Concessão do Aeroporto Afonso Pena permitirá voos diretos para Europa e Estados Unidos

A concessão do Aeroporto Afonso Pena, em São José dos Pinhais, Região Metropolitana de Curitiba, consolida um sonho antigo dos paranaenses: garante a construção da terceira pista ao terminal internacional que atende a capital. Obra significativa para a independência do complexo, traz como reflexo imediato a perspectiva de aumento na movimentação de passageiros com a abertura de voos diretos para Europa e Estados Unidos, acabando com a necessidade de conexão em outras capitais do País.

“É uma demonstração de que o Paraná vem se desenvolvendo na infraestrutura como um todo, incluindo a aeroportuária, que também é importante para o desenvolvimento do turismo no nosso Estado, que é muito forte. Temos essa vocação e agora, com essa força dos aeroportos, ela ganha mais musculatura”, destacou o governador Carlos Massa Ratinho Junior.

É, também, um salto na logística do Paraná. É por esse novo equipamento, projetado para ter 3 mil metros de comprimento e maior capacidade para receber e enviar cargas, que o setor produtivo do Estado espera intensificar o comércio para o exterior.

O Afonso Pena conta atualmente com duas pistas: a principal com 2.218 metros de comprimento e a auxiliar com 1.798 metros. Devido à altitude do aeroporto, de mais de 900 metros, os aviões operam com restrições, especialmente na decolagem.

“Essa obra vai impulsionar, ainda mais, o agronegócio paranaense. Hoje muitos produtos já são exportados por via aérea em função das suas características. A terceira pista, que será mais longa que as duas atuais, vai permitir que aviões maiores, inclusive cargueiros, possam operar no Afonso Pena”, afirmou o presidente do Sistema Federação da Agricultura do Paraná (Faep), Ágide Meneguette.

Ele cita como exemplo a venda de tilápias para os Estados Unidos. Semanalmente, uma carga com cerca de 800 quilos de filé resfriado do peixe sai das cooperativas localizadas no Oeste do Paraná com destino a Miami.

O processo, porém, passa necessariamente pelo terminal de Guarulhos, em São Paulo. Rota que pode ser adaptada com a modernização do aeroporto de Curitiba. “O agronegócio do Paraná vai ganhar em qualidade e quantidade com essa obra, que há tanto tempo era requisitada pelo setor produtivo estadual”, destacou o dirigente.

O Aeroporto Internacional Afonso Pena era o único das capitais da Região Sul que ainda não tinha sido privatizado. A previsão é que ele receba R$ 566,2 milhões de investimentos nos próximos 30 anos. Além da construção da terceira pista, estão previstas, também, ampliação da área de embarque de passageiros e do pátio principal, a construção de um novo pátio e a criação de uma ponte de embarque, entre outras ações, divididas em três fases de execução.

“Mantemos contato com envio de produtos para mais de 120 países hoje em dia. Essa pista vem para facilitar muito a vida de quem exporta. A médio e longo prazo o impacto será muito grande em toda a cadeia no comércio internacional”, avaliou José Roberto Ricken, presidente-executivo do Sistema Ocepar e coordenador do G7, grupo que representa as lideranças do setor produtivo paranaense.

Mercosul

Presidente da Associação Comercial do Paraná (ACP), Camilo Turmina ressaltou que a ampliação de capacidade do principal terminal paranaense vai transformar a região de Curitiba na porta de entrada do Mercosul. “Faltava esse aprimoramento mesmo. A obra cria oportunidades aqui e coloca a cidade definitivamente no roteiro internacional como o principal ponto dos países que formam o Mercosul”, disse.

De acordo com estudos da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), Curitiba influencia diretamente mais de 650 municípios, com impacto direto em polos importantes de Paraná e Santa Catarina. Fechou 2019, o último ano antes da pandemia da Covid-19, como 12º aeroporto mais movimentado do País com 6,3 milhões de passageiros em 64 mil operações. Além disso, foram outras 29 mil toneladas de cargas transportadas.

“A inclusão da terceira pista como requisito para a concessão é resultado do trabalho da sociedade civil organizada em parceria com o Governo do Estado. Foram muitas reuniões técnicas que terminaram por convencer o Governo Federal. Teremos agora ligações intercontinentais partindo do Afonso Pena”, ressaltou o presidente do Movimento Pró-Paraná, Marcos Domakoski.

