relatório da Secretaria da Segurança Pública. Apesar da ampla divulgação das medidas sanitárias de combate ao coronavírus, as equipes policiais do Estado tiveram que lidar com aglomerações em estabelecimentos comerciais e em locais públicos.

Com a fiscalização reforçada, outros delitos também foram combatidos e houve a apreensão de 49 veículos e a recuperação de outros quatro que possuíam alerta de furto ou roubo.

No feriado, houve 740 chamados iniciais relacionados à pandemia, como aglomerações de pessoas, funcionamento irregular de comércios, festas clandestinas e outras situações que poderiam aumentar a propagação do vírus.

A média diária foi de 246 acionamentos em todo o Estado. Do total de chamados é que resultaram as 123 ocorrências, ou seja, uma média de 41 por dia, as quais tiveram como resultado os devidos encaminhamentos ou notificações.

Para o Delegado-geral da Polícia Civil, Silvio Jacob Rockembach, o resultado se deve, também, à atuação diferenciada da Polícia Civil durante a período. “Neste momento da pandemia, ações de fiscalização para evitar e coibir aglomerações são importantíssimas para frear a contaminação. A Polícia Civil atua neste sentido, dando sua contribuição no enfrentamento à Covid-19, sem deixar de lado a atividade fim, que é a investigação”.

“A Polícia Militar tem feito todos os esforços no sentido de aplicar efetivo administrativo, efetivo de unidades especializadas, voltados para o patrulhamento onde existem as denúncias de aglomerações”, disse o comandante-geral da PM, coronel Hudson Leôncio Teixeira. “Neste feriado as ações foram intensificadas em conjunto com outras forças e com os municípios, e isso também surtiu efeito. Fizemos diversas fiscalizações e orientações e agimos com encaminhamentos onde foi necessário”, afirmou.

INTEGRAÇÃO

Nas operações da integração entre Polícia Militar, Polícia Civil, Corpo de Bombeiros, Polícia Científica, Departamento Penitenciário com as secretarias municipais e guardas municipais, 37 estabelecimentos foram multados e 17 pessoas autuadas pelos agentes dos municípios. Com a fiscalização mais intensa nos pontos de comércio, 553 locais foram vistoriados e, destes, 22 acabaram interditados.

Forças da segurança pública dispersam quase 300 aglomerações no feriado de Páscoa no Paraná – Curitiba, 05/04/2021 – Foto: Divulgação SESP

CAPITAL  

Em Curitiba, as equipes policiais promoveram operações que resultaram em 64 ações de dispersão de aglomerações de pessoas e 45 encaminhamentos de adultos.

Foram recebidas 289 denúncias de possível propagação da doença contagiosa, das quais 16 foram constatadas. O relatório aponta ainda que houve a apreensão de uma arma de fogo, 11,6 quilos de drogas e quatro unidades de drogas sintéticas, além de 31 veículos apreendidos/recuperados. Dentre os 54 estabelecimentos comerciais abordados, 13 foram multados e 13 interditados pelas autoridades municipais.

NORTE E NORTE PIONEIRO 

Nesta região do Estado houve 51 ações de dispersão de aglomerações, 30 encaminhamentos de adultos e cinco apreensões de adolescentes. Foram recebidas 102 denúncias de risco de contágio, das quais 30 viraram ocorrências.

O relatório aponta, ainda, a apreensão de 1,9 quilo de drogas, além de sete veículos apreendidos ou recuperados. Também foram fiscalizados 124 pontos comerciais, dos quais três foram interditados e nove multados por órgãos municipais.

NOROESTE 

Em Maringá e região houve 53 ações de dispersão de aglomerações e cinco encaminhamentos de adultos. Foram recebidas quatro denúncias de risco de contágio, das quais duas viraram ocorrências. O documento mostra, ainda, que houve a apreensão uma arma de fogo. Quatro veículos foram apreendidos ou recuperados. Houve a fiscalização de 68 estabelecimentos comerciais, dos quais seis foram multados. 

CAMPOS GERAIS  

Em Ponta Grossa e região foram feitas 43 ações de dispersão de aglomerações, 61 encaminhamentos de adultos e quatro apreensões de adolescentes. No total, foram 46 denúncias de perigo de contágio da doença, sendo que 30 viraram ocorrências. Além disso, uma arma de fogo, 130 gramas de droga e uma unidade de droga sintética foram apreendida. Também foram fiscalizados 57 estabelecimentos comerciais, dos quais quatro foram interditados e cinco multados pelos municípios.

OESTE  

Em Cascavel e demais municípios pertencentes a esta região houve 56 ações de dispersão de aglomerações, 16 encaminhamentos de adultos e uma apreensão de adolescente. Foram recebidas 87 denúncias – 30 viraram ocorrências após constatação. O relatório indica, também, apreensão de 89 gramas de droga e 11 unidades de droga sintética apreendidas, além de dois veículos. Foram fiscalizados 206 estabelecimentos comerciais, dos quais quatro foram interditados.

