Evento mais grave da história da Copel mobiliza eletricistas de todo o Paraná

A Copel está enfrentando o pior evento climático de sua história em relação aos danos causados na rede de energia após o ciclone que atingiu o Paraná nesta semana. Desde as 10 horas de terça-feira (30), quando começaram os ventos fortes, 1,8 milhão de unidades consumidoras foram alternadamente afetadas – 38% do total de unidades consumidoras atendidas pela Copel.  

O pico de desligamentos aconteceu por volta de 17h20 de terça, com mais de 875 mil unidades consumidoras atingidas no Estado. As equipes da Copel atenderam com prioridade serviços públicos essenciais e seguiram buscando religar o maior número de consumidores ao longo da noite do mesmo dia e madrugada do dia seguinte. 

No começo da tarde de quarta-feira (1º), por volta das 13 horas, estavam abertos mais de 11,5 mil chamados de serviço em diferentes localidades. A média diária de serviços dos últimos três dias ficou em 5 mil. Em junho esse número fechou em 1,5 mil/dia.

A Copel chegou a ter mais de mil equipes – 777 delas de emergência – com 2,7 mil eletricistas próprios e terceirizados atendendo nas ruas. Profissionais do Interior foram deslocados para Curitiba, Região Metropolitana e Litoral para dar reforço nas áreas mais afetadas.  

O diretor-geral da Copel Distribuição, Maximiliano Orfali, enfatiza que toda a força de eletricistas da empresa está de alguma maneira envolvida, inclusive profissionais de outras áreas, além da operação e manutenção, como medição, automação e inspeção, entre pessoal próprio e terceirizado.

 “Foi realmente um caso excepcional, grave e histórico, e ainda assim os profissionais reconhecidamente qualificados da Copel atuaram de forma intensa para religar o mais rápido possível o maior número de consumidores”, afirma. 

CURITIBA, RMC E LITORAL  – Por conta do alto número de árvores e postes caídos, muitos trechos de redes estão exigindo reconstrução da estrutura. Desde o início do incidente, a Copel trocou 453 postes em diversas localidades do Paraná, e ainda restam 300 pendentes de troca (a média diária de troca de postes é 20).

Na Capital, a energia foi praticamente toda restabelecida. Restam apenas 1,5 mil desligamentos, o que corresponde a 0,2% do município. Nos últimos dias, o bairro do Uberaba foi um dos mais impactados, assim como boa parte da Cidade Industrial, Bacacheri, Fazendinha, Campo Comprido, Pinheirinho, Alto da Glória e Bom Retiro.

Curitiba e região receberam 66 equipes de eletricistas que foram remanejados do Norte e Noroeste do Paraná para reforçar o atendimento.

Na RMC alguns pontos estão demandando o trabalho de grandes equipes, como a Vila Macedo, em Piraquara. Ao todo, 35 postes foram ao chão com a tempestade. A Copel deslocou nove equipes, com 63 profissionais, para reconstruir os trechos.

O trecho sul da RMC foi o mais atingido. Nesta sexta-feira (03), Rio Negro segue com 1,3 mil desligamentos; Quitandinha com 4,5 mil; Campo do Tenente com 1,4 mil; Mandirituba com 3,5 mil e Tijucas do Sul com 2,5 mil. Em São José dos Pinhais, também uma das mais atingidas, os desligamentos diminuíram para 5,1 mil. 

No Litoral, Morretes e Antonina concentraram os maiores danos e Guaraqueçaba ainda está em situação crítica, com 3,5 mil unidades consumidoras sem energia.

Paraná apresenta destinos turísticos no Meeting Brasil 2020

O Paraná vai apresentar seus destinos turísticos no Meeting Brasil Online – Latin America 2020, primeiro grande evento virtual do semestre, com transmissão simultânea para doze países da América Latina, que acontece de 10 a 13 de agosto.

O Estado mostrará seus atrativos, com destaques para o Litoral, Parque Vila Velha, cachoeiras e turismo de negócios e eventos, que tem atraído visitantes de várias partes do mundo. Curitiba e Foz do Iguaçu, considerados portões de entrada paranaenses, também participam com seus atrativos.

O evento reúne operadores e agentes de viagens de doze países da América Latina. A meta é compor os portfólios dos operadores internacionais de turismo para o biênio 2021 e 2022. A edição do Meeting Brasil deste ano acontecerá de forma virtual. Está prevista a participação do governador Carlos Massa Ratinho, na abertura, para falar sobre o Paraná.

Pela primeira vez, o evento será transmitido simultaneamente para os países participantes – México, Guatemala, Costa Rita, Panamá, Colômbia, Equador, Peru, Bolívia, Chile, Paraguai, Argentina e Uruguai.

De olho na retomada do setor no período pós-pandemia, o trade turístico está otimista com a abrangência do evento que tem a internet como uma grande aliada, na busca de novas ferramentas de divulgação. As plataformas digitais oferecem canais gratuitos e de longo alcance de interação para troca de experiências e realização de negócios.

 

Oportunidade

O secretário de Estado do Desenvolvimento Sustentável e do Turismo, Márcio Nunes, ressaltou que o turismo é um gerador de rendas e o Meeting Brasil 2020 uma grande oportunidade para que o Paraná apresente todo o potencial do Estado e abra novos mercados.

“Além de movimentar a economia, com a geração de emprego e renda, o turismo mexe com a vida das pessoas, diretamente. Está relacionado ao lazer e a qualidade de vida”, disse Nunes. “E esse evento acontece num momento delicado, devido à pandemia, quando todo o setor está carente de boas iniciativas”, afirmou.

Ele enfatizou que que o Paraná estará presente com seus mais importantes destinos. “Curitiba com toda a sua potência como capital, cheia de diversidade, e Foz do Iguaçu, o nosso carro chefe do Turismo, farão uma apresentação das suas principais atrações”, concluiu.

 

Polos Latinos

Jacob Mehl, presidente da Paraná Turismo, também destacou a importância do evento. “É um orgulho poder mostrar o Paraná nesse meeting para nos aproximar de todos os polos latinos, responsáveis por 70% dos nossos visitantes”, disse. “O Estado tem belezas naturais incomparáveis”, afirma.

Parque Nacional do Iguaçu retoma atividades a partir de hoje

O Parque Nacional do Iguaçu vai retomar as atividades de forma gradativa a partir de hoje (4), após meses fechado em decorrência da pandemia de covid-19. A unidade estará aberta ao público de terça-feira a domingo, das 9h às 16h, e, na entrada, os visitantes serão orientados sobre os novos procedimentos e cuidados em relação à prevenção contra o novo coronavírus.

O parque, que está localizado em Foz do Iguaçu, no Paraná, abriga as Cataratas do Iguaçu e foi reconhecido como Patrimônio Natural da Humanidade pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco) em 1986.

De acordo com informações do Ministério do Turismo, entre as medidas obrigatórias para acessar a unidade de conservação estão a redução da capacidade do local, a aferição da temperatura, o distanciamento entre as pessoas e o uso correto da máscara, cobrindo o nariz e a boca, durante todo o passeio. A estação Porto Canoas, que abrange o restaurante e outras lojas, seguirá fechada e será reaberta em uma próxima etapa.

As visitas devem ser agendadas e os ingressos serão vendidos exclusivamente pelo site do parque . Serão disponibilizados o máximo de 350 vagas de ingressos por hora. Moradores de Foz do Iguaçu e de cidades vizinhas têm 90% de desconto com o Passe Comunidade, que deve ser adquirido nos terminais de autoatendimento, localizados no centro de visitantes do parque, mediante comprovação de residência.