Empresas devem estar atentas a mudanças nos hábitos de consumo causadas pela pandemia

Produtos de higiene e limpeza, junto com alimentos, foram para o topo da lista de prioridades dos consumidores (Foto: Gelson Bampi)

Ao alterar as rotinas pessoais e profissionais de boa parte da população, as medidas restritivas para contenção da pandemia do novo coronavírus resultaram também em mudanças significativas nos hábitos de consumo no Brasil e no mundo. As modificações nas prioridades do consumidor, bem como as consequências e oportunidades que esses novos hábitos podem trazer para empresas de diferentes setores, durante a após a pandemia, são objeto de um estudo lançado pelo Observatório Sistema Fiep.

Acesse o estudo na íntegra clicando aqui

Intitulado “Novo Coronavírus: mudanças no consumo e impactos nas atividades econômicas”, o documento reúne dados de estudos e pesquisas sobre o tema realizadas por organizações e institutos brasileiros e estrangeiros, entre março e maio deste ano. “As restrições e as mudanças de hábitos trazidas pela pandemia causaram impactos profundos na grande maioria das empresas, tanto reduzindo a procura por alguns produtos e serviços quanto ampliando a demanda por outros”, afirma o presidente do Sistema Fiep, Carlos Valter Martins Pedro. “Entender essa nova realidade é fundamental para que as empresas possam redefinir suas estratégias, por isso nossa instituição segue trabalhando em uma série de conteúdos e orientações para apoiar o empresariado industrial neste momento crítico”, acrescenta.

O estudo do Observatório mostra que, seguindo tendência internacional, grande parte da população brasileira deixou de frequentar aglomerações e espaços públicos como shoppings, lojas de rua, bares, restaurantes e eventos sociais. Em contrapartida, passaram a se preocupar mais com higiene, realizar mais serviços domésticos e praticar atividades on-line. Com isso, alimentos e produtos para cuidados pessoais e de limpeza alcançaram o topo da lista de compra da maioria dos brasileiros, que passaram a priorizar itens essenciais.

Na direção oposta, o estudo aponta que, à medida que os países avançam na curva de contágio, há redução na possibilidade de compra de itens como roupas, calçados, joias, acessórios, viagens e entretenimento fora de casa. Comprovando a tese, apresenta dados de faturamento em cartões de crédito, por tipo de estabelecimento, após o início da pandemia. No Brasil, houve aumento em gastos em supermercados (+20%) e farmácias (+13%). Já os setores em queda foram estabelecimentos de turismo (-83%), lojas de roupa (-82%), estacionamentos (-82%), bares e restaurantes (-58%), lojas de departamento (-57%), lojas de material para construção (-50%) e postos de combustíveis (-36%).

Perspectivas de comportamento
Considerando os subsídios reunidos, o Observatório Sistema Fiep traça cinco grandes tendências de comportamento dos consumidores trazidas pela pandemia. A primeira é a preocupação com a prevenção, com as pessoas podendo desenvolver novos hábitos de higiene. Segundo o estudo, isso “representa uma oportunidade para que empresários fortaleçam ainda mais o marketing sobre tais temas e, assim, possam captar e ampliar suas demandas de longo prazo”.

Outra tendência é a busca pela necessidade imediata, com aumento de bens perecíveis, como alimentos, e redução da procura por bens duráveis e de consumo, como carros, roupas e calçados. A preparação para a vida restrita, gerando maior armazenamento da dispensa com alimentos, produtos de limpeza e itens de higiene, é o terceiro comportamento identificado. “No caso particular dos alimentos, é possível esperar uma expansão sustentável, já que pessoas passarão a consumir mais em casa do que normalmente fariam”, diz o documento.

A quarta tendência é a realização de atividades remotas, com aumento de compras on-line e diminuição de compras físicas. Isso poderá remodelar muitos negócios, impulsionando a comercialização direta e on-line. “Nesse sentido, é importante contar com uma cadeia de suprimentos e logística flexível e estar preparado para mudanças nos canais de comercialização”, ressalta o estudo. Por fim, a última tendência diz respeito ao retorno à normalidade, que deverá ser feito com cautela renovada sobre a saúde, principalmente com as pessoas ainda evitando aglomerações.

Source link

Do plantio à colheita, suporte técnico no campo contribui para o crescimento do mercado de biológicos

Os produtos biológicos estão entre as inovações que mais têm se destacado nos últimos anos na produção agrícola, com elevados e consistentes índices de crescimento ano a ano. Parte importante da adoção de biológicos e de produtos à base de extratos naturais na agricultura, deve-se ao maior entendimento dos agricultores quanto às funcionalidades, especificidades e modos de ação desses produtos, adquiridos especialmente nos últimos cinco anos.