RMC E LITORAL  

Já nesta região, houve 19 ações de dispersão de aglomerações e dois encaminhamentos de adultos. Foram 242 denúncias, sendo que nove viraram ocorrências. O relatório aponta apreensão de 13 unidades de droga. No período foram fiscalizados 11 estabelecimentos comerciais, porém nenhum deles precisou ser multado ou interditado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Projeto de lei quer dar licença para que bares e casas noturnas abram como restaurantes em Curitiba

Projeto de lei que propõe um licenciamento extraordinário para que casas noturnas e bares de Curitiba funcionem como lanchonetes e restaurantes está na pauta da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), da Câmara Municipal de Curitiba (CMC). A reunião ordinária acontece nesta terça-feira (20) às 14h30.

De iniciativa conjunta de Alexandre Leprevost (SD) e Tico Kuzma (Pros), a iniciativa prevê que essa autorização para que bares e casas noturnas funcionem como restaurantes e lanchonetes ocorrerá enquanto durar a situação de emergência em saúde pública devido à pandemia da covid-19, estando condicionada à readequação dos espaços, que devem estar caracterizados para a nova atividade.

Além da caracterização para a nova atividade, o projeto de lei ainda determina que “o estabelecimento deverá atender todas as medidas de enfrentamento à pandemia previstas em legislação específica e nas orientações, protocolos e normas da Secretaria Municipal da Saúde (SMS) e da Secretaria da Saúde do Paraná (Sesa)”. “Com a aprovação da lei, poderíamos amenizar um pouco as dificuldades que esses estabelecimentos enfrentam em decorrência da pandemia”, dizem os autores.

Outros projetos

Outro destaque da CCJ nesta semana é a análise do requerimento de Professor Euler (PSD) que solicita a instalação de uma comissão especial para debater projeto de lei de sua autoria que tem por objetivo revogar três mil leis municipais. Protocolada em março do ano passado, a matéria visa, segundo o autor, “eliminar leis desnecessárias, que perderam eficácia, com redação inadequada ou obsoleta e que não fazem mais sentido, mas causam confusão por estarem em vigor”.

A sugestão de revogar as leis veio depois de a equipe do parlamentar analisar 15.587 leis ordinárias de Curitiba elaboradas nos últimos 71 anos (de 1948 a 2019). No final de 2020, o plenário da CMC chegou aprovar um primeiro requerimento que pedia a constituição dessa mesma comissão especial, protocolado pela Comissão de Constituição e Justiça, para analisar a proposta de Professor Euler.

Completam a pauta outros 13 projetos: a lista completa pode ser consultada aqui. A reunião será a partir de 14h30. São integrantes da comissão os vereadores Osias Moraes (Republicanos), presidente; Pier Petruzziello (PTB), vice; além de Beto Moraes (PSD), Dalton Borba (PDT), Denian Couto (Pode), Indiara Barbosa (Novo), Marcelo Fachinello (PSC), Mauro Ignácio (DEM) e Renato Freitas (PT).

Serviço Público

A Comissão de Serviço Público também se reúne nesta terça, às 8h15, para analisar duas proposições. A primeira é de Tico Kuzma (Pros) e determina o aumento da vida útil dos táxis em circulação de Curitiba para 10 anos. Conforme a lei municipal 13.957/2012, que regulamenta a prestação do serviço, a idade máxima da frota hoje é de 5 anos, considerando-se o ano de fabricação do veículo. Já o decreto 100/2018, que alterou dispositivos da regulamentação da norma vigente, possibilita a prorrogação do prazo por 2 anos, sujeita à vistoria semestral pela Urbs e à emissão de laudo de inspeção técnica anual a partir do 6º ano.

A segunda proposta que será analisada pelo colegiado retorna à pauta após pedido de vista de Professora Josete (PT), solicitado na reunião do dia 6 de abril. Trata-se da iniciativa de Professor Euler (PSD) que condiciona a assinatura de contratos com a prefeitura às empresas comprovarem possuir programas de compliance e práticas anticorrupção. É sugerida que a exigência seja implantada de forma gradual ao longo de quatro anos. A obrigação valeria imediatamente para consórcios, concessões públicas e parcerias público-privadas.

Além de Josete, também integra a Comissão de Serviço Público: Ezequias Barros (PMB), presidente; Leonidas Dias (SD), vice; Hernani (PSB) e Mauro Bobato (Pode).

Economia

Na quinta-feira (22), após o feriado de Tiradentes, a Comissão de Economia, Finanças e Fiscalização se reúne às 11h30 em agenda extraordinária. A pauta ainda não foi divulgada. São membros do colegiado os vereadores Serginho do Posto (DEM), presidente; Indiara Barbosa (Novo), vice; além de Flávia Francischini (PSL), Hernani (PSB), João da 5 Irmãos (PSL), Jornalista Marcio Barros (PSD), Osias Moraes (Republicanos), Professora Josete (PT) e Tito Zeglin (PDT).

