Conselho aprova e salário mínimo regional do Paraná irá até R$ 1.696,20

O Conselho Estadual do Trabalho, Emprego e Renda (Ceter), vinculado à Secretaria de Estado da Justiça, Família e Trabalho, aprovou nesta terça-feira (12) a definição dos valores do novo salário mínimo regional. Os salários variam de R$ 1.467,40 a R$ 1.696,20, conforme a categoria, mantendo o Paraná como estado com o maior mínimo regional do País. Os pisos reajustados deverão entrar em vigor nos próximos dias e serão aplicados até 31 de dezembro de 2021.

 A Lei nº 20423/20, que formaliza a regra de valorização do reajuste do piso salarial estadual, foi sancionada em dezembro do ano passado pelo governador Carlos Massa Ratinho Junior. Na proposta aprovada pelo conselho, o reajuste dos valores foi feito pelo mesmo índice aplicado para reajuste do Salário Mínimo Nacional para 2021, acrescido de 0,7%, o que representa 50% do resultado do PIB de 2019.

Os valores do Paraná são de 33,4% a 54,42% superiores ao salário mínimo nacional aprovado no ano passado, que passou de R$ 1.045,00 para R$ 1.100,00. “Os trabalhadores paranaenses são ainda mais valorizados com essa política salarial, que garante um ganho real no salário, acima da inflação do ano anterior. A iniciativa dá mais poder de compra aos paranaenses, o que também é positivo para a economia do Estado”, afirmou Ratinho Junior.

“O salário mínimo regional é uma referência para a negociação das categorias sindicalizadas e uma garantia para as categorias que não têm sindicato”, explica o secretário estadual de Justiça, Família e Trabalho, Ney Leprevost.

CATEGORIAS – O Paraná adota um piso regional, superior ao valor nacional, com quatro faixas salariais. Na categoria dos trabalhadores agropecuários, florestais e da pesca, o piso sobe para R$ 1.467,40. Para o setor de serviços administrativos, serviços gerais, de reparação e manutenção e vendedores do comércio em lojas e mercados, o salário aumenta para R$ 1.524,60. Esta categoria engloba também a classe de trabalhadores domésticos.

Para os empregados na produção de bens e serviços industriais, o piso vai para R$ 1.577,40. Para o último grupo, na categoria de técnicos de nível médio, o piso passa a ser R$ 1.696,20.

O mínimo regional não se aplica aos empregados que têm o piso salarial definido em lei federal, convenção ou acordo coletivo de trabalho, nem aos servidores públicos.

HISTÓRICO – Desde 2006, ano da criação, o salário mínimo regional do Paraná sempre foi estabelecido em patamares superiores aos do salário mínimo nacional. O piso é reajustado pelo mesmo percentual aplicado para o reajuste do nacional – baseado na variação do Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) do ano anterior – com aplicação adicional, a título de ganho real, da variação real do PIB nacional observada dois anos antes.

As discussões para a ratificar o reajuste são feitas de forma paritária no Conselho do Trabalho, que é formado por bancadas com representantes dos trabalhadores, patrões e do governo. “O trabalho das bancadas na construção do diálogo foi fundamental para que se chegasse em um entendimento e uma aprovação do piso no Estado”, afirmou a presidente do Ceter, Juliana Dias Bacarin, que representa a Fiep (bancada patronal). “É um ganho que valoriza todos os grupos de trabalhadores”, ressaltou.

Paulo Roberto dos Santos Pissinini, diretor do Sindicato dos Metalúrgicos da Grande Curitiba e membro da Força Sindical no Ceter, representando a bancada dos trabalhadores, afirma que a política salarial adotada pelo Paraná é referência no Brasil.

“A proposta é construída a muitas mãos e debatida entre o governo, os empresários e os trabalhadores. É uma ação necessária para a valorização da mão de obra no Estado e importante para o próprio crescimento do Paraná”, disse.

Informações AEN.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

PRF encontra toneladas de maconha em meio a carga de milho; é a maior apreensão do ano no Paraná

A apreensão aconteceu na manhã de sexta (22), em Marechal Cândido Rondon, na região oeste do Paraná

Cerca de 2.560 quilos de maconha foram apreedidos pela Polícia Rodoviária Federal (PRF), na manhã de sexta (22), em Marechal Cândido Rondon (PR), na região oeste do Paraná. A apreensão da droga foi a maior deste ano no Paraná, até o momento.

Por volta das 7h, uma equipe da PRF abordou uma carreta, com placas de Palhoça (SC) e Rio do Sul (SC) que transitava na BR-163. O motorista, que não apresentou documentos pessoais, disse que estava carregado com milho e apresentou a nota fiscal da carga.

Ao se aproximarem do semirreboque, os policiais sentiram odor de maconha e em seguida, solicitaram ao homem que retirasse a lona do veículo para que a carga fosse vistoriada. Ao inspecionarem o milho, os prfs encontraram alguns fardos da droga se sobressaindo em meio à carga de grãos.

De imediato, foi dada voz de prisão ao homem, de 32 anos. Ele disse à equipe que não sabia que se tratava de droga. Também informou que havia carregado o veículo com milho a granel em Dourados (MS) na quarta-feira (20) e, na quinta (21), teria ido até a cidade de Naviraí (MS), local onde lhe foi oferecida uma certa quantia em dinheiro para que ele transportasse uma carga de óculos até Concórdia (SC).

