Em projeto pioneiro, Paraná vai instalar painéis solares em 246 prédios públicos

A partir do ano que vem, 246 edificações públicas do Paraná vão produzir sua própria energia elétrica. Um projeto pioneiro no País, e o segundo maior do mundo em abrangência, prevê a instalação de painéis fotovoltaicos em 208 escolas municipais e em outros prédios públicos de sete municípios paranaenses, fruto de uma parceria entre a Copel, o Paranacidade, órgão da Secretaria de Estado do Desenvolvimento Urbanos e Obras Públicas, a Fomento Paraná e a Green Building Council Brasil (GBC Brasil).

O projeto de eficiência energética foi apresentado nesta segunda-feira (16) pelo governador Carlos Massa Ratinho Junior na abertura do Greenbuilding Brasil 2020, maior evento da América Latina sobre sustentabilidade na construção, que neste ano é realizado totalmente de forma online.

O governador ressaltou que o Paraná sai mais uma vez na frente em um projeto inovador, que vai incentivar o desenvolvimento sustentável, como prevê os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da Organização das Nações Unidas (ONU). “Criar soluções para o bom aproveitamento da água e da energia é uma necessidade. Estamos enfrentando a maior crise hídrica dos últimos 100 anos no Estado, e sabemos o impacto da falta de água na oferta de energia em um futuro próximo”, disse ele.

A ideia, explicou, é contar com a colaboração da iniciativa privada e organizações não governamentais para expandir o projeto e instalar usinas solares em até 5 mil prédios públicos. “Este é só o primeiro passo. Estou muito otimista que conseguiremos, juntos, transformar o Paraná em um estado sustentável. Queremos colaborar para promover mudanças globais, que priorizem projetos e construções de baixo impacto ambiental para que possamos deixar um mundo melhor para nossos filhos”, salientou Ratinho Junior.  

INVESTIMENTO – O Governo do Estado investe R$ 45,7 milhões na inciativa, que contempla as cidades de Balsa Nova, Fazenda Rio Grande e São José dos Pinhais, na Região Metropolitana de Curitiba; Cascavel e Foz do Iguaçu, no Oeste; e Maringá e Paranavaí, no Noroeste. Desse total, R$ 28 milhões são destinados a fundo perdido pela Copel.

Os investimentos nesta iniciativa são provenientes do Programa de Eficiência Energética (PEE) que, atendendo ao contrato de concessão de distribuição de energia e a Lei 9.991/2000 – que obriga a destinação de 0,5% da Receita Operacional Líquida (ROL) a projetos de eficientização no uso final da energia. O programa é executado pela Copel e regulado pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel).

“Esta proposta atende as necessidades da sociedade de forma inovadora, integrada e sustentável, seguindo as diretrizes estratégicas da Copel para que a pesquisa alcance resultados cada vez mais relevantes e aplicáveis”, detalhou o presidente da Copel, Daniel Slaviero.

Já a Fomento Paraná, em parceria com o Paranacidade e a Secretaria do Desenvolvimento Urbano e de Obras Públicas, vai disponibilizar R$ 17,7 milhões para que os municípios usem como contrapartida na execução do projeto. O recurso é do Sistema de Financiamento dos Municípios (SFM).

MAIS SUSTENTÁVEIS – A discussão para a implantação do projeto iniciou no ano passado, e os painéis fotovoltaicos devem ser instalados ao longo de 2021. A previsão é que, em três anos, todo o investimento se pague, tornando a iniciativa autossustentável não apenas do ponto de vista energético, como também financeiramente.

“Esse resultado nos motivou a implantar esse projeto, que será importante para os municípios, que estão cada vez com o orçamento mais apertado, como também está veiculado compromissos internacionais de sustentabilidade, como a Agenda 2030 da ONU, à Nova Agenda Urbana e ao Acordo de Paris, que busca dar uma resposta às mudanças climáticas”, afirmou o secretário estadual do Desenvolvimento Urbano, João Carlos Ortega. “Nossa pasta, que já contribui com a promoção do desenvolvimento e do planejamento urbano, também vai ajudar a tornar as cidades paranaenses mais sustentáveis”, disse.

O superintendente executivo do Paranacidade, Álvaro Cabrini, ressaltou que a iniciativa tem também um apelo educativo. “A ideia é que a proposta de uma vida mais sustentável se multiplique através das escolas. Além de promover uma melhoria muito grande nesses ambientes, também estamos mostrando para a juventude um novo mundo e um novo caminho”, disse.