As reuniões das três comissões serão remotas, com transmissão ao vivo pelas redes sociais da CMC: YouTube, no Facebook e no Twitter.

Informações Banda B

Paraná vacinou 86% do público acima de 65 anos

Quase nove em cada dez pessoas com idade acima de 65 anos já tomaram a primeira dose da vacina contra a Covid-19 no Paraná. O Estado vacinou 1.057.518 pessoas nessa faixa etária, 86% de um público que conta com 1.227.551 pessoas, de acordo com o Plano Estadual de Vacinação contra a Covid-19. A meta da Secretaria de Estado da Saúde é completar ainda neste mês a vacinação dos idosos com 60 anos ou mais, para dar continuidade ao cronograma dos demais grupos prioritários previstos no plano.

Quando o Estado iniciou a vacinação de domingo a domingo, a maior parte dos municípios paranaenses estava vacinando pessoas com idade próxima aos 70 anos. Além de reduzir dia a dia a idade de quem é vacinado, três semanas depois o Paraná já aplicou a vacina em 39.762 pessoas com idade entre 60 e 64 anos, faixa etária com a maior população entre os grupos de idosos, compreendendo 554.705 pessoas.

Para o secretário estadual da Saúde, Beto Preto, a prioridade é que todo esse grupo seja vacinado até 30 de abril, conforme o Estado receba as remessas de imunizantes do Ministério da Saúde. “Temos em estoque todos os insumos usados na vacinação e uma estrutura com 1.850 salas nas unidades básicas de saúde, com equipes focadas e a capacidade de vacinar de 150 mil a 180 mil pessoas por dia”, afirma.

“Confiamos que o Ministério da Saúde entregue quantitativos maiores nas próximas semanas, estamos em contato direto com a pasta e a expectativa é que até o final do mês o Brasil tenha mais 11 milhões de doses, das quais em torno de 550 mil devem vir ao Paraná”, explica Beto Preto. “Nossa vontade é que, até 30 de abril, possamos chegar à grande maioria dos idosos com 60 anos ou mais. É uma luta, queremos fazer a vacinação acontecer com os mutirões de domingo a domingo, com o Corujão da Vacinação e no dia a dia das unidades de saúde”, ressalta.  

Até o momento, o Ministério da Saúde enviou ao Estado 2,8 milhões de doses de vacinas, das quais 1.911.307 já foram aplicadas. Na última atualização do Vacinômetro da Secretaria da Saúde, no início da noite desta segunda-feira (19), 1.430.281 paranaenses já tinham recebido a primeira dose, sendo que 481.015 completaram o processo de imunização ao receber a dose de reforço.

FAIXAS ETÁRIAS

Entre o público dos idosos, a faixa etária dos 80 aos 84 anos foi a que teve a maior porcentagem de vacinados, com 98% das 126.822 pessoas recebendo a primeira dose (124.813 vacinadas). Em metade delas (62.946) já foi aplicada a segunda dose.

Atendidos há mais tempo na campanha de vacinação, 96% das pessoas com idade entre 85 e 89 anos foram imunizadas com a primeira dose – 70.584 de um público de 73.362 paranaenses dessa faixa etária. Do total vacinado, 57% (40.605) receberam a segunda dose. Entre os 215.843 idosos de 75 aos 79 anos de idade, 204.399 (94%) receberam a vacina, sendo que em 133.494 já foram aplicadas as doses de reforço, a maior porcentagem entre esse grupo, 65% entre os vacinados.

Na faixa dos 70 aos 74 anos, 298.934 pessoas foram vacinadas, 93% de um público de 321.432. Destes, 33.877 (11% entre os vacinados) já completaram a imunização com a segunda dose. Na população com idade entre 65 e 69 anos, 325.349 receberam a primeira dose do imunizante, 74% de um universo de 439.203 pessoas.

Além desses grupos, o Paraná já imunizou praticamente 100% das pessoas com 60 anos ou mais que vivem em Instituições de Longa Permanência para Idosos. No público com mais de 90 anos o percentual de imunizados está em 65%.

A avaliação da Secretaria da Saúde, porém, é que o número previsto pelo Ministério da Saúde de paranaenses nessa faixa etária é maior do que a realidade. Das 50.889 pessoas que constavam no Plano Estadual de Vacinação, 33.439 receberam a primeira dose da vacina e 29.455 a segunda, 88% dos imunizados desse grupo.

GRIPE 

Além da imunização contra a Covid-19, o Paraná deu início, na semana passada, à campanha de vacinação contra a influenza. A meta é imunizar contra a gripe pelo menos 90% do público-alvo, estimado em 4,4 milhões de pessoas. A vacinação será realizada de forma escalonada, com os grupos prioritários estão distribuídos em três etapas.