Para levar esses conhecimentos, as empresas desse mercado investem, cada vez mais, nas equipes de campo. Exemplo disso é a Biotrop, empresa entre as líderes do setor de insumos biológicos e de extratos naturais, que percebe como fundamentais seus investimentos em geração de demanda, presença no campo e capacitação das equipes que atuam diretamente com os agricultores, fornecendo todo o suporte necessário na venda e no pós-venda. “É um trabalho fundamental, pois os biológicos são produtos ainda novos, que o produtor ainda não utilizou ou utilizou poucas vezes. Então estamos juntos deles para que as nossas tecnologias atendam as suas necessidades, trazendo soluções regenerativas para suas lavouras a custos competitivos”, destaca Carlos Alberto Baptista, diretor nacional de vendas.

A equipe comercial da empresa é formada por 180 profissionais – todos agrônomos e agrônomas, que ao serem contratados são capacitados para se tornarem referência técnica. Eles participam do dia a dia das lavouras, focados em reconhecer os possíveis problemas e indicar as soluções biológicas ideais para cada situação. Esse processo é amplamente acompanhado pelo técnico, do plantio à colheita. Assim, ao final, ele terá conhecimento da efetividade do tratamento indicado. “Quando ainda não há um produto para indicar, a demanda é levada para a área de Pesquisa & Inovação, assim contribuindo para que novos microrganismos sejam testados e novos produtos gerados, ou seja, o time de campo também é protagonista para que a inovação aconteça”, conta Baptista.

Outra importante atuação da equipe comercial são os treinamentos às cooperativas e revendas que trabalham com os produtos da marca, capacitando-os para a venda técnica. “Tanto os nossos técnicos quanto os técnicos dos parceiros que nos representam sabem mostrar ao produtor os benefícios e valor dos produtos, inclusive com análises comparativas de eficiência e resultados, a partir do manejo Biotrop em relação aos tratamentos que eram realizados pelo produtor anteriormente”, explica o diretor.

A Biotrop ainda tem uma equipe de 15 profissionais, que trabalha alinhada ao time comercial e técnico da empresa e que são responsáveis pelo Desenvolvimento de Mercado para as novas tecnologias da empresa – todos com formação acadêmica ampla (especializações e doutorado). “São focados em capturar as necessidades do campo, analisar os nossos produtos de forma bastante técnica e levar para os produtores sempre o melhor manejo, ou seja, garantir que os produtos sejam aplicados dentro das recomendações da empresa. Atendem um menor número de clientes, mas com maior profundidade técnica, do plantio à colheita também”, coloca Baptista. A equipe ainda é responsável por treinamentos periódicos que preparam o time de vendas da Biotrop e dos distribuidores sobre o posicionamento do portfólio.

Baptista completa que a Biotrop é uma empresa altamente preocupada com a qualificação da equipe de campo, pois o objetivo é que, ao estarem junto aos clientes, possam oferecer soluções que façam sentido não só tecnicamente, mas também economicamente. “Nossos produtos têm tecnologia avançada e são eficientes nessa relação técnica-econômica”, garante o profissional.

O suporte técnico na agricultura tropical

A agricultura tropical acontece em meio a muitas particularidades, como o imenso número de doenças e pragas, potencializado por mais de um plantio na mesma área no prazo de poucos meses. Tudo isso traz para o produtor uma série de desafios e, nesse sentido, o suporte técnico qualificado é ainda mais relevante.

Sua importância está justamente na identificação precisa dos problemas e na indicação do que realmente vai resolver. Para Baptista, esse é o diferencial da Biotrop: “estamos no campo para levar soluções aos desafios enfrentados pelos agricultores e não só para negociar”, pontua.

Profissionalização do setor de biológicos

Desde 2020, a Biotrop possui o programa Bioestágio, que prepara estudantes em etapa final da graduação para atuação nas diferentes áreas da empresa. Em 2022, mais de 350 estudantes participaram do processo seletivo, dos quais 33 foram selecionados. Esses jovens profissionais constituem também a primeira turma da UniBiotrop, um programa de capacitação em biológicos inédita no País, realizada em parceria com a Faculdade de Agronegócios de Holambra (Faagroh) e a SmartMip – empresa de pesquisa associada à incubadora da USP/Esalq (EsalqTec).

Para o CEO da Biotrop, Antonio Carlos Zem, o crescimento e taxa de adoção dos biológicos no campo demandam novos profissionais muito bem preparados para dar suporte aos agricultores na prática da agricultura regenerativa. “Nós, da Biotrop, nos antecipamos na tarefa de atrair, desenvolver e reter talentos. Estamos oferecendo ensinamentos sobre o que há de melhor no mundo dos biológicos e esses profissionais irão multiplicar e amparar esse mercado”, relatou.

