Conheça 10 lugares criados em homenagem aos povos que ajudaram na formação de Curitiba

Bosque Portugal

Os portugueses foram os principais fundadores de Curitiba, chegaram no século 19 e início do século 20. A cultura lusitana predominava na cidade, enquanto a maioria dos outros imigrantes se fixaram nas colônias agrícolas, os portugueses preferiam o comércio e a indústria.

A arquitetura colonial portuguesa ainda está, nos dias de hoje, presente no patrimônio histórico e cultural de Curitiba. E para simbolizar essa influência portuguesa aqui na nossa cidade, foi inaugurado em 1994 o Bosque Portugal, que possui um painel decorativo e vinte pilares decorados com azulejos pintados à mão, com trechos de poesias de autores brasileiros e lusitanos.

Onde fica? Rua Fagundes Varela – Jardim Social.

Foto por Cesar Brustolin / SMCS

Portal Italiano

Ao contrário dos portugueses, os italianos se estabeleceram, em sua maioria, em áreas rurais. Chegaram na região de Curitiba na segunda metade do século 19. O primeiro local de moradia desses imigrantes deu origem aos atuais bairros de Santa Felicidade, Pilarzinho, Umbará, entre outros. 

Para homenagear os imigrantes italianos, foi construído em 1990, o Portal Italiano, que marca a entrada do bairro de Santa Felicidade, considerado o maior polo gastronômico de Curitiba e um dos marcos da cultura italiana na capital.

Onde fica? Avenida Manoel Ribas – Mercês.

Foto por Maurilio Cheli / SMCS

Parque Tingui

A construção e o  nome do parque são em homenagem ao primeiro povo indígena que habitou a região de Curitiba. Na tradução, o nome do local significa “nariz afinado”. No parque é possível conhecer a estátua do cacique Tindiquera. Conta a lenda que o líder da tribo Tingui foi quem indicou aos colonizadores o local onde deveria ser instalada a Vila de Nossa Senhora da Luz dos Pinhais. “Aqui!”, teria gritado o cacique, assentando forte a sua lança, onde hoje fica localizada nossa conhecida Praça Tiradentes, o marco zero da cidade.

O parque tem uma área de 380 mil metros quadrados, constituídos por lagos, parquinhos e ciclovias. O local foi inaugurado pelo prefeito Rafael Greca em 1994. 

Onde fica? Entre as ruas Rua Fredolin Wolf e José Valle, ao longo do Rio Barigui – São João.

Praça Zumbi dos Palmares

Até o início do século 19, os curitibanos eram basicamente descendentes de índios, portugueses e africanos. A contribuição da cultura africana em Curitiba, está presente até os dias atuais, na gastronomia, música, dança e entre outros. 

E a Praça Zumbi dos Palmares, inaugurada em 2010, e homenageia uma figura importante na resistência contra a escravidão. No espaço da praça, lado a lado, 54 totens de quatro metros de altura representando cada nação da África. Duas colunas representam a Educação e a Cultura centradas sobre um piso de petit-pavê que compõe um mapa do continente africano. 

Onde fica? Rua Elói Orestes Zeglin – Pinheirinho.

Foto por Daniel Castellano / SMCS

Bosque Alemão

Os imigrantes alemães chegaram a partir de 1833 e trouxeram inovações como a construção de casarões. Algumas destas edificações ainda existem no bairro de São Francisco, como o Palacete Wolf, atual sede do Instituto Municipal de Turismo de Curitiba.

O Bosque Alemão foi inaugurado em 1996, o local guarda o Oratório de Bach, que homenageia o compositor alemão Johann Sebastian Bach, enquanto a Torre dos Filósofos homenageia os grandes pensadores germânicos. Também é conhecido pela Trilha de João e Maria, personagens do conto dos irmãos Grimm, passa pela Casa da Bruxa, uma biblioteca infantil com espaço para encenações de contos e fábulas.

Onde fica? Rua Francisco Schaffer – Vista Alegre.

Funcionamento: abre durante toda a semana, das 8h às 20h.

