Especialista em secas, pesquisador da UFPR alerta para mais três meses com poucas chuvas

No último dia 10 a National Oceanic and Atmospheric Administration (NOAA) confirmou que estamos passando por um período de La Niña, que diminui a quantidade de chuva

Especialista em secas, o professor da Universidade Federal do Paraná (UFPR), Pedro Fontão, afirmou à Banda B nesta segunda-feira (21) que a primavera, que começa nesta terça (22), deverá ter chuvas abaixo da média, o que preocupa devido à estiagem que Curitiba e região metropolitana estão passando. Segundo Fontão, no último dia 10 a National Oceanic and Atmospheric Administration (NOAA) confirmou que estamos passando por um período de La Niña, que diminui a quantidade de chuva.

“O grande problema deste ano é realmente a ocorrência do La Ninã e pelos modelos não há previsão de chuvas volumosas para pelo menos os próximos três meses”, explicou o especialista, destacando que passamos por um período de seca localizada. “É uma questão regional de uma seca localizada no Paraná. Rio Grande do Sul estava mal também, mas deu uma boa recuperada em agosto, diferente de Curitiba”, salientou.

De acordo com Fontão, chuvas em grande quantidade apenas para o mês de janeiro. “Em termos de climatologia fica difícil de falar, mas tudo indica que em janeiro e fevereiro possam acontecer anomalias mais positivas, ajudando a recuperar os mananciais”, destacou.

Para o mês de setembro, onde pouco choveu, uma chuva mais forte deve acontecer apenas no próximo fim de semana, de acordo com os institutos meteorológicos.

Informações Banda B.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Novo decreto libera velório em caso de suspeita ou confirmação de morte por covid-19; veja regras

A determinação consta no decreto 1415/2020, publicado em diário oficial no final da semana passada

Velórios de pessoas com mortes confirmadas ou suspeitas de covid-19 com infecção comprovada há mais de 21 dias já podem ser realizados em Curitiba. A determinação consta no decreto 1415/2020, publicado em diário oficial no final da semana passada.

Para que as cerimônias sejam autorizadas, no entanto, a data da infecção deve constar na Declaração de Óbito ou em documento anexo e ser comprovada por exame laboratorial assinado pelo médico.

Neste caso, fica permitida a realização de velório com até quatro horas de duração, dispensado procedimento de ensacamento do corpo e do fechamento da urna funerária com tarraxas.

Nos outros casos de infecção, continuam restritos o velório e homenagens no momento do sepultamento podem ser feitas ao ar livre, por no máximo 20 minutos e apenas na presença de até dez pessoas.

Cuidados

Demais velórios passam a ter permissão de realização por quatro horas (antes eram duas), observadas todas as medidas de prevenção à disseminação do novo coronavírus – restrição de pessoas, distanciamento, ambiente arejado e higienização das mãos.

Na prestação dos serviços funerários continuam a ser adotadas medidas sanitárias para evitar aglomerações e reduzir a contaminação e propagação do novo coronavírus.

O protocolo completo para Serviços Funerários e Congêneres no Município de Curitiba está disponível na página www.saude.curitiba.pr.gov.br.

Informações Banda B.

Quatro pessoas morrem na hora em grave acidente na BR-277

As vítimas estavam em um veículo Blazer, que bateu contra a traseira de um carreta

Quatro pessoas morreram em um acidente gravíssimo na noite deste domingo (25), na BR-277, em São José dos Pinhais, na região metropolitana de Curitiba. As vítimas estavam em um veículo Blazer, que bateu contra a traseira de um carreta. Dois homens e duas mulheres não resistiram aos ferimentos. Ambulâncias do Corpo de Bombeiros levaram uma quinta vítima, também do carro, ao Hospital Cajuru, em estado gravíssimo.

O acidente aconteceu no quilômetro 62, na pista sentido Litoral, na região do bairro Borda do Campo. O socorrista voluntário Marcelo disse que apenas uma pessoa precisou de socorro. “Uma colisão traseira envolvendo uma carreta e um veículo Blazer. Infelizmente, quatro pessoas mortas e presas entres as ferragens, uma pessoa em estado grave. Mas, de imediato, a equipe iniciou o socorro a essa pessoa”, descreveu à Banda B.

Equipes do Corpo de Bombeiros usaram técnicas de desencarceramento para retirar a vítima em estado gravíssimo e também as fatais. Ambulâncias encaminharam o sobrevivente ao Hospital Cajuru, em Curitiba.

O motorista do caminhão disse no local que estava parado na rodovia, assim como outros caminhão, em um trecho sinalizado, quando o veículo colidiu na traseira.

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) esteve no local. “Essa fila aconteceu porque tinha outro acidente na rodovia, os veículos estavam parados, nisso a Blazer colidiu contra a carreta”, confirmou o policial Yuri.

O Instituto Médico Legal (IML) fez o recolhimento dos corpos das vítimas fatais no local do acidente.

Informações Banda B.