Sobre – A Biotrop é uma empresa brasileira, fruto da visão e empreendedorismo de um seleto grupo de profissionais apaixonados pelo agronegócio. Atua com foco em pesquisa e desenvolvimento de soluções diferenciadas e inovadoras, com o objetivo de contribuir para uma agricultura mais sustentável, saudável e regenerativa. Com escritório em Vinhedo (SP) e fábrica em Curitiba (PR), a empresa leva ao mercado o que há de melhor no mundo em soluções biológicas e naturais. Acesse www.biotrop.com.br.

Semana da Empregabilidade reúne 30 empresas, com mais de 300 vagas de trabalho

Semana da Empregabilidade reúne 30 empresas, com mais de 300 vagas de trabalho

A Semana da Empregabilidade para Pessoa com Deficiência, que acontece de 19 a 23 de setembro, terá 30 empresas participantes, que vão ofertar pelo menos 300 vagas de emprego, com salários entre R$ 1.224,00 e R$ 2.448,00.

A ação terá três mutirões de emprego, além de palestras sobre programas municipais na área.

Para participar, basta comparecer a um dos endereços das ações (veja abaixo), munido de carteira de trabalho, laudo médico que atesta a deficiência e um breve currículo (opcional).

Não há necessidade de cadastro prévio; é só chegar, analisar as vagas, tirar dúvidas, e a equipe de atendimento faz o encaminhando adequado a cada caso.

A Semana é uma ação desenvolvida em parceria entre a Fundação de Ação Social (FAS) e o Departamento dos Direitos da Pessoa com Deficiência.

Locais

Os mutirões serão realizados na Rua da Cidadania do Pinheirinho, quarta-feira (21/9). Na quinta (22/9), é a vez da Rua da Cidadania do Boqueirão; e na sexta (23/9), ocorre o Dia D da Inclusão no Departamento dos Direitos da Pessoa com Deficiência, no Cristo Rei (programação abaixo).

Na segunda e na terça-feira serão realizadas palestras abertas aos interessados sobre programas municipais (Mobiliza e Aprendiz, além de reunião da Câmara de Inclusão de Pessoas com Deficiência no mundo do trabalho).

As empresas já confirmadas para a semana são: Agricer, Além da Visão, Aker, Assai Atacadista, Bellinati e Perez, Bimara, Bradesco, Bigland, Britânia, Central Peças, Cidade Júnior, Condor, Contabilizei, DBM, Droga Raia, Eucatur, Exxon Mobil, Festval, Fiep (Federação das Indústrias do Estado do Paraná), GD9 RH, Grupo IBGEPEX, Hotel Deville, INSS (governo), Madeira Madeira, O Boticário, Orbenk, Rent Cars, Senff, UNILEHU e Unimed.

Lei

A ocupação de vagas de trabalho para Pessoas com Deficiência é uma obrigação legal para empresas com cem ou mais funcionários. A cota para esse público é de 2% a 5% do quadro funcional total.

 

Veja a programação

19/09 – Segunda-feira

  • 8h30 às 9h20: Programa Aprendiz FAS 
  • 9h20 às 11h: Programa Mobiliza 
  • Local: Departamento dos Direitos da Pessoa com Deficiência (Rua Schiller, 159 – Cristo Rei)

20/09 – Terça-feira

  • 14h até 16h – Encontro da Câmara de Inclusão de Pessoas com Deficiência no Mundo do Trabalho.
  • Local: Departamento dos Direitos da Pessoa com Deficiência (Rua Schiller, 159 – Cristo Rei)

21/09 – Quarta-feira

  • 9h até 14h – Mutirão de vagas para Pessoa com Deficiência no Pinheirinho.
  • Local: Rua da Cidadania (Avenida Winston Churchill, 2.033)

22/09 – Quinta-feira

  • 9h até 14h – Mutirão de vagas para Pessoa com Deficiência na Rua da Cidadania Boqueirão
  • Local: Rua da Cidadania (Avenida Marechal Floriano Peixoto, 8.430).

23/09 – Sexta-feira

  • 9h às 12h e das 13h30 às 16h30
  • Mutirão de Vagas – “Dia D” de Inclusão Social e Profissional das Pessoas com Deficiência.
  • Local: Departamento dos Direitos da Pessoa com Deficiência (Rua Schiller, 159 – Cristo Rei)

Mais informações: (41) 3221-2275

Veja a matéria no site da Prefeitura de Curitiba