Com 736 novos casos de Covid-19 em um dia, Curitiba volta a ter índices semelhantes ao do pico da pandemia

Na terça-feira (10), os números também já estavam em tendência de alta, com 477 novos casos em 24 horas

Com 736 novos casos de coronavírus confirmados nesta quarta-feira (11), Curitiba voltou a ter em um dia números semelhantes ao do início do mês de agosto, quando a capital vivia o pico no índice de contaminação. No dia anterior, terça-feira (10), os números também já estavam em tendência de alta, com 477 novos casos em 24 horas.

Há cerca de duas semanas a média de novos casos na capital estava abaixo de 300. Por enquanto, Curitiba segue com bandeira amarela, sem uma restrição mais severa para determinadas atividades. A procura por unidades de saúde e hospitais também tem aumentado.

Último boletim

Além dos 736 casos, Curitiba teve cinco mortes de moradores da cidade infectados pelo novo coronavírus, conforme boletim da Secretaria Municipal da Saúde.

Quatro desses óbitos ocorreram nas últimas 48 horas. As novas vítimas são quatro mulheres e um homem, com idades entre 35 e 91 anos. Quatro dos pacientes tinham fator de risco para complicações da covid-19. Havia ainda um homem de 58 anos sem registro de doenças prévias e que estava internado há mais de dois meses.

Até agora são 1.538 mortes na cidade provocadas pela doença neste período de pandemia.

Informações Banda B.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pacientes em tratamento de câncer podem tomar vacina contra Covid-19, diz oncologista

Segundo Priscila Morosini, a única contraindicação ao uso dos imunizantes são possíveis alergias que podem gerar aos pacientes

Apesar de existir poucos estudos sobre o tema, há uma indicação geral dos especialistas na área de Oncologia para a aplicação dos imunizantes contra a Covid-19 nas pessoas com câncer. A revelação foi feita por Priscila Morosini, oncologista do Instituto de Hematologia e Oncologia Curitiba (IHOC)/Oncoclinicas, em entrevista à Banda B nesta segunda-feira (18). Ela afirmou que a única contraindicação ao uso dos imunizantes são possíveis alergias que podem gerar aos pacientes oncológicos.

“Não há sinais de que eles podem ser prejudicados. O único ponto que tem sido levantado em alguns estudos preliminares, é que, talvez, os pacientes não respondam tão bem como os pacientes que tem a imunidade adequada. Mas, o que temos de recomendação até o momento de grandes instituições que fazem o tratamento de pacientes oncológicos, é que a vacina está indicada para eles”, pontuou.

Um novo posicionamento da Sociedade Brasileira de Cirurgia Oncológica (SBCO) sobre estes estudos é aguardado nos próximos dias. Para Priscila, isto será fundamental para nortear as atitudes que deverão ser tomadas pelos oncologistas e pacientes em geral a respeito do coronavírus.

“O que há de recomendação preliminar é que estes pacientes não realizem a vacina no dia em que farão a quimioterapia. Mas que deixem para fazer a vacinação nos dias em que estão melhores. Isto será uma avaliação individualizada de cada oncologista com o seu paciente com base nos resultados dos exames com o intervalo das quimioterapias”, comentou a oncologista

Ressalva

Neste domingo (17), a ANVISA aprovou em caráter emergencial o uso das vacinas de Oxford e Coronavac. No Paraná, o plano de vacinação está previsto para começar nesta segunda-feira (18), em um evento simbólico às 17h, no hospital do Trabalhador. Em Curitiba, o prefeito Rafael Greca confirmou o início da aplicação dos imunizantes para a próxima quarta-feira (20) no Pavilhão do Barigui. Porém, a oncologista ressalta.

“Devemos reforçar que mesmo vacinando a população em geral como os pacientes oncológicos, a nossa conduta do dia a dia não deve mudar: uso de máscara e o distanciamento. Tudo até que tenhamos a porcentagem adequada da população vacinada para que voltamos ao que era antes”, concluiu Priscila à Banda B.

Informações Banda B.

Sanepar divulga tabela de rodízio para Curitiba e RMC

A Companhia de Saneamento do Paraná  (Sanepar) divulga a tabela de rodízio do fornecimento de água para Curitiba e Região Metropolitana, até 29 de janeiro. Nesta segunda-feira (18), o nível médio dos reservatórios do Sistema de Abastecimento Integrado de Curitiba e Região está em 40,76%. 

Confira a tabela AQUI