Curitiba teve queda de 21% no número de acidentes em 2020

Curitiba teve queda de 21% no número de acidentes de trânsito em 2020. Ao todo foram registrados 4.840 no ano passado, 1.292 a menos na comparação com 2019, com 6.132 registros. Os dados incluem os atropelamentos e não contabilizam os registros que envolvem as rodovias, e podem ter reflexo da redução da circulação durante dias com medidas mais restritivas por conta da pandemia. Eles estão no relatório de dados do Batalhão de Polícia de Trânsito (BPTran), divulgado nesta sexta-feira (26). 

De acordo com o BPTran, o primeiro semestre de 2020 teve queda de 21,4% no número de acidentes. Em 2019 foram 2.993 e no ano passado 2.352 ocorrências. O mesmo se repetiu no segundo semestre, que teve queda de 20,7%, de 3.139 acidentes de julho a dezembro de 2019 para 2.488 acidentes nos últimos meses de 2020.

Blitz educativa do BPTran – Foto: AEN PR

Para o comandante do Batalhão da Polícia de Trânsito (BPTran), tenente-coronel Mário Henrique do Carmo, as estratégias de prevenção e o planejamento, junto com a eficácia do serviço dos policiais, foram essenciais. “O esforço da Polícia Militar em reduzir os acidentes, principalmente o número de feridos e óbitos, é um dos objetivos permanentes do Batalhão da Polícia de Trânsito. Mas outro fator que podemos observar dentro do cenário é a pandemia. Tudo contribuiu para que os números caíssem”, esclareceu.

O mês que mais teve acidentes em 2020, segundo o relatório, foi outubro, com 474 registros. Segundo o comandante da unidade, o aumento pode ter tido reflexo do relaxamento das medidas de proteção naquele período. “Outubro veio logo após o término do inverno. Começamos a ter dias mais quentes, mais longos e também os casos de Covid-19 apresentaram redução. Neste caso houve uma maior flexibilização de algumas atividades e, logicamente, as pessoas começaram a sair mais para as ruas”, acrescentou o comandante do BPTran.

VÍTIMAS 

Os números da Capital também apontaram redução em relação a vítimas de acidentes de trânsito. No geral, o volume de acidentes com vítimas, com pelo menos uma pessoa envolvida, caiu de 4.278 para 3.279, na ordem de 23,3%. Comparando o primeiro e o segundo semestres de 2020 com os mesmos períodos de 2019, as quedas foram de 468 e 531 acidentes, respectivamente. 

O balanço indica redução no recorte de acidentes sem vítimas: 293 ocorrências a menos que o ano de 2019. Outro indicador do trânsito que registrou declínio foi o de feridos. Em 2019 foram 4.906, enquanto em 2020 foram 3.689, diferença de 24,8%. Já em relação aos óbitos, houve empate com 2019, com 45 mortes no total.

ORIENTAÇÃO 

Esses indicadores provam que a prevenção no trânsito é sempre o melhor remédio, resume o tenente-coronel do Carmo. “Passamos a dar um novo valor para a vida com a pandemia. E isso, logicamente, se reflete em outras situações do cotidiano, como é o caso do trânsito. Temos enfatizado os cuidados e não podemos nos esquecer que o trânsito também tira vidas”, pontuou.

O BPTran é parte integrante do Comando do Policiamento da Capital e executa o policiamento de trânsito a pé e motorizado, na modalidade patrulhamento, permanência e escolta. Entre as missões desses policiais estão a atuação em pontos críticos para obediência à sinalização e proteção dos condutores e pedestres; autuação de infratores e, conforme o caso, prisões ou detenções; e promoção de campanhas de trânsito, visando orientar e educar motoristas e pedestres.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Bailarinos do Teatro Guaíra oferecem oficinas on-line gratuitas

O Balé Teatro Guaíra inicia na próxima sexta-feira (23) oficinas virtuais abertas para profissionais e estudantes de dança. A atividade é gratuita e os interessados devem acessar o link da transmissão pela plataforma Zoom. As aulas acontecem às sextas-feiras, a partir das 13 horas, para até 100 pessoas. Não é necessário fazer inscrição prévia. 

A ação é uma parceria do Governo do Estado, via Secretaria da Comunicação Social e da Cultura, Centro Cultural Teatro Guaíra e PalcoParaná. Veja a programação. O projeto “Aulas como Unidade e Cooperação” é uma ideia dos próprios bailarinos, que realizaram em 2020 aulas abertas para todo o Estado.

A coordenadora da iniciativa em 2021 é a bailarina Juliana Rodrigues. “Esse projeto tem o objetivo de trocar experiências e criar novas conexões. O bailarino proponente irá compartilhar a sua vivência pessoal durante a aula, criando estímulos para que cada um possa descobrir e experimentar a arte sobre novos olhares e caminhos. No final de cada aula acontecerá um pequeno bate-papo para trocar curiosidades, perguntas, sensações”, afirma. 

No ano passado, as atividades com maior adesão do público foram as oficinas e aulas virtuais, que tiveram a participação de cerca de 10 mil pessoas. Em abril de 2020, começaram as aulas virtuais abertas à comunidade da dança em geral, além de oficinas com coreógrafos renomados. Em julho, um programa mais amplo ofertou oficinas virtuais de dança para crianças, jovens e melhor idade, de 30 municípios de todo o Paraná. 

“Exercitando a criatividade, a composição do corpo com o espaço e de ambos em relação à câmera, a proposta busca ampliar o olhar do artista para as possibilidades audiovisuais utilizando os equipamentos que são acessíveis a cada um. Os encontros são abertos a artistas da dança e interessados em criações audiovisuais”, conta Paula Sousa, uma das bailarinas participantes.  

