Dois cães de Curitiba testaram positivo pra coronavírus; descoberta foi feita por pesquisa da UFPR

A Universidade Federal do Paraná (UFPR) confirmou a presença de SARS-CoV-2 em dois cães de Curitiba na última semana: um da raça buldogue francês e um sem raça definida. Estes são os primeiros casos identificados no Brasil, junto ao estudo multicêntrico coordenado pela UFPR, que irá examinar amostras de cães e gatos em seis capitais. No último mês, a equipe já havia contribuído com a identificação da presença do vírus em uma gatinha de Cuiabá, detectada pela Universidade Federal do Mato Grosso (UFMT).

O primeiro caso foi de um macho, adulto, raça Bulldog Francês, cujo tutor, de Curitiba, testou positivo para SARS-CoV-2 no RT-PCR na última semana, sem saber onde se infectou. Ele contou à equipe de pesquisa que percebeu uma discreta secreção nasal no cão, que dorme na mesma cama que ele. Num segundo teste, o tutor negativou, mas o cão estava positivo, já com uma quantidade pequena de vírus no organismo. No segundo teste realizado com o buldogue no dia seguinte, o animal também negativou.

O segundo caso foi de um cão macho, adulto, sem raça definida, cuja tutora também testou positivo para SARS-CoV-2. Segundo seu relato à equipe de pesquisa, seus quatro cães, que dormem na cama com ela, tiveram discretos episódios de espirros. Todos os moradores humanos da casa testaram positivo e, dentre os quatro cães, apenas um confirmou a presença do vírus.

Segundo o professor Alexander Biondo, coordenador do estudo, estes dados serão registrados junto ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA). Todas as amostras estão sendo enviadas para confirmação no TECSA Laboratório Animal, para que sejam testadas em outro laboratorio de referência. Apesar dos primeiros resultados positivos, não existe nehum caso confirmado de cães e gatos transmissores do vírus ou com registro da doença covid-19.

De acordo com Biondo, os animais podem se infectar pelo vírus SARS-CoV-2, inclusive cães e gatos, mas isso não se equivale a dizer que eles têm a doença ou são transmissores. Segundo estudos já publicados, gatos podem se infectar e transmitir para outros gatos, mas não há dados para cães. O professor ainda reforça que o contato mais íntimo entre humanos e pets pode infectar os bichinhos, sendo indicado o distanciamento e o uso de máscara em caso de confirmação para tutores que testarem positivo.

Gatinha foi o primeiro pet confirmado

Uma gatinha foi o primeiro pet com SARS-CoV-2 identificado no Brasil, confirmado na UFPR, no Laboratório do Departamento de Genética, com coordenação institucional do professor Emanuel Maltempi. No teste de RT-qPCR , a presença do RNA viral foi verificada no animal de Cuiabá. Agora, os cientistas trabalham no sequenciamento do genoma do vírus encontrado na felina e no seu tutor. No sequenciamento, será possível determinar a ordem exata dos nucleotídios do RNA genômico do vírus. ” Vai servir para confirmar que é o SARS CoV-2, pois a RT-qPCR identifica só um pedaço do genoma, mas também qual a estirpe ou cepa. Poderemos saber de onde veio”, explica Maltempi.

De acordo com Maltempi, uma hipótese é que só uma estirpe de vírus possa infectar animais. O sequenciamento poderá contribuir com respostas às perguntas que já vêm sendo traçadas nas pesquisas de Biondo, que, com um grupo de outros cientistas, publicou recentemente uma revisão sobre o panorama acerca da contaminação animal por SARS-CoV-2 no mundo.

O projeto

O projeto em andamento coordenado pela UFPR será realizado em Curitiba (PR), Belo Horizonte (MG), Campo Grande (MS), Recife (PE), São Paulo (SP) e Cuiabá (MT). Serão dois momentos de avaliação, com amostras biológicas coletadas com intervalo médio de sete dias, entre animais cujo tutor esteja em isolamento domiciliar, com diagnóstico laboratorial confirmado por RT-qPCR ou resposta imunológica apenas por IgM.

Em Curitiba, uma equipe de pesquisadores fará a coleta em domicílio. Caso necessário, o trabalho também poderá ser feito no Hospital Veterinário. “Se possível, também coletaremos sangue para realizar a sorologia”, explica Biondo, reforçando que “o estudo pode dar resposta definitiva sobre a susceptibilidade e o papel de cães e gatos como reservatórios do vírus”.

Os resultados dos testes serão o mais brevemente possível informados aos tutores ou familiares através de contato telefônico e pela emissão de laudo eletrônico, que será enviado por e-mail ou aplicativo de comunicação. Em caso positivo, de acordo com ele, os demais animais da residência também serão testados em pool por espécie. Além disso, os familiares serão orientados a estabelecer o acompanhamento veterinário por 14 dias, intensificando medidas de higiene e proteção individual e coletiva.

A pesquisa pretende contribuir para a tomada de decisão pelo poder público quanto a medidas de prevenção e controle de COVID-19 em animais de estimação. “Espera-se estabelecer propostas de ações intersetoriais entre as instituições de pesquisa e as secretarias municipais de saúde, para que essas, por meio de ações integradas entre a Vigilância Ambiental e a Atenção Primária à Saúde, possam estabelecer fluxogramas internos de atenção à saúde animal e proteção à saúde humana”.

