Curitiba registrou 62 mm de chuva na quarta-feira (11) e previsão é de mais água nos próximos dias

A quantidade de água que caiu sobre a capital já superou a expectativa para quarta-feira (11), segundo meteorologista do Simepar

O boletim da Coordenadoria Municipal da Defesa Civil apontou que Curitiba, por conta da chuva desta quarta-feira (11), registrou rajadas de vento de 24,5 km/h, quedas de árvores e galhos grandes, além de problemas em semáforos e destelhamentos. De acordo com o Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais (Cemaden), choveu o equivalente a 62 mm na capital em apenas 24 horas.

Ainda segundo o boletim da Defesa Civil, até as 17h de quarta-feira, 21 pedidos foram feitos na capital para retirada de árvores e galhos grandes caídos, além de seis solicitações emergenciais para entrega de lona a famílias atingidas pela chuva. Os pedidos ao município chegaram dos bairros Xaxim, CIC, Ganchinho, Sítio Cercado, Uberaba e Tingui.

Na Rua Nicolau José Gravina, no bairro Cascatinha, houve bloqueio total próximo à Avenida Cândido Hartmann para retirada de uma árvore. Agentes de trânsito ainda estavam no local para orientações aos motoristas no final da tarde.

Às 15h, equipes do Meio Ambiente estavam finalizando os trabalhos para retirada de uma árvore que caiu em cima de um veículo na Rua Desembargador Motta, próximo ao cruzamento com a Alameda Princesa Izabel, no bairro Bigorrilho. Ninguém ficou ferido.

No fim da manhã houve, ainda, registro de queda de galho grande de árvore na Rua Coronel Dulcídio, que chegou a provocar bloqueio parcial da pista, no bairro Água Verde.

Por volta das 17h, continuava em alerta o semáforo do cruzamento das ruas Francisco Nunes e Chile, no Prado Velho, com presença dos agentes da Setran. No cruzamento das ruas Francisco Nunes e Chile, também houve problemas com o semáforo.

Alagamentos

Com a chuva intensa e a elevação do nível de alguns rios que cortam a cidade, as equipes da Fundação de Ação Social (FAS) fizeram o monitoramento dos territórios onde há áreas de risco de alagamentos. Três famílias que moram no bairro Parolin e tiveram as casas alagadas buscaram atendimento no Centro de Referência da Assistência Social (Cras) da região, onde pediram colchões.

Na Regional CIC, desde o início da tarde, técnicos percorreram o território para acompanhar de perto as famílias. Nenhuma delas precisou de atendimento.

O Cras Parolin, na Regional Portão, e os cinco Cras instalados na Regional CIC estenderam o horário de funcionamento em uma hora para atender famílias que possam precisar de colchões, cobertores e alimentos.

Durante todo o dia, todas as unidades de acolhimento a pessoas em situação de rua funcionaram com capacidade máxima de atendimento. Se a chuva persistir e a demanda aumentar, a FAS abrirá vagas emergenciais.

Em caso de emergência, o cidadão deve recorrer aos telefones 199 (Defesa Civil – alagamentos), 153 (Guarda Municipal – fornecimento de lona), 156 (Central de Atendimento ao Cidadão da Prefeitura – quedas de árvore) e 193 (Corpo de Bombeiros – resgate).

Simepar

A meteorologista do Simepar, Beatriz Porto, disse à Banda B que a quantidade de água que caiu sobre a capital já superou a expectativa para esta quarta-feira e representa uma quantia expressiva devido à estiagem que a região passa neste ano.

“A expectativa de chuva para esta quarta-feira era de 20 mm. Basicamente, nas últimas horas, nós estamos com eventos de chuva moderada à fraca, com rajadas de vento também fracas e poucas incidências de descarga elétrica”, informou.

Próximos dias

Ainda à Banda B, a meteorologista disse que a chuva deverá continuar nos próximos dias. A tendência para esta quinta-feira (12) é que o sol apareça entre as nuvens. “O céu estará com uma nebulosidade bem variável. As chuvas vão acontecer, preferencialmente, no período da tarde, mas de forma mais passageira e irregular. O volume não será tão preciso como hoje em Curitiba, região metropolitana e Litoral do Paraná”.

Já para o final de semana, a tendência é de que o sol volte a aparecer. Porém, o Simepar também prevê que no domingo (15), algumas instabilidades isoladas também aconteçam.

“Na sexta-feira (13) e no sábado (14) teremos pouca nebulosidade e Sol estará na região. Dificilmente, teremos chuva. No domingo (15) a condição de chuva é maior, mesmo sendo mais isolada. Porém, no inicio da próxima semana, os modelos apontam para uma condição mais organizada para uma chuva mais expressiva para a nossa região”, concluiu.