Sobre os bailarinos:

Clarissa Cappellari é bailarina profissional, formada pela Escola de Danças do Teatro Guaíra (Curitiba). Dançou no Balé Teatro Guaíra entre 2004 e 2007. É graduada em dança (licenciatura e bacharelado) pela Faculdade de Artes do Paraná e pós-graduada em Ensino de Artes pelo instituto Itecne. Entre 2013 e 2017, fez parte do elenco da Curitiba Cia de Dança. Em 2017, voltou a integrar o elenco do Balé Teatro Guaíra onde atua até hoje. Neste projeto, irá propor aulas de alongamento para que os alunos possam buscar uma amplitude maior do movimento e aumentar a flexibilidade.

João Luiz Bicalho nasceu em Vitória (ES). É formado em Qualificação/Técnico Profissional em Dança Contemporânea pela FAFI – Escola de Teatro, Dança e Música (ES). Integrou profissionalmente a companhia de dança Mitzi Marzzuti (ES) – 2012, na qual pôde trabalhar com uma gama de bons profissionais da dança contemporânea. Em 2015, integrou a companhia Divinadança (SP), dirigida por Andrea Pivatto, e trabalhou como intérprete/criador no Coletivo dos Sonhos (SP), dirigido por João Pirahy. Em 2016, integrou a companhia Mercearia de Ideias + Bongiovanni (SP), dirigida pelo coreógrafo Luiz Fernando Bongiovanni. Desde 2017 atua na companhia Balé Teatro Guaíra. Em 2019, dirigiu e coreografou Peixe Solúvel para o Balé Teatro Guaíra, na plataforma Novos Criadores. Vem praticando e pesquisando técnicas voltadas para a improvisação na dança contemporânea e para o desenvolvimento do potencial criador individual.

Juliana Rodrigues é bailarina do Balé Teatro Guaíra. Mineira, natural de Caxambu, é formada pelo Centro de Formação Artística – Cefar em Belo Horizonte/MG. Trabalhou nas companhias de dança Ballet de Londrina e Curitiba Cia de Dança. Especialista em Artes Híbridas e bacharel em Dança, desenvolve trabalhos de criação própria por meio de improvisos explorando novos caminhos através da edição de vídeo. Juliana criou o projeto Aulas como Unidade e Cooperação e irá compartilhar aulas de improviso trabalhando a dança em uma linguagem híbrida, em que as conexões para construir novos caminhos experimentam a força interior como guia para acessar outras linguagens.

Luana Nery fez parte do Corpo de Baile Jovem na Escola Municipal de Bailados, atual Escola de Dança de São Paulo, sob a direção de Esmeralda Penha Gazal. Iniciou sua carreira profissional no Balé da Cidade de São Paulo, na direção de Lara Pinheiro e Iracity Cardoso, onde teve a oportunidade de trabalhar com vários profissionais da área da dança do Brasil e do Exterior. Fez parte do Núcleo de Pesquisas Mercearia de ideias sob a direção de Luiz Fernando Bongiovanni. Foi convidada pela XII Mostra de Teatro do Colégio Santa Cruz como professora e preparadora corporal. Atualmente faz parte do elenco do Balé Teatro Guaíra como bailarina, interprete/criadora, no qual vem desenvolvendo papeis como solista e corpo de baile no repertório da companhia.

Paula Sousa é bailarina, graduada como Major in Dance pela SEAD na Áustria e formada em dança contemporânea pela Escola do Teatro Bolshoi no Brasil. Integra, desde agosto de 2017, o Balé do Teatro Guaíra. Integrou e colaborou com as companhias Projeto Mov_ola com a direção de Alex Soares, Plataforma Shop Sui de Fernando Martins, em São Paulo, Arsenalle della Danza da Bienal de Veneza e Balé Jovem do Palácio das Artes. Desenvolveu em 2020 o projeto autoral “Pequenas danças”, com vídeos de arte que podem ser acompanhados no Instagram @sousapaula.

Serviço

Aulas como Unidade e Cooperação

De 23 de abril a 9 de julho, às sextas-feiras, das 13h às 14h30. 
Plataforma Zoom: https://us02web.zoom.us/j/87160315382
A atividade é gratuita e aberta a até 100 participantes por dia, por ordem de chegada. Não é preciso fazer inscrição prévia

Dois Corações: a tradicional coxinha curitibana em seis endereços e no Ifood

A coxinha de frango com requeijão cremoso da Dois Corações já pode ser considerada uma iguaria curitibana. Moradores da capital ou visitantes, todos aprovam. E não é por menos, a coxinha já foi eleita duas vezes a melhor de Curitiba. E não para por aí, o empadão vendido pela confeitaria também é de dar água na boca. Difícil escolher um favorito, todos são uma delícia!

Divulgação

E você, já experimentou? O Busão preparou uma lista com os endereços das 6 unidades da confeitaria que estão espalhadas pelo centro da cidade pra você não ficar de fora e saborear uma boa coxinha ou empadão! Confira:

Onde encontrar

  • Rua Senador Alencar Guimarães, 186
  • Rua XV de Novembro, 80
  • Alameda Dr. Muricy, 622
  • Praça Tiradentes, 510
  • Av. Vicente Machado, 218
  • R. Barão do Rio Branco, 61

Ifood: A Dois Corações também está disponível no Ifood, então já sabe né, quando bater aquela fome só pedir seu salgado favorito pelo delivery e receber aí na sua casa.