Copel doa 21 respiradores e ventiladores para combate à pandemia no Paraná

A Copel está doando 10 respiradores de leito e 11 ventiladores de beira de leito para auxiliar pacientes de Covid-19 na rede pública de saúde do Paraná. O valor da doação é de R$ 1,1 milhão e foi arrecadado na campanha Fatura Solidária. Pela iniciativa, a companhia faz uma doação para o combate à pandemia sempre que um consumidor opta pela fatura digital ou coloca a conta em débito automático.

Foto: Divulgação SESA

“As ações da Copel para minimizar os impactos da pandemia são um esforço conjunto da empresa com os consumidores. Essa união tem um objetivo claro: salvar vidas”, explica o presidente da Copel, Daniel Slaviero.

A Fatura Solidária foi lançada em maio de 2020 e segue em vigência. A cada cliente que opta pela fatura digital, a Copel doa R$ 2 para as ações de combate à Covid-19 no Paraná. Se os clientes cadastrarem a conta de luz no débito automático, são mais R$ 3 doados. A ação não tem custos para o consumidor.

“Neste momento, o Paraná enfrenta um grande desafio para ampliar o atendimento de toda a população. Por isso, a ajuda de todos é imprescindível. Quanto mais pessoas contribuírem, mais recursos conseguiremos destinar para enfrentar a pandemia”, destaca o diretor de Governança, Risco e Compliance da Copel, Vicente Loiácono Neto.

O repasse dos valores e a prestação de contas das instituições estão sendo analisados e devidamente auditados. A companhia segue trabalhando em regime de contingência para garantir a manutenção das operações de seus serviços, essenciais para a economia e a qualidade de vida dos paranaenses.

“Continuamos com mais de 4 mil funcionários atuando em trabalho remoto e permanecemos seguindo medidas restritivas de segurança com as equipes que precisam se manter em campo”, afirma a diretora de Gestão Empresarial da Copel, Ana Letícia Feller.

COMO AJUDAR 

A adesão à fatura digital pode ser feita através da agência virtual, no site www.copel.com ou pelo aplicativo da Copel, disponível gratuitamente nas lojas virtuais Google Play e App Store.

O cadastro de débito automático também pode ser feito pelos canais virtuais de atendimento. No Banco do Brasil, é preciso informar o número do convênio: 13896. Além disso, é importante confirmar com o banco se a adesão foi concretizada e acompanhar os débitos mensalmente.

Clientes da Copel Telecom também participam da campanha ao cadastrar sua fatura de internet em débito automático. Isso pode ser feito na área do cliente, no site www.copeltelecom.com ou pelo telefone 0800 41 41 81.

SUSTENTABILIDADE 

Desde o início da pandemia, a Copel vem atuando em regime de contingência para garantir a prestação de serviços à sociedade. Signatária do Pacto Global da ONU e do movimento paranaense que trabalha pelos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS), a empresa também incentiva ações voluntárias, como a doação de 16 toneladas de alimentos à campanha Cesta Solidária por empregados da companhia. A campanha é uma iniciativa do Governo do Estado que tem como objetivo ajudar as famílias paranaenses em situação de vulnerabilidade social, as mais impactadas pela pandemia do novo coronavírus.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Covid: Brasil tem 60% da população imunizada com a primeira dose

Com a vacinação de mais de 96 milhões de brasileiros contra a covid-19 com, pelo menos, a primeira dose do imunizante, o número de casos e de óbitos pela doença caíram cerca de 40%, em um mês, de acordo com dados do LocalizaSUS, plataforma do Ministério da Saúde.

Os números consideram a média móvel de casos e mortes de 25 de junho a 25 de julho deste ano. No caso das mortes, a queda é de 42%: passou de uma média móvel de 1,92 mil para 1,17 mil, no período. O número de casos caiu para 42,77 mil na média móvel de domingo (25), o que representa redução de 40% em relação ao dia 25 de junho, segundo o Ministério da Saúde.

Vacinas

O Brasil ultrapassou a marca de 60% da população vacinada com, pelo menos, uma dose de vacina contra a covid-19. Nessa situação já são mais de 96,3 milhões de brasileiros, dos 160 milhões com mais de 18 anos. Apesar da boa marca de primeira dose, segundo dados do vacinômetro do Ministério da Saúde, o número de pessoas com ciclo de imunização completo, ou seja, que tomaram duas doses da vacina ou a dose única é de 37,9 milhões de pessoas. Para que as vacinas sejam de fato eficazes, as autoridades de saúde alertam que é necessário que as pessoas tomem as duas doses. “A medida reforça o sistema imunológico e reduz as chances de infecção grave, gravíssima e, principalmente, óbitos em decorrência da covid-19”, destaca o Ministério.

Ainda segundo balanço da pasta, das 164,4 milhões de doses enviadas para os estados, 81,5 milhões são da AstraZeneca/Oxford, 60,4 milhões são da CoronaVac/Sinovac, 17,8 milhões de Pfizer/BioNTech e 4,7 milhões da Janssen, imunizante de dose única. “Todas as vacinas estão devidamente testadas, são seguras e têm autorização da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para serem aplicadas nos braços dos brasileiros”, destacou o Ministério.

Novas doses

Até o fim de 2021, a expectativa é de que mais de 600 milhões de doses de imunizantes contra o novo coronavírus, contratadas por meio de acordos com diferentes laboratórios, sejam entregues ao Programa Nacional de Imunizações. Somente para o mês de agosto, a previsão é de que a pasta receba, pelo menos, 63 milhões de doses.

Produção local

A partir de outubro, o Brasil deve entrar em uma nova fase em relação à vacinas contra a covid-19 com a entrega das primeiras doses 100% nacionais. É que o Brasil assinou um acordo de transferência de tecnologia da AstraZeneca para a Fundação Oswaldo Cruz (FioCruz) que permitirá a produção nacional do Insumo Farmacêutico Ativo (IFA) da vacina de covid-19. Atualmente, o Brasil só produz vacina com o IFA importado.

Brasil registra 169 casos da variante Delta

Balanço divulgado nesta segunda-feira (26) pelo Ministério da Saúde informou que o número de casos da variante Delta do novo coronavírus subiu para 169. Na atualização divulgada na sexta-feira (23), o número estava em 143. Deste total, 13 pacientes tiveram quadro grave e morreram em decorrência da covid-19.

O local com mais registros até o momento foi o Rio de Janeiro, com 88 casos mapeados. O Distrito Federal teve um salto e assumiu o segundo lugar, com 30 casos, contra seis na sexta-feira.

Em seguida vêm São Paulo com 15, Paraná com 13, Maranhão com sete, Santa Catarina com cinco, Goiás com quatro, Rio Grande do Sul e Pernambuco com três cada e Minas Gerais com um.

O Ministério reafirmou em comunicado que orienta estados e municípios a ampliar o sequenciamento genômico (procedimento que permite encontrar as variantes do novo coronavírus entre os infectados).

Além disso, são recomendações a notificação imediata dos casos, o isolamento dos infectados e a adoção de medidas de prevenção em áreas onde foram encontrados pacientes com a variante.