Detran lança guia com respostas sobre mudanças no exame toxicológico

Entre as diversas mudanças no novo Código de Trânsito Brasileiro (CTB), que entrou em vigor nesta segunda-feira (12), uma das principais é a obrigatoriedade da realização do exame toxicológico periódico para quem possui Carteira Nacional de Habilitação (CNH) nas categorias C, D e E. Como a nova regra ainda gera muitas dúvidas, o Departamento de Trânsito do Paraná (Detran-PR) criou um e-book para responder as dúvidas mais frequentes relacionadas ao tema.

Os condutores com CNH nestas categorias e que têm idade inferior a 70 anos deverão fazer um novo exame toxicológico a cada dois anos e seis meses, a partir da obtenção e/ou renovação da habilitação. O não cumprimento desta norma implica infração gravíssima, tendo como penalidade multa multiplicada por cinco vezes e suspensão do direito de dirigir por 90 dias.

Ou seja, o motorista que tiver validade de 10 anos na sua CNH terá que fazer três exames toxicológicos intermediários durante esse período.

Uma das dúvidas mais freqüentes refere-se à obrigatoriedade do exame toxicológico para quem não exerce atividade remunerada. Segundo a nova lei, os motoristas com CNH nestas categorias devem fazer o exame e comprovar a resultado negativo para obtenção ou renovação da CNH independente do compromisso profissional.

Quem estiver conduzindo veículos das categorias A e B com exame vencido não será autuado, mesmo que tenha CNH das categorias que exigem o exame toxicológico. A penalidade é aplicada na condução de veículos correspondentes às categorias C, D e E.

O condutor que exerce atividade remunerada e não fez os exames toxicológicos intermediários estará sujeito à penalidade de multa e suspensão do direito de dirigir no momento da renovação da CNH das categorias C, D e E.

Confira essas e outras determinações no Guia do Detran-PR.

Confira e-book que explica as mudanças no Código de Trânsito Brasileiro (CTB).

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Viaduto do Capanema ficará bloqueado no fim de semana e no feriado

De sábado (4/9) até a próxima quarta-feira (8/9), o Viaduto do Capanema – na continuação da Avenida Prefeito Omar Sabbag – ficará totalmente bloqueado para a passagem de veículos. A interrupção no trânsito será necessária para obras na junta de dilatação da estrutura, para a construção do Complexo de Segurança Alimentar Capanema – formado pelo Armazém da Família e pelo Espaço Social do Mesa Solidária.

O bloqueio de trânsito foi programado para o fim de semana e feriado de modo a causar o menor impacto possível ao tráfego de quem passa rotineiramente pela região. A previsão é que, a partir da quinta-feira (9/9) pela manhã, o tráfego volte a fluir normalmente.

Durante o período de bloqueio, agentes da Superintendência de Trânsito (Setran) farão rondas. O trecho bloqueado estará sinalizado pela empresa responsável pelo serviço e barreiras de trânsito complementarão o alerta visual ao motorista.

Bloqueios parciais também acontecerão ao longo dos cinco dias uma quadra antes do viaduto, pela Avenida Omar Sabbag e, também, pela via que cruza o viaduto (Rua Engenheiro Leão Sounis).

Viaduto do Capanema ficará bloqueado durante o feriado.

Desvios

Enquanto durar a intervenção na pista, os motoristas precisarão desviar o caminho (veja mapa). A melhor opção é, em vez de passar pelo Viaduto do Capanema, optar pelo Viaduto do Colorado. Desse modo, quem estiver na BR-277 pode continuar pela Avenida das Torres. Já quem seguir em direção à saída da capital seguirá em frente a partir da Rua Tibagi.

Além desses caminhos alternativos, o motorista que estiver mais próximo do Viaduto do Capanema poderá acessar a Avenida Prefeito Omar Sabbag (em direção ao Centro da cidade e virar à esquerda na  Rua Engenheiros Rebouças.