Leilão

Além do Afonso Pena, outros três aeroportos paranaenses foram a leilão nesta quarta-feira (07) na B3: os terminais de Foz do Iguaçu, o de Londrina e o Bacacheri, de Curitiba. Eles integraram o chamado Bloco Sul, arrematado por R$ 2,128 bilhões, um ágio de 1.534% da proposta inicial mínima de R$ 130,2 milhões. O lance foi dado pela Companhia de Participações em Concessões, do grupo CCR.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Construtora inova com planta inteligente

O estudo “Ranking das Melhores Cidades para Fazer Negócio”, elaborado pela Urban Systems, em 2021, para a Revista Exame, apontou que as cidades paranaenses Curitiba, Londrina, Maringá e Cascavel estão entre as 30 primeiras cidades do Brasil – numa lista de 100 municípios com mais de 100 mil habitantes – para investimentos no ramo imobiliário. O levantamento completo considera indicadores para os setores industrial, comercial, imobiliário, educacional, agropecuário e de serviços. Atenta ao que ocorre no mercado, a Yticon, construtora do Grupo A.Yoshii, expandiu suas atividades para o noroeste do estado, com investimentos que ultrapassam R$ 200 milhões e geração de 300 empregos diretos, apenas em 2022. A expectativa do Valor Geral de Vendas (VGV) na cidade de Maringá, por exemplo, é de aproximadamente R$ 250 milhões, com estimativa de crescimento de 30% nas vendas, já no ano que vem.

Justamente pela boa expectativa, Maringá foi uma das cidades escolhidas para lançamentos com foco em tecnologia na construção e que atendem as tendências e exigências do comportamento do mercado. Depois do recorde de vendas do “UP Residence”, primeiro lançamento realizado em fevereiro deste ano (com 75% das unidades vendidas em três dias), a cidade será palco para mais um projeto audacioso e considerado da primeira linha de produtos da construtora: uma torre residencial com unidades de 78 metros quadrados privativos, uma novidade já denominada “planta inteligente”. O empreendimento chamado “Urban”, além da boa metragem, vai oferecer apartamentos com uma suíte com espaço para closet, sacada com churrasqueira e área de lazer completa, que inclui uma arena para beach sports, um dos itens mais requisitados pelos futuros moradores e investidores, e que se tornou sensação em todo país àqueles que apreciam esportes de areia.

Revolução no segmento

Localizado no bairro Vila Marumby, próximo ao Parque do Ingá, o residencial estará rodeado por muito verde e terá uma gama completa de itens na área de lazer, fazendo jus ao seu título de planta inteligente. Na lista estão Lounge Gourmet, Steak House, Teen Lounge, Kids Place, Outdoor Training, Play, Family Space, Pool Place, Pet Play e Sports Lounge. Segundo a gerente da unidade Yticon em Maringá, Emanuelle De Mori Bardeja Gil, o residencial vai oferecer um modelo de moradia multifuncional com áreas de uso coletivo, baseadas no conceito de economia compartilhada como espaço para coworking, laundry e iMarket. “Maringá foi escolhida para receber o empreendimento da categoria mais elevada do portfólio da Yticon e, certamente, será um projeto revolucionário do segmento não só na cidade, mas em toda região noroeste do Paraná”, comenta.

Com a ampliação da linha de produtos, a construtora se consolida ainda mais no mercado imobiliário, atendendo, sempre, às reais necessidades dos clientes: excelentes plantas, ótimas localizações, além de áreas de lazer funcionais com diversos espaços. “Outro diferencial é que oferecemos condições de pagamento facilitadas, com entradas e parcelas acessíveis para os diversos produtos do catálogo. O Urban, com certeza, vai surpreender pelo custo x benefício apresentado.” Em fevereiro deste ano, a construtora inaugurou seu showroom, onde estão os apartamentos decorados, abertos à visitação. Para o ano de 2023, estão previstos outros três lançamentos na Cidade Canção, que vão gerar mais empregos e investimentos na região.

Serviço:

Showroom Yticon Maringá

Local: Avenida São Paulo, 2890 (aberto todos os dias, das 9h às 18h)

Sobre a Yticon Construção e Incorporação

A Yticon é uma construtora e incorporadora que atua há mais de doze anos nas cidades de Londrina, Maringá e Cambé, no Paraná, além de Presidente Prudente e Campinas, em São Paulo. A empresa do Grupo A.Yoshii desenvolve empreendimentos econômicos, localizados em regiões de potencial valorização, especialmente para quem quer conquistar o primeiro imóvel. A Yticon já construiu mais de 5,9 mil unidades, todas entregues rigorosamente no prazo, somando mais de 550 mil metros quadrados de área construída. Mais informações: www.yticon.com.br.

