Bandeira vermelha é prorrogada em Curitiba até dia 28

Curitiba segue até o dia 28 de março com medidas restritivas da bandeira vermelha. O anuncio foi feito nesta sexta-feira (19) pela prefeitura da cidade.

A decisão ocorre devido ao agravamento da pandemia do novo coronavírus e a ocupação máxima dos leitos de UTI SUS do município. A bandeira vermelha indica alerta máximo e estabelece medidas mais restritivas no comércio e circulação de pessoas.

Curitiba entrou na bandeira vermelha no dia 13 de abril. Nesta quinta-feira (18), a taxa de ocupação dos leitos de UTI SUS exclusivos para covid-19 estava em 100%. Já a taxa de ocupação dos leitos clínicos estava em 101%. No momento não há leitos livres para internação de pacientes.

Com a medida, que entrou em vigor no dia 13, serviços não essenciais não podem funcionar e alguns serviços essenciais têm horários restritos de atendimento.

Confira o que abre e o que fecha em Curitiba

O que não pode funcionar:

  • Reuniões, eventos e afins que promovam aglomeração, sejam de cunho familiar ou corporativo, em espaços públicos ou privados;
  • Bares;
  • Comércio, de rua ou localizado em shoppings ou centros comerciais;
  • Salões de beleza e afins;
  • Parques, com proibição inclusive para prática de qualquer atividade física individual ou coletiva;
  • Academias;
  • Espaços de prática de atividades esportivas individuais e coletivas, seja em praças ou em clubes sociais e desportivos, condomínios e áreas residenciais;
  • Aulas presenciais em toda rede de ensino, inclusive privado;
  • Consumo de bebida alcoólica em locais de uso público ou coletivo.

O que pode funcionar com restrições:

  • Restaurantes e lanchonetes: Das 10h às 22h, todos os dias da semana, apenas na modalidade de entrega. É proibido, em qualquer dia, o consumo no local, drive thru ou retirada em balcão;
  • Panificadoras, padarias e confeitarias de rua: Das 6h às 20 h, de segunda a sábado. Aos domingos, funciona das 7 às 18 horas, sendo proibido o consumo no local em todos os dias da semana;
  • Mercados e supermercados: das 7h às 20, de segunda a sábado, sendo autorizado aos domingos apenas o atendimento na modalidade delivery até as 20h;
  • Restaurantes localizados em shoppings e galerias: Todos os dias, das 10h às 20h, apenas na modalidade de entrega;
  • Transporte público: com 50% de lotação;
  • Lojas de materiais de construção: das 9h às 18h, todos os dias da semana, apenas na modalidade de entrega;
  • Serviço de call-center relacionado a serviços essenciais: A partir das 9h, com até 50% da capacidade de operação.

O que pode funcionar sem restrições:

  • Assistência à saúde, incluídos os serviços médicos, odontológicos, fisioterápicos, laboratoriais, farmacêuticos e hospitalares;
  • Assistência social e atendimento à população em estado de vulnerabilidade;
  • Atividades de segurança pública e privada, incluídas a vigilância, a guarda e a custódia de presos;
  • Atividades de defesa nacional e de defesa civil;
  • Trânsito e transporte coletivo, inclusive serviços de taxi e transporte remunerado privado individual de passageiros;
  • Telecomunicações e internet;
  • Serviços relacionados à tecnologia da informação e processamento de dados (data center), para suporte de atividades essenciais previstas neste decreto;
  • Geração, transmissão e distribuição de energia elétrica, incluído o fornecimento de suprimentos para o funcionamento e a manutenção das centrais geradoras e dos sistemas de transmissão e distribuição de energia, bem como as respectivas obras de engenharia;
  • Produção e distribuição de produtos de higiene, limpeza, alimentos e materiais de construção;
  • Serviços funerários;
  • Guarda, uso e controle de substâncias, materiais e equipamentos com elementos tóxicos, inflamáveis, radioativos ou de alto risco, definidos pelo ordenamento jurídico brasileiro, em atendimento aos requisitos de segurança sanitária, metrologia, controle ambiental e prevenção contra incêndios;
  • Vigilância e certificações sanitárias e fitossanitárias;
  • Prevenção, controle e erradicação de pragas dos vegetais e de doença dos animais;
  • Inspeção de alimentos, produtos e derivados de origem animal e vegetal;
  • vigilância agropecuária;
  • Controle de tráfego aéreo e terrestre;
  • Serviços de pagamento, de crédito e de saque e aportes prestados pelas instituições financeiras;
  • Serviços postais;
  • Serviços de transporte, armazenamento, entrega e logística de cargas de produtos essenciais;
  • Fiscalização tributária e aduaneira;
  • Distribuição e transporte de numerário à população e manutenção da infraestrutura tecnológica do Sistema Financeiro Nacional e do Sistema de Pagamentos Brasileiro;
  • Fiscalização ambiental;
  • Produção de petróleo, produção, distribuição e comercialização de combustíveis, biocombustíveis, gás liquefeito de petróleo e demais derivados de petróleo, vedado o funcionamento de lojas de conveniências em postos de combustíveis;
  • Monitoramento de construções e barragens que possam acarretar risco à segurança e obras de contenção;
  • Levantamento e análise de dados geológicos com vistas à garantia da segurança coletiva, notadamente por meio de alerta de riscos naturais e de cheias e inundações;
  • Mercado de capitais e seguros;
  • Cuidados com animais em cativeiro;
  • Atividades médico-periciais relacionadas com a seguridade social, compreendidas no artigo 194 da Constituição;
  • Atividades médico-periciais relacionadas com a caracterização do impedimento físico, mental, intelectual ou sensorial da pessoa com deficiência, por meio da integração de equipes multiprofissionais e interdisciplinares, para fins de reconhecimento de direitos previstos em lei, e
  • Outras prestações médico-periciais da carreira de perito médico indispensáveis ao atendimento das necessidades inadiáveis da comunidade;
  • Fiscalização do trabalho;
  • Atividades de pesquisa, científicas, laboratoriais ou similares relacionadas com a pandemia de que trata este decreto;
  • Atividades de representação judicial e extrajudicial, assessoria e consultoria jurídicas exercidas por advogados públicos e privados;
  • Unidades lotéricas;
  • Atividades de processamento do benefício do seguro-desemprego e de outros benefícios relacionados, por meio de atendimento presencial ou eletrônico;
  • Produção, distribuição, comercialização, manutenção, reposição, assistência técnica, monitoramento e inspeção de equipamentos de infraestrutura, instalações, máquinas e equipamentos em geral, incluídos elevadores, escadas rolantes, equipamentos de refrigeração e climatização para serviços e atividades essenciais;
  • Atividades de produção, exportação, importação e transporte de insumos e produtos químicos, petroquímicos e plásticos em geral;
  • Atividades cujo processo produtivo não possa ser interrompido sob pena de dano irreparável das instalações e dos equipamentos, tais como o processo siderúrgico e as cadeias de produção do alumínio, da cerâmica e do vidro;
  • Atividades de lavra, beneficiamento, produção, comercialização, escoamento e suprimento de bens minerais;
  • Atividades de atendimento ao público em agências bancárias, cooperativas de crédito ou estabelecimentos congêneres, referentes aos programas governamentais ou privados destinados a mitigar as consequências econômicas da emergência de saúde pública de que trata a lei nº 13.979, de 2020;
  • Produção, transporte e distribuição de gás natural;
  • Indústrias químicas e petroquímicas de matérias-primas ou produtos de saúde, higiene, alimentos e bebidas;
  • Captação, tratamento e distribuição de água;
  • Captação e tratamento de esgoto e lixo;
  • Serviços de zeladoria urbana e limpeza pública;
  • Serviços de lavanderias;
  • Serviços de limpeza;
  • Iluminação pública;
  • Serviços relacionados à imprensa;
  • Produção, armazenagem, distribuição, comercialização e entrega, realizadas presencialmente ou por meio do comércio eletrônico, de produtos de saúde, farmacêuticos, óticos, e lojas especializadas na venda de artigos médicos, odontológicos, ortopédicos e hospitalares;
  • Produção, armazenagem, distribuição, comercialização e entrega, realizadas presencialmente ou por meio do comércio eletrônico, de produtos de saúde e farmacêuticos para animais, não incluídos os serviços de banho, tosa e estética;
  • Central de distribuição de alimentos;
  • Assistência veterinária;
  • Compensação bancária, redes de cartões de crédito e débito, caixas bancários eletrônicos e outros serviços não presenciais de instituições financeiras;
  • Mercado de capitais e seguros;
  • Fretamento para transporte de funcionários de empresas e indústrias, cuja atividade esteja autorizada ao funcionamento;
  • Transporte de profissionais da saúde e de coleta de lixo;
  • Serviços agropecuários para manter o abastecimento de insumos e alimentos necessários à manutenção da vida animal, vedada a comercialização de flores e plantas ornamentais;
  • Setor industrial vinculado à disponibilização dos insumos necessários à cadeia produtiva relativa ao funcionamento dos serviços e das atividades essenciais na forma deste decreto;
  • Serviços de guincho, manutenção e reparação de veículos automotores, comercialização de peças de veículos automotores e bicicletas, incluídas oficinas e borracharias, vedada a comercialização de veículos em geral;
  • Assistência técnica de eletrodomésticos, produtos eletrônicos, celulares e smartphones e equipamentos de informática;
  • Chaveiros;
  • Serviços notariais e de registro (cartórios e tabelionatos);
  • Sindicatos de empregados e empregadores;
  • Repartições públicas em geral.