No sentido oposto (saída da cidade), o desvio para quem estiver na Rua Ubaldino do Amaral é pela Avenida Visconde de Guarapuava ou, ainda, pela Avenida Presidente Affonso Camargo.

Linha de ônibus

Por causa das obras, a linha de ônibus 305 Centenário terá mudança de itinerário de sábado (4/9) a quarta-feira (8/9). A linha fará desvio pela Avenida Pref Lothário Meissner, ruas Dr. Jorge Meyer Filho e Engenheiro Ostoja Roguski, Avenida Presidente Affonso Camargo (pista lenta), Ruas Padre Germano Mayer e Reinaldino S. de Quadros, retornando ao itinerário oficial sentido Centro e pela Ubaldinho do Amaral, Avenida Senador Souza Naves, ruas Padre Germano Mayer, do Herval e Schiller, Avenida Dario Lopes dos Santos, ruas Hildebrando de Araújo e Engenheiros Rebouças, retornando ao itinerário oficial, sentido bairro.

Juntas de dilatação

O bloqueio do Viaduto do Capanema atende a solicitação do Departamento de Edificações da Secretaria Municipal de Obras Públicas, que durante o período de interrupção do trânsito de veículos coordenará o trabalho de substituição de duas juntas de dilatação da estrutura viária. Sob o ponto do viaduto que receberá as juntas de dilatação está sendo construído Armazém da Família e Espaço Social Capanema e a troca acontece neste momento para não afetar o novo local de referência em solidariedade e alimentação saudável. 


“Iniciamos os serviços em maio e agora teremos que executar a substituição das juntas de dilatação do viaduto para não causarmos prejuízos à edificação do novo Armazém da Família e Espaço Social Capanema mais tarde, depois que ele já estiver pronto”, explicou Rodrigo Rodrigues, secretário municipal de Obras Públicas.  

O novo Armazém da Família e Espaço Social Capanema terá 661,66 m² e está recebendo o investimento de R$ 1.728.810,14. O local se transformará no complexo de segurança alimentar que disponibilizará gêneros alimentícios a preços acessíveis e oferecerá refeições a pessoas em situação de vulnerabilidade social em um salão com 80 lugares preparado com mesas e cadeiras. 

Bolsonaro diz que vetará ‘Fundão’ na íntegra se for impedido de cortar ‘excesso’

 O presidente Jair Bolsonaro afirmou que vai vetar o fundo eleitoral, o “Fundão”, na íntegra caso seja impedido de cortar o que exceder a lei de 2017 de reajuste ao projeto. De acordo com o chefe do Executivo, a ordem dada por ele foi vetar tudo o que extrapolar aquilo previsto em 2017, uma vez que não quer gerar atritos com a Câmara dos Deputados ou o Senado. “Mas vamos supor que não seja possível porque está em um artigo só, então vete tudo”, declarou Bolsonaro à Rádio Capital Notícia – Cuiabá/MT, na manhã desta terça-feira (17)

O chefe do Executivo voltou a declarar que “temos que cumprir a lei” e, não pode vetar ou sancionar “qualquer coisa sem responsabilidade”. “Se eu sancionar o que não devo ou vetar o que não posso, estou em curso em crime de responsabilidade”, afirmou.

Apesar da justificativa utilizada por Bolsonaro, não há obrigação por parte da Presidência da República de reajuste mínimo do chamado “Fundão” pela inflação. Se o presidente confirmar o veto à regra aprovada na Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO), o valor ficará em aberto.

Segundo determina e legislação, o governo e os parlamentares deverão estabelecer o gasto com as campanhas no ano que vem de acordo com o seguinte cálculo: usar o valor dos impostos arrecadados com o fim da propaganda partidária, calculado em R$ 803 milhões no ano que vem, mais um porcentual não definido da reserva destinada às emendas parlamentares de bancada, cuja somatória deve chegar a R$ 8 bilhões no próximo ano.