Informações Banda B.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Vídeo mostra uma das primeiras crianças de Curitiba a receber vacina contra Covid em casa; assista

Curitiba iniciou a vacinação contra Covid-19 de crianças de 5 a 11 anos, na manhã desta segunda-feira (17). Um vídeo da prefeitura da capital mostra o momento em que agentes de saúde da capital aplicaram o imunizante da Pfizer em uma das primeiras crianças da faixa convocada. (Assista ao vídeo no final)

Inicialmente será o público de 9 a 11 anos. As primeiras doses são destinadas a grupos prioritários, a começar pelas crianças acamadas, institucionalizadas e indígenas. As equipes da Secretaria Municipal da Saúde (SMS) vão até os locais onde estão os pequenos desse grupo para a aplicação.

Na terça-feira (18), a imunização infantil segue com crianças de 9 a 11 anos com deficiência permanente e com comorbidades, que receberão o imunizante em dez Unidades de Saúde exclusivas para a vacinação do público infantil, conforme o estoque de doses.

Curitiba definiu o cronograma inicial seguindo a recomendação do Plano Nacional de Imunização (PNI), do Ministério da Saúde, para a priorização das doses e ainda sem conhecer o quantitativo de imunizantes e insumos destinados à cidade no primeiro lote enviado pelo ministério.

As primeiras doses do imunizante pediátrico da Pfizer chegaram a Curitiba na tarde de sexta-feira (14). O primeiro lote tem 9.870 doses, suficientes para os grupos chamados para esses dois primeiros dias. Ao todo, a estimativa é que a capital tenha 164.821 crianças entre 5 e 11 anos para vacinar.

Próximas convocações de crianças para da vacinação

As novas convocações da criançada serão de forma escalonada, em ordem decrescente de idade e serão informadas pelos canais oficiais da Prefeitura, dependendo do recebimento de novos lotes de vacina pelo município.

Crianças que completarem 12 anos após o recebimento da primeira dose deverão completar o ciclo vacinal com o mesmo imunizante. Os profissionais de Saúde que vão fazer as aplicações foram têm expertise nessa tarefa e passaram por treinamento de atualização.

A SMS também já está em contato com os locais da cidade que abrigam as crianças institucionalizadas e indígenas e para agendar a aplicação extramuros (onde estão os usuários) do imunizante.

Da mesma forma, já iniciou o contato para agendamento com as famílias de crianças de 5 a 11 anos que estão acamadas e recebem atendimento pelo SUS Curitibano. Os familiares ou responsáveis de crianças acamadas atendidas na rede privada vão poder informar esta condição pelo Aplicativo Saúde Já (mais orientações, abaixo, em Documentação necessária).

Pontos de vacinação para as crianças

Além de treinar 180 profissionais da Saúde para imunizar os pequenos, a SMS já tem definido onde vai prosseguir com a imunização deles.

Após a vacinação extramuros do primeiro grupo – a crianças acamadas, institucionalizadas e indígenas –, Curitiba terá dez Unidades de Saúde exclusivas para vacinar a população de 5 a 11 anos contra a covid-19, separando o fluxo da vacinação anticovid dos adultos. Confira abaixo a lista das unidades.

A vacina Pfizer pediátrica será aplicada em duas doses, com intervalo de oito semanas entre as aplicações – assim como nos adultos – para o esquema vacinal completo.

Porém, a versão pediátrica do imunizante tem especificidades como dosagem, composição, prazo de armazenagem, manejos para diluição e com orientação de insumos diferentes em relação ao imunizante para pessoas com mais de 12 anos.

O frasco da vacina para crianças terá uma cor diferente daquela aplicada em adultos, deverá ser laranja, estratégia adotada para ajudar os profissionais de saúde na hora de aplicar a vacina. Cada dose deverá ter 0,2ml.

Documentação necessária para a vacinação

– Para todas as crianças
É necessário que a criança esteja cadastrada no Aplicativo Saúde Já, incluindo-a como dependente. O cadastro é necessário para que a vacina seja registrada no sistema eletrônico da Secretaria Municipal da Saúde e na carteira vacinal da criança. Esse cadastro também colabora para melhor fluxo da vacinação nas Unidades de Saúde, o que agiliza o fluxo da vacinação, permite incluir imediatamente a dose recebida na carteira de vacinação e estimar a data para a segunda dose.

No dia da vacinação é necessário que um familiar ou responsável acompanhe a criança para a assinatura do termo de consentimento. Deverão ser apresentados documento de identificação com foto, comprovante de residência em nome do responsável pela criança.

– Crianças acamadas
As crianças de 5 a 11 anos acamadas em leitos atendidas pelo SUS Curitibano terão sua dose agendada a partir de um contato telefônico das equipes da SMS com os familiares*.

As que estão acamadas e são atendidas pela rede privada podem informar esta condição à SMS via Aplicativo Saúde Já Curitiba – é necessário atualizar a versão do aplicativo nas lojas virtuais para plataformas Android ou iOS – ou pelo site.