ZERO ENERGIA – As 208 escolas municipais selecionadas pelas cidades participantes vão aderir ao conceito de zero energia, ou seja, toda a eletricidade consumida nesses locais será produzida pelas placas fotovoltaicas instaladas nos telhados das edificações, já que o sistema foi dimensionado para gerar a mesma quantidade de energia que é consumida no período de um ano.

Para chegar a esse resultado, foi feita uma espécie de auditoria, com a proposta de primeiro reduzir o consumo, para então iniciar a produção de energia renovável.

Neste trabalho inicial, foi feito um levantamento de todo o sistema de iluminação e dos equipamentos usados nas escolas, como ar-condicionado, geladeiras e computadores, que foram substituídos por versões mais eficientes.

 “É uma forma de empregar os recursos de forma mais inteligente, com a redução do consumo antes mesmo de iniciar o processo de geração”, explicou Guido Petinelli, sócio-diretor da Petinelli Engenharia, empresa que ajudou na elaboração do projeto.

O CEO da GBC Brasil, Felipe Faria, destacou que o projeto se destaca por unir diferentes instituições que pensam a eficiência energética de uma maneira global. “O destaque é a maestria com que o projeto trabalha a questão da eficiência energética, partindo de um diagnóstico antes de ir para a produção de energia. As edificações vão operar de forma mais eficiente, para então partir para a geração”, disse.

VAI ALÉM – Em Balsa Nova, o projeto vai além e abrange as escolas municipais, os prédios da prefeitura, da Câmara de Vereadores, algumas unidades de saúde e ginásios esportivos. Toda iluminação pública do município também será substituída por um sistema mais eficiente, com a previsão de troca de 2.111 lâmpadas e instalação de uma fazenda solar offsite.

A cidade, que tem cerca de 15 mil habitantes, deverá economizar R$ 840 mil por ano somente na conta de luz, recurso que corresponde a 11% do orçamento municipal para a educação.  

BOX
Copel irá contratar energia produzida por autogeradores

A Copel lança, na próxima quarta-feira (18), uma chamada pública para a contratação de energia proveniente de autogeradores, como é o caso das usinas fotovoltaicas e das Centrais Geradoras Hidrelétricas (CGH), por exemplo.

O projeto-piloto da Copel, que terá duração de cinco anos, é inédito no Brasil e foi autorizado pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel). A previsão é contratar até 50 MW (megawatts) médios de energia nessa modalidade, equivalente a 438 mil MWh/ano ou 1,9% da carga anual da companhia.

O objetivo da chamada é atrair produtores independentes de pequeno e médio porte, incluindo minigeradores, aproveitando ainda mais o potencial energético do Estado, com capacidade para operar de maneira isolada ou conectado à rede de distribuição. Para vender à Copel, os autogeradores terão de constituir uma microrrede, que é um sistema elétrico independente que funciona como uma “ilha de energia”.

Os autogeradores que construirão as microrredes poderão vender a energia gerada para a Copel e, com isso, abastecer um grupo de consumidores próximos. A Copel ficará responsável pelo controle e segurança da operação. As melhorias envolvem redução do tempo de atendimento ao cliente e incentivo a inovação e integração tecnológica.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Paraná terá novo parque aquático com águas termais, piscina de surfe e muito mais!

Novidade para os paranaenses! O novo resort Morro dos Anjos, que está sendo construído no Paraná, anunciou que terá também um parque aquático coberto de águas termais! Com investimento total privado de R$ 150 milhões, o empreendimento hoteleiro vai reunir diversas atividades de lazer com opções para todas as idades.

Novo parque aquático no Paraná

O novo parque aquático ficará dentro do resort, que deve ter 300 chalés para os visitantes. As obras já estão em andamento na cidade chamada Bandeirantes, a cerca de 100 km de Londrina, e a mais ou menos 60 km da divisa com o estado de São Paulo, perto de Ourinhos.

Na imagem é possível ver a estrutura dos chalés que devem receber os visitantes | Foto: Divulgação

O local terá as piscinas descobertas convencionais, porém é o parque aquático coberto com águas termais que deve ser a grande atração por lá.

