Conheça a Baconoffi: a Banoffi com Bacon inspirada em sanduíche de Elvis Presley

Criada pela chef Renatta Ferian e inspirada em receita do Rei do Rock, torta combina dois sabores inusitados e resulta em uma iguaria que chama atenção no visual e no paladar

Ninguém duvida da criatividade do brasileiro, especialmente quando o assunto é gastronomia. Diariamente conhecemos combinações de sabores que, inicialmente, causam estranheza, mas que por muita vezes acabam gerando curiosidade e até caindo no gosto das pessoas. Agora, existe um novo candidato para conquistar o paladar de quem gosta de experimentar a mistura de um doce muito famoso com um salgado adorado de forma quase unânime: o que acha de uma Banoffi com Bacon, ou melhor, uma Baconoffi?

Essa é a invenção mais recente da confeiteira Renatta Ferian, que comanda a doceria Banoffi em Curitiba. Conhecida por ser a precursora em popularizar o doce inglês na capital paranaense no início dos anos 2000, a chef patisserie desenvolveu a receita usando como base um dos pratos favoritos do cantor Elvis Presley. “O Rei do Rock adorava preparar um sanduíche com pasta de amendoim, banana e bacon. Quando fiquei sabendo da história, foi inevitável pensar em uma receita para homenageá-lo usando com base da Banoffi”, explica Renata.

Segundo ela, foram necessárias fazer algumas adaptações para garantir que os sabores tivessem uma combinação adequada. “Para a base da massa, usamos amendoim. Além disso, finalizamos com caramelo salgado. Essas alterações permitiram uma harmonização melhor dos ingredientes da Banoffi com o sabor defumado e salgado do bacon”, explica a cozinheira.

Renatta explica ainda que antes de lançar a Baconoffi, pediu a opinião de pessoas próximas sobre a combinação e foi fazendo ajustes até chegar ao resultado ideal. “Como é uma combinação improvável, foram vários testes até chegar ao resultado ideal. Mas posso dizer que foi uma missão deliciosa chegar ao melhor sabor”, explica a confeiteira. De acordo com ela, a torta pode ser consumida na própria confeitaria ou em casa, pedindo pelo site (banoffi.com.br) ou retirando na loja. É possível comprar apenas a fatia (R$ 14) ou a torta inteira (R$ 105).

Infelizmente, apenas quem estiver em Curitiba poderá experimentar a iguaria, por um tempo limitado. “Por questões logísticas e para preservar o frescor do produto, não conseguimos para outras cidades ou estados”, explica Renatta. Mas a confeiteira afirma que, se a torta fizer sucesso, nada impede que a Baconoffi passe a fazer parte do cardápio de maneira vitalícia. “Tudo vai depender da aceitação. Se muita gente começar a pedir, podemos até avaliar alguma maneira de disponibilizar a torta em outras localidades do Brasil”, destaca a doceira.

SOBRE A CHEF RENATTA FERIAN

Atualmente, pedir por uma Banoffi em Curitiba é algo normal, corriqueiro de muitos amantes da sobremesa inglesa. Mas há 18 anos, isso era muito diferente. Pouquíssimos curitibanos conheciam a torta de nome extravagante. Coube à chef confeiteira Renatta Ferian o desafio de popularizar o doce à época na capital paranaense.

Depois de ter conhecido a receita original no período em que trabalhou em um restaurante de Londres, a cozinheira passou a produzir a Banoffi na cidade e batizou inclusive a sua confeitaria com o mesmo nome da torta. Em 2002, conquistou o seu primeiro ponto de venda: o tradicional restaurante curitibano Beto Batata. Depois disso, só sucesso: foram vários prêmios recebidos, como o de Melhor Doceria pela revista Veja Comer & Beber e o de Melhor Sabor Popular de Curitiba, pelo Prêmio Bom Gourmet.

Hoje, com uma unidade física localizada ao lado da Cantina do Délio, a doceria é reconhecida como um dos principais endereços curitibanos para quem gosta de um doce autêntico e original. “Eu ainda faço questão de assinar cada fatia ou cada banoffi inteira que sai da minha cozinha, afinal a história da Banoffi é também a história da nossa família. O Délio (dono da cantina e marido da Renata) sempre fez o prato principal e eu a sobremesa, dinâmica que temos hoje mais do que nunca. Ficamos muito felizes em saber que hoje esse é um doce tão querido pelos curitibanos”, afirma a chef Renatta.

