Curitiba terá o maior pré-Carnaval eletrônico do Brasil

Nos últimos anos, a cidade de Curitiba se consolidou como uma ótima opção para quem busca atrações diferenciadas durante o Carnaval, propondo alternativas à folia tradicional. Foi assim que surgiu, por exemplo, o Psycho Carnival, a Zombie Walk e o CarnaVibe, maior pré-Carnaval eletrônico do Brasil. Já de olho nos curitibanos e turistas que estão planejando o Carnaval 2020, o CarnaVibe, realizado pela Planeta Brasil Entretenimento em parceria com a T2 Eventos, acaba de anunciar sua próxima edição: dia 15 de fevereiro, na Usina5.

A cidade de Curitiba é conhecida tanto por ser um dos principais polos nacionais de música eletrônica, como por contar com a maior programação de estilos alternativos no Carnaval. Unindo essas duas características, surgiu o CarnaVibe, que caiu nas graças do público e se consolidou como o maior pré-Carnaval eletrônico do Brasil, reunindo alguns dos principais DJs do país para um dia de muita música e diversão. O evento, um dos mais ecléticos do país, é uma ótima opção para quem busca experiência única na capital paranaense.

A grande novidade da edição de 2020, que será a 4ª da história do CarnaVibe, ficará por conta do conceito Open Air, com três palcos a céu aberto, aproveitando toda a infraestrutura e peculiaridades da Usina5, antigo complexo industrial que se tornou referência em eventos multiculturais da cidade. Outro grande destaque do evento é o lineup, que contará com 25 atrações nacionais divididas em três palcos, em um formato tradicional de grandes festivais musicais. 

Lineup completo: Almanac, DubDogz, Flux Zone, Illusionize, Liu, Meca, Mochakk, PimpChic, VictorLou, Barja, Bry Ortega, Dashdot, Fractall, Puka, Rocksted, Volkoder, Zac, Aedos, Ber Von, Eli Iwasa, Gui Boratto, L_cio, Murphy, Nati M e Renato Ratier.

É Carnaval

Para entrar no clima de Carnaval, o evento contará ainda com várias atrações especiais com a temática da data. Cada edição que passa, o público entra mais no clima do evento, apostando em produções especiais e fantasias. Pensando nisso, a organização está preparando várias novidades para quem quiser ir ao CarnaVibe fantasiado, contribuindo ainda mais para o clima de celebração. 

O CarnaVibe 2020 será realizado no dia 15 de fevereiro, a partir das 11h, na Usina5 (Rua Constantino Bordignon, 5 – Prado Velho). Os ingressos custam a partir de R$ 45 e podem ser adquiridos no site www.eventim.com.br ou nos pontos de venda físicos: Amplitur (Rua Padre Leonardo, 440, Portão), Usina5 – Entrada de Serviço (Rua Orestes Camilli, 186, Prado Velho), Porks Vicente Machado (Avenida Vicente Machado, 642) e Porks Museu do Olho (Rua Marechal Hermes, 1092) e Bar Quermesse (Rua Carlos Pioli, 479). Mais informações na página oficial do evento no Facebook.

Em meio à pandemia, Conmebol anuncia que a Copa América será disputada no Brasil

A Conmebol anunciou nesta segunda-feira (31) que a próxima edição da Copa América será disputada no Brasil. As datas permanecem as mesmas – 13 de junho a 10 de julho -, as cidades-sedes ainda serão divulgadas.

A CBF deu aval para a realização dos jogos no país, em concordância com o Governo Federal. “Quero agradecer muito especialmente ao presidente Jair Bolsonaro e a seu gabinete por receber o torneio de seleções mais antigo do mundo. Igualmente meus agradecimentos vão para o presidente da CBF, Rogério Caboclo, por sua colaboração”, disse o dirigente máximo da Conmebol Alejandro Dominguez.

O Brasil se torna sede da Copa América depois de a Conmebol tirar de cena os países que receberiam a competição, que seriam Colômbia e Argentina. O Brasil foi escolhido com o argumento de possuir estádios em boas condições de uso.