Mais informações em breve

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Campanha “Vacina UFPR” chega a mais de mil doações individuais; saiba como contribuir

A campanha “Vacina UFPR” mobiliza a sociedade para a captação de recursos e o financiamento de uma vacina 100% nacional e de baixo custo contra a Covid-19 e outras doenças. 

Em 20 dias, já foram arrecadados R$ 83.323,48 em 1005 doações individuais. No mesmo período, o site vacina.ufpr.br já teve mais de 8 mil acessos e os posts nas redes sociais da UFPR já alcançaram quase 400 mil pessoas, com 3600 compartilhamentos. 

A divulgação da campanha estimulou outros tipos de engajamento. Por sugestão de uma amiga, a fotógrafa e influenciadora digital Patrícia Miguez compartilhou um vídeo para incentivar as doações. Apenas nas redes da UFPR, o material já foi visto por mais de 132 mil pessoas.

Ela aceitou o desafio por entender que a vacina pode servir para outras doenças e ajudar pessoas no Brasil e em outras partes do mundo, no futuro.  “É uma questão de ajudar a comunidade científica e o nosso país como um todo. A vacina é uma arma muito importante. Caso você não possa ajudar, marque as pessoas nas suas redes e espalhe. Quanto mais gente tiver essa informação, mais gente pode doar e ajudar a UFPR a desenvolver a vacina. Vai ser uma bênção ter uma opção barata, nacional e com multipropósito”, relata Patrícia.  

As contribuições para a campanha “Vacina UFPR” permitirão aos pesquisadores avançar com as fases de testes em animais até o final do ano, o que credenciará o pedido à Anvisa para os testes em humanos. 

Com as doações, será possível também aprimorar a infraestrutura física e laboratorial, buscar a transferência de tecnologia para produção em escala industrial e o desenvolvimento de imunizantes.

Sobre a capacidade de produção 100% nacional, o reitor da UFPR, Ricardo Marcelo Fonseca, destaca: “É muito importante para a soberania do país que tenhamos uma vacina sem a dependência de importação de insumos. Esta luta por uma vacina nacional reforça a importância da ciência e da universidade pública, que se mostraram imprescindíveis durante essa pandemia”. 

O superintendente de parcerias e inovação da UFPR, Helton José Alves, ressalta a economia para os cofres públicos que o imunizante da UFPR poderá trazer. “Para cada real economizado por dose da vacina, estamos falando de milhões de reais, o que torna mais interessante essa plataforma, para a Covid-19 e outras patologias”, revelou Alves em entrevista ao programa “Volume UFPR”, da Rádio UniFM. 

O professor Emanuel Maltempi de Souza, um dos pesquisadores responsáveis pelo desenvolvimento da Vacina UFPR, em reportagem da Agência Escola de Comunicação Pública da UFPR, explica que o projeto foi concebido pensando no retorno à sociedade dos conhecimentos produzidos na universidade. “Se continuarmos tendo sucesso no desenvolvimento e testagem da Vacina UFPR, estou convencido que o país terá condições de produzir as doses necessárias para todos os brasileiros”. 

Para alcançar esses objetivos, os custos estão estimados em R$ 76 milhões de reais. Por isso, a campanha aceita doações de qualquer valor, por depósito, transferência bancária para a conta da campanha ou usando chave Pix. 