Sobre o Grupo A.Yoshii

Fundado há mais de 55 anos, o Grupo A.Yoshii já construiu mais de 2 milhões de metros quadrados do Sul ao Nordeste do Brasil, entre obras industriais, edifícios corporativos e residenciais, escolas, universidades, teatros e centros esportivos. É composto pela A.Yoshii Engenharia, com sólida atuação em construções de edifícios residenciais e comerciais de alto padrão em Londrina, Maringá, Curitiba e Campinas; pela Yticon Construção e Incorporação, que realiza empreendimentos econômicos, localizados em regiões de potencial valorização em municípios do Paraná; e pelo Instituto A.Yoshii, voltado para a inserção social e a democratização cultural. Além disso, atua em Obras Corporativas, atendendo grandes corporações em suas plantas industriais, nos mais variados segmentos da economia, como papel e celulose, alimentício, químico, agronegócio, energia, assim como usinas sucroalcooleiras, centros logísticos, plantas automobilísticas, entre outros. Mais informações: www.ayoshii.com.br.

Novidades no controle da dermatite atópica são tema de palestra on-line

Segundo estimativas, a dermatite atópica atinge entre 10 e 30% dos cães e compromete significativamente a qualidade de vida dos pets. Desconfortáveis com o estresse dos bichinhos de estimação, tutores e médicos veterinários não medem esforços na busca por alternativas para o controle da doença.

Pensando em desenvolver uma melhor solução para o manejo da dermatite atópica, a pioneira rede de farmácias de manipulação veterinária, DrogaVET, investiu em pesquisa e na nanotecnologia para desenvolver sua própria fórmula de nanociclosporina, ou ciclosporina nanoencapsulada. A ciclosporina A é bastante conhecida pela prevenção de rejeição de órgãos transplantados em seres humanos, mas na medicina veterinária é muito empregada no tratamento de dermatite e alergias atópicas, entre outras doenças, inclusive oftálmicas. Com a nanotecnologia, uma técnica que aprimora medicamentos, o fármaco é liberado de forma gradual no organismo, reduzindo uma possível toxicidade e efeitos adversos, além de otimizar os efeitos da ciclosporina.

Com o intuito de orientar os médicos veterinários sobre as novidades no tratamento, a DrogaVET, em parceria com o Vet Smart, plataforma tecnológica dirigida ao mercado veterinário, promovem a palestra “Inovação Nanotecnológica para Controle da Dermatite Atópica”, em meio digital, na próxima quinta-feira (27). Para a apresentação, foram convidados dois grandes nomes do segmento da saúde: o professor e médico veterinário, Dr. Marconi de Farias, que conduziu os estudos da aplicabilidade da nanociclosporina, e a farmacêutica especialista em farmácia magistral e diretora de pesquisa e desenvolvimento na empresa NanoScoping Soluções em Nanotecnologia, Dra. Letícia Mazzarino. O evento é gratuito, dirigido a médicos veterinários e ainda concede certificado a quem assistir à palestra ao vivo.

Serviço

Palestra: Inovação Nanotecnológica para Controle da Dermatite Atópica

Quando:  quinta-feira, 27 de outubro

Horário: 20h

Local: site www.vetsmart.com.br ou youtube: https://www.youtube.com/c/vetsmartapp

Evento GRATUITO e com EMISSÃO DE CERTIFICADO para veterinários que assistirem ao vivo, mais de 70% do conteúdo.

Palestrantes:

Dr. Marconi de Farias

Médico veterinário e professor, com mestrado em Clínica Veterinária e doutorado em Saúde da Criança e do Adolescente com área de concentração em Alergia, Imunopatologia e Pneumologia. Professor Adjunto III de Clínica Médica de Animais de Companhia e da Pós-graduação em Ciência Animal da Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUCPR); chefe do Serviço de Dermatologia e Alergia da Unidade Hospitalar para Animais de Companhia da PUCPR; Coordenador da Comissão de Alergia Veterinária da Associação Brasileira de Alergia e Imunologia (ASBAI); sócio da Sociedade Latino-Americana de Dermatologia Veterinária (SLDV) e sócio-fundador da Dermatovet Cursos.

Dra. Letícia Mazzarino

Farmacêutica especialista em Farmácia Magistral, com mestrado e doutorado em Farmácia e doutorado em Ciência de Polímeros.  Atualmente é Diretora de Pesquisa e Desenvolvimento na empresa NanoScoping Soluções em Nanotecnologia e atua diretamente na realização de projetos e desenvolvimento de novos produtos à base de nanotecnologia para liberação de ativos (“drug delivery”).

Sobre a DrogaVET

A DrogaVET está sempre em busca de soluções no segmento de manipulação veterinária, respeitando integralmente todos os princípios éticos que regem a produção de medicamentos e a sua aplicabilidade em animais. Pioneira no segmento de farmácias de manipulação, a rede, que surgiu em 2004, já conta com mais de 100 unidades no Brasil, unindo tecnologia, inovação e o conhecimento de uma equipe altamente especializada de farmacêuticos e veterinários.

Mais informações estão disponíveis no site: www.amoranimalcaramelo.com.br

WP Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com