Foto por Orlando Kissner / SMCS

Memorial Árabe

O Memorial Árabe foi inaugurado em 1996, para homenagear os imigrantes da região que contribuíram para a formação da cidade. A construção abriga o Farol do Saber Gibran Khalil Gibran, poeta e filósofo libanês marcou época ao produzir obras literárias respeitadas em todo o mundo.

Onde fica? Praça Gibran Khalil Gibran – Centro Cívico.

Funcionamento: de segunda a sexta, das 9h às 21h, e aos sábados, das 9h às 13h.

Memorial Polonês

Os primeiros poloneses chegaram ao Paraná em 1871 e fizeram de Curitiba a maior colônia polonesa do Brasil. Pilarzinho, Abranches e Santa Cândida foram alguns dos bairros que abrigaram as colônias.

O espaço foi inaugurado em 1980 para marcar a visita do Papa João Paulo II. É formado por casas tradicionais polonesas, remontadas no bosque. Dentro das casas pode-se encontrar antigos artefatos utilizados pelos imigrantes. Uma das casas abriga a Capela em homenagem à Nossa Senhora de Czestochowa, padroeira da Polônia.

Onde fica? Rua Euclides Bandeira – Centro Cívico.

Funcionamento: de terça a domingo, das 9h às 18h.

Memorial Ucraniano

A maioria dos imigrantes ucranianos chegaram no Paraná do século 19. Em Curitiba, algumas famílias já haviam chegado em 1876. Estabeleceram-se na região das Mercês e no Bigorrilho, onde existe uma praça dedicada à Ucrânia.

Já o Memorial Ucraniano localiza-se no Parque Tingüi e foi inaugurado em 1995. No espaço encontra-se uma réplica da Igreja Ortodoxa de São Miguel Arcanjo. O interior da igreja é utilizado como museu. Nele encontram-se os tradicionais Pêssankas (Pysanka), símbolos de boa fortuna na cultura Eslava.

Onde fica? Rua Dr. Mba de Ferrante, Parque Tingui – São João.

Funcionamento: de terça a domingo, das 10h às 18h.

Praça da Espanha

Os espanhóis estão presentes no sul do Brasil há séculos. No entanto, a maior onda migratória de espanhóis para o Paraná aconteceu nas décadas de 1950 e 1960, e se fixaram em maior parte em Curitiba, onde se dedicaram ao comércio, à gastronomia, à construção e profissões liberais. Os espanhóis têm grande tradição no trabalho com pedras e granitos e realizaram trabalhos importantes como marmoristas na Biblioteca Pública, o Palácio do Governo, Tribunal de Contas e no Teatro Guaíra.

Para homenagear a presença espanhola na cidade, a Praça da Espanha foi inaugurada na década de 1990, e possui o Farol do Saber Miguel de Cervantes, onde está o busto do famoso escritor espanhol.

Onde fica? Rua Coronel Dulcídio – Bigorrilho.

Praça do Japão

Já os japoneses chegaram em Curitiba a partir de 1915. Os principais bairros ocupados por eles foram o Uberaba e o Campo Comprido. A capital paranaense possui a segunda maior comunidade japonesa do Brasil, atrás somente de São Paulo.

A Praça do Japão, possui o Portal Japonês, o Memorial da Imigração Japonesa, a Biblioteca Municipal da Praça do Japão, onde estão disponíveis publicações em japonês, a Casa de Chá, e ganhou a Casa da Cultura, onde é possível conhecer as dobraduras de papel (origami), da arte floral (ikebana) e dos poemas de três versos (haikai).

Onde fica? Avenida Sete de Setembro – Água Verde.

Funcionamento: Praça (aberta diariamente).

Casa da Cultura – 9h às 18h (terça-feira a domingo).

Cerimônia do Chá – 9h às 16h (quintas-feiras).