Crédito: Fernando Smak.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

De leite condensado a pimenta: festival de caipirinhas celebra o verão em Curitiba

3ª edição do CaipiFest do Bar Quermesse, que terá releituras da clássica bebida a preço único de R$ 15, começa nesta terça-feira (11)

Paixão unânime entre os brasileiros, ainda mais durante o verão, a Caipirinha tem seu próprio festival na cidade de Curitiba: o CaipiFest. Promovido pelo Bar Quermesse, um dos mais tradicionais da capital paranaense, o evento terá sua 3ª edição nesta semana, entre os dias 11 e 16 de janeiro. Durante seis dias, o público poderá saborear versões clássicas e releituras originais, com cachaça ou vodka, por apenas R$ 15 cada unidade.

Entre as versões sobre sua origem, o Instituto Brasileiro da Cachaça conta que a receita original da caipirinha era receitada no combate a gripes, por causa do limão, incluindo o surto de Gripe Espanhola de 1918. Dizem que era muito popular no interior, por isso o nome “caipirinha”. Inicialmente feita com mel, acabou recebendo o açúcar, que vivia grande expansão no mercado brasileiro.

Divulgação

Resgatando essa tradição, uma das principais pedidas do Quermesse é a Caipirinha Três Limões. Na receita, o preparo recebe as variedades tahiti, siciliano e caipira combinadas a cravo e açúcar. Outra versão de sabor bem marcante é a Manga Rosa, de manga com pimenta. Para as pessoas de paladar mais leve, a Caipilé é a caipirinha de morango servida com um picolé de leite condensado. Versões mais tradicionais também fazem parte do evento, como a caipirinha de limão tahiti e a de uva (um sucesso da casa). Para completar o menu, a 3ª edição do festival terá um lançamento especial: a caipirinha de abacaxi com gengibre e melaço de cana.

O Bar Quermesse tem variadas dicas de petiscos e pratos cara acompanhar a programação do Caipifest, com uma gastronomia focada em culinária regional de boteco. O Torresmo de rolo é um dos mais pedidos, assim como as três versões de Carne de Onça (tradicional, carne de onça japonesa ou no canudinho crocante). Opções individuais, como o Pão com bolinho e o Choripan, são outras saborosas escolhas.

O Bar Quermesse fica na Rua Carlos Pioli (nº 513), no bairro Bom Retiro. A casa funciona de terça a sexta, das 17h às 23h, e aos sábados e domingos, das 11h30 às 23h. Mais informações no perfil oficial do empreendimento no Instagram (@barquermesse) ou pelo telefone (41) 3026-6676.

Churrasco e rock embalam novo restobar de Curitiba

O The Weknd alia boa música e saborosa gastronomia com destaque para carnes assadas ao estilo de parrilha, com acompanhamentos

 Os amantes de churrasco têm um novo endereço para curtir momentos agradáveis na cidade de Curitiba: o restobar The Weknd. A casa recém-inaugurada, que funciona no bairro Cristo Rei, combina o melhor do churrasco preparado na parrilla e rock n´roll, tudo harmonizado com drinks e cervejas especiais. Popularizado na argentina, o estilo de preparo da carne dá um aroma e sabor muito peculiar aos cortes, que no The Weknd podem levar dois acompanhamentos.

No menu, famosos cortes de carnes vermelhas são servidos em porções de 300 gramas, como Ancho (ou filé de costela) a R$ 45, Picanha a R$ 69, Alcatra a R$ 39, Assado de Tira (retirado das costelas dianteiras) a R$ 34. O clássico T-bone é apresentado em peça de 500 gramas e sai por R$ 59. Quem busca corte suíno encontra a Copa Lombo, com 300 gramas saindo a R$ 29. Dois tipos de linguiça ainda figuram entre as pedidas: a Linguiça de Pernil (R$ 25) e a Tipo Cuiabana, linguiça de pernil recheada com queijo, que custa R$ 27.

Os acompanhamentos disponíveis para as carnes vão dos clássicos de churrasco até molhos especiais. Há vinagrete, salada de tomate e cebola, salada de alface com croutons, farofa temperada, maionese, maionese agridoce (com maçã e uva passa), molho Chimichurri e molho de hortelã.

Outros preparos na parrilla completam as pedidas da casa, incluindo legumes servidos com molho chimichurri (R$ 15), pupunha assada (R$ 29) e pão de alho (duas unidades a R$ 15). Além dos destaques do menu, o The Weknd conta ainda com porções ideais para dividir, hambúrgueres na brasa, sobremesas, drinks e cervejas.

Rock e Gastronomia

O The Weknd nasceu para aliar música ao vivo, com uma programação de terça a domingo, e churrasco completo em um só ambiente. Com capacidade para cerca de 200 pessoas, o espaço é dedicado ao rock, seja com bandas covers de clássicos, de rock independente e discotecagens que celebram o estilo.

O The Weknd funciona de terça a sexta-feira, das 17h às 01h, e aos sábados e domingos, das 15h às 01h. O espaço está localizado na Av. Nossa Senhora da Penha, 148, no bairro Cristo Rei. Mais informações no perfil oficial do bar no Instagram (@thewekndcwb).