Para as crianças dessa faixa etária que estão acamadas e atendidas em leitos da rede privada, pais e responsáveis vão poder notificar esta situação do pequeno à SMS pelo Aplicativo Saúde Já Curitiba a partir desta sexta-feira (13/1) – basta baixar a atualização nas lojas de aplicativos para Android ou iOS – ou pelo site https://saudeja.curitiba.pr.gov.br/ , escolhendo a opção “Paciente Acamado”.

– Crianças com comorbidades
O
 público infantil com comorbidades (confira aqui a lista de comorbidades), inclusas para a priorização no Plano Nacional de Imunização atendido pelo SUS, precisa estar cadastrado no Aplicativo Saúde Já para receber, na segunda-feira (17/1) a convocação para a vacinação, via mensagem no próprio aplicativo.

As crianças com comorbidades atendidas na rede privada devem apresentar declaração emitida pelo médico que os acompanha, segundo o modelo disponível para esses profissionais no site do CRM-PR.

 Deficiência permanente

Para os pequenos de 5 a 11 anos desse grupo, familiar ou responsável deve apresentar documento que comprove essa condição, como cartão-transporte da Urbs de isento para Pessoa Com Deficiência Permanente (identificado com a letra “I” no canto superior direito); Identidade (RG) emitida a partir de 2019 com a indicação “Pessoa com Deficiência”; Declaração pelo médico que acompanha a crianças, no modelo disponível a esses profissionais pelo site do CRM-PR, com a indicação da Deficiência Permanente

Cronograma de vacinação

Início da vacinação de crianças contra a covid-19 em Curitiba

17/1 (segunda feira) – Vacinação de crianças de 5 a 11 anos acamadas, crianças institucionalizadas e indígenas
*Vacinação extramuros: As equipes da SMS vão até os locais para a aplicação da primeira dose da Pfizer pediátrica

18/1 (terça-feira) – Vacinação de crianças de 9 a 11 anos com comorbidades ou deficiência permanente
*Vacinação extramuros para as crianças acamadas e vacinação nas Unidades de Saúde para crianças com comorbidades ou deficiência.

Unidades de Saúde Exclusivas para vacinação contra covid-19 de crianças 5 a 11 anos

Das 8h às 17h, a partir de 18/1

• Distrito Sanitário Bairro Novo
Unidade de Saúde Nossa Senhora Aparecida (Rua Carlos Amoretty Osório, 169, Sítio Cercado)

• Distrito Sanitário Boa Vista
Unidade de Saúde Santa Efigênia (Rua Voltaire, 139, Barreirinha)

• Distrito Sanitário Boqueirão
Unidade de Saúde Tapajós (Rua André Ferreira de Camargo, 188, Xaxim)

• Distrito Sanitário Cajuru
Unidade de Saúde Iracema (Rua Professor Nivaldo Braga, 1571, Capão da Imbuia)

• Distrito Sanitário CIC
Unidade de Saúde Atenas (Rua Emilia Erichsen, 45,Cidade Industrial)

• Distrito Sanitário Matriz
Unidade de Saúde Mãe Curitibana (Rua Jaime Reis, 331,Alto do São Francisco)

• Distrito Sanitário Pinheirinho
Unidade de Saúde Fanny/Lindóia (Rua Conde dos Arcos, 295, Lindóia)

• Distrito Sanitário Portão
Unidade de Saúde Santos Andrade (Rua Nelson Ferreira da Luz,145, Campo Comprido)

• Distrito Sanitário Santa Felicidade
Unidade de Saúde Bom Pastor (Rua José Casagrande, 220, Vista Alegre)

• Distrito Sanitário Tatuquara
Unidade de Saúde Santa Rita (Rua Adriana Ceres Zago Bueno, 1350, Tatuquara)

Imagens: Renato Prospero/Divulgação SMCS.

Em 15 dias, Curitiba ultrapassa 62% da média histórica de chuvas prevista para janeiro

Curitiba já ultrapassou 62% da média histórica de chuvas prevista para o mês de janeiro. Até este domingo (16), de acordo com o Sistema de Tecnologia e Monitoramento Ambiental do Paraná (Simepar), foram totalizados 113,8 mm de volume de água.

Conforme o Simepar, a média climatológica para janeiro é de 182,1 mm. Ou seja, se continuar chovendo com frequência, a capital pode bater esse índice.

Neste fim de semana, Curitiba registrou temporais com ventos e chuva de granizo, que causaram alagamentos em vários pontos da cidade. O acumulado na madrugada de domingo totalizou 62,2 mm.

Apesar do grande volume registrado, não houve casos graves, nem pessoas feridas ou que precisaram deixar suas casas.

A previsão de chuva permanece ao longo da semana, pelo menos, até quarta-feira.