Com expectativa de 1 milhão de pessoas, velório de Maradona começa na Casa Rosada

Desde o início da madrugada, milhares de torcedores formavam uma fila que já avançava quadras da tradicional Avenida de Mayo

Com uma grande presença de torcedores do lado de fora da Casa Rosada, sede do governo da Argentina, em Buenos Aires, o velório de Diego Maradona foi aberto ao público às 6 horas (de Brasília) desta quinta-feira e seguirá até 16 horas. A expectativa é que 1 milhão de pessoas passem pelo local para se despedir do ídolo, que faleceu no início da tarde de quarta após sofrer uma parada cardiorrespiratória.

Houve um princípio de confusão na hora da abertura dos portões da Casa Rosada, mas sob muita emoção, os fãs foram entrando aos poucos e deram adeus a Maradona.

A situação na entrada da Casa Rosada está mais controlada, mas há princípios de confusão na última barreira antes do acesso ao salão onde se encontra o caixão. É permitida a entrada de 20 pessoas por vez e, quando o portão se fecha após entrada de um grupo, os ânimos se exaltam.

Escoltado por uma caravana, o corpo do ex-craque chegou à sede do governo argentino por volta de 1 hora, quando uma multidão já se encontrava na Plaza de Mayo. Camisas da seleção da Argentina e do Boca Juniors já eram maioria, mas torcedores de todos os clubes marcaram presença.

Atendendo a um pedido da família, que fez uma cerimônia íntima momentos antes da abertura dos portões, o caixão permanecerá fechado durante o velório, que conta com a presença da imprensa local e internacional, com jornalistas dos principais meios de comunicação do mundo.

Diego Maradona será enterrado no cemitério Jardins de Bella Vista, em Buenos Aires, porém o horário do sepultamento ainda não havia sido confirmado pela família até momentos antes do início do velório.

Informações Banda B.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Jaime Lerner deixa legado como arquiteto, urbanista e político

Jaime Lerner nasceu em Curitiba e aqui deixou o seu legado. O arquiteto, urbanista e ex-político tinha 84 anos e morreu nesta quinta-feira (27) em decorrência de complicações de doença renal crônica, no Hospital Evangélico Mackenzie, na Capital.

Era arquiteto e planejador urbano, formado pela Escola de Arquitetura da Universidade Federal do Paraná (UFPR) em 1964. Foi um dos grandes responsáveis pela modernização da capital nos anos 90, referência em planejamento urbano.

Andando por aí encontramos sua história na Rua XV de Novembro, a primeira via exclusiva para pedestres do Brasil. Nas canaletas para ônibus, nas famosas estações-tubo e no sistema integrado de transporte coletivo. Na imagem ecológica de Curitiba, com a campanha que ensinou os curitibanos a separar o Lixo Que Não É Lixo. No pôr do sol do Jardim Botânico, em uma tarde na Ópera de Arame ou em uma voltinha na Rua 24 Horas.

Foi também responsável pela criação e estruturação do Instituto de Planejamento Urbano de Curitiba (Ippuc) em 1965, participou do desenvolvimento do Plano Diretor da Capital que resultou no processo de transformação física, econômica e cultural da cidade. Foi prefeito de Curitiba em três mandatos: nos períodos de 1971/75, de 1979/83 e de 1989/92.

Durante sua primeira gestão como prefeito, Lerner consolidou as transformações da cidade e implantou o Sistema Integrado de Transporte Coletivo, reconhecido internacionalmente pela sua eficiência, qualidade e baixo custo.

Nas duas administrações seguintes, além das ações de vanguarda no planejamento urbano, Lerner intensificou um amplo programa que resultou em avanços na área social, destacando Curitiba como uma das cidades com um dos maiores índices de qualidade de vida entre as principais capitais do mundo.

Foi eleito governador do Paraná em 1994 e reeleito em 1998. Apoiado em uma política de atração de investimentos produtivos, o Paraná se consolidou como um polo industrial do País. A exemplo da experiência bem sucedida de Curitiba, Lerner se dedicou a questões de logística, educação, saneamento e lazer.

Essa preocupação, intensa principalmente na área social, de educação e de atenção à criança, renderam ao Governo do Paraná o prêmio Criança e Paz da Unicef, para os programas “Da Rua para a Escola”, “Protegendo a Vida” e “Universidade do Professor”.

ARQUITETURA 

Em sua carreira como arquiteto e urbanista, Jaime Lerner alçou voos internacionais. Ele se formou em arquitetura e engenharia e, a partir de 1970, fez de Curitiba uma referência mundial em urbanismo a partir do modelo de transporte BRT – que, inspirado nos metrôs, acelera a velocidade dos ônibus através de canaletas exclusivas em vias expressas que cortam a cidade.

Além de implementar o sistema, foi durante a sua gestão que os principais cartões-postais da Capital paranaense foram desenhados: o calçadão da Rua XV de Novembro (antes aberta parra carros), a Ópera de Arame, o Jardim Botânico e a Rua 24 Horas – todos fruto do trabalho conjunto de um time de arquitetos liderados por ele, que revolucionaram sua geração dentro do IPPUC.

O seu escritório, Jaime Lerner Arquitetos Associados, também é responsável pelo planejamento urbano de diversas outras cidades do Brasil, como Balneário Camboriú, e projetos como a nova orla do Guaíba, em Porto Alegre.