No site vacina.ufpr.brestão disponíveis os relatórios de acompanhamento dos recursos captados para o desenvolvimento da vacina e notícias sobre o avanço das pesquisas. 

A conta bancária para as doações é exclusiva do Programa de Imunizantes da UFPR, gerida pela Fundação da Universidade Federal do Paraná – FUNPAR. Todas as doações de pessoas físicas e/ou jurídicas são destinadas exclusivamente à continuidade da pesquisa e desenvolvimento da vacina  e não são dedutíveis do Imposto de Renda. 

Os valores captados pela campanha se somam aos financiamentos já obtidos via Rede Vírus, do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), em parceria com o Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações (MCTI), a recursos próprios da UFPR e aos do Governo do Estado do Paraná, que chegam a R$ 1,3 milhão.  

Além disso, o Tribunal de Contas do Estado transferiu R$ 18 milhões ao Governo do Estado, que serão destinados à estrutura de laboratórios para a Vacina UFPR. O poder executivo deve repassar esse valor à universidade por meio de um acordo que será celebrado em breve. 

Compre 2 e pague 1: clube Prime Gourmet chega a Curitiba com desconto em experiências exclusivas

O Prime Gourmet, clube de descontos exclusivos e focado na experiência do cliente com parceiros de excelência, chegou em Curitiba.

O intuito do clube é proporcionar momentos únicos baseados na experiência de outros usuários do aplicativo em estabelecimentos ou serviços requintados da cidade. Ao comprar 2 experiências, o cliente paga apenas 1!

O Prime Gourmet funciona através de um aplicativo (que pode ser baixado na AppStore ou no PlayStore) com serviço e ofertas. É quase um Guia Gastronômico, Turístico e Hoteleiro que proporciona aos clientes uma variedade enorme de ofertas entre os melhores estabelecimentos comerciais de cada região.

O valor da assinatura promocional e exclusivo para Curitiba é de apenas R$ 100,00 por ano. As ofertas disponibilizadas pelos estabelecimentos parceiros são na modalidade de pague por um e ganhe outro do mesmo ou menor valor.

  • Na compra de um PRATO, ganhe outro de igual ou menor valor;
  • Na compra de um INGRESSO, ganhe outro de igual ou menor valor;
  • Na compra de uma DIÁRIA, ganhe outra de igual ou menor valor.

Leitores do Busão Curitiba ainda contam com um desconto adicional: R$ 10 ao ativar o plano anual com o código BUSAOCURITIBA. Com isso, a assinatura anual sai por apenas R$ 90, ou seja, apenas R$ 7,50 por mês de assinatura para aproveitar todos os descontos em Curitiba e região!

Experiências do Prime Gourmet em Curitiba

O aplicativo já conta com mais de 60 empresas parceiras em Curitiba. Algumas opções que o Busão Curitiba conferiu:

  • Mozarellart (compre uma burrata e ganhe outra)
  • Cervejaria Way (compre 1 ingresso e ganhe outro)
  • Clube Doce (Box de doces)
  • Ahmed Kmeshi (Tour fotográfico nos pontos turísticos de Curitiba)
  • Cooktop CWB (Deguste de vinhos com sommelier)
  • SPA Bewll (Argiloterapia)
  • Calango Expedições
  • Boiacross na Serra do Mar
  • Mister Dea Restaurante
  • Don Andreatta Hamburgueria
  • Emporium Schmitz no Vila Yamon
  • Hotel Intercity
  • Transfer para o Aeroporto Afonso Pena com a Bob Receptivos
  • Entre outras

Sobre o Prime Gourmet

O Prime está atualmente em 17 cidades espalhadas por todo o Brasil, – além de oferecer parcerias no Paraguai e Argentina. No Paraná atua há dois anos em Foz do Iguaçu, contando na região da tríplice fronteira com mais de 150 parceiros da área gastronômica, hoteleira e de entretenimento.

O Prime Gourmet oferece descontos para passeios, gastronomia e hotelaria em Curitiba e região💛😎
O Prime Gourmet oferece descontos para passeios, gastronomia e hotelaria em Curitiba e região💛😎

Mais informações:
SITE: linktr.ee/primegourmetcwb
INSTAGRAM: @primegourmetcuritiba
WHATSAPP: +55 45 2102-7768 ou bit.ly/PRIMEGOURMETPR