Estado compra 100 caminhões-pipa para auxiliar os municípios

O governador Carlos Massa Ratinho Junior entregou nesta quarta-feira (7) mais 14 caminhões-pipa para municípios do Interior e do Litoral do Paraná. Eles são parte de um pacote de investimentos em 100 unidades desse mesmo modelo. O aporte total é de aproximadamente R$ 21,3 milhões, feito pela Secretaria do Desenvolvimento Sustentável e do Turismo.

Os caminhões-pipa são versáteis e podem ser utilizados no abastecimento de água, combate a incêndios, na agricultura e pecuária, na higienização de calçadas e ruas urbanas, e para ajudar na trafegabilidade das estradas rurais.

“É um investimento muito importante para o Paraná. São 100 caminhões que podem ser utilizados em combate a incêndio, entregues aos municípios. É a maior compra do Brasil”, afirmou o governador. “Eles ajudarão a combater os efeitos da seca e focos de incêndio no Paraná e podem colaborar com outros estados, dentro das necessidades. Um equipamento para auxiliar o trabalho de prevenção e proteção do meio ambiente”.

O veículo tem um jato de água na frente, um atrás, uma bomba para abastecimento de reservatório e caixa d’água com capacidade de seis mil litros. Na parte superior ainda há outra bomba com jato d’água de longo alcance para auxiliar o combate emergencial a pequenos incêndios.

Com esses 14 veículos, chega a 62 o número de caminhões-pipa já entregues desde o começo do ano. Sete estão ajudando nos combates aos incêndios do Pantanal, no Mato Grosso e no Mato Grosso do Sul. “Estamos ajudando nossos estados irmãos com equipes de bombeiros e uma frota desses caminhões para oferecer disponibilidade rápida de água”, acrescentou o governador.

O secretário de Desenvolvimento Sustentável e Turismo, Márcio Nunes, destacou que esse pacote é parte de um planejamento iniciado em 2019. “Estamos planejando essa aquisição desde o ano passado, com a inclusão do Sistema de Tecnologia e Monitoramento Ambiental do Paraná (Simepar) na secretaria. Nosso monitoramento do clima já mostrava a dificuldade nesse período mais seco”, disse. “Nos antecipamos”.

Nunes destacou que os caminhões-pipa são versáteis, podendo ser utilizados para vários fins nos municípios. “É um momento de crise climática, de falta de água, o País em situação muito delicada. Há algum tempo adquirimos esses veículos e agora estão sendo entregues. Temos que preservar, recuperar e não permitir que o meio ambiente seja degradado. Esses caminhões-pipa são condicionantes para esse combate. Para ter rapidez e perder o mínimo possível nesse momento de crise”, acrescentou.

MUNICÍPIOS – Os caminhões desta quarta-feira serão destinados para São Mateus do Sul, São João do Triunfo, Mallet, Antônio Olinto, Terra Rica, Ubiratã, Araruna, Janiópolis, Ourizona, Cascavel (2), Paranaguá (2) e Campo Mourão.

Dos outros 48 já entregues, sete estão no Pantanal e os 41 restantes foram entregues para Indianópolis, Altônia, Arapongas, Terra Boa, Campina da Lagoa, Inácio Martins, São Pedro do Ivaí, Mamborê, Engenheiro Beltrão, Paiçandu, Cambira, Palotina, Rancho Alegre, Nova América da Colina, Sarandi, Capanema, Maringá, Rebouças, Nova Tebas, Campina Grande do Sul, Rosário do Ivaí, Porecatu, Diamante do Sul, Primeiro de Maio, Iguaraçu, Doutor Camargo, Novo Itacolomi, Salto do Lontra, Corumbataí do Sul, São João do Caiuá, Santa Fé, Mandaguaçu, Mandaguari, Quinta do Sol, Tapira, Luiziana, Brasilândia do Sul, Andirá, Alto Piquiri, Imbaú e São Jorge do Patrocínio.

O secretário Márcio Nunes destacou que esse programa é focado a auxiliar todas as regiões do Estado, e principalmente os municípios que não têm capacidade financeira para esse tipo de equipamento. “No caso de um incêndio, esse é um caminhão para dar agilidade, rapidez, para o primeiro atendimento, já que as unidades do Corpo de Bombeiros ficam em cidades maiores”, complementou.

Informações AEN.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Com La Niña, Paraná pode enfrentar prolongamento do período de estiagem

A confirmação de que, pelo segundo ano consecutivo, o La Niña vai atuar na atmosfera, deve prolongar o período de seca no Paraná. O anúncio do fenômeno foi feito pela Administração Nacional de Oceanos e Atmosfera (NOAA), agência climática dos Estados Unidos. Na região metropolitana de Curitiba, os reservatórios seguem com armazenamento mais baixo.

O meteorologista Lizandro Jacóbsen explica que o La Niña deve impactar a quantidade de chuvas principalmente no verão. “O impacto aqui no Paraná é reduzir a quantidade de chuvas, ou seja, bem provável que nos próximos meses tenhamos chuvas abaixo da média climatológica”, disse.

O La Niña, de certa forma, frustra a expectativa paranaense pela normalidade nas precipitações. Na última semana, o estado teve boa quantidade de chuva. Em Curitiba, já são 95 milímetros no mês. Com a previsão para a segunda quinzena de outubro, é bem provável que a cidade alcance a média de 146,5 milímetros. “Essas chuvas contribuíram para recuperar vários mananciais e para aumentar o nível dos reservatórios, como na região da capital”, disse Jacóbsen.

Assim, com o possível prolongamento da estiagem, a Sanepar reforça a necessidade por economia no consumo de água.

Informações Banda B

Seis linhas de Colombo recebem reforço a partir desta segunda-feira

A partir desta segunda-feira (18) seis linhas de que atendem o município de Colombo, na Região Metropolitana de Curitiba, receberão reforço em seus atendimentos. Os novos horários e veículos buscam equalizar a oferta de ônibus com a demanda de passageiros após acompanhamento dos fiscais da Comec e constatação de aumento no número de usuários, em especial na manutenção de 65% da capacidade dos veículos.

Apesar do aumento da demanda, o número de passageiros em Colombo ainda é 66% do habitual, tendo uma média de 11.000 passageiros por dia útil, contra 16.500 antes da pandemia.

Com as mudanças, as tabelas de horários também foram atualizadas.

Confira:

B03-GUARAITUBA/GUADALUPE (via MARAC-ALTO DA XV): passa de 44 viagens para 49, de seis para oito veículos na frota operante em dias úteis.

B11-MARACANÃ/STA.CÂNDIDA: passa de 34 viagens para 50, de dois veículos articulados para quatro da categoria comum em dias úteis, com ajuste necessário de redimensionamento dos veículos articulados para operação na linha B20-GUARAITUBA/CABRAL.

B13-JD.DAS GRAÇAS: passa de 30 viagens para 38, de um para dois veículos na frota operante em dias úteis.

B23-GUARAITUBA: passa de 36 viagens para 43, de um para dois veículos na frota operante em dias úteis.

B28-VILA MARIA DO ROSÁRIO: passa de 31 viagens para 41, de um veículo para dois na frota operante em dias úteis. O reforço se dá mediante aproveitamento do veículo que opera na linha B21-PORTEIRA, cuja demanda estará atendida na linha B28.

B43-RIO VERDE: passa de 24 viagens para 32, de dois para três veículos na frota operante em dias úteis.