Foto: Divulgação

Entre as atrações, estão as águas com temperatura de até 40°C e tobogãs, piscina de surfe, bar molhado, brinquedos, além das instalações dedicadas aos hóspedes do resort com academia, boliche, sala de cinema, quadras, e muito mais. O fato de ser um local indoor permitiria o funcionamento em todas as estações do ano, inclusive os dias frios!

Área dos tobogãs | Foto: Divulgação
Piscina de surfe | Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

O empreendimento deve ficar pronto em novembro de 2023 e chega para atender a demanda do turismo religioso. Bandeirantes sedia o Santuário de São Miguel Arcanjo, o terceiro maior santuário com a maior estátua do mundo dedicado ao santo, atraindo por volta de 500 mil fiéis todos os anos.

Mais informações no site oficial!

Por Melhores Destinos*

Frio atinge todo o Paraná e 15 municípios registram a temperatura mais baixa do ano

Uma massa de ar frio e seco avançou por diversas regiões do Paraná nesta segunda-feira (19), causando queda brusca das temperaturas. Em 15 cidades foi o dia mais frio do ano, como Guarapuava, na região Centro-Sul, onde os termômetros registraram mínima de -4,4ºC. Municípios do Oeste, Sudoeste e Centro-sul também tiveram temperaturas negativas. Houve, ainda, ocorrência de geada intensa, além de congelamento em algumas localidades.

O vento calmo, vindo do Rio Grande do Sul e Santa Catarina, invadiu o território paranaense, provocando resfriamento intenso, inclusive da região dos Campos Gerais e na Região Metropolitana de Curitiba.

Além de Guarapuava, as estações do Sistema de Tecnologia e Monitoramento Ambiental do Paraná (Simepar) indicaram recordes de temperaturas baixas para o ano em União da Vitória (0°C), Toledo (-3.0°C), Ponta Grossa (-4.2°C), Pinhão (-4.5°C), Pato Branco (-2.6°C), Paranavaí (0.9°C), Palmital (-0.9°C), Jaguariaíva (-1.7°C), Guaíra (0.2°C), Francisco Beltrão (-1.8°C), Foz do Iguaçu (-0.9°C), Fernandes Pinheiro (-1.9°C), Cornélio Procópio (2.0°C), Cerro Azul (-1.8°C) e Cândido de Abreu (-1.7°C).

Em General Carneiro, no Sul do Estado, os termômetros marcaram -5,4ºC, a menor do Estado. A rede Simepar também apontou mínimas de -3,3ºC em Palmas, -2,4 em Inácio Martins, -1,9 em Irati, -1,8 em Cerro Azul, -1,7ºC em Cascavel, -1,1ºC em Cambará, -0,6 em Assis Chateaubriand e -0,9ºC em Foz do Iguaçu. Em Curitiba, a menor temperatura foi de 1,5°C, mas o registro de 0,4ºC do dia 30 de junho permanece como a mais baixa de 2021 até agora.

GEADA 

A intensidade do frio no Centro-Sul e no Oeste paranaense, com marcas tão baixas, fez com que a geada fosse intensa em diversos municípios. “No Sudoeste e nos Campos Gerais houve confirmação de geada branca, enquanto a geada negra poderá ser confirmada, apenas, em alguns dias, após a constatação do congelamento do orvalho”, destaca Samuel Brum, meteorologista do Simepar.

A geada negra ocorre quando o ar está muito seco e a planta morre antes que ocorram a formação e o congelamento do orvalho. Em outras palavras, ela acontece quando a atmosfera tem baixa concentração de vapor d’água e a perda radiativa é intensa, causando resfriamento acentuado da vegetação, chegando à temperatura letal.

PREVISÃO 

O frio intenso deverá se manter estável em todas regiões do Estado nesta semana. Há previsão de geada ampla sobre o território paranaense, com exceção do Litoral.

Nesta terça-feira (20), as temperaturas deverão ser novamente baixas, com formação de geadas especialmente nas regiões Sudoeste, Centro-Sul, Campos Gerais e Região Metropolitana de Curitiba. Também há possibilidades da ocorrência de chuvas fracas nos municípios que fazem divisa com Santa Catarina, conforme previsão do Simepar.

A partir de quarta-feira (21), o frio vai perdendo intensidade de forma gradual. “O tempo deverá seguir bastante seco e sempre com temperaturas bem baixas no amanhecer e mais elevadas durante a tarde. No final da semana o Paraná deverá atingir temperaturas máximas acima de 20ºC em praticamente todos os municípios”, disse Brum.