Com alto índice de testagem, Curitiba fez 532 mil exames PCR em um ano

Desde o início da pandemia da covid-19, em março de 2020, até o último dia 19, Curitiba fez 532.189 testes PCR para detectar infecção pelo coronavírus na cidade. O número equivale a um quarto da população da cidade e revela que o município tem um alto índice de testagem.

De janeiro a 19 de março deste ano, Curitiba já testou o equivalente a 8,5% da população. Foram 165.183 exames de PCR em 2021, somando os realizados na rede pública e na privada.

Curitiba já testou o equivalente a mais de 1/4 da sua população. Foto: Hully Paiva/SMCS

O exame PCR detecta o vírus da covid-19 na fase ativa, entre o terceiro e oitavo dia da infecção. A taxa de “positividade” está em torno de 40% atualmente.

De acordo com o epidemiologista do Centro de Epidemiologia da Secretaria Municipal da Saúde de Curitiba, Diego Spinoza dos Santos, embora essa testagem seja fundamental no combate à pandemia ela precisa estar aliada às medidas de isolamento social por parte da população.  

“Até que saia o resultado do exame, o paciente precisa ficar em isolamento social. E, caso dê positivo, mesmo com sintomas leves, é preciso continuar respeitando esse isolamento”, adverte o epidemiologista.

Curitiba já testou o equivalente a mais de 1/4 da sua população. Foto: Hully Paiva/SMCS

De acordo com o diretor do Centro de Epidemiologia da Secretaria Municipal da Saúde de Curitiba, Alcides Oliveira, só desta maneira o município conseguirá diminuir o número de casos ativos e frear a propagação do vírus. De acordo com o último boletim, divulgado neste domingo (21), havia 13.534 casos ativos da doença em Curitiba, correspondente ao número de pessoas com potencial de transmissão do vírus.

“Essas 13.534 pessoas testadas positivo precisam ficar isoladas, mesmo se tiverem sintomas leves. Aqueles que fizeram exame e estão aguardando resultado também,” diz Oliveira.

O diretor explica que 90% dos casos confirmados são leves.

“Isso traz uma falsa impressão para a pessoa, que testa positivo e se sente bem e acha que pode circular. O problema é que ela vai transmitir para outras pessoas, que não reagirão necessariamente tão bem à doença, o que pode levar a óbitos conhecidos, amigos e familiares”, explica.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Renato Borguetti faz show gratuito em Curitiba neste sábado

Neste sábado, dia 02 de julho, a área externa do Jockey Eventos, em Curitiba (PR), vai se transformar em um grande templo de celebração à boa música. Com oito horas de programação gratuita, o Blues Jazz Brasil Festival, sucessor do Festival BB Seguros de Blues e Jazz, vai reunir atrações nacionais e internacionais de peso em uma estrutura exclusiva com opções gastronômicas, ações de sustentabilidade e atividades para o público infantil. Entre os grandes destaques do evento, estará o gaúcho Renato Borghetti.

Desde o lançamento de seu primeiro álbum, em 1984, Renato Borghetti, consagrou-se como um dos grandes executores da gaita ponto, um dos instrumentos musicais mais marcantes da música sulista. Figura frequente em grandes festivais no Brasil e no mundo, ele sabe como poucos mesclar o som brasileiro, o latino e muito mais com criatividade, energia e assinatura própria.

Além de Renato Borghetti, o Blues Jazz Brasil Festival, que contará também com diversas opções gastronômicas e recreação infantil, vai receber outros sete grandes nomes da música nacional e internacional: Yamandu Costa, Hélio Brandão Sexteto, Tia Caroll (EUA), Orleans Street Jazz Band, Escalandrum (Argentina), O Bando Rock & Blues e Isabela Morais.

O Blues Jazz Brasil Festival será realizado neste sábado, dia 02 de julho, das 11h às 19h, na área externa do Jockey Eventos (Rua Dino Bertoldi, nº 740 – Tarumã), no bairro Tarumã. A entrada é gratuita. Mais informações no perfil oficial do evento no Instagram (@bluesjazzbrasil).

Café Cultura lança café em cápsula com venda para todo o Brasil

O Café Cultura, uma das principais redes de cafeterias do Brasil, acaba de lançar um novo produto focado em clientes que querem aproveitar o melhor dos cafés especiais da marca de forma prática e saborosa, em casa. A partir de agora, a rede disponibiliza café em cápsula, que pode ser adquirido nas unidades físicas do Café Cultura ou no site oficial (www.cafeculturabrasil.com), com entrega em todo o Brasil. Para abrir a nova linha, foi escolhido o House Blend, sucesso nas 32 lojas físicas espalhadas pelo país.

O House Blend traz equilíbrio entre doçura, acidez e corpo. Na composição, leva os grãos Bourbon Amarelo, Catuaí Vermelho e Icatú Amarelo. O café especial é torrado e moído, protegido em atmosfera diferenciada, valorizando o aroma mais rico e sabor marcante do espresso. A caixa, que custa R$ 34,90, conta com dez cápsulas, feitas de alumínio e compatíveis com as máquinas Nespresso. Mais sustentáveis, vêm com instruções para reciclagem, valorizando o cuidado com o meio ambiente.

Em franca expansão, a rede Café Cultura está presente em cinco estados brasileiros, e figurou no Prêmio Melhores Franquias 2021 como a quinta maior rede de cafeterias do Brasil, e em 2022 ganhou o Selo de Excelência em Franchising ABF. Além dos espaços físicos em cidades como Rio de Janeiro, Florianópolis, Curitiba, Cuiabá e Porto Alegre, o Café Cultura agora amplia seu atendimento com produtos para consumo em casa. “Os produtos disponíveis no site são uma forma de alcançar um maior público interessado em cafés especiais que está em cidades que ainda não temos presença física”, comenta Luciana Melo, CEO do Café Cultura.

A venda de cafés especiais em cápsulas se une a outras pedidas da rede catarinense que, além de servir seus cafés próprios nas lojas, resolveu apostar no consumo de seus blends em casa, com entregas em todo o Brasil, ampliando seu alcance territorial. Há escolhas como os cafés em pó, que incluem blends como o Peaberry, de grãos Bourbon Amarelo, que traz uma bebida mais aveludada e adocicada com toques de baunilha. Outro produto de destaque é o Drip Coffee: café em sachê que filtra direto na xícara, em processo semelhante ao chá, mas com um processo particular de preparo que mantém as principais características do café.

Sobre o Café Cultura

A rede Café Cultura foi fundada pelo casal Joshua Stevens e Luciana Melo em 2004, em Santa Catarina. A preocupação com toda a cadeia de produção dos cafés é foco da marca, que ganhou projeção nacional com o conceito Farm to Cup, de controle dos grãos da fazenda até a xícara. São selecionados grãos plantados acima de 1000m de altitude em fazendas do Espírito Santo e Minas Gerais, e os blends são elaborados no Café Cultura Lab, laboratório próprio da marca.

O novo House Blend em Cápsulas já está disponível nas lojas físicas da rede Café Cultura e no site www.cafeculturabrasil.com, com entregas em todo o Brasil.