Em vistoria na cabine da carreta foram encontrados 8 comprimidos do medicamento nobésio (popularmente conhecido por rebite).

O preso, a droga e a carreta apreendida foram encaminhados à Delegacia da Polícia Federal em Guaíra/PR.

Informações Banda B.

Com capacidade reduzida e uso de máscara, IAT estabelece regras para entrada nos parques estaduais

Entrada apenas pelas portarias oficiais, com cadastro e uso de máscaras são algumas exigências para quem visita os Parques Estaduais do Paraná. Desde o início das medidas de segurança sanitária e do isolamento social, propostos pela Organização Mundial da Saúde (OMS), aumentou a procura por informações sobre atrativos em Unidades de Conservação (UCs) do Estado.

Ao todo, são 21 Parques Estaduais para visitação abertos ao público no Paraná, porém com normas a serem seguidas. As orientações estão na Portaria nº 06/2021, publicada no início do mês pelo Instituto Água e Terra (IAT), órgão vinculado à Secretaria do Desenvolvimento Sustentável e do Turismo.

A Diretoria de Patrimônio Natural do Instituto elaborou, ainda, o Informativo nº 01/2021, com orientações às administrações das Unidades e à população. A fim de evitar transtornos, é indicado que o visitante ligue com antecedência para verificar a disponibilidade de vagas.

A fim de evitar aglomeração, o horário de visitação nas 21 Unidades é das 8h00 às 17h00 e a capacidade máxima de público foi reduzida em 50%.

Ainda de acordo a publicação, é proibida a prática de esportes coletivos nas dependências das UCs, bem como a promoção de eventos. Também estão vetados os acampamentos, fogueiras e comercialização de serviços dentro dos parques.       

“É importante a atenção e o respeito às medidas de combate ao Covid-19 para a segurança de todos. Com o respeito aos protocolos, é possível que as Unidades de Conservação fiquem abertas para que todos possam visitá-las”, afirma o diretor de Patrimônio Natural do IAT, Rafael Andreguetto.

As portarias dos Parques Estaduais devem ter álcool em gel à disposição do público. As administrações devem aumentar a higienização das dependências e medir a temperatura dos visitantes. Turistas com medição de temperatura corporal acima de 37,8ºC terão o acesso negado ao parque.

Todas as medidas exigidas na Portaria nº 06/2021 podem ser consultadas  AQUI

Para consultar o informativo do IAT, basta clicar  AQUI

INFRAÇÃO – Não seguir as determinações impostas pelo órgão ambiental acarreta em infração ambiental prevista no Decreto Federal nº 6.514/08, que dispõe sobre as infrações e sanções administrativas ao meio ambiente.

RMC – Os Parques Estaduais da Região Metropolitana de Curitiba (RMC) e Serra do Mar ficaram fechados por mais tempo devido à grande procura durante a pandemia e os riscos de focos de incêndios causados pela estiagem.

Foto: AEN

O Pico Paraná é um dos mais famosos destinos do país para os entusiastas de montanhismo e do turismo de aventura. São permitidas 200 pessoas simultaneamente nas trilhas.

Parque Estadual Pico do Marumbi Foto: Arnaldo Alves / ANPr.

O Parque Estadual Pico do Marumbi abriga três atrativos: Pico Marumbi, Salto dos Macacos e Morro do Canal. A média de procura, especialmente nos finais de semana, é de 100 pessoas no Pico Marumbi e 100 pessoas no Salto dos Macacos. Para o acesso às trilhas do Morro do Canal, o acesso deve ser feito pela propriedade particular Morro do Canal.

Já no Parque Estadual Serra da Baitaca, 500 pessoas em média procuram a unidade nos finais de semana, após a reabertura no início deste mês. O atrativo mais procurado é o Anhangava, que permite 166 pessoas por dia.

Foto: Harvey FS/IAP

O Parque também abriga o Caminho do Itupava, com capacidade de 314 pessoas por dia para visitação, e o Pão de Loth, com capacidade de 166 pessoas por dia.

Para possibilitar o controle de visitantes, os turistas recebem uma pulseira de identificação que pulseira deve ser colocada em local visível durante todo o tempo de permanência no interior da Unidade de Conservação.

Para saber como chegar e outras informações sobre os Parques do Paraná, clique  AQUI

Confira a lista dos Parques Estaduais abertos a visitação:

Parque Estadual Pico do Marumbi

Parque Estadual do Palmito

Parque Estadual Rio da Onça

Parque Estadual Serra da Baitaca

Parque Estadual do Monge

Parque Estadual de Vila Velha

Parque Estadual do Cerrado

Parque Estadual do Guartelá

Parque Estadual do Lago Azul

Parque Estadual Vila Rica do Espírito Santo

Parque Estadual de Ibicatu

Parque Estadual de São Camilo

Parque Estadual Cabeça do Cachorro

Parque Estadual Rio Guarani

Parque Estadual Pico do Paraná

Parque Estadual Serra da Esperança

Ilha do Mel

Monumento Natural Salto São João

Parque Estadual João Paulo II

Parque Estadual Vitório Piassa.

Informações AEN.