Foto por Luiz Costa / SMCS

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

1º Festival de Jägermeister de Curitiba terá drinks exclusivos com preços a partir de R$ 15

O evento, promovido pelo restobar The Weknd em parceria com a marca alemã, será realizado entre os dias 21 de janeiro e 4 de fevereiro, com seis opções de coquetéis

O Jägermeister, um dos destilados mais famosos do planeta, ganhará um evento especial na capital paranaense. Entre os dias 21 de janeiro e 04 de fevereiro, o restobar The Weknd, em parceria com a marca alemã, vai promover o 1° Festival de Jägermeister de Curitiba, que contará com seis drinks exclusivos com preços a partir de R$ 15.

Elaborado com 56 ervas, raízes e temperos, o Jägermeister já é saboroso puro. Prova disso é o Shot Jäger, um grande sucesso mundial, que no festival custará R$ 15. Outra pedida no formato será o Shot Jäger Weknd, preparado com o destilado, xarope de maracujá e espuma de gengibre (R$ 15). Para quem gosta de coquetéis clássicos, uma ótima opção será a releitura do famoso Negroni, o Negroni Jäger, que combina gim e Ramazzoti com a bebida estrela do evento (R$ 25).

Divulgação

Para quem busca uma opção mais refrescante, com a cara do verão, o Jägersummer será uma ótima pedida: Jägermeister com limão tahiti e tônica (R$ 25). Outro coquetel interessante para os dias mais quente será o Jägermatte, preparado com o destilado combinado a suco de limão e chá mate (R$ 25). Para fechar o menu, o clássico Jägerbomb, que alia Jägermeister com energético Red Bull (R$ 25).

Rock e Gastronomia

Inaugurado no último mês de novembro, o The Weknd surgiu para aliar música ao vivo, drinks, cervejas especiais e churrasco completo em um só ambiente. Com capacidade para cerca de 200 pessoas, o espaço é dedicado ao rock, seja com bandas covers de clássicos, de rock independente e discotecagens que celebram o estilo.

O 1° Festival de Jägermeister de Curitiba será realizado entre os dias 21 de janeiro a 04 de fevereiro, no The Weknd (Av. Nossa Senhora da Penha, 148), no bairro Cristo Rei. O restobar funciona de terça-feira a domingo, das 18h às 01h. Mais informações no perfil oficial do bar no Instagram (@thewekndcwb).

Teatro da Vila terá oficina de teatro para crianças e adolescentes

Que tal aproveitar as férias para fazer uma oficina de teatro? O encontro para crianças e adolescentes de 10 a 18 anos, será feito no novo espaço cultural, o Teatro da Vila, na CIC, nas tardes dos dias 26 a 28 de janeiro. As inscrições são gratuitas e estão abertas no espaço, de terça a domingo das 9h às 18h.

A oficina Jogos Teatrais como estímulos na formação de leitores será conduzida pelo arte-educador Victor Carlim. Com alegria e diversão, serão ensinadas técnicas de cena que estimulam a integração com os outros, consigo mesmo e com o universo de histórias clássicas, repleto de reflexões sobre natureza, vida e paixões.

Jogos teatrais, trechos de textos literários e processos criativos de construção de história serão os principais conteúdos trabalhados. A intenção é proporcionar uma nova percepção do público sobre como as histórias criam o que vemos no mundo e abrir os olhares para diferentes culturas.

Facilitador

Mestrando em Artes, Victor Carlim é ator e professor de artes. Com ênfase em teatro, em exercício desde 2012, estuda as relações de teatro, improviso e comédia desde 2015. Possui sua pesquisa e experiência voltada para a comédia,inserções de outras linguagens no trabalho do ator e modalidades de mediação artística para o espectador contemporâneo. Em meio a isso, estuda e desenvolve projetos de arte-educação e roteiros cinematográficos de forma independente.

Serviço:

Oficina gratuita de teatro
Jogos teatrais como estímulos na formação de leitores
de 26 a 28 de janeiro, 14h às 17h

Inscrições:
É grátis!
Bilheteria do Teatro da Vila: de terça a domingo das 9h às 18h.
Local: R. Davi Xavier da Silva, 451 – Cidade Industrial de Curitiba