Em um primeiro momento, o país não era uma opção, por causa da disputa simultânea do Campeonato Brasileiro. No entanto, a Colômbia foi retirada da competição por causa das manifestações populares de rua contra o governo que já duram mais de um mês. Já a Argentina foi descartada devido ao aumento de casos de contágio do novo coronavírus.

Ocorre que o Brasil também não controlou sua onda de contaminação da doença. O país continua registrado alta no número de contágios e mortes pela doença, além de novamente ter UTIs em alguns Estados em utilização alta, acima dos 80%.  Nas últimas 24 horas, a média móvel de mortes por covid teve a terceira alta seguida e chegou a 1.844.

A Conmebol vai oficializar os Estados brasileiros que receberão as partidas. No entanto, existe o interesse por parte da Conmebol que a final seja no Maracanã, com a presença de público. No Brasil, as partidas de futebol estão sendo jogadas com portões fechados.

Especialistas condenam torneio no Brasil

Especialistas ouvidos pelo Estadão condenam a realização da Copa América no País em função da falta de controle da pandemia. Eles argumentam que há riscos de aumento da transmissão e de novas variantes. “Acho que não seria adequado fazer o torneio no Brasil porque ainda não temos uma situação tranquila em relação ao controle da pandemia”, opina médico infectologista Julio Croda , professor da Universidade Federal do Mato Grosso do Sul (UFMS) e pesquisador da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz). “Com o aumento do número de viajantes, teremos maior contato entre as pessoas, maior transmissão do vírus e, consequentemente, podemos ter novas variantes”, completa o especialista. 

O virologista Paulo Eduardo Brandão, da Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia da USP, também mostra preocupação com o surgimento de variantes. “Acho desnecessário mesclar pessoas de tantos diversos países com tanta diversidade de tipos de SARS-CoV-2 em uma atividade não essencial”, avalia. Na opinião do especialista, até mesmo a vacinação dos atletas, medida adotada pela Conmebol na Copa América após doação de 50 mil doses do laboratório Sinovac, é motivo de estranhamento. “Temos também os privilégios em termos de vacinação e viagens internacionais pelos atletas e comissões enquanto a população da América Latina está sob tanto sofrimento em função da pandemia”, completa. 

Os especialistas já mostravam preocupação com o retorno do futebol ainda no mês de março com a disputa dos torneios estaduais. Marcelo Otsuka, especialista da Sociedade Brasileira de Infectologia, via com receio a continuidade do futebol no Brasil. “A questão em relação à continuidade dos campeonatos, ou mesmo de outros torneios, diz respeito ao controle da doença. A gente observa que, no caso do futebol, os profissionais são realmente testados com uma frequência até acima da média. Mas eles também têm familiares e pessoas de risco. Se eventualmente desenvolvem a doença e levam para casa, isso representa a chance de complicação.”

No fim de semana, o Brasil deu início ao Campeonato Brasileiro. São dez partidas por rodada da Série A e outras dez da Série B. Serão, ao todo, em cada disputa, 38 rodadas, contabilizando 380 jogos de futebol até dezembro.

Informações Estadão Conteúdo

‘Os EUA não irão doar vacinas ao Brasil’, afirma Queiroga

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, comentou sobre a manifestação do presidente norte-americano, Joe Biden, sobre a intenção de doar vacinas contra covid-19 a outros países. Queiroga avaliou positivamente a promessa, mas afirmou que no caso do Brasil, “sendo pragmático”, os EUA não irão doar as vacinas, “até porque o Brasil comprou essas doses das indústrias americanas”, afirmou.

De acordo com Queiroga, o esforço nas tratativas com o país não pleiteia a doação de vacinas, destacando sua conversa com o secretário de Saúde dos EUA, Xavier Becerra, Queiroga afirmou que seu esforço é para antecipar a entrega das vacinas compradas com farmacêuticas americanas como a Pfizer e Johnson & Johnson “e propor algo com as indústrias americanas”.

Queiroga participou na manhã desta quinta-feira (26) de sessão conjunta das comissões de Fiscalização Financeira e de Defesa do Consumidor da Câmara.