Com tour virtual, turista já pode visitar o Ecomuseu de Itaipu sem sair de casa

Passeio está aberto a partir desta quarta-feira (14). Iniciativa faz parte das comemorações de 33 anos do Ecomuseu

A partir desta quarta-feira (14), turistas de qualquer parte do mundo poderão visitar o Ecomuseu de Itaipu sem sair de casa. O tour virtual em 360º pode ser feito a partir de links nos sites da Itaipu (www.itaipu.gov.br) e do Complexo Turístico Itaipu (www.turismoitaipu.com.br). Ou diretamente clicando neste endereço: http://ronyfotografias.com.br/worldvirtualtour/ecomuseu_itaipu_binacional/  

Foto: Divulgação

A iniciativa faz parte da programação de aniversário do Ecomuseu, que nesta sexta-feira (16) completa 33 anos. E segue uma tendência mundial: a visita on-line virtual é uma estratégia adotada pelos principais museus e ganhou força, neste ano, por causa da pandemia de covid-19.

Foto: Divulgação

Ao acessar a plataforma, o visitante poderá percorrer os corredores e salas de exposição do Ecomuseu, conhecer detalhes do acervo e saber mais sobre a história da região, desde os primeiros habitantes, o processo de ocupação da terra, até a construção da usina de Itaipu.

Entre os destaques do passeio, estão uma sessão do Ciência na Esfera, com imagens animadas da Terra e de outros planetas, fotos, maquetes, depoimentos de pioneiros e artefatos arqueológicos. Placas informativas instaladas em diferentes pontos do Ecomuseu também poderão ser acessadas – basta clicar no ícone que aparece na tela.

A programação de aniversário começou na última sexta-feira (9) com o lançamento do guia ilustrado do Ecomuseu. O material impresso será entregue aos turistas que visitarem presencialmente o atrativo, contendo informações detalhadas sobre o circuito. Empregados de Itaipu também receberam o guia.

Foto: Divulgação

Na segunda (dia 12), foi lançado o “Itaipu Sustenta-Habilidades”, um jogo de realidade alternativa (ARG, na sigla em inglês) voltado para crianças e adolescentes. O link do game está disponível nos sites e redes sociais da Itaipu, Parque Tecnológico Itaipu (PTI) e Conselho de Desenvolvimento dos Municípios Lindeiros.

Foto: Divulgação

No dia 20, haverá uma cerimônia com a presença de diretores da Itaipu e autoridades convidadas para comemorar o aniversário do Ecomuseu. No evento, será feito o lançamento da websérie “Conhecendo o Ecomuseu” e do kit “Guias pedagógicos da Itaipu Binacional”. Também serão detalhados os projetos de reforma e ampliação previstos para o espaço.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Foz terá Hun Mundial de Turismo de Saúde, com estrutura viabilizada pela Itaipu e HMCC

A partir de 2023, quando a pandemia de covid-19 estiver finalmente controlada, Foz do Iguaçu deverá contar com o Hub de Saúde das Américas – um espaço especializado e diversificado de serviços médicos, que terá como um dos focos as cirurgias de pequena e média complexidade, como intervenções plásticas, dermatológicas, oftalmológicas e otorrinolaringológicas. Este nicho de mercado, para atender os chamados “turistas de saúde”, pode aumentar o tempo de permanência de visitantes do mundo todo na cidade em até 15 dias.

O espaço é produto de uma parceria entre o Hospital Ministro Costa Cavalcanti (HMCC), mantido pela margem brasileira da usina de Itaipu, com o Day Medical Center. Os recursos são da Itaipu e do HMCC. O Day Medical Center funcionará num prédio de dez pavimentos na Rua Benjamin Constant, nas imediações da sede da Prefeitura de Foz do Iguaçu. A construção já começou e a previsão de conclusão é junho de 2023. O centro oferecerá tratamento personalizado para pacientes particulares e conveniados.

No total, o espaço terá aproximadamente 26 mil metros quadrados e contará com uma filial do HMCC de quase 7 mil metros quadrados, que será voltada a atendimentos de pequena e média complexidade, com um conceito premium.

O Hub de Saúde das Américas deverá integrar um dos novos eixos do programa Acelera Foz, que é parte de um plano de retomada econômica de Foz do Iguaçu e tem a coordenação estratégica do Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social de Foz do Iguaçu (Codefoz). Fazem parte do Acelera Foz a Itaipu Binacional, Parque Tecnológico Itaipu (PTI), Prefeitura de Foz, Sebrae, Programa Oeste em Desenvolvimento, Associação Comercial e Empresarial de Foz do Iguaçu (Acifi) e Conselho Municipal de Turismo (Comtur).

Padrão internacional

Com quase 7 mil metros quadrados, a filial do HMCC no Day Medical Center será voltada a atendimentos de pequena e média complexidade. A unidade oferecerá um centro de diagnóstico por imagens, salas especiais destinadas a serviços de check-up executivo, centro de atenção à saúde da mulher, laboratório de análises clínicas e um Hospital Dia, com centro cirúrgico para a realização de procedimentos de baixa e média complexidade, que permitem ao paciente ter alta no mesmo dia.

O centro cirúrgico contará com seis salas para cirurgias, 12 leitos de recuperação anestésica e oito suítes hospitalares. “É uma unidade pensada e formada em conceito de padrão internacional, consolidando a qualidade de prestação de serviços oferecidos pelo Hospital Ministro Costa Cavalcanti, com toda a segurança necessária para nossos pacientes”, explica o diretor-superintendente do HMCC, Fernando Cossa. Um dos diferenciais do Day Medical Center é que contará com a exclusividade de um jardim de cura, um dos primeiros do Paraná.

Histórico

A Fundação Itaiguapy, que administra o HMCC, em parceria com a Itaipu, estudou durante sete meses os projetos, desde a análise de mercado até a viabilidade financeira do Day Medical Center, e percebeu nele uma grande oportunidade de negócio em Foz do Iguaçu.

A cidade passa por uma grande transformação, com a construção de um pacote de obras estruturantes que vão colocar a fronteira num novo patamar e status econômico. Nesse rol estão a Ponte da Integração Brasil-Paraguai, a Perimetral Leste, a ampliação da pista do Aeroporto de Foz do Iguaçu, a duplicação da Rodovia das Cataratas e a finalização do Mercado Público de Foz, entre outras.

 Fotos: Débora Black/HMCC

Todos esses investimentos são provenientes de uma restruturação administrativa e financeira conduzida pelo general Joaquim Silva e Luna à frente da Diretoria Geral Brasileira da Itaipu, em dois anos e um mês de gestão. Os recursos são da ordem de R$ 2,5 bilhões, com geração de mais de 2,5 mil empregos.

“Quando essas obras estiverem prontas, e algumas delas já estão sendo entregues, Foz do Iguaçu deverá ter um grande salto econômico e precisa estar preparada para novas oportunidades. Essa é uma orientação do general Joaquim Silva e Luna e o Day Medical Center vem exatamente nessa direção”, diz Aureo Ferreira, assessor do diretor-geral brasileiro e coordenador do GT Estratégico da Covid-19 da margem brasileira da Itaipu, que investiu mais de R$ 80 milhões no enfrentamento da pandemia, a maior parte voltada para a população mais vulnerável.

“Mais do que nunca, quando a pandemia passar, a cidade precisará estar preparada para entrar num novo ciclo, que, no que depender de nós, será bastante próspero. O caminho para isso já está sendo pavimentado com os bons projetos, programas, ações, iniciativas e obras de Itaipu e parceiros”, complementa Aureo.

Na prática, o impacto na economia de Foz será bastante significativo. As perspectivas são as mais positivas. Entre elas, aumento na oferta de empregos qualificados, movimentação na indústria da construção civil e no turismo da fronteira e, por consequência, em bares, lojas e comércio em geral. Alguns hotéis poderão ser padronizados para acomodação de pré e pós-cirúrgicos dos tratamentos.

Um dos conceitos é incentivar o turismo de saúde, que motiva o turista a viajar para fazer tratamentos médicos, cirúrgicos ou para qualquer tipo de cuidado nessa área num lugar especializado. Normalmente, esses centros são atraentes porque oferecem a “turistas pacientes” e seus acompanhantes acessos a destinos e hospitais com preços normalmente mais baixos que em seus países de origem.

De acordo com dados da Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), o número mundial de turistas de saúde já chegou a 50 milhões por ano. Há uma estimativa de aumento anual de 25% para a próxima década.

Sustentabilidade do HMCC

A consultoria responsável pelo desenvolvimento do Day Medical Center tem no portfólio com outros cinco hospitais privados e mais de 2 mil consultórios, em nove medical centers espalhados pelo Brasil.

Para Fernando Cossa, esse novo centro vai contribuir para a sustentabilidade financeira do HMCC, em conjunto com o plano diretor de obras, que já está em execução e vai ampliar os atendimentos de alta complexidade dentro da unidade hospitalar instalada na Vila A, em Foz do Iguaçu.

Itaipu vai repassar mais R$ 15 milhões para ajudar a combater a covid-19 em Foz e região

No total, a empresa já encaminhou quase R$ 80 milhões em diversas ações para combater a pandemia e minimizar seus efeitos. Novo aporte ocorre em um momento de aumento exponencial do número de casos da doença

A Itaipu vai repassar, por meio de um convênio, R$ 15 milhões para a Fundação Municipal de Saúde de Foz do Iguaçu, em um período de seis meses. A medida foi autorizada em reunião de Diretoria Executiva, nesta quarta-feira (3). Com isso, a margem brasileira da empresa amplia os esforços da força-tarefa do Paraná no enfrentamento ao novo coronavírus, especialmente na região de fronteira. No total, a Itaipu investiu quase R$ 80 milhões em diversas ações para combater a covid-19 e minimizar seus efeitos, tornando-se a principal parceira dos municípios da região.

“Desde o início da pandemia, o papel da Itaipu tem sido fundamental para atender às demandas pontuais da área de saúde, mas que também deixam legado para a população”, diz o coordenador do Grupo de Trabalho da Covi-19, coronel Aureo Ferreira, assessor especial do general Joaquim Silva e Luna, diretor-geral brasileiro de Itaipu. “São investimentos tanto pontuais quanto permanentes, que ficarão mesmo depois que a pandemia passar.”

Ajuda providencial

O plano de contingência apresentado pelo município e prontamente atendido pela Itaipu prevê a aquisição de medicamentos e insumos para demandas de pacientes com a covid-19 internados do Hospital Municipal Padre Germano Lauck, em Foz do Iguaçu. A unidade hospitalar é considerada referência pelo Sistema Único de Saúde (SUS).

O prefeito de Foz do Iguaçu, Chico Brasileiro, esteve na manhã desta quarta-feira no gabinete do diretor-geral brasileiro para pedir apoio neste momento crítico da pandemia. A solução veio prontamente. “Esse convênio veio na hora certa, porque o Hospital Municipal poderia colapsar. Só temos a agradecer à Itaipu pela pronta resposta, que será fundamental para garantir atendimento humanizado à população”, diz o prefeito.

Nesta última semana, entre quarta-feira (24) e terça-feira (2), foram confirmados 1.497 novos casos e 33 mortes por covid-19 em Foz do Iguaçu. 

O plano integra uma série de medidas que beneficiam toda a região de fronteira na área de saúde. O sistema hospitalar de Foz do Iguaçu, pela sua localização peculiar, é bastante utilizado, tanto por brasileiros como também por paraguaios.

Segundo dados da Secretaria de Saúde de Foz, os moradores de países vizinhos respondem por 30% da demanda nas unidades hospitalares do município, pressionando o SUS.

Para agravar ainda mais a situação, nos dois países as cidades fronteiriças – Foz e Ciudad del Este – estão com os sistemas de saúde sobrecarregados, com alta taxa de ocupação de leitos de Unidades de Terapia Intensiva destinadas à covid-19. A taxa passa de 100%, inclusive no Hospital Ministro Costa Cavalcanti (HMCC), que é mantido por Itaipu e também destinou parte de seus leitos para o atendimento de pacientes infectados pelo novo coronavírus. 

“Além de Foz, esse apoio se estende também a outros oito municípios que fazem parte da 9ª Regional de Saúde do Paraná: Medianeira, Matelândia, São Miguel do Iguaçu, Santa Terezinha de Itaipu, Itaipulândia, Missal, Serranópolis do Iguaçu e Ramilândia”, diz Aureo. 

A Fundação Municipal de Saúde de Foz do Iguaçu é a gestora do Hospital Municipal Padre Germano Lauck — o maior da região Oeste do Paraná e referência de média e alta complexidade nas especialidades de neurocirurgia, ortopedia e traumatologia para a 9ª Regional de Saúde do Estado. Ela presta serviços de saúde e também de assistência médico-hospitalar.

Itaipu e Unioeste abrem nova parceria e frentes de trabalho

A Itaipu também destinou mais R$ 2,4 milhões para uma ação conjunta com a Unioeste e a Fundação Municipal de Saúde de Foz do Iguaçu, fundamentada em três frentes de trabalho.

A primeira delas é a manutenção de 70 bolsistas da área de saúde em Foz do Iguaçu, que fazem a triagem e dão orientação à população, em atendimento remoto e presencial, relacionado à covid-19. Outra é a atuação de 30 bolsistas egressos do curso de enfermagem para o trabalho em UTIs de covid-19.

Por fim, outra ação prevista neste mesmo convênio é a contratação de duas equipes de saúde domiciliar no atendimento preventivo, especialmente nos casos de grupos de risco, para evitar que pessoas idosas precisem buscar atendimento nos hospitais.

Política de austeridade permitiu redirecionamentos de aportes

O novo convênio é fruto de uma política de austeridade e transparência implantada pela margem brasileira da usina. O redirecionamento de recursos de ações e iniciativas sem aderência à missão da empresa permitiu economia traduzida em investimentos na ordem de R$ 2,5 bilhões.

Obras esperadas e sonhadas por décadas foram se transformando em realidade, como a construção de uma segunda ponte sobre o Rio Paraná, entre Foz do Iguaçu, no Brasil, e a cidade de Presidente Franco, no Paraguai, que vai mudar a logística da fronteira; a ampliação da pista de pousos e decolagens e outras melhorias no Aeroporto Internacional de Foz do Iguaçu, que terá condições de ser um hub do Mercosul; e a futura duplicação da rodovia mais importante para o turismo do município, a BR-469, que dá acesso às Cataratas do Iguaçu.

São mais de 30 projetos, em diversos segmentos, que geram empregos e desenvolvimento, criando as bases para avanços significativos da economia paranaense.

Além das obras estruturantes, dentro deste contexto de redirecionamento de recursos foi possível também colaborar decisivamente para o combate à pandemia na região.

Inicialmente, foram destinados R$ 15 milhões para a compra de insumos e equipamentos, além da criação de 40 leitos de UTI e de outras 15 unidades de transição no HMCC, que também atende pacientes do SUS.

Gradativamente, foram ainda encaminhados recursos para a Associação dos Municípios do Oeste do Paraná (R$ 2 milhões); entidades beneficentes que se candidataram ao Fundo de Auxílio Eventual da empresa (R$ 5,7 milhões); mais de 700 bolsistas para o atendimento à saúde em todo o Paraná (R$ 4 milhões); e aditivos contratuais e manutenção da estrutura de atendimento hospitalar voltada à covid-19 (R$ 33 milhões).

Somam-se, agora, os convênios autorizados nesta quarta-feira (de R$ 15 milhões com a Fundação Municipal de Saúde de Foz do Iguaçu e de R$ 2,4 milhões envolvendo também a Unioeste), totalizando R$ 77,1 milhões aplicados na mitigação dos efeitos da pandemia na região.

“Num ano atípico, em que o mundo todo aprende a lidar com a pandemia, Itaipu investiu no bem-estar da nossa gente. Somente os R$ 5,7 milhões provenientes do Fundo de Auxílio Eventual da empresa, por exemplo, beneficiaram diretamente mais de 60 mil pessoas em situação vulnerável”, reforça Aureo Ferreira.