Conheça o maior cachorro-quente de Curitiba, com 60 centímetros

Há 5 anos o Alex Sandro Breda, começou a vender cachorro-quente no bairro Santa Felicidade. No ínicio Alex tinha outro trabalho e se dividia entre as duas funções, mas com o tempo precisou escolher apenas uma e optou por dar continuidade ao seu negócio. Hoje trabalham ele e sua esposa, Angélica Alcante Breda. 

O Rock’Dog, tem o maior cachorro-quente de Curitiba, com 60 centímetros. Inicialmente, começou apenas com a venda dos tradicionais tamanhos, mas Alex percebeu que precisava inovar. “Foi quando eu pesquisei na internet e vi que alguns lugares faziam o de 30 centímetros, então tive a ideia de fazer um maior, o dobro, com 60 centímetros”, conta. 

Logo no início o dog gigante já caiu no gosto dos curitibanos, Alex chegou a vender 50 unidades por dia – além dos tamanhos tradicionais. Hoje eles vendem em média 32 unidades. “Foi necessário diminuir a demanda, tínhamos muitos pedidos e ficamos sobrecarregados”, explica. 

O cachorro-quente de 60 centímetros, serve até 4 pessoas. Os sabores são variados: simples, frango, calabresa, pernil, bacon e o duplo, com dois recheios. O cliente também pode pedir adicionais. 

Já o tamanho tradicional tem 15 centímetros, nos sabores: simples, frango, calabresa, pernil, bacon, duplo, carne moída com pimenta, carne seca, costela e o vegetariano.  

Alex ainda conta algumas curiosidades. Quatro pessoas já conseguiram comer sozinhas, um cachorro-quente inteiro. “Foram quatro rapazes que comeram sozinhos um de 60 centímetros. Três deles comeram em 1h e teve um que comeu em 20 minutos, foi muito rápido, ficamos surpreendidos”, conta.

“Também tivemos clientes que vieram para Curitiba só para buscar o nosso lanche. Tivemos um casal de Joinville e também algumas pessoas de Paranaguá. Fora as pessoas de outros estados que passam por Curitiba e aproveitam para conhecer”, complementa.

O Rock’Dog atende de terça a sábado, das 18h às 22h30, na rua Francisco Manfron, 175 – próximo ao terminal de Santa Felicidade. Os pedidos podem ser feitos pelo whats (41) 99567-1584, mas a retirada é no balcão.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Tradicional Festa da Uva de Santa Felicidade é cancelada por conta do avanço da Covid-19 e da gripe

A Festa da Uva de Santa Felicidade, uma das mais tradicionais de Curitiba, não será realizada em 2022 por conta do avanço da Covid-19 e dos casos de gripe na capital neste início de ano. A decisão foi comunicada pela Paróquia São José e Santa Felicidade, responsável pela organização do evento, na última quarta-feira (05).

No texto, a Paróquia afirma que o momento requer muitos cuidados e que por respeito à saúde da comunidade e dos “passos da igreja que nos ensina a sermos prudentes com a vida de nosso próximo” decidiu suspender o evento deste ano.

Drive-thru

Porém, como no ano passado, a tradicional comida italiana será disponibilizada pelo sistema drive-thru. A data e os valores ainda serão informados no próximo mês.

A Festa da Uva da comunidade italiana do bairro Santa Felicidade de Curitiba é uma tradição que dura 63 anos e que, segundo a Paróquia, continuará “assim que possível, com toda força e segurança”.

De leite condensado a pimenta: festival de caipirinhas celebra o verão em Curitiba

3ª edição do CaipiFest do Bar Quermesse, que terá releituras da clássica bebida a preço único de R$ 15, começa nesta terça-feira (11)

Paixão unânime entre os brasileiros, ainda mais durante o verão, a Caipirinha tem seu próprio festival na cidade de Curitiba: o CaipiFest. Promovido pelo Bar Quermesse, um dos mais tradicionais da capital paranaense, o evento terá sua 3ª edição nesta semana, entre os dias 11 e 16 de janeiro. Durante seis dias, o público poderá saborear versões clássicas e releituras originais, com cachaça ou vodka, por apenas R$ 15 cada unidade.

Entre as versões sobre sua origem, o Instituto Brasileiro da Cachaça conta que a receita original da caipirinha era receitada no combate a gripes, por causa do limão, incluindo o surto de Gripe Espanhola de 1918. Dizem que era muito popular no interior, por isso o nome “caipirinha”. Inicialmente feita com mel, acabou recebendo o açúcar, que vivia grande expansão no mercado brasileiro.

Divulgação

Resgatando essa tradição, uma das principais pedidas do Quermesse é a Caipirinha Três Limões. Na receita, o preparo recebe as variedades tahiti, siciliano e caipira combinadas a cravo e açúcar. Outra versão de sabor bem marcante é a Manga Rosa, de manga com pimenta. Para as pessoas de paladar mais leve, a Caipilé é a caipirinha de morango servida com um picolé de leite condensado. Versões mais tradicionais também fazem parte do evento, como a caipirinha de limão tahiti e a de uva (um sucesso da casa). Para completar o menu, a 3ª edição do festival terá um lançamento especial: a caipirinha de abacaxi com gengibre e melaço de cana.

O Bar Quermesse tem variadas dicas de petiscos e pratos cara acompanhar a programação do Caipifest, com uma gastronomia focada em culinária regional de boteco. O Torresmo de rolo é um dos mais pedidos, assim como as três versões de Carne de Onça (tradicional, carne de onça japonesa ou no canudinho crocante). Opções individuais, como o Pão com bolinho e o Choripan, são outras saborosas escolhas.

O Bar Quermesse fica na Rua Carlos Pioli (nº 513), no bairro Bom Retiro. A casa funciona de terça a sexta, das 17h às 23h, e aos sábados e domingos, das 11h30 às 23h. Mais informações no perfil oficial do empreendimento no Instagram (@barquermesse) ou pelo telefone (41) 3026-6676.