Informações UFPR.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mercado Municipal de Curitiba apresenta Feira do Pescado

Nos dias 25, 26, 27 e 28 pescados raros e de alta qualidade são destaque no Mercado

Curitiba está há cerca de 100km (via estrada) do mar mas nem por isso é difícil de encontrar peixes frescos todos os dias. Durante o verão, quando as praias ficam mais cheias, boa parte dos brasileiros acaba desejando – e incluindo – os sabores da praia na sua alimentação.
De acordo com o presidente da Ascesme – Associação dos Comerciantes Estabelecidos no Mercado Municipal de Curitiba, Cleverson Augusto Schilipack, a busca por frutos do mar no Mercado Municipal de Curitiba dispara nas estações mais quentes. “Também percebemos uma busca maior de temperos, frutas e verduras para acompanhar os pescados em receitas tropicais e mediterrâneas”, destaca.
Além de gostosos, os frutos do mar são ótimos aliados para uma alimentação saudável pois, algumas espécies, como o salmão, o atum, a sardinha, a truta e a cavala, possuem alto teor de ômega 3. Este nutriente possui ação anti-inflamatória, auxiliando na diminuição de taxas de triglicérides e colesterol, o que contribui para reduzir o risco de doenças cardiovasculares.

Produtos raros a disposição
Pescados de alta qualidade e produtos inusitados fazem do Mercado Municipal de Curitiba uma referência no comércio de frutos do mar. Entre as dezenas de opções, destaques para os que dificilmente são encontrados em outra parte da cidade como viera canadense e King Crab.
Para incentivar ainda mais o consumo dos pescados, o Mercado Municipal de Curitiba apresenta o Festival do Pescado, de 25 de janeiro a 28 de janeiro. “A excelente qualidade dos pescados e a diversidade de frutos do mar fazem do Mercado Municipal de Curitiba um dos mais tradicionais comércios de pescados de todo o Brasil”, finaliza Schilipack.

Confira novos sabores que você pode descobrir no Mercado:

– Caranguejo do Alasca
– King Crab
– Centola do Chile
– Polvo Gigante da Espanha
– Vieira Canadense
-Costela da Tambaqui
-Bacalhau defumado
-Mariscos e Ostras

Feira do Pescado no Mercado Municipal de Curitiba
Data: 25, 26, 27 e 28 de janeiro
Horário: 8h às 18h
Av. Sete de Setembro, 1865 – Centro

Exposição de flores gigantes é atração no Shopping Crystal

Criações que já cativaram famosas como Gisele Bundchen, Déborah Secco, Cléo Pires e Xuxa têm mais de 1,5m, variedade de cores e tipos de flores que encantam quem passa pelo shopping até fevereiro

Já se imaginou no mundo de Alice no País das Maravilhas? Esse é o objetivo da exposição de Flores Gigantes “Bem me Quero”, da designer Jacqueline Benevides, exibida no piso L2 do Shopping Crystal. Aberta ao público, a exposição busca transportar o expectador para um mundo diferente, sendo possível contemplar a harmonia das cores e formas da natureza. Além disso, a artista buscou trabalhar o lúdico e a conexão consigo mesmo, o bem querer a si próprio.

As flores são feitas 100% manualmente e levaram dois meses para serem montadas. Celebridades como Gisele Bundchen, Déborah Secco, Cléo Pires, Xuxa e muitas outras já posaram em suas flores instagramáves.  “Iniciei o processo pensando em levar um mix de flores, mostrando as infinitas possibilidades neste tipo de decoração e busquei trabalhar cada arranjo em cores diferentes para dar a sensação de um jardim”, diz Jacqueline.

Divulgação

Uma das vantagens da decoração com flores gigantes é que elas podem ser expostas tanto em ambientes fechados, quanto abertos, já que são feitas com acetato de vinila e modeladas no calor do fogo. Assim, as enormes flores resistem as adversidades do clima, durando assim, mais tempo.

Sobre a artista

Nascida em Cianorte, cidade do interior do Paraná, a artista é graduada em Administração de Empresas com MBA FGV (Fundação Getúlio Vargas) em Gestão. Ao passar um período sabático nos Estados Unidos descobriu nas Flores uma nova forma de ver e viver.

Neste período, começou a realizar pequenas decorações com flores como hobby, porém o amor pelas artes manuais era algo que estava apenas adormecido e foi desabrochando a cada flor que ela criava.

Com o tempo o hobby se tomou profissão, Jacqueline realizou especialização Russa em Flores Gigantes, criou sua escola on-line “Vivendo de Flores” e, hoje, cria decorações para o Brasil e EUA.

Serviço

Shopping Crystal
R. Comendador Araújo, 731 – Batel, Curitiba – PR, 80420-000
Horário: 10h às 22h, de segunda a sábado | 12h às 20h, aos domingos
Redes sociais: @shoppingcrystal
Site: www.shoppingcrsystal.com.br
Telefone: (41) 3883-3000