Seu trabalho como urbanista levou Lerner a ser citado pela revista Time em 2010 como um dos 25 pensadores mais influentes do mundo. Em 2018, foi reconhecido pela revista norte-americana Planetizen como o segundo maior urbanista da história.

DESPEDIDA 

Lerner era viúvo da ex-primeira-dama Fani Lerner, falecida em 2009. Deixa duas filhas: Andrea e Ilana, que atualmente dirige a Biblioteca Pública do Paraná.

LUTO

O governador Ratinho Junior manifestou imenso pesar e decretou luto oficial de três dias pela morte de Jaime Lerner.

“Nossas condolências à família e amigos do ex-governador Jaime Lerner. O Paraná perde um grande cidadão, que ajudou a transformar Curitiba e o Estado. Os nossos corações, marca que por muito tempo ele usou, estão juntos neste momento de profunda dor e tristeza para todo o povo do Paraná”, disse o governador.

“Jaime Lerner tinha amor pelo Paraná. Dedicou uma vida inteira ao Estado, com realizações que transformaram Curitiba e servem até hoje de inspiração mundo afora. Um exemplo que ficará marcado eternamente pelas centenas de obras espalhadas pelo nosso Estado”, reforçou Ratinho Junior.

No Palácio Iguaçu, as bandeiras ficarão a meio mastro durante todo o período de luto.

REPERCUSSÃO

Edson Fachin, ministro do STF

“O Paraná e o Brasil perdem uma de suas melhores inteligências. Jaime Lerner traduziu em sua vida uma respeitável carreira acadêmica, profissional, e de vida pública desvelada ao sentido permanente da existência. Fica a memória de quem com sensibilidade compreendeu o efêmero e com serenidade se inscreveu na história. Brasília, 27 de maio 2021”.

Sergio Moro

“Triste o falecimento do ex-prefeito e ex-governador Jaime Lerner. Minha solidariedade aos familiares. Como arquiteto, urbanista e gestor, fez de Curitiba uma referência positiva mundial”.

Ademar Traiano (PTB), deputado estadual e presidente da Assembleia Legislativa do Paraná

“Perdemos uma das maiores lideranças políticas do nosso estado. Um homem de uma cultura invejável, respeitável em todo o mundo como arquiteto, pensador. Deixa uma bagagem na história digna e elogiável em nosso estado. Uma perda irreparável no mundo político, no mundo cultural e principalmente pela visão de estadista que Jaime Lerner teve e construiu em todo o mundo”.

João Doria (PSDB), governador de São Paulo

“O Brasil perde um grande homem público, extraordinário arquiteto e urbanista. A morte do ex-governador do Paraná, Jaime Lerner, comove a todos. Meus sentimentos aos seus familiares e amigos”.

Cida Borghetti, conselheira da Itaipu Binacional

“O Paraná perdeu hoje Jaime Lerner. Um homem à frente do seu tempo. Um Urbanista visionário e um político arrojado. Reconhecido internacionalmente, Lerner deixou marcas que transformaram Curitiba e o Paraná. Com ele tive a honra de ser a primeira mulher a chefiar o escritório do Paraná em Brasília. Obrigada, meu grande amigo, pela oportunidade, pelas palavras sempre amáveis e pelos sábios conselhos. Meus sentimentos a Andrea, Ilana e a todos os familiares. Sentiremos saudades”.

Jaime Lerner, ex-governador do Paraná, morre aos 84 anos

O ex-governador do Paraná e ex-prefeito de Curitiba, Jaime Lerner morreu aos 84 anos na manhã quinta-feira (27).

Ele estava internado desde o dia 21 de maio no Hospital Universitário Evangélico Mackenzie, em Curitiba, após apresentar um quadro de febre.

Lerner vinha fazendo hemodiálise e foi hospitalizado, de acordo com o ex-chefe de gabinete do político, Gerson Guelmann.

O velório será na capela do Cemitério Israelita do Água Verde, em Curitiba. O sepultamento está previsto para 15h desta quinta-feira no Cemitério Israelita do Santa Cândida.

Lerner recentemente chegou a ser diagnosticado com Covid-19 em março, mas se recuperou. Ele tomou as duas doses de vacina contra a doença.

Biografia

Jaimer Lerner foi arquiteto e urbanista, prefeito de Curitiba durante três gestões e governador do Paraná duas vezes, entre os anos de 1995 e 2003.

Ele é lembrado pela inovação que trouxe para Curitiba, entre elas está a Rua das Flores, que se transformou em calçadão. Além disso, implantou as canaletas exclusivas para ônibus e pontos turísticos como a Pedreira Paulo Leminski, Ópera de Arame, Jardim Botânico e a Universidade Livre do Meio Ambiente.

Lerner formou-se em arquitetura em 1964 pela Universidade Federal do Paraná (UFPR) e trabalhou no Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano de Curitiba (Ippuc) desde a criação, em 1965.

Em 2002, foi eleito presidente da União Internacional de Arquitetos (UIA). Ele também foi fundador do Instituto Jaime Lerner, entidade sem fins lucrativos.

Durante a vida, o político casou-se com Fani Lerner e teve duas filhas: Andrea e Ilana. A esposa morreu em maio de 